Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Seminário UE

No description
by

Luna Romeu

on 19 October 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Seminário UE

VOCÊ AINDA ACHA QUE A UNIÃO EUROPÉIA É UM BLOCO ESTÁVEL,UNIFICADO E SEM DESIGUALDADES ? defendem poucos os elos ligam os países da U.E. Países periféricos como a Romênia Tentativas de Unificação Dubois - Confederação
de Estados Europeus XIV XV Assembléias Federal
Continental XVII Integração Regional
Européia III a.C. A UNIÃO EUROPÉIA - Composta por 27 Estados-membros: Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, República Checa, Dinamarca, Estónia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Irlanda, Itália, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Países Baixos, Polónia, Portugal, Roménia, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Suécia e Reino Unido "Criada em 1993" é um bloco econômico, político e social de 27 países europeus que participam de um projeto de integração política e econômica. - Euro: Moeda única, adotada em janeiro de 2002, para facilitar as relações econômicas entre os países membros. Zona do Euro Denominação do conjunto de países da UE que adotaram o Euro, um total de 17 países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Chipre, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, República da Irlanda, Itália, Luxemburgo, Malta, Países Baixos e Portugal. -Lema da União: "In varietate concordia" "Unidos na diversidade" Bandeira da UE A bandeira europeia é constituída por doze estrelas. Este número de estrelas não representa o número de Estados-Membros.

As estrelas simbolizam os ideais de UNIDADE, SOLIDARIEDADE e HARMONIA entre os povos da Europa. E o número total - 12 - é associado ao número da PERFEIÇÃO, PLENITUDE e UNIDADE. Além disso, a disposição das estrelas em círculo se dá dessa maneira pois esta figura geométrica também é associada ao símbolo de unidade. Segundo o site da UE "este lema significa que na UE os europeus estão unidos, trabalhando em conjunto pela paz e pela prosperidade, e que o facto de existirem diferentes culturas, tradições e línguas na Europa é algo de positivo para o continente." Questão Xenofóbica e
suas Controversias É uma reação negativa da população nativa em relação ao movimento migratório estrangeiro. Séc XV ao XIX: movimento migratório para colonizar e "civilizar" Europa Colônias (América do Sul, África) Séc XX (desde 1985): aumento do movimento migratório inverso em busca de trabalho Países subdesenvolvidos
(América do Sul, África) Europa Porém, é uma fobia moderna Apesar do grande fluxo de imigração pra europa... Ainda que exista xenofobia por parte da Europa contra estrangeiros não europeus,
O maior fluxo de imigração é da Europa para a própria Europa. Portanto, existe xenofobia entre países EUROPEUS. Fonte: Jornal de Noticias http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=2716890 "Os fluxos migratórios em direção à União
Europeia (UE) recrudesceram a partir dos anos 80, (...)
representando 7,7% da população europeia na virada do século" "Trabalhadores respondem ao sálario de equilíbrio do mercado e a diferenças regionais através do voto com os pés” condenou a ação do presidente, afirmando que este passou por cima das leis de não discriminação e a diretiva de livre circulação de pessoas da U.E. Os Roma são efetivamente cidadãos Europeus
Porém, não são tratados como tais. Estudo do Caso Países do Leste Europeu
(mais pobres/ periféricos =Albania,
Bulgaria) Países da Europa Ocidental
(países centrais/ ricos = Alemanha,França) migração Região de VAZÃO populacional Região de ATRAÇÃO populacional abrigam ciganos minoria étnica
miscigenada migração para países desenvolvidos
como a França. melhores condições de vida MULTICULTURALISMO mão-de-obra desqualificada Para os países que são pólos de atração, esse movimento não é interessante = MARGINALIZAÇÃO Europa é um território plural segregação social xenofobia Politicas públicas de realocação não levam em consideração os interesses dos ciganos assentamentos periféricos aumento da desigualdade social entre esses povos e a população nativa Posição Governamental medidas de repressão, como a do
presidente Nicolas Sarcozy:

