Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Alimentos Transgénicos

No description
by

on 2 June 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Alimentos Transgénicos

Alimentos transgénicos
O que são?
São organismos geneticamente modificados cujo material genético foi alterado com uma tecnologia que permite a introdução de genes específicos de um organismo num outro, com o objetivo de melhorar a qualidade e aumentar a produção e a resistência às pragas, visando o lucro.
Exemplos: Milho, tomate e soja

Em Portugal...
Vantagens
Maior produtividade agrícola
Aumento da produção, da variedade e do conteúdo nutricional com vista a agradar não só ao produtor mas também ao consumidor
Melhoria ambiental na agricultura
Redução do uso de compostos como herbicidas, pesticidas, fungicidas, micro-fertilizantes e adubos, pois os alimentos transgénicos já são resistentes.
Maior resistência à pragas
Tais como: vírus, fungos, bactérias e insetos
Desvantagens
"Poluição" genética:
Polinização cruzada:
As culturas transgénicas passam as suas características para outras plantas e para as culturas tradicionais.

É necessário respeitar uma determinada distância de segurança em relação às culturas vizinhas, para que estas não sejam “infetadas”.
Pequenos produtores não conseguem competir;
Eliminação de populações naturais de insetos e animais
Desconhecimento dos efeitos secundários
Aumento de reações alérgicas em determinadas pessoas
Os grupos “Greenpeace” e “Friends of the Earth Europe” pediram regras mais rígidas no que diz respeito a produtos de biotecnologia para assegurar que os produtos geneticamente modificados sejam mantidos fora do mercado até a confirmação de sua segurança.
O salmão transgénico, que pode chegar às mesas de jantar este ano, será o primeiro animal geneticamente modificado (GM) consumido pelo homem.
USA: Court Battle Looms Over Vermont's GMO Food Labeling Law

USA: Jackson County, Oregon Bans GMOs

Chinese Army Bans All GMO Grains and Oil from Supply Stations
Trabalho realizado por:
Inês Fontes
Maria João Cunha
Vitória Ramos
Isabel Reis
11ºC
Bibliografia/ Webibliografia:
http://stopogm.net/conteudo/evolu-cultivo-milho-transg-nico-portugal-i
http://genet-info.org/
http://greensavers.sapo.pt/2013/11/12/7-alimentos-transgenicos-que-consumimos-sem-saber/
https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Transg%C3%AAnese
Motta, Lucinda; Viana, Maria dos Anjos;
“Bioterra-Viver Melhor na Terra 9º ano"
Paiva, Marta; Tarvares, Orlanda; Borges, José Ferreira;
"Contextos 11"
Como é que tudo começou?
Texto 7 do manual, página 219/220
"(...) Proibir é matar a ciência, é matar o progresso. (...) Sou contra as proibições fundamentalistas e não acho que haja evidências suficientes para estarmos aterrorizados com os malefícios potenciais dos alimentos transgénicos."
Segundo Simões Sobrinho.
Texto 8 da página 220 do manual
"(...) Embora os benefícios potenciais da modificação genética para a agricultura do mundo em vias de desenvolvimento possam ser pelo menos tão grandes como os prometidos aos países industrializados, talvez surjam problemas. (...) se for possível utilizar a modificação génica sinteticamente para produzir sabores tão deliciosos como os do café e da baunilha, sem ter de os ir buscar à agricultura dos países tropicais, então o modo de vida de alguns lavradores estará em perigo." Segundo A. Matos, C. Quiroz e A. Miranda
VRS
Fatores socioeconómicos:
A Europa, por exemplo, não tem condições de competir com países que além de possuir grandes extensões de terra, poderiam agora cultivar os transgénicos
Existem 3 tipos de organismos transgénicos de momento a serem comercializados para agricultura e para consumo:
As plantas transgénicas onde foram introduzidos genes param resistir a um determinado pesticida (quando nele aplicado);
As plantas transgénicas onde foram introduzidos genes para que a própria planta produzam o seu insecticida (em todas as suas células);
As plantas transgénicas que têm estas duas características.
Que tipos de transgénicos existem?
E no Mundo...
Os maiores produtores são : Os Estados Unidos, o Canadá, a Argentina e a China.

