Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Plantas no meio urbano

No description
by

Marianna Araujo

on 19 May 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Plantas no meio urbano

Plantas no Meio Urbano
design by Dóri Sirály for Prezi
Importância das plantas no meio urbano
Ilhas de calor
Influência do meio urbano na vida das plantas
Partículas atrapalham a passagem de luz, tanto quando estão em suspensão quanto quando se depositam na superfície das folhas.
Ruídos.
Poluição Atmosférica e Sonora
http://revistapesquisa.fapesp.br/wp-content/uploads/2012/10/078-081_Ilhas-de-Calor_200-3.jpg?b3ba8e
Poluição luminosa
Fototropismo
Hormômio auxina
Em que interfere na vida das plantas?
Alterações mais comuns:
Alternativas para minimizar os problemas
Luminárias adequadas;
Telhado verde;
Políticas públicas e leis;
Conscientização.
Referências Bibliográficas
Materias impermeáveis no solo absorvem e retêm mais calor, além de dificultar a penetração de água;
Menor evapotranspiração (é uma forma de dissipar o calor do ambiente).
Fotomorfogênese
Três pigmentos principais:
Fitocromos – (V, 650-680 nm) / (VE, 710-740 nm)
Criptocromos – azul (320-400nm)
Fotorreceptores – UV-B (280-320 nm)
Fitocromo
Pigmento proteico de coloração azul;
Criam mensagens químicas que podem alterar o metabolismo e crescimento da planta;
Relacionado com a floração;
Fotoconversão (alongamento do caule).

Orientadores:
Profa Dra. Elenice Mouro Varanda
Lívia Maria Michelassi
Discentes:
Ana Gabriela Hentschke
Fernanda Camossa
Mariana de Britto Abrahão
Marianna Tojal Araújo
Natália Ramos Noleto
Samantha Sales
Áreas verdes nas cidades
Parques em Ribeirão Preto
Maximização da captação de energia luminosa para a fotossíntese
Sombra
Podas
Arquitetura dos vegetais
SALLES, Ivan S.; BUCKERIDGE, Marcos S.. Alometria e arquitetura de árvores. Revista da Biologia, São Paulo, v. 12, n. 1 p.17-20, 30 jul. 2014.
BRUN, Flávia G. K.; LINK, Dionísio; BRUN, Eleandro J.. O emprego da arborização na manutenção da biodiversidade de fauna em áreas urbanas. Revista da sociedade brasileira de arborização urbana, v. 2, n. 1, 2007.
RAVEN, Peter H.; EVERT, Ray F.; EICHHORN, Susan E.. Biologia vegetal. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.
GALSTON, Arthur W.; DAVIES, Peter J.Mecanismos de controle no desenvolvimento vegetal l. São Paulo, Edgard Blücher, Ed. da Universidade de São Paulo, 1972.
WHATLEY, Jean M.; WHATLEY, Frederick R.. A luz e a vida das plantas. São Paulo. Ed. da Universidade de São Paulo, 1982.
http://www.amda.org.br/imgs/up/Artigo_01.pdf
http://www.lrc.rpi.edu/
http://www.parsec.net.br/poluicao-luminosa.html
http://www.verlustdernacht.de/
GREEN Roofs: For Healthy Cities. 2014. Disponível em: <http://greenroofs.org/index.php/about/aboutgreenroofs>. Acesso em: 6 maio 2015.
STEINER, Claudia. Proposta de um sistema nacional de áreas verdes. 2014. Monografia (Doutorado em Geografia) - UFRGS. Porto Alegre.
Marcos Antônio Silvestre Gomes, A espacialização dos parques e a dinâmica da produção, apropriação e valorização do espaço urbano em Ribeirão Preto (SP), Espaço e Economia [Online], 2 | 2013, posto online no dia 15 Janeiro 2013.
Vamos arborizar Ribeirão Preto / Perci Guzzo, Regina Maria Alves Carneiro (orgs.). - Ribeirão Preto: Secretaria Municipal do Meio Ambiente, 2008
GARGAGLIONI, Saulo Roberly. ANÁLISE LEGAL DOS IMPACTOS PROVOCADOS PELA POLUIÇÃO LUMINOSA DO AMBIENTE URBANO. 2007. 105 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Engenharia de Energia, Universidade Federal de ItajubÁ, Itajubá, 2007.

