Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

O Terceiro Mundo e a nova ordem global

No description
by

on 1 December 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of O Terceiro Mundo e a nova ordem global

O Terceiro Mundo e a nova ordem global

Geografia C - 12º Ano








Terceiro Mundo
Breve Introdução ao ‘’Terceiro Mundo’’
A expressão “Terceiro Mundo” surgiu na época da Guerra Fria, denominando os países que não estavam nem do lado dos EUA nem do lado da URSS, os chamados “não – alinhados”.

Este conceito abrange países que se designavam subdesenvolvidos, ou seja, encontravam-se abaixo do nível de desenvolvimento considerado aceitável. Na atualidade designamos como países em desenvolvimento.


Estes países não conseguiam resolver os problemas básicos, tinham imensas dificuldades nomeadamente na alimentação, saúde e educação.

Continentes do terceiro Mundo
África
,
América latina
e
Ásia
.
Conferência de Bandung
Data:
18 a 24 de Abril de 1955
Local:
Indonésia
Participantes:
China; Filipinas; Japão; Índia; Paquistão; Turquia; Síria e Israel.
Etiópia; Líbia; Libéria e Egipto.

A diversidade do terceiro Mundo
Para designar o conjunto de países que fazem parte do chamado Terceiro Mundo, as Nações unidas passaram a utilizar a expressão países em desenvolvimento (PED), que associa um conjunto de países que sofrem ainda de dificuldades a nível de bens e serviços essenciais.
Os países do Terceiro Mundo de modo a facilitar as análises multidimensionais e as comparações internacionais foram agrupados em categorias diversas de acordo com os seus níveis de desenvolvimento.
Os principais obstáculos ao desenvolvimento Terceiro Mundo


Apesar de constituírem um conjunto cada vez mais heterogéneo , os países em desenvolvimento (PED) têm em conjunto um certo número de características que os distingue dos países desenvolvidos (PD).
Reflexos da colonização no seu desenvolvimento
A Colonização a que foram sujeitos os povos da América Latina, África e Ásia durante vários séculos, provocou a estagnação do processo de industrialização e de desenvolvimento destes continentes.
Consequências:

O Terceiro Mundo na economia Mundial
A progressiva deterioração dos termos de troca verificada nos PED pode ser explicada pelos seguintes fatores:
A estrutura das exportações;
O aumento da oferta de produtos brutos;
A diminuição da procura dos produtos exportados pelos PED;
A substituição de algumas matérias-primas por produtos sintéticos;
As restrições no acesso aos mercados dos países do Norte.
A ajuda internacional aos países do Terceiro Mundo
Com o problema do subdesenvolvimento dos países do Terceiro Mundo era urgente tomar medidas com o objetivo de promover, o crescimento económico e combater a probreza, com a ajuda dos Países do Norte a chamada ajuda internacional.
A ajuda ao desenvolvimento
Na natureza da ajuda podemos distinguir:

A ajuda bilateral- resulta do acordo entre dois países, o país doador e o país receptor (PED);
A ajuda multirateral- feita através de instituições internacionais (ONU, UE, OCDE) ou de grupos de países.

Nos tipos de ajuda distinguimos:
Ajuda Privada ao Desenvolvimento-
organismos privados;
Investimentos diretos
-investimentos pelas empresas transnacionais;
Empréstimos bancários
- taxas de juro comerciais;
Doações das Organizações Não Governamentais (ONG)
- Recebendo doações privadas;
Ajuda Pública ao Desenvolvimento-

destinada a promover o desenvolvimento; O«atribuída por organismos públicos.
Objetivos da Conferência:

Promoção da cooperação económica e cultural afro-asiática;
Oposição ao que era considerado colonialismo ou neocolonialismo dos EUA, da URSS ou de outra nação considerada imperialista.


Países afro-asiáticos reunidos na Conferência de Bandung (Indonésia).
Novos Países Industrializados do Sudeste Asiático
Países produtores e exportadores de Petróleo
Países menos desenvolvidos ou Países Menos avançados
Países semi-industrializados ou em vias de industrialização rápida
Características a Nível económico:

Rendimento ‘’per capita ‘’ bastante baixo;
Mão-de-obra desqualificada;
Exportação de produtos de baixo valor;
Endividamento externo.

Características a Nível demográfico:

Elevado crescimento demográfico, decorrente de altas taxas de natalidade;
Taxa de mortalidade infantil elevada;
Esperança média de vida baixa.