- medidas de desmantelamento de
300 acampamentos
- expulsão de 3700 ciganos
da França medida xenofóbica Grande maioria da população
apoia esse tipo de medida
cerca de 70% Diferenças Culturais ciganos sendo despejados de seu acampamento, na França Linguísticas Territoriais Econômicas Históricas Sociais Políticas denominados ROMA Posição do Parlamento Europeu: atitudes xenófobas levam a Dissiminação de grupos
NEONAZI -nacionalistas
ao extremo Xenofobia significa aversão a pessoas estrangeiras. O termo de origem grega se forma das palavras “xénos” (estrangeiro) e “phóbos” (medo). A xenofobia pode se caracterizar como uma forma de preconceito - que implica em até ações discriminatórias XX 1924 Estados
Unidos da
Europa 1914 - Crise Economica Européias
- Ascenção dos EUA D. WOLTON “o multiculturalismo é provavelmente uma das chaves do êxito, ou do fracasso, do projecto europeu” Tentaiva de unificação como resposta ao predomino econômico Norte- Americano “contribuir para o desenvolvimento das culturas dos Estados-membros, respeitando a sua diversidade nacional e regional, e pondo simultaneamente em evidência o patrimônio cultural comum” 1950 Cominudade européia do
Carvão e Aço
(CECA) artigo 128 Tratado de Paris Isso não ocorre na realidade. Tratado De Maastricht 1992 União Européia Todas essas tentativas falharam - tentativas de dominação hegemônicas
com pretexto de cooperação entre as nações CRISE ECONÔMICA 1ª Guerra mundial 1945
- Europa Devastada e desestruturada 2ª Guerra Mundial XXI 2007 Tratado de Lisboa maior poder aos Estados na questão de migração
preservação do livre acesso de pessoas, porém fortificar as fronteiras externas
integração de migrantes e melhorias nas políticas de asilo 27 países Os povos não encontram semalhanças entre si. ocorre porque Países DESPREPARADOS para o
MULTICULTURALISMO (Teve inicio a partir de uma relação Econômica: Carvão e Aço) Demorou para falar sobre "EUROPA DOS CIDADÃOS" U.E. é uma união feita a partir de tratados, principalmente econômicos Não é atoa que é chamado de BLOCO ECONÔMICO. Para ser uma Forma Estatal Ideal:

