Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

A ORAÇÃO CRISTÃ NO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA

No description
by

Alexsander Cordeiro Lopes

on 26 April 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A ORAÇÃO CRISTÃ NO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA

A ORAÇÃO CRISTÃ NO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA
SECÇÃO 1
A revelação da Oração

Vocação universal à Oração

CAPÍTULO I
CRER
CELEBRAR
VIVER
ORAR
A ORAÇÃO
NA
VIDA
CRISTÃ

INTRODUÇÃO: QUE É A ORAÇÃO?

CAPÍTULO PRIMEIRO: REVELAÇÃO DA ORAÇÃO - O APELO UNIVERSAL À ORAÇÃO
ARTIGO I: NO ANTIGO TESTAMENTO
ARTIGO 2: NA PLENITUDE DO TEMPO
ARTIGO 3: NO TEMPO DA IGREJA
I. A bênção e a adoração
II. A oração de petição 
III. A oração de intercessão 
IV. A oração de ação de graças 
V. A oração de louvor

CAPÍTULO SEGUNDO: A TRADIÇÃO DA ORAÇÃO
ARTIGO 1: NAS FONTES DA ORAÇÃO
ARTIGO 2: O CAMINHO DA ORAÇÃO
ARTIGO 3: GUIAS PARA A ORAÇÃO

CAPÍTULO TERCEIRO: A VIDA DE ORAÇÃO
ARTIGO 1: AS EXPRESSÕES DA ORAÇÃO
I. A oração vocal 
II. A meditação 
III. A contemplação
ARTIGO 2: O COMBATE DA ORAÇÃO
I. As objecções à oração 
II. A humilde vigilância do coração 
III. A confiança filial

SECÇÃO 2
A ORAÇÃO
DO
SENHOR:
"PAI NOSSO"

ARTIGO 1: “O RESUMO DE TODO O EVANGELHO”
I. No centro da Sagrada Escritura; II. A “Oração do Senhor”; III. A oração da Igreja

ARTIGO 2: “PAI NOSSO, QUE ESTAIS NOS CÉUS”
I. “Ousar aproximar-se com toda a confiança”; II. “Pai!”; III. Pai “nosso”; IV. “Que estais nos céus”

ARTIGO 3: AS SETE PETIÇÕES
I. Santificado seja o vosso nome; II. Venha a nós o vosso Reino; III. Seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu; IV. O pão nosso de cada dia nos dai hoje; V. Perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido; VI. Não nos deixeis cair em tentação; VII. Mas livrai-nos do Mal

A DOXOLOGIA FINAL

O QUE É A ORAÇÃO?
INTRODUÇÃO
Relação viva e pessoal com Deus através da celebração, profissão e vivência do Mistério da Fé.
“Para mim, a oração é um impulso do coração, é um simples olhar lançado ao céu, um grito de reconhecimento e amor no meio da provação ou no meio da alegria.” (S. Teresinha do Menino Jesus) - CIC 2558

O CIC EXPLICA A ORAÇÃO COM TRÊS PALAVRAS
DOM
COMUNHÃO
ALIANÇA
2560 - «Se conhecesses o dom de Deus!» (Jo 4, 10). A maravilha da oração revela-se precisamente, à beira dos poços aonde vamos buscar a nossa água: aí é que Cristo vem ao encontro de todo o ser humano; Ele antecipa-Se a procurar-nos e é Ele que nos pede de beber. Jesus tem sede, e o seu pedido brota das profundezas de Deus que nos deseja. A oração, saibamo-lo ou não, é o encontro da sede de Deus com a nossa. Deus tem sede de que nós tenhamos sede d'Ele.
Não é fruto de nossos méritos

Requer humildade (Lc 18, 9-14)

Somos mendigos de Deus

É encontro de duas sedes: Deus tem sede que nós tenhamos sede dEle.
(Jo 4, 1-14; Jr 2,13)

2562.
"De onde vem a oração humana? Qualquer que seja a linguagem da oração (gestos e palavras), é o homem todo quem reza. Mas, para designar o lugar de onde brota a oração, as Escrituras falam às vezes da alma ou do espírito, geralmente do coração (mais de mil vezes). É o coração que reza. Se ele está longe de Deus, a expressão da oração é vã".
O CORAÇÃO É:

Centro escondido, intangível

Conhecido somente pelo Espírito de Deus

Lugar da decisão (GS 16)

Lugar do Encontro com Deus (Ex 3, 1-6)

Encontro no qual se faz aliança (Serei vosso Deus e serás meu povo)

COMUNHÃO É:

Estar na presença de Deus

Comunhão com a Trindade pela configuração com Cristo (Rm 6, 5)

