Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

ERGONOMIA EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA

No description
by

Thiago Shibao

on 23 September 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of ERGONOMIA EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA

ANÁLISE DA ERGONOMIA EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA
O que é ERGONOMIA?
"A Ergonomia é uma ciência que estuda a relação do homem e seus meios, métodos e espaço de trabalho, relacionando os aspectos fisiológicos e psicológicos do ser humano"
IEA- International Ergonomics Association

ABERGO- Associação Brasileira de Ergonomia
PRODUTIVIDADE
PLANEJAMENTO
QUALIDADE DE VIDA
PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO DO AMBIENTE DE TRABALHO
Estudo que busca a integração harmoniosa entre o homem e o seu trabalho, proporcionando benefícios como conforto físico e mental. Esta harmonia provê prevenção de doenças ocupacionais e maior produtividade.
OBJETIVO
Analisar os postos de trabalho em um escritório de Arquitetura, buscando discutir aspectos teóricos e práticos, bem como as consequências de uma postura inadequada e a integração do trabalhador com seus equipamentos e o ambiente de trabalho, prevenindo os agentes responsáveis pelas doenças do trabalho, tais como LER e DORT.
ERGONOMIA
ERGONOMIA COGNITIVA
Refere-se aos processos mentais, tais como percepção, memória, raciocínio e resposta motora conforme afetem as interações entre seres humanos e outros elementos de um sistema
Com o intuito de se alcançar a qualidade de serviços alcançados, é fundamental que todos estejam preparados e motivados para a atividade que desempenham, evitando assim os riscos de falhas e acidentes.
A FALTA DE PROJETOS EGONOMICOS
*Baixa produtividade
*Afastamentos por doenças ocupacionais
*Clima organizacional ruim
*Demissões e processos contra a empresa
ANTROPOMETRIA
É a ciência no qual a ergonomia estuda as medidas do corpo humano, assim como seus movimentos, permitindo o estudo do volume espacial e as possibilidades de alcance pelo movimento do corpo.
FISIOLOGIA E BIOMECÂNICA
É definida como o estudo das interações entre o trabalho e o homem.Alguns dos métodos utilizados pela Biomecânica Ocupacional tais como postura, mobilidade e força muscular, são analisados para determinar os limites e capacidades para a realização de tarefas sem o risco de lesões.
ERGONOMIA FÍSICA
Termo relacionado com às características da anatomia humana, antropometria, fisiologia e biomecânica com relação a atividade física
- Antropometria Estática: Medidas do corpo humano quando o trabalhador encontra-se em posição sem movimento.

- Antropometria Dinâmica: Medidas do corpo humano em movimento, informando os ângulos das articulações, alcances e posturas naturais.

ERGONOMIA ORGANIZACIONAL
1857
1949
1970 - 1990
O termo Ergonomia é originário do grego ergon (trabalho) + nomos (regras), e foi utilizado pela primeira vez pelo cientista e biólogo polonês Wojciech Jastrzebowski (1857) em um artigo com o título - “Ensaio de ergonomia ou ciência do trabalho, baseada nas leis objetivas da ciência da natureza”.
Conceito de Ergonomia elaborado em 1949, pelo psicólogo inglês Kenneth Frank Hywel Murrell
No Brasil, 1970, estudos baseados no pesquisador francês Alain Wisner.

Apenas em 1990 difundiram –se as pesquisas com Anamaria de Moraes e Cláudia Mont’Alvão
HISTÓRICO
Escola Politécnica da Universidade de São Paulo
Engenharia da Segurança do Trabalho