Integração econômica
Coordenação política
Harmnonização cívica

Tolerância Religiosa
Liberdade Cultural
Soberania Supra-nacional Em resposta à essas diferenças: Países Ocidentais defenderem Projeto de integração entre os países 1. renegociação do acordo de schegen de livre circulação de pessoas -França, Holanda, Itália as fronteiras externas da U.E. seriam vigiadas pela agência Iniciada em 2010, a CRISE EUROPEIA os países perderiam sua soberania quanto suas fronteiras subproduto tensão NORTE
X
SUL Impacto da crise americana de 2009 sobre os bancos europeus países do norte comtribuem mais com as instituições da União com as medidas de apoio a Frontex, os países do sul passariam a custear mais Divergências de questões políticas entre os países europeus
população : sentimento estrangeiros = invasores (roubar empregos da população local Bolha no mercado imobiliário apenas financeira era portanto contudo Aumento do endividamento público Ao analisar a história do continente europeu, percebe-se que desde a Antiguidade existiram tentativas de unificação motivadas e influênciadas por fatores diferentes e com objetivos diferentes dos que se fazem presente na União Européia atualmente. crise fiscal levou base da U.E. - acordos políticos e econômicos - ignorando os aspectos sociais, culturais e juridicas várias etnias, línguas Encontra-se mais variedades e diferenças do que semelhanças Países gastam mais do que arrecadam Unificações baseadas em
relações econômicas Valores charge que mostra a diversidade de línguas e cu lturas entre os países multiculturalismo + ignorancia + intolerancia geram........ Império Romano Governo não consegue pagar dívidas externas País credor não quer receber menos do que foi emprestado País devedor sofre com pressão política (recessão e desemprego) extensão do prazo de pagamento
redução do débito Crise política Unificou grande parte do continente europeu, graças a conquistas militares de um poderoso exército. Problemas econômicos e administrativos da vasta extensão territorial acabam levando o império a diversas crises e divisões territoriais. proteger o sistema financeiro evitar a recessão conter o desemprego XIX Império Napoleônico Constitucionalização
da U.E. Duras políticas de austeridade fiscal Outra unificação territorial vinda de conquistas militares territoriais. A competição com a Inglaterra acaba influenciando na queda de Napoleão e de seu Império. países pró-imigrantes
países contra-imigrantes mais nacionalistas NACIONALIDADE AFETADA - Objetivos da União Européia: Promover a unidade política e econômica da Europa Melhorar as condições de vida e de trabalho dos cidadãos europeus Melhorar as condições de livre comércio entre os países membros Reduzir as desigualdades sociais e económicas entre as regiões Fomentar o desenvolvimento econômico dos países em fase de crescimento Proporcionar um ambiente de paz, harmonia e equilíbrio na Europa expulsão de todos os imigrantes 3 pilares da U.E. 1. Comunidade Européia
2. Política Externa e de Segurança Comun
3. Cooperação Judiciária variedade linguística valores diferenciados Religião Língua U.E não é a primeira tentativa de unificação da Europa 2. ampliar a atuação da agência de imigração Frontex - comandada pelo conselho da U.E. Impostas pelos países centrais
Receituário de privatizações, redução de investimento, diminuição de salários e empregos no setor público para redução dos gastos do governo São ineficazes! crise socio-política redução degastos pouco significativas - Tentativa de legitimizar a União Européia A Europa encontra-se à beira de uma redefinição, de uma reestruturação e de uma refundação constitucionais, que, ao contrário do que aconteceu posteriormente com o Império Romano e o Napoleônico, impulsionados pela força das armas, agora ocorre um processo para a criação de uma Constituição própria para os membros da U.E. pela via pacífica e pela força das ideias. "Governos caíram pelo voto popular (França, Espanha, Reino Unido), por conta de protestos (Romênia) ou pelo simples rompimento de uma coalizão governista (Holanda). A instabilidade [...] atingiu