Abertura inadequada dos estômatos;
Teores de clorofila a e b;
Aumento da área foliar;
Crescimento: da altura e do diâmetro de colo;
Dormência e brotação de gemas;
Senescência (envelhecimento celular);
Frequência da floração;
Início da frutificação;
Amadurecimento das sementes;
Enraizamento;
Germinação.


F
O
T
O
S
S
Í
N
T
E
S
E
(Salles, 2014)
Vídeo de fototropismo:
Plantas no Meio Urbano
Luminárias adequadas
Ribeirão Preto
http://www2.fearp.usp.br/
http://www2.fearp.usp.br/
http://ratonlaser.blogspot.com.br/2013/02/fototropismo.html
http://planetasustentavel.abril.com.br/blog/sustentavel-na-pratica/telhados-verdes-funcionam-mesmo/
http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Manga/CultivodaMangueira/poda.htm
Processo pelo qual a luz regula o desenvolvimento da planta.
Fv - forma inativa
Fve - forma ativa
http://promaker.com.br/blog/poluicao-do-ar-mata-mais-que-acidentes-de-transito-em-sp/
São Paulo
Biodiversidade;
Qualidade do ar;
Microclima.
http://noticias.band.uol.com.br/ciencia/noticia/100000635775/poluentes-de-motores-a-diesel-desorientam-abelhas-mostra-estudo.html
http://www.fmrp.usp.br/
http://cbn.globoradio.globo.com/sao-paulo/2013/11/25/MANIFESTACAO-DE-VIGILANTES-BLOQUEIA-TOTALMENTE-A-AVENIDA-PAULISTA.htm
Iluminação artificial utilizada de modo excessivo e inapropriado para o seu objetivo;
Atinge 18,7% da superfície do planeta, o que significa que é um fenômeno global.
Áreas nobres:
Outras áreas:
http://www.cidadederibeiraopreto.com.br/descritivo1401-parque-pref-dr-luiz-roberto-jabali-pq-curupira.html
http://espacoeconomia.revues.org/181
Parque Curupira - ZS
Parque Linear Ulisses Guimarães - ZN
Aréas verdes públicas
Praça XV de Novembro
http://www.cidadederibeiraopreto.com.br/descritivo1380-praca-xv-de-novembro.html
Bosque e Zoo Fabio Barreto
http://www.vaievemdavida.com.br/noticia/animais-ganham-festa-de-natal-no-zoologico-de-ribeirao-preto-sp/
Parque Raya
http://vejabrasil.abril.com.br/ribeirao-preto/passeios/parque-dr-luis-carlos-raya-74341

“Áreas verdes urbanas são espaços, públicos ou privados, com predomínio de vegetação, preferencialmente nativa, natural ou recuperada, previstos no Plano Diretor, nas Leis de Zoneamento Urbano e Uso do Solo do Município, indisponíveis para construção de moradias, destinados aos propósitos de recreação, lazer, melhoria da qualidade ambiental urbana, proteção dos recursos hídricos, manutenção ou melhoria paisagística, proteção de bens e manifestações culturais.” (Novo código florestal)