IMPORTÂNCIA DA ERGONOMIA EM UM POSTO DE TRABALHO
Ao se projetar um posto de trabalho adequado, devem ser levadas inúmeras questões referentes ás condições de trabalho, de modo que os trabalhadores possam desenvolver suas atividades com conforto e melhor eficiência, criando assim a importância de incorporar a cultura de promover o bem estar do funcionário, aumentando sua produtividade e elevando os padrões de qualidade na empresa.
PLANEJAMENTO
Ao se projetar os postos de trabalho, deve-se analisar a quantidade de mobiliários, de estações de trabalho e quantidade de pessoas operando no local, pois todos esses fatores afetam o conforto térmico do ambiente.
CONDIÇÕES TÉRMICAS
A NR-17 estabelece a faixa recomendável de operação no interior de escritórios entre 20ºC a 23ºC e nas condições para o verão variaram de 23ºC a 26ºC, considerada adequada ao bem estar térmico e proporcionando melhor desempenho das atividades.
VENTILAÇÃO NATURAL
Uma boa ventilação natural adequada previne alguns dos sintomas básicos de escritórios fechados e promove o conforto interno, sendo uma combinação de processos que ajudam não só no fornecimento de ar externo, mas também na retirada do ar viciado de dentro do ambiente.
CONFORTO TÉRMICO
A qualidade de ar que circula no interior do escritório é de grande importância, para se conseguir um ambiente satisfatório e adequado à presença dos funcionários e suas atividades.
RUÍDO
O ruído em ambientes fechados, como em escritórios, influencia nos comportamentos das pessoas que ali trabalham, além de causar stress, irritabilidade e tensões, afetando o desempenho (velocidade e precisão) e produtividade das atividades.
A acústica no ambiente de trabalho inclui todas as manifestações sonoras, como o próprio ruído interno de computadores, equipamentos de impressão, além de toda a comunicação verbal, tanto em corredores como em salas de reunião. Também existem os ruídos externos, como o trafego de veículos, pessoal e ruídos provenientes da vizinhança.
Tabela da ABNT, NB-101 (Tratamento de Ambientes Acústicos)
ILUMINAÇÃO NATURAL
A iluminação natural está relacionada principalmente, com a orientação solar. Podendo acarretar problemas que afetarão a saúde do trabalhador, como a penetração de grande quantidade de calor no verão e frio no inverno, tornando as superfícies mais frias e trazendo desconforto aos usuários de estações de trabalho próximas às janelas.
ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL
A iluminação artificial é um dos recursos mais utilizados para complementar e prover às necessidades de luminância do ambiente de trabalho, possibilitando o controle do seu uso, projetando a quantidade, o tipo e o melhor posicionamento das fontes de luz, de acordo com os tipos de tarefas a serem executadas.
ILUMINAÇÃO
A utilização de uma iluminação adequada proporciona um ambiente de trabalho agradável, melhorando as condições de supervisão e diminindo a possibilidade de acidentes. A melhor qualidade de iluminação, num ambiente de trabalho de escritório, pode se prover de duas formas: natural e artificial.
Os níveis mínimos de iluminância a serem observados nos locais de trabalho são os valores estabelecidos na NBR 5413/1992.
NÍVEIS DE ILUMINÂNCIA
Visa estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e
desempenho eficiente.
Para as atividades em que os trabalhos devam ser realizados sentados, a partir da análise ergonômica do trabalho, poderá ser exigido suporte para os pés, que se adapte ao comprimento da perna do trabalhador.
Nos locais de trabalho onde são executadas atividades que exijam solicitação intelectual e atenção constantes, tais como escritórios, salas de desenvolvimento ou análise de projetos, dentre outros, são recomendadas as seguintes condições de conforto:
NR17 - ERGONOMIA
Atualmente no Brasil existem normas específicas para postos de trabalhos em escritórios, exigindo padrões mínimos a serem seguidos. A norma NR-17 (Ergonomia) expedida pelo Ministério do Trabalho, estabelece requisitos ergonômicos mínimos de ambientes de trabalho adequados.
Para trabalho manual sentado ou que tenha de ser feito em pé, as bancadas, mesas, escrivaninhas e os painéis devem proporcionar ao trabalhador condições de boa postura, visualização e operação e devem atender aos seguintes
requisitos mínimos:
a) ter altura e características da superfície de trabalho compatíveis com o tipo de atividade, com a distância requerida
dos olhos ao campo de trabalho e com a altura do assento;

b) ter área de trabalho de fácil alcance e visualização pelo trabalhador;

c) ter características dimensionais que possibilitem posicionamento e movimentação adequados dos segmentos
corporais.
Os equipamentos utilizados no processamento eletrônico de dados com terminais de vídeo devem observar o seguinte:

a) níveis de ruído de acordo com o estabelecido na NBR 10152, norma brasileira registrada no INMETRO;

b) índice de temperatura efetiva entre 20oC (vinte) e 23oC (vinte e três graus centígrados);

c) velocidade do ar não superior a 0,75m/s;

d) umidade relativa do ar não inferior a 40 (quarenta) por cento.
17.1.
17.3.2.
17.3.4.
17.4.3.