as duas pontas da austeridade, afetando tanto os países obrigados a cortar gastos quanto os que tiveram de emprestar dinheiro para os resgates." - Carta Capital E tudo isso... Projetos para que todos os habitantes do 27países da UE, usufruam dos mesmos direitos, evitando assim com que se sintam com a nacionalidade afetada. Na visão do Banco Central Europeu União monetária não possuir mecanismos de controle sobre as políticas fiscais de seus membros. Fruto da globalização que vem exigindo a eliminação das fronteiras geográficas nacionais, empurrando as diferentes culturas, etnias e raças a conviverem num espaço comum. agência da UE - fornece conhecimentos sobre a vida e as condições de trabalho, relações industriais e gestão da mudança na Europa. Política ALERTA A POSSIBILIDADE DE UMA CRISE 2005 Procura promover igualdade entre todos os habitantes. porém nada disso ocorre como já visto anteriormente, quando se trata de extrangeiros em um dos 27 países, os tratamentos são outros. de acordo com o BCE, ocorreria devido NÃO há igualdade entre eles, gerando xenofobia e quebra do falso multiculturalismo igualitário e respeitoso. Foi proposto pelo BCE, a intervenção nas economias que não cumprissem os critérios de estabilidade definidos no Tratado de Maastricht. Ampliou-se o grau de liberdade dos países membros na condução de suas políticas econômicas Há uma grande diferença no tratamento de estrangeiros com habitantes dos 27 países. Estes últimos são favorecidos sempre. Europeus da U.E, devem seguir leis de seus países, mas também ser submissos as leis da U.E. Países centrais se opuseram a qualquer sanção econômica sobre os países da zona do euro são EUROPEUS, pertencentes a UNIÃO EUROPEIA, e fazem parte de SEUS PAÍSES. P O I S Inglaterra x Alemanha Gravura Guerra dos Cem Anos França x Ingleterra Criam-se simbolos de unidade: Bandeira da União Europeia Est Europa nunc unita
et unita maneat;
una in diversitate
pacem mundi augeat.
Semper regant in Europa
fides et iustitia
et libertas populorum
in maiore patria.
Cives, floreat Europa,
opus magnum vocat vos.
Stellae signa sunt in caelo
aureae, quae iungant nos A Europa está unida agora
Unida pode permanecer
Nossa unidade na diversidade
Pode contribuir para a paz mundial.
Que esteja sempre a reinar na Europa
Fé e justiça
E a liberdade para o seu povo
Numa Terra-mãe maior.
Cidadãos, a Europa deve prosperar,
A grande tarefa chama em você.
Estrelas douradas no céu são
Os símbolos que se nos unem. Letra em Latim Tradução Hino da União Europeia Dia da União Europeia não é o suficiente Tratado de Maastricht 1992 Amsterdã 1997 Ainda não foi completamente alcançado Temía-se que novas metas fiscais levassem as economias nacionais a recessões econômicas. A Grécia que já vinha apresentando uma deterioração de suas contas públicas desde 1991, com tais políticas fiscais expansionistas, tem sua dívida aumentada de 73,4% em relação ao PIB, para 105,4%. crise americana Quebra da economia grega já fragilizada EFEITO DOMINÓ País pede ajuda ao FMI e ao BCE Pacotes bilionários são concedidos, entretanto medidas fiscais são impostas pelos países centrais Tais medidas causam insatisfação na população País entra em recessão Redução de emprego públicos, dos investimentos públicos se mostram incapazes de reavivar a economia "Desde Maio de 2010, a Grécia é um país confrontado com uma tripla crise: crise de dívida, crise inflacionista e crise de investimento. Não se pode cumprir os compromissos e reduzir o défice através da austeridade" - Varoufakis, conselheiro do ex-primeiro ministro grego Papandreou Impactos devido à adesão à UE União de desiguais países com economias desiguais Aparentemente,permitiu juros menores para a maioria dos países da União Europeia (UE), crédito mais abundante. Os grandes beneficiários foram as principais potências (Alemanha e França)
>>>Suas grandes empresas e bancos que puderam expandir sem grandes limitações seus negócios e investimentos. Portugal, Irlanda, Grécia e Espanha (PIGS)
Forte processo de desindustrialização (desaparecimento/ redução extrema de setores como a siderurgia ou a naval)