Características a Nível Social:

Taxa de analfabetismo elevada;
Falta de assistência;
Más condições de habitação;
Fome;
Escassez de alimentos.

Características a Nível Politico:

Conflitos étnicos e fronteiriços;
Governos corruptos e autocráticos;
Direitos humanos desrespeitados.

Nos planos politico e cultural:

• Fronteiras desenhadas pelas potências europeias na Conferencia de Berlim(1884-1885),
• Destruição das estruturas sociais e linguísticas dos países colonizados e impostos novos valores, modos de vida e línguas oficiais aos povos colonizados.
• Adoção de modelos políticos desenquadrados das tradições socioculturais das populações locais
Reflexos da colonização no seu desenvolvimento
Nos planos social e demográfico:


Ritmo de crescimento demográfico acelerado em resultado da diminuição da taxa de mortalidade;
• Migrações internas constantes e vagas de refugiados;
• Urbanização acelerada e descontrolada;
• Estrutura urbana constituída de forma a servir os interesses das antigas metrópoles.


Reflexos da colonização no seu desenvolvimento

Nos planos económico e ambiental:

• Destruição das economias tradicionais.
• Pilhagem dos recursos naturais.
• Dualismo económico (duas realidades ecónomias distintas, uma moderna e lucrativa, controlada pelas grandes empresas estrangeiras e orientada para o exterior, outra tradicional e pouco produtiva, voltada para o autoconsumo)
• Endividamento externo excessivo.
• Desigualdades socioeconómicas.

Trabalho realizado por:
Ana Fernandes
Ana Ferreira

Tem-se assistido a uma polarização regional das trocas no interior dos blocos económicos, beneficiando os países da Tríade, que concentram cerca de 80% dos fluxos comerciais globais. Como consequência, o fosso na distribuição da riqueza entre os pólos da Tríade e os países menos desenvolvidos tem vindo a agravar-se, bem como entre as chamadas economias emergentes e os outros países do Terceiro Mundo.

O incremento das trocas comerciais, associado ao desemprego nos países do norte e à emergência das semiperiferias, alterou os anteriores equilíbrios e gerou novas tensões.

Muitos países pobres da Ásia e da América Latina viram o crescimento das exportações de produtos manufaturados e a comercialização de produtos agrícolas serem limitados por restrições impostas pelos países desenvolvidos.

Estas medidas protecionistas têm constituído um obstáculo ao crescimento das exportações e impedido a diversificação da sua produção.

A Participação do Terceiro Mundo no comércio internacional


O período que se seguiu à segunda Guerra Mundial foi marcado por um acentuado crescimento de economias ocidentais.
A par deste crescimento, verificou-se uma aceleração das trocas mundiais, fruto dos movimentos de liberalização do comércio internacional.
O incremento do comércio internacional e o excedente das balanças comerciais permitiram aos países do Terceiro Mundo ganhos em termos de crescimento económico e de desenvolvimento, que se traduziram na elevação do nível de bem-estar das populações em alguns países.
Contudo, entre 1953 e 1973, a participação do Terceiro Mundo no comércio mundial diminuiu de forma acentuada.
Está redução está associada a um conjunto de alterações ma estrutura das exportações desses países.
A queda das exportações , principalmente dos produtos brutos ( agrícolas, minerais e recursos energéticos) , gerou uma forte instabilidade dos preços destes produtos, o que contribuiu para agravar a situação de dependência económica do Terceiro Mundo.

Bibliografia
http://liceu-aristotelico.blogspot.pt/2011/09/terceiro-mundo-ii.html

http://pt.slideshare.net/carla77/pases-de-terceiro-mundo

Cristiana D
o
mingos, Jorge Lemos , Telma Canavilhas , volume 1 , plátano editora, Geografia C 12º Ano
A ajuda pode contribuir para:
Melhorar nível de vida das populações, aumentando o acesso à educação, à saúde e uma melhor alimentação;
Apoiar populações afetadas por catástrofes naturais ou desastres causados pelo Homem, como a desertificação;
Reduzir a pobreza, aumentando o rendimento das populações mais pobres;
Compensar as elevadas dívidas externas.
Responsabilidades dos países doadores:
-A ajuda tem-se revelado insuficiente;
-A ajuda nem sempre se tem mostrado desinteressada;
-Os modelos de desenvolvimento impostos nem sempre são adequados à realidade dos países recetores;
-A ajuda não tem sido isenta.

Responsabilidades dos países recetores:
-A ajuda tem sido mal canalizada;
-A ajuda tem sido alvo de apropriação indevida pelas
elites do poder;
-A ajuda tem conduzido, por vezes, à instalação de um clima de inércia;
-As desigualdades económico-sociais agravaram-se.


O endividamento dos países do Terceiro Mundo
Os fatores que contibuíram para o endividamento externo e ao lento desenvolvimento foram:

-Subidas das taxas de juro;
- Valorização do dólar;
- Redução do preço dos produtos primários e manufacturados;
- Políticas internas.

Para compensar os défices sucessivos da balança comercial, os PED foram obrigados a recorrer a empréstimos internacionais, que conduziram ao aumento da dívida externa.

Grande parte da riqueza por eles gerada é canalizada para o pagamento do serviço da dívida, assim, as consequências do endividamento externo fazem-se sentir ao nível:
Económico
-
com a diminuição do investimento e da capacidade de importação;
Social
-
com o aumento da pobreza e da exclusão social e a degradação do nível de vida das populações.


Os sucessos e insucessos do diálogo Norte-Sul
Para combater a situação de subdesenvolvimento e de independência externa era necessário um reforço da cooperação e do diálogo entre o Norte e o Sul.

O "grupo dos 77" (77 países do Terceiro Mundo), defenderam na Primeira Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento p estabelecimento das trocas comerciais mais justas e equitativas entre o norte e o sul:

Favorecer a cooperação internacional de forma a criar uma relação comervial mais equitativa;
Estimular a cooperação Sul-Sul;
Reestruturar o comércio internacional, atendendo às necessidades dos países do Sul.
Nova ordem Económica internacional
(NOEI)
Por pressão dos páises do Terceiro Mundo em 1974 são aprovados na assembleia geral da ONU os príncipios de uma Nova Ordem Económica Internacional (NOEI).
Tinha como objetivos:
Garantir uma justa remuneração dos preços das matérias-primas exportadas pelos países do Sul;
Estabilizar os preços das matérias;
Facilitar o acesso dos produtos do Terceiro Mundo aos mercados do Norte;
Reduzir o endividamento através de mecanismos de renegociações da dívida e prolongamento dos prazos de pagamento.

Esta Nova Política nunca chegou a concretizada. Contudo, os principios defendidos passaram a constituir os principais objetivos do trabalho desenvolvido por algumas organizações internacionais.
Conclusão
Com este trabalho podemos concluir que a expressão “Terceiro Mundo” surgiu na época da Guerra Fria.
Este conceito abrange países que se encontravam abaixo do nível de desenvolvimento considerado aceitável.
Os países do Terceiro Mundo de modo a facilitar as análises multidimensionais e as comparações internacionais foram agrupados em categorias de acordo com os seus níveis de desenvolvimento.
Os países em desenvolvimento têm em conjunto um certo número de características que os distingue dos países desenvolvidos.
A Colonização a que foram sujeitos os povos do Terceiro Mundo durante vários séculos, provocou a estagnação do processo de industrialização e de desenvolvimento destes continentes.
No que diz respeito a Economia concluimos que muitos países pobres da Ásia e da América Latina viram o crescimento das exportações de produtos manufaturados e a comercialização de produtos agrícolas serem limitados por restrições impostas pelos países desenvolvidos.
Estas medidas protecionistas têm constituído um obstáculo ao crescimento das exportações e impedido a diversificação da sua produção.
Com o problema do subdesenvolvimento dos países do Terceiro Mundo era urgente tomar medidas com o objetivo de promover, o crescimento económico e combater a probreza, com a ajuda dos Países do Norte a chamada ajuda internacional.
Os fatores que contibuíram para o endividamento externo e ao lento desenvolvimento foram: Subidas das taxas de juro,valorização do dólar, redução do preço dos produtos primários e manufacturados e as Politicas internas.
Para combater a situação de subdesenvolvimento e de independência externa era necessário um reforço da cooperação e do diálogo entre o Norte e o Sul.
Por pressão dos páises do Terceiro Mundo em 1974 são aprovados na assembleia geral da ONU os príncipios de uma Nova Ordem Económica Internacional (NOEI). Mas os principios defendidos passaram a constituir os principais objetivos do trabalho desenvolvido por algumas organizações internacionais
Full transcript