Quando este vidro não é plano, como nessas luminárias tão comuns nas ruas brasileiras, a luz acaba sendo dispersada inadequadamente.
Fotomorfogênese - R. F. Carvalho & L. E. P. Peres
Fotomorfogênese - R. F. Carvalho & L. E. P. Peres
Os globos, tão comuns nas praças brasileiras, são o tipo de luminária mais ineficiente e poluente, devendo ser evitados.
De acordo com o Laboratório Nacional de Astrofísica ( Http://www.lna.br)
Sementes de tomateiro postas para geminar sob V (667nm) e sob VE (730nm). Nessa incubadora há emissão branca proveniente das lâmpadas fluorescentes e amarelada de incandescentes.
Fotomorfogênese– Rogério F. Carvalho & Lázaro E. P. Peres
Políticas Públicas
Mais de 700 leis impondo normas sobre a poluição luminosa;
Apenas três no Brasil - Uma portaria do Ibama, de 1995, referente à proteção de tartarugas marinhas, e duas leis municipais, de Campinas e Caetés, que normatizam a proteção a observatórios;
Campanhas de Conscientização.
(Terra 3.0 Especial Scientific American,2007)
Fotoperiodismo
Fotoperiodismo
Telhados Verdes
Vantagens
Lei em Recife
Tipos
- Resposta biológica à mudança nas proporções de luz e escuro em um ciclo diário de 24h;

- Determinado pelos ritmos diários de expressão gênica e comportamental;

- Sincroniza os ciclos vegetativos e reprodutivos.
Estudos de W. Garner e H. Allard (1920)
- Efeito do
comprimento do dia

como fator determinante para a sazonalidade da floração;
- Plantas dias curtos, dias longos e neutras;
- Fotoperíodo crítico

http://slideplayer.com.br/slide/293992/
https://projetopincel.wordpress.com/2011/08/23/arvores-e-fiacao-eletrica-nas-cidades-quem-ganha-a-guerra/
Fotoperiodismo
Estudos de C. Hamner e J.Bonner (1938)
-
Períodos contínuos de escuro
como fator determinante para a sazonalidade da floração;
- A percepção da Luz ocorre na folha;
- O estímulo para o florescimento é gerado no escuro;
- Alta precisão do processo
HOPKINS, W. G. Introduction to Plants Physiology, 4º ed. New York: John Wiley & Sons. Incs., 2000, 512p.
Germinação e a Luz
http://www.cost-lonne.eu/gallery/the-good-the-bad-and-the-ugly-2/
http://2030studio.com/telhado-verde-uma-opcao-sustentavel/
http://www.avescatarinenses.com.br/imagens/fotos/sabia_do_campo_mimidae_mimus_saturninus_tejo_do_campo_calhandra_arrebita_rabo_galo_do_campo_papa_sebo_1870.jp
Sabiá-do-Campo (Tejo)
Campus USP Ribeirão Preto
Experimento com feijões
Broadway
Crescimento do feijão
Seis dias
Sete dias
Nove dias
Onze dias
Doze dias
http://objetoseducacionais2.mec.gov.br/bitstream/handle/mec/18881/Fototropismo.pdf?sequence=1
Fotoblastismo

- Fotoblásticas positivas
- Fotoblásticas negativas
- Fotoblásticas neutras


- O comprimento de onda vermelho estimula a germinação
- O comprimento de onda vermelho-extremo inibe a germinação
https://www.ufpe.br/lev/images/downloads
https://www.ufpe.br/lev/images/downloads
Fotoblastismo
https://www.ufpe.br/lev/images/downloads/aula_2_germinacao_sementes.pdf
adaptado de: https://www.ufpe.br/lev/images/downloads/aula_2_germinacao_sementes.pdf

Do grego;
Photo = luz
Blasto = broto
http://bloguinfo.blogspot.com.br/2013/01/atividades-com-medidas-de-tempo-dia-e.html
http://www.forumdaconstrucao.com.br/conteudo.php?a=3&Cod=1203
http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/sp/2012-09-21/sao-paulo-registra-segundo-pior-indice-de-congestionamento-de-2012.html
http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL1451984-5605,00.html
http://www.atelierdobonsai.com.br/forum/viewtopic.php?p=230332&sid=364d892f3bbb58a2f046a2dc5e695982
Conclusão
http://www.vprgarquitetura.com.br/home/
Sociedade Brasileira de Arborização Urbana (SBAU): 15 m²/hab de áreas verdes públicas.
Fotomorfogênese– R. F. Carvalho & L. E. P. Peres
Abelha
http://newartcolorz.com/cat/3/177626.html
http://www.apolo11.com/curiosidades.php?posic=dat_20080122-104944.inc
Full transcript