Redução dos setores agrícolas “não competitivos” (que agora deviam competir com os agricultores da Alemanha e França que recebem enormes subsídios dos seus governos)

Penetração e domínio crescente de seus mercados bancários e financeiros. Torna-se um grande problema quando somado ao MULTICULTURALISMO Turismo, comércio e o transporte inflaram a economia dos países periféricos. Com a chegada da crise, o circuito econômico não conseguiu mais "fechar". ideia de unificação - Criação de um superestado europeu Países da U.E - perderiam sua soberania em seu país Problema Devido ao MULTICULTURALISMO da U.E. Constituição imprecisa desafio para o Conselho Europeu- conciliar interesses de âmbito: cultural econômico social O exemplo grego
A Grécia aumentou seu PIB em 3,3% depois que aderiu à UE. O setor que mais cresceu foi o de serviços, com destaque para o turismo. Há uma "constituição legítima" em vigor na U.E. diferente da nova constituição MAAAS, com a crise, o turismo diminui. Como podemos observar no gráfico a partir de 2008 o PIB vem diminuindo... fazendo com que a grécia não consiga suprir seus gastos e se afunde mais em dívidas externas. De cunho natural, histórico, realisada com base em uma série de tratados, sentenças e doutrina Poderiam ser compilados num único volume mínimo, duradouro e compreensível a toda a população, como a constituição norte-americana grupos nacionalistas ganham popularidade devido a crise de identidade das populações dos Estados - Membros Reguladora e Burocratizada mistura de politicas, hábitos, culturas, religião. TUDO afeta a nacionalidade de um cidadão, causando crises de identidade ! mas uma coisa é certa, façam leis ou legados, nunca os 27 países serão TOTALMENTE iguais. as pessoas continuarão as mesmas, apenas seguirão leis impostas pelo bloco economico, para superficialmente todos serem iguais. Não mantém a autonomia dos países como dos tratados anteriores, fazendo os países perderem notável soberania sobre si próprios AMBAS APRESENTAM “ILEGITIMIDADE POPULAR” E “DÉFICIT DEMOCRÁTICO” U.E. = Estado Federal desrespeitando as constituições do Estados- Membros Para todos os países serem unificados em sua totalidade a União Europeia, e istaurar-se assim uma ideia de nação européia... O bloco da União Européia é de fato um bloco sólido (bem estruturado e homogênio cultural, enôcomico e politicamente)? é preciso criar antes de mais nada uma ideia de NAÇÃO EUROPÉIA Mas do que prevista, acontece, com a soma de todos os fatores vistos anteriormente, o grande .....

No caso da União Européia, por possuir o caráter de uma federação de Estados, jamais poderia ter uma carta constitucional, visto ser uma mera instituição formada por meio de um tratado. Não há meio algum de superar essa fratura existente, constituída pelo déficit democrático e também pela inexistência de um povo europeu propriamente dito. Tratado de Lisboa assinado no dia 8 de fevereiro, o tratado impõe diversas medidas de militarismo, federalismo e opressão contra o povo europeu. Para Dieter Grimm, renomado jurista alemão, o fundamento jurídico de um Estado é única e exclusivamente a constituição e há uma necessidade quase orgânica de correspondência entre a Constituição, o Estado Soberano e a vontade popular, sendo a última o que possibilita e legitima os demais. Sendo assim conclui-se que a U.E. jamais conseguirá por ser formada pelo Tratado de Maastricht, Militarismo - mais recursos públicos destinados a agressões a povos considerados hostis (Iraque e Afeganistão). Federalismo - redução da capacidade dos Estados-membros de defender os interesses dos seus povos, transferindo o poder decisório para os órgãos supranacionais da União Européia (controlada pela burguesia continental). Não serão superados visto que são fraturas existentes desde o Tratado que fundou a U.E. e também pela inexistência de um povo europeu propriamente dito. opressão - maiores facilidades para demitir, redução dos salários, destruição de direitos e de serviços públicos como saúde, educação e, especialmente, previdência social. SENDO ASSIM A constituição redigida como tratado, e os “constituintes” não foram eleitos democraticamente, não estando aptos a representar o povo.
Porém, o mesmo ocorreu com os tratados que instituíram as Comunidades Européias – a ratificação do Tratado de Maastricht, deu-se em muitos países através do referendo, situação idêntica à Constituição Européia. Aprovado sem o consentimento do povo, tratado já havia sido rechaçado em um referendo em 2005. como consequência dessa desigualdade de relações Tratado antidemocrático patrocinado pelo poder econômico! a União Européia, jamais poderia ter uma carta constitucional, visto ser uma mera instituição formada por meio de um tratado. em que os Estados-Membros da U.E. apresentam verdadeiras disparidades econômicas, culturais e sociais 3º A

Ana Rosa - nº01
Daniely Paulino - nº04
Fernanda Pascotto - nº06
Gabriel Hirota - nº07
Luna Romeu - nº 09
Thaís Machado - nº 18 Seminário de Geografia COLÉGIO SANTO AGOSTINHO Prof. Antônio Machado Veiga São Paulo, agosto de 2012 UNIÃO EUROPÉIA
Full transcript