Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

ITED: Moradia Unifamiliar

Modulo basico
by

Hugo Araújo

on 25 June 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of ITED: Moradia Unifamiliar

Hugo TMV Araújo
24-Junho-2014

Infraestrutura de Telecomunicações em Edifícios (ITED)
Curso de Formação Inicial de Formadores
Sessão 1

Cronograma
1 - Breve Enquadramento Historico e Legislativo
Caracteristicas dos Sistemas de Cablagem
Cabos técnologia:
Infraestruturas Genéricas
Cabo Pares de Cobre
Cabo Coaxial
Cabo Fibra optica
Acomodação de:
Equipamentos e dispositivos // Cabos de Telecomunicações
Caixas e Armários
Arquitectura Funcional
Condutas e Caminhos de cabo
Legislação:

DL 146/87 de 24 Março, tendo em vista dotar os edifícios de infraestruturas telefonicas;

Decreto Regulamentar 25/87 de 8 Abril, aprova o respectivo Regulamento de Instalação Telefónica (RITA)
Procedeu à especificação das instalações das redes de assinantes para ligação à rede pública;
definição do regime de inscrição das entidades aptas à elaboração de projectos RITA;
e à instalação e conservação de instalações telefónicas.
As soluções preconizadas inseriam-se num contexto de exploração da rede pública de telecomunicações e oferta do serviço fixo de telefone em regime de
monopólio.
Impõe a formulação de novas regras para a instalação e gestão das infra-estruturas de telecomunicações em edifícios.
Torna-se imprescindível criar um novo quadro de responsabilização ao nível da elaboração do projecto e da instalação das infra-estruturas de telecomunicações
em edifícios.

DL 59/2000 de 19 Abril, NOVO QUADRO TÉCNICO, com a publicação de Prescrições e Especificações Técnicas ITED (1º Ed)
Criou-se a figura de:
Projetista
Instalador
Entidade Certificador
1 - Breve Enquadramento Historico e Legislativo
Liberalização do mercado - Mercado concorrencial
a) Emitir certificados de conformidade das instalações;
b) Fiscalizar, em fase de execução;
c)Alertar o director técnico da obra para qualquer facto relevante relativo à execução;
d)Participar na vistoria que conduz à emissão de licença ou à autorização de utilização do edifício
Competências das entidas CERTIFICADAS:

DL 123/2009
a figura de entidade CERTIFICADORA termina, transpondo essa responsabilidade pelas diversas entidades envolvidas:
projetista;
instalador;
e dono de obra.

A publicação de Prescrições e Especificações Técnicas
ITED (2º Ed) / ITUR
Deu continuidade ao trabalho desenvolvido, fazendo referencia:
RGN;
Abertura eficaz e não discriminatória de condutas;
SIC (serviço de informação centralizado);
Requesitos técnicos gerais (Exequibilidade; Ambiente; Custo. MICE)


Com a publicação do novo diploma, DL 123/2009 de 21 de maio, (retificado pela Declaração de Retificação 43/2009 e alterado e republicado pelo Decreto-lei 258/2009 de 25 de setembro)
•espaços para instalações de caixas e tubagem;
•Sistema de cablagem em pares de cobre, cabo coaxial, fibra óptica até à ZAP;
•Instalações eléctricas de suporte a equipamentos e sistemas de terra;
•construção de CVM(Caixa de visita multioperador)
Infraestruturas Obrigatórias ;
Excepção: Edifícios que, em razão da sua natureza e finalidade específica, apresentem remota probabilidade de necessitar de ITED;
•Flexíveis (para facilitar o seu enfiamento na tubagem)
•Cobertura da malha de blindagem não inferior a 70% da superfície do dieléctrico
•Impedância de 75Ω.
Este tipo de cabo é utilizado para transmitir sinais de áudio e vídeo ou dados a alta velocidade.
Fichas SC/APC
A vara de vidro é formada por um núcleo central e por uma bainha envolvente.
O objetivo das comunicações ópticas é transmitir um sinal através de uma fibra óptica até um equipamento receptor distante. O sinal eléctrico é convertido em luz no transmissor. No receptor a luz é convertida nova-mente num sinal eléctrico
Nucleo
Bainha
Revistimento
Categoria OF-300 Monomodo
OM1; OM2;OM2;OS1;OS2)
Categoria OF-300 (OM1; OM2;OM2;OS1;OS2) Monomodo
Categoria OF-300 (OM1; OM2;OM2;OS1;OS2) Monomodo
Categoria OF-300 (OM1; OM2;OM2;OS1;OS2) Monomodo
Categoria OF-300 (OM1; OM2;OM2;OS1;OS2) Monomodo
Categoria OF-300 (OM1; OM2;OM2;OS1;OS2) Monomodo
Classe de ligação TCD-C (FMax. 3000Mhz)
VANTAGENS:
•pode garantir larguras de banda muito mais largas do que o cobre.
•A fibra óptica também tem a vantagem de não ser afectada por flutuações de tensão;
•Menos sensível a interferências electromagnéticas capaz de provocar uma fraca atenuação do sinal.
•Menor interesse, para roubos;
•Transporte de energia a distancias maiores com poucas perdas;