a) condições de mobilidade suficientes para permitir o ajuste da tela do equipamento à iluminação do ambiente, protegendo-a contra reflexos, e proporcionar corretos ângulos de visibilidade ao trabalhador;

b) o teclado deve ser independente e ter mobilidade, permitindo ao trabalhador ajustá-lo de acordo com as tarefas a serem executadas;

c) a tela, o teclado e o suporte para documentos devem ser colocados de maneira que as distâncias olho-tela, olhoteclado e olho-documento sejam aproximadamente iguais;

d) serem posicionados em superfícies de trabalho com altura ajustável.
17.5.2.
Para as atividades que possuam as características definidas no subitem 17.5.2, o nível de ruído aceitável para efeito de conforto
será de até 65 dB (A) e a curva de avaliação de ruído (NC) de valor não superior a 60 dB.
A iluminação geral ou suplementar deve ser projetada e instalada de forma a evitar ofuscamento, reflexos incômodos, sombras e contrastes excessivos. Os níveis mínimos de iluminamento a serem observados nos locais de trabalho são os valores de iluminâncias
estabelecidos na NBR 5413, norma brasileira registrada no INMETRO.
17.5.2.1.
Nos locais de trabalho onde são executadas atividades que exijam solicitação intelectual e atenção constantes, tais como escritórios, salas de desenvolvimento ou análise de projetos, dentre outros, são recomendadas as seguintes condições de conforto:

a) níveis de ruído de acordo com o estabelecido na NBR 10152, norma brasileira registrada no INMETRO;

b) índice de temperatura efetiva entre 20ºC (vinte) e 23ºC (vinte e três graus centígrados);

c) velocidade do ar não superior a 0,75m/s;

d) umidade relativa do ar não inferior a 40 (quarenta) por cento.
17.5.2.
17.5.3.2.
Criada para identificar conjunto de doenças que atingem músculos, tendões e articulações dos membros inferiores, ligadas diretamente com as atividades exercidas em ambientes e organização do trabalho. Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), as LER estão na segunda posição como causa de afastamento no trabalho.
Investigar a existência de fatores de risco é o primeiro passo para a prevenção. Analisar as situações adversas, tais como a exposição do trabalhador aos riscos, levando em consideração a intensidade, frequência e duração da exposição.
DOENÇAS OCUPACIONAIS
Atualmente grande parte das empresas sofrem por processos trabalhistas devido a doenças do trabalho, grande parte por LER / DORT. Os transtornos são decorrentes pela falta de planejamento do posto de trabalho, muitas vezes por se tratar de equipamentos antigos, causando a perda de produtividade em alguns casos.
Termo mais recente adotado pelo INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social), considerado como distúrbios inflamatórios da compressão de nervos, derivados de atividades que exigem sobrecarga física ou atividades com sobrecarga psíquica.
- Queixas frequentes de dores, cansaço (fadiga), stress;

- Trabalhos que exigem movimentos repetitivos ou aplicação de força transporte de cargas;

- Atividades em posições inadequadas causando desconforto ao corpo;

- Uso de equipamentos vibratórios, tais como ferramentas manuais elétricas, pneumáticas e outras;

- Clima organizacional estressante;

- Dificuldades de relacionamento entre chefia e outros colaboradores;

- Normas estritas de trabalho e falta de flexibilidade da empresa.