Alguns países, como o Japão, rejeitam fortemente a entrada desses alimentos, enquanto que outros países asiáticos, norte e sul-americanos permitem a comercialização de alimentos geneticamente modificados.

Desde 2004 a União Europeia autorizou a importação de produtos transgénicos.
No dia 2 de março de 2010, a União Europeia aprovou a plantação de batata e milho transgénicos no continente, após solicitações dos Estados Unidos. A batata transgénica será destinada para a fabricação de papel, adesivos e têxteis. O milho será para a indústria alimentícia.
Mitos:
Muitas pessoas dizem que os alimentos transgénicos poderiam reduzir o problema da fome no mundo, pois aumentaria a produtividade de variadas culturas, como os cereais. Porém, o problema da fome no mundo hoje não está relacionado à escassez de alimentos ou à baixa produção, mas à injusta distribuição de alimentos em função da baixa renda das populações pobres.
OGM e transgénicos não são a mesma coisa!
Todo transgénico é um organismo geneticamente modificado, mas nem todo OGM é um transgénico.
OGM é um organismo que teve o seu genoma modificado em laboratório sem receber material genético (RNA/DNA) de outro organismo.
Já o transgénico é um organismo que foi submetido a uma técnica específica de inserção de material genético (sequência de RNA/DNA) de outro organismo (que pode até ser de espécie diferente).
Atenção!!
Aspartame:
Para quem não sabe é um adoçante. É um composto químico artificial, feito em laboratório através da manipulação de vários compostos. Podemos encontra-lo em refrigerantes, iogurtes, chocolates, doces.
Óleos refinados
: Estão em quase todos os alimentos que contêm gorduras vegetais. Os óleos de soja, colza, milho, palma, girassol ou amendoim são normalmente misturados com óleos alimentares e azeites (excepto virgem extra) ou comida processada.
Amido e xarope de milho
: Extraídos do milho (grande parte deste grão produzido do mundo é geneticamente modificado).
Podemos encontra-lo em massas, bolachas, cereais, biscoitos, barras energéticas, comida pré-congelada, bebidas ou águas aromatizadas.
Margarina
: Utiliza gorduras vegetais (de soja, colza, milho, palma, girassol, amendoim) purificadas e hidrogenadas extraídas de plantas transgénicas.
Leite de vaca:
A
somatropina bovina
(BST) é uma forma geneticamente modificada de hormona de crescimento bovino que provoca um aumento da produção de leite. O seu uso é proibido na União Europeia, mas autorizado nos Estados Unidos e Brasil.
Salsicha
: É uma mistura de produtos e subprodutos de origem animal, mas muitas marcas usam soja e xaropes de milho geneticamente modificados.
Soja e derivados:
A soja é a principal solução de alimentação para vegetarianos e vegans, mas 70% da sua produção mundial é geneticamente modificada.

Em 1967 realizou-se uma conferência em Roma, que focou a sua atenção para a incapacidade mundial de produzir comida, baseando-se nas projecções feitas pela FAO ( Food and Agriculture Organization ).
Os EUA, concentraram-se em descobrir novas tecnologias para a produção de alimentos, enquanto os países europeus investiam na química farmacêutica.
Na década de 70 a engenharia genética europeia produziu insulina humana feita por bactérias modificadas (produção da bactéria
Escherichia Coli
que recebeu um gene humano para a produção de insulina em grande escala, substituindo a anterior utilização de insulina suína), com menor taxa de rejeição entre os diabéticos.
Em 2000, 99% dos OGM eram plantas que eram modificadas com o intuito de tolerar um herbicida, ou então de produzirem um insecticida. Atualmente são modificadas para alimentarem parte da população mundial.
Em Portugal...
Full transcript