DESVANTAGEM:
•Fragilidade das fibras ópticas: deve-se ter cuidado ao trabalhar com as fibras ópticas pois elas partem com facilidade.
•Dificuldade de ligações das fibras ópticas: por serem de pequeníssima dimensão, exigem procedimentos e dispositivos de alta precisão na realização de ligações e junções.
•Alto custo de instalação, no entanto já existe soluções interessantes preconectorizadas.
•As interfaces de fibra óptica são mais caras do que as interfaces eléctricas.
Vantagens e desvantagens da FO
Apenas é possivel utilizar em paredes de gesso (Pladur)
Embebido no betão
Tubo gris; ERM
Tubo PVC VD
Tubo anelado
CEMU - Caixa de Entrada Moradia Unifamiliar
Caixas fundas de aparelhagem
Caixas tipo I1;I2 e I3;
Destinada ao alojamento de dispositivos de derivação ou transição. Esta caixa faz a transição entre as redes públicas de telecomunicações e a rede individual de cabos.
ATI - Armario de telec. Individ.
Moradia Unifamiliar
Categoria 6 (F.Max. 250Mhz)
Classe de ligação E
Quanto mais alta for a frequência,
maior é a atenuação do sinal num
cabo coaxial.
Para a acomodação de equipamento de telecomunicações convenientemente, estes deverão ser instalados:
em local protegidos de ações externas (conceito MICE),
não permitir o acesso indevido , dispondo de dispositivos de feixe (Ex. dispor de fechadura normalizada ANACOM na CEMU/ATE, e outros meios).
Acomodação de equipamento,
dispositivos e cabos de telecomunicações
As salas técnicas especificas para o alojamento de equipamentos devem ter as condições adequadas, nomeadamente em termos de :
•energia elétrica
•espaço
•e controlo ambiente;
ITED 2:
Tomadas, mínimo obrigatório na Cozinha, Salas e Quarto: 2PC + 1CC
A ZAP é obrigatória e deve ser constituída por 2PC + 2CC + 2FO

ATI – Armário de Telecomunicações IndividualCEMU – Caixa de Entrada de Moradia Unifamiliar
QE – Quadro EléctricoI3 – Caixa de passagem do tipo I3
P – Caixa de aparelhagem para cabos em par de cobrC – Caixa de aparelhagem para cabo coaxial
F – Caixa do tipo I1 para ligações futuras, como por exemplo a WLAN
ZAP – Zona de Acesso PrivilegiadoTM – Tomadas mistas: TV, Rádio e Dados + RJ45
PAT – Passagem Aérea de Topo, com ligação ao local de instalação das antenas
TS – Tubagem subterrânea, de acesso à CEMUES – Entrada subterrânea
Esquema da Fronteira - Moradia Unifamiliar
Implantação da rede de Tubagem e Cabos
Curso de Formação
Inicial de Formadores
Sessão 1

Hugo TMV Araújo | 24-Junho-2014
Infraestrutura de Telecomunicações em Edifícios (ITED)
...
Decreto Lei n.º 53/2014, D.R. n.º 69, Série I, de 2014-04-08,
Estabelece um regime excecional e temporário a aplicar à reabilitação de edifícios ou de frações, cuja construção tenha sido concluída há pelo menos 30 anos ou localizados em áreas de reabilitação urbana, sempre que estejam afetos ou se destinem a ser afetos total ou predominantemente ao uso habitacional.
Full transcript