(Lesões por Esforços Repetitivos)
INDICADORES DE PROBLEMAS
17.5.3.2.
LER
(Distúrbios Osteomoleculares Relacionados ao Trabalho)
DORT
INDICADORES FREQUENTES
FISIOPATOLOGIA
Existem dois tipos de trabalho muscular, sendo o DINÂMICO, caracterizado pelo movimento e nas alternâncias de contração e extensão muscular; e o trabalho ESTÁTICO, caracterizado por se tratar de um estado de contração prolongada da musculatura, gerando um trabalho de manutenção de postura.
TENDINITE
Inflamação do tendão, estrutura fibrosa que une o músculo ao osso. A inflamação comum no ombro, cotovelo, punho, joelho e tornozelo. Relacionados principalmente no uso de computadores, “tablets” ou celulares: acarretam a fadiga dos tendões.
SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO
Neuropatia resultante da compressão do nervo mediano no canal do carpo, estrutura que se localiza entre a mão e o antebraço. Causado por movimentos repetitivos, como digitar ou tocar instrumentos musicais
BURSITE
Inflamação da bolsa sinovial, uma estrutura cheia de líquido que se localiza entre um tendão e a pele ou entre um tendão e o osso, com função de amortecimento e auxílio no deslizamento dos tecidos e sua nutrição. A ocorrência de bursite é mais comum nos ombros, cotovelos e quadril.
CERVICOBRAQUIALGIA
Dor neurológica, causada por uma inflamação do disco vertebral na região cervical, que comprime a raiz nervosa. Principais causas: postura inadequada, tarefas repetitivas e sedentarismo.
LOMBALGIA
Dor na região lombar, causado por má posição para sentar, se deitar, se abaixar no chão ou carregar algum objeto pesado. Pode ser causada por inflamação, infecção, hérnia de disco, escorregamento de vértebra e artrose (processo degenerativo de uma articulação).
EPICONDILITE
Inflamação dos tendões do cotovelo muito comum a quem realiza movimentos repetitivos com o punho e os dedos. Quando ocorre sobrecarga e desgaste dessa região, pode ocorrer fissuras no tendão, iniciando um processo infeccioso
GINÁSTICA LABORAL PREPARATÓRIA
Atividade realizada antes ou no início das primeiras horas de trabalho, constituída de aquecimentos e/ou alongamentos específicos, aumentando a circulação sanguínea, articulações e tendões
GINÁSTICA LABORAL CORRETIVA
Atividade que utiliza exercícios que visam fortalecer os músculos fracos e alongar os encurtados, atenuando as consequências decorrentes de atividades inadequadas ao ambiente de trabalho. Tendo como finalidade recuperar casos graves de lesões, limitações e condições adequadas de trabalho
GINÁSTICA LABORAL RELAXAMENTO
Atividade praticada ao final do expediente, tendo como objetivo exercícios de relaxamento para trabalhos com excesso de carga horaria e fadiga psíquica, relaxando o corpo e tendões das regiões que acumulam mais tensão.
Tem por objetivo a melhoria da qualidade de vida, prevenção de doenças por esforços repetitivos, no alívio do stress nas organizações, na prevenção de acidentes e na motivação dos trabalhadores para potencializar suas capacidades e facilitar o desenvolvimento das atividades para a eficácia da produção e bom desempenho.
GINÁSTICA LABORAL
ESTUDO DE CASO
ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA
MATERIAIS E MÉTODOS
- Pesquisas bibliográficas na área de Ergonomia para escritórios e Layouts, visando identificar os métodos utilizados na concepção;




- Aplicar os conceitos e recomendações na elaboração de projetos de layout para escritórios, para criação de um ambiente de trabalho adequado;

- Foi elaborado um questionário a ser aplicado no local de trabalho escolhido, com certas adaptações.


CARACTERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO
O estudo foi direcionado a população dentro da empresa que passam a maior parte do expediente de trabalho em frente aos computadores, desenhando ou administrando.
CONDIÇÕES ANALISADAS
JORNADA DE TRABALHO
O trabalho no escritório inicia-se a partir das 07:00 horas, mínimo 8 horas diárias; com pausas livres para o “coffe break”, almoço de 1 h.

O término da jornada diária depende da urgência dos projetos e prazos de entrega para o cliente.

ESCRITÓRIO
Em média a quantidade de horas extras varia de funcionário, podendo chegar a 20 (vinte) horas extras mensais, em época de lançamento de projeto.

DIAGNÓSTICO
AFASTAMENTOS
Até o presente momento não há afastamentos do trabalho por lesões ocupacionais provocadas pelo excesso de trabalho, porém, as reclamações por cansaço, dores no pescoço, nos ombros e na lombar, juntamente com o stress de atender aos clientes e prazos de entregas muito curtos, está preocupando a gerencia e principalmente o dono do escritório
ALPLICANDO AS NORMAS
Como parte das medidas de ações corretivas e redutoras de riscos ergonômicos, foi apresentado uma proposta, pontuando todos os itens levantados, problemas observados e sugeridos pelos próprios colaboradores entrevistados, com recomendações contendo normas da NR17 e ABNT para mobiliário de escritórios.
LEVANTAMENTOS
MESA DE TRABALHO
POSTURA
LAYOUT E ILUMINAÇÃO
GINÁSTICA LABORAL
Umas das alternativas de melhoria nas condições de vida no trabalho, foi a adoção da pratica da Ginastica Laboral, praticada com intervalos de cinco a dez minutos diários, proporcionando ao funcionário uma melhor qualidade de vida no trabalho.
ALONGAMENTO EM PÉ
ALONGAMENTO SENTADO
O trabalhador deve ter a consciência e responsabilidade de aprender e aplicar os programas de redução de riscos e acidentes ocupacionais, propiciando o bem-estar do ambiente de trabalho, gerando maior produtividade e resultados.
PRODUTIVIDADE E RESULTADO
OBRIGADO!
Full transcript