Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

A ciência

No description
by

Roger Pereira

on 3 July 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A ciência

O que é ciência?
Existem diferenças entre os saberes cotidianos e os conhecimentos científicos.
Iniciação à filosofia, Marilena Chaui
O trabalho científico é metódico e sistemático
(...) conjunto de atividades intelectuais, experimentais e técnicas, realizadas com base em métodos que permitem e garantem que a principal marca da ciência seja o rigor;
Separar os elementos subjetivos e objetivos de um fenômeno;
Construir o fenômeno como um objeto do conhecimento, controlável, verificável, interpretável e capaz de ser retificado ou corrigido por novas elaborações.
Demonstrar e provar os resultados obtidos durante a investigação, graças ao rigor das relações definidas entre os fatos estudados; a demonstração deve ser feita não só para verificar a validade dos resultados obtidos, mas também para prever racionalmente novos como efeitos dos já estudados;
Relacionar com outros fatos um fato isolado, integrando-o numa explicação racional unificada, pois somente essa integração transforma o fenômeno em objeto científico.
Formular uma teoria geral sobre o conjunto dos fenômenos observados e dos fatos investigados, isto é, formular um conjunto sistemático de conceitos que expliquem e interpretem as causas e os efeitos, as relações de dependência, identidade e diferença entre todos os objetos que constituem o campo investigativo.
Em suma
O trabalho científico é sistematizado e por isso uma teoria científica é um sistema ordenado e coerente de proposições ou enunciados baseados em um pequeno número de princípios, cuja finalidade é descrever, explicar e prever do modo mais completo possível um conjunto de fenômenos, oferecendo suas leis necessárias.
História das ciências
Primeira definição
a ciência é um conhecimento das causas e pelas causas
Aristóteles (384 a.C a 322 a.C.)
As três principais concepções de ciência
Racionalista Empirista Construtivista
A ciência é um conhecimento racional dedutivo e demonstrativo, como a matemática, portanto, capaz de provar a verdade necessária e universal de seus enunciados e resultados, sem deixar nenhuma dúvida.
Concepção racionalista
A ciência é uma interpretação dos fatos baseadas em observações e experimentos que permitem estabelecer induções e que, ao serem completadas, oferecem a definição do objeto, suas propriedades e suas leis de funcionamento.
(método hipotético-dedutivo)
(método hipotético-indutivo)
Considera a ciência uma construção de modelos explicativos para a realidade e não uma representação da própria realidade. O cientista combina dois procedimentos – um vindo do racionalismo, outro vindo do empirismo – e a eles acrescenta um terceiro, vindo da ideia de conhecimento aproximável.
Concepção empirista
Concepção construtivista
Diferenças entre a ciência antiga e a clássica ou moderna.
Ciência antiga
A ciência antiga era uma ciência teorética, ou seja, apenas contemplava os seres naturais, sem jamais imaginar intervir neles ou sobre eles por meios técnicos;
A ciência nem sempre foi da maneira como conhecemos
A ciência clássica
A ciência clássica é uma ciência que visa não só ao conhecimento teórico, mas sobretudo à aplicação prática ou técnica.
As mudanças
científicas.

As ciências
evoluem?
Evolução e progresso
O tempo é uma linha contínua e homogênea, uma sucessão de instântes, momentos, fases, períodos, épocas, que iriam se somando uns aos outros, acumulando-se de tal modo que o que aconteceu depois é o resultado do que aconteceu antes.
'
O argumento evolucionista e progressistas aplicado ao desenvolvimento da ciências leva a consequências arbitrárias
Evolução e progresso são a crenças na superioridade do presente em relação ao passado e do futuro em relação ao presente.
País desenvolvido = país avançado
País subdesenvolvidos = país atrasado.
Desmentindo a evolução científica
Geometria euclidiana
Geometria topográfica
Não evoluiu de
''
Física
Sec. VI (AC.) Aristóteles
Sec. XVI Galileu
Sec. XVII Newton
Sec. XX Einstein
Princípios, conceitos, demonstrações, experimentações e tecnologias diferentes.
Ciência da linguagem
Século XIX - filologia
Século XX - estruturas
Ruptura epistemológica
(Bachelard 1884 -1962)
Descontinuidades
(novas teorias, novos modelos, novas tecnologias que rompem com os antigos) mas também comporta
continuidades
, quando se considera que o novo foi suscitado pelo antigo e que parte deste é incorporada por aquele.
Revoluções científicas
Thomas Kuhn (1922 – 1996)
A história da ciência é feita de descontinuidades e de rupturas.
Paradigmas
Modelo geocêntrico de Ptolomeu
Modelo heliocêntrico de Galileu
Um campo científico é criado quando métodos, tecnologias, formas de observação e experimentação, conceitos e demonstrações formam um todo sistemático, uma teoria que permite o conhecimento de inúmeros fenômenos.
A classificação das ciências
Presença da ação humana
Imutabilidade e mutabilidade
Modalidade prática
Os três critérios para a classificação de saberes segundo Aristóteles
independentes da existência humana
Teoréticas
existe como efeito da ação humana
Ciências práticas
das coisas imutáveis.
Metafísica e matemática
das coisas submetidas a mudança
ciências da natureza
A ação ética, política e econômica, que tem o próprio agente como fim.
A fabricação de objetos artificiais ou a ação que tem como fim a produção de um objeto diferente do agente.
Estudo da práxis
Classificações modernas
Ciências matemáticas ou lógico-matemáticas
Lógica
Aritimética
Geometria
Trigonometria
Física
Ciências naturais
Biologia
Química
Geografia
Paleontologia
Geologia
Ciências humanas
Psicologia
Sociologia
Economia
História
Ciências aplicadas
Direito
Medicina
Arquitetura
Informática
Estudo da técnica
São possíveis as ciências humanas ?
Principais objeções a existência das ciências humanas
A ciência lida com fatos observáveis, verificáveis por meio de experimentação.
Como a psicologia pode observar a consciência individual?
Como a sociologia pode observar a sociedade?
Como a história pode observar épocas passadas?

A ciência busca as leis objetivas gerais, universais e necessárias dos fatos.
Como a psicologia pode estabelecer leis para algo subjetivo como a consciência humana?
Como a sociologia pode estabelecer leis para algo particular como a sociedade?
Como a história pode estabelecer leis para o fato histórico que aconteceu uma única vez como?

A ciência opera por análise (decomposição de um fato complexo em elemento simples) e síntese (recomposição do fato complexo por seleção dos elementos mais simples, distinguindo os essências dos acidentais).
Como proceder assim com a sociedade, com a consciência humana e com o fato histórico?
A ciência lida com fatos regidos pela necessidade causal ou pelo princípio do determinismo universal.
Como operar dessa maneira sobre um objeto dotado de razão, vontade e liberdade?
A ciência lida com fatos objetivos, isto é, com os fenômenos purificados dos elementos subjetivos.
Como operar dessa maneira se o humano é justamente o subjetivo, o sensível, o afetivo, o valorativo, o opinativo?

O humano como objeto de investigação
Humanismo
Inicia no século XV a partir da ideia renascentista de dignidade do homem.

Prossegue nos séculos XVI e XIX como o estudo do homem como agente moral, político, técnico, artístico, destinado a dominar e controlar a natureza e a sociedade.

Chega ao século XVIII quando surge a ideia de civilização, do homem como razão que se aperfeiçoa e progride temporalmente por meio das instituições sociais e políticas.

O homem é pensado como um ente da natureza, que se diferencia do mundo por portar faculdades como razão e liberdade.

Positivismo
No século XIX Augusto Conte afirmou que o homem é um ser social e propõe um estudo científico da sociedade: assim como há uma física da natureza, deve haver um física do social, a sociologia. Essa física do social deveria utilizar procedimentos, métodos e técnicas empregados pelas ciências da natureza.

Psicologia positivista
Afirma que o objeto da psicologia não é o psiquismo mas os comportamentos observáveis.
Sociologia positivista
O fato social deve ser tratado como uma coisa à qual são aplicados os procedimentos de análise e síntese criador pelas ciências naturais. Os elementos ou átomos sociais são os indivíduos, obtidos por via de análise; as relações causais entre os indivíduos, recompostas por via de síntese, constituem as instituições sociais (família, trabalho, religião. Estado, etc.)

Sociologia positivista
Período do historicismo:
Dilthey

Ciência do espírito/ciências da cultura

Desenvolvida no final do século XIX e início do século XX, herdeira do idealismo alemão, insiste na separação entre ciências humanas e métodos das ciências naturais. Os fatos humanos são históricos, dotados de valor e sentido, de significação e finalidade e devem ser estudados com essas características que os distinguem dos fatos naturais.
Fenomenologia,
estruturalismo e
Marxismo.

A fenomenologia introduziu a noção de essência ou significação como um conceito que permite diferenciar internamente uma realidade de outras, encontrando seu sentido, sua forma, suas propriedades e sua origem.
Essência da natureza
Essência do homem
O psiquismo
O social
O cultural
O histórico
Regioes ou esferas essenciais
O estruturalismo permitiu que as ciências humanas criassem métodos específicos para o estudo de seus objetos.

Os fatos humanos assumem a forma de estruturas, isto é, de sistemas que criam seus próprios elementos dando sentido a eles pela posição e pela função que ocupam no todo.
O marxismo permitiu compreender que os fatos humanos são instituições sociais e históricas produzidas não pelo espírito e pela vontade livre dos indivíduos,mas pelas condições objetivas nas quais a ação e o pensamento humanos devem realizar-se.

a interpretação dos fenômenos humanos como expressão e resultado de contradições sociais, de lutras e conflitos sociopolíticos determinados pelas relações econômicas baseadas naexploração do trabalho de maioria pela minoriade uma sociedade.


Estruturalismo
Fenômenologia
Marxismo
Permitiu a definição e a delimitação dos objetos das ciências humanas.
Permitiu uma metodologia que chega às leis dos fatos humanos sem, que seja necessário imitar ou copiar os procedimentos das ciências naturais;
o marxismo permitiu compreender que os fatos humanos são históricamente determinados.
Full transcript