Comunhão com todo o Corpo - a oração é o Sangue do Corpo Místico de Cristo - une a todos.
2565
"Pelo Batismo, nos tomamos um mesmo ser com Cristo. A oração é cristã enquanto comunhão com Cristo e cresce na Igreja que é seu Corpo. Suas dimensões são as do Amor de Cristo."
INTRODUÇÃO
O HOMEM ESTÁ A PROCURA DE DEUS
2566
"Mesmo depois de ter perdido a semelhança com Deus por seu pecado, o homem continua sendo um ser feito à imagem de seu Criador. Conserva o desejo daquele que o chama à existência. Todas as religiões testemunham essa procura essencial dos homens."
DEUS É O PRIMEIRO A CHAMAR
2567
"Ainda que o homem esqueça seu Criador, ainda que corra atrás de seus ídolos ou acuse a divindade de tê-lo abandonado, o Deus vivo e verdadeiro chama incessantemente cada pessoa ao encontro
misterioso da oração. Essa atitude de
amor fiel vem sempre em primeiro lugar na oração; a atitude do homem é sempre resposta a esse amor fiel."
ARTIGO 1
No Antigo Testamento
2568
"A revelação da oração no Antigo Testamento se insere entre a queda e a elevação do homem, entre o chamado doloroso de Deus a seus primeiros filhos: "Onde estás?... Que fizeste?" (Gn 3,9.13), e a resposta do Filho único ao entrar no mundo: "Eis-me aqui, eu vim, ó Deus, para fazer a tua vontade”. A oração, dessa forma, está ligada à história dos homens, é a relação com Deus nos acontecimentos da história."
A CRIAÇÃO - FONTE DE ORAÇÃO
É a partir das realidades da criação que se vive a oração: oferendas, santuários.

As religiões antigas (e muitas atuais) encontram na criação seu ponto de encontro com Deus.

"Essa qualidade de oração é vivida por uma multidão de justos em todas as religiões" (2569)
ABRAÃO - ORAÇÃO DA FÉ
2570
"Assim que Deus o chama, Abraão parte, "como lhe disse o Senhor" (Gn 12,4); seu coração se mostra "submisso à Palavra” ele obedece. A escuta do coração que se decide segundo Deus é essencial à oração; as palavras lhe são relativas. Mas a oração de Abraão se exprime primeiro por atos: como homem de silêncio, ele constrói, a cada etapa, um altar ao Senhor. Somente mais tarde aparece sua primeira oração com palavras: uma queixa velada que lembra a Deus suas promessas que parecem não se realizar. Desde o começo aparece assim um dos aspectos do drama da oração: a provação da fé na fidelidade de Deus."
2572
"Como última purificação de sua fé, requer-se do "depositário das promessas" (Hb 11,17) que sacrifique o filho que Deus lhe dera. Sua fé não esmorece: "E Deus que proverá o cordeiro para o holocausto" (Gn 22,8), "pois Deus, pensava ele, é capaz também de ressuscitar os mortos" (Hb 11,19). Dessa forma, o pai dos que crêem se configurou ao Pai que não há de poupar seu próprio Filho, mas o entregará por todos nós. A oração restaura o homem à semelhança de Deus e o faz participar do poder do amor de Deus que salva a multidão."
JACÓ LUTA COM DEUS EM SONHO:
Gn 28,10-22

Que você acha deste texto?
MOISÉS - A ORAÇÃO DO MEDIADOR
2574
"Logo que começa a se realizar a Promessa (a Páscoa, o Êxodo, a entrega da Lei e a conclusão da Aliança), a oração de Moisés é a figura surpreendente da oração de intercessão que se realizará no “único Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus" (1 Tm 2,5)."
MISSÃO
VOCAÇÃO DE MOISÉS
Ex 3, 1-10
ENCONTRO
DIÁLOGO
CULTIVO
DAVI
A ORAÇÃO DO REI
2579
"Davi é por excelência o rei "segundo o coração de Deus", o pastor que ora por seu povo e em seu nome, aquele cuja submissão à vontade de Deus, cujo louvor e arrependimento serão o modelo da oração do povo. Como ungido de Deus, sua oração é adesão fiel à promessa divina, confiança cheia de amor e alegria naquele que é o único Rei e Senhor. Nos Salmos, Davi, inspirado pelo Espírito Santo, é o primeiro profeta da oração judaica e cristã. A oração de Cristo, verdadeiro Messias e filho de Davi, revelará e realizará o sentido dessa oração."
OS PROFETAS
A CONVERSÃO DO
CORAÇÃO
Denúncia do culto exterior e das injustiças - oração encarnada na vida

Intercessores em nome do povo

"Face a face com Deus" - Íntimos do Senhor a tal ponto que ouviam sua voz e, mesmo a contragosto, anunciavam sua Palavra

2Sm 12, 1-14
ELIAS E A SÚPLICA PELO FOGO

1Rs 18,20-39
OS SALMOS
A ORAÇÃO DA ASSEMBLEIA
2585
"Desde Davi até a vinda do Messias, os Livros Sagrados contêm textos de oração que atestam o aprofundamento cada vez maior da oração por si mesmo e pelos outros. Os salmos foram pouco a pouco reunidos numa coletânea de cinco livros: os Salmos (ou "Louvores"), obra- prima da oração no Antigo Testamento."
Nos Salmos, a Palavra de Deus se faz faz oração do ser humano. Em todos os demais livros, Deus fala ao seu povo por meio de suas obras. Nos Salmos, o Espírito ora a Deus pela boca de seu Povo.

Pode ser rezado por qualquer pessoa em qualquer tempo. Brotam da verdade do sentimento mais profundo do coração humano.

Sl 76(77)
Na Plenitude do Tempo
ARTIGO 2
2598
"O evento da oração nos é plenamente revelado no Verbo que se fez carne e habita entre nós. Procurar compreender sua oração, por meio daquilo que suas testemunhas nos anunciam dela no Evangelho, é aproximar-nos do Santo Senhor Jesus como da sarça ardente:

1) primeiro contemplá-lo na oração,

2) depois ouvir como Ele nos ensina a orar ,

3) para conhecer, enfim, como Ele atende nossa prece."
JESUS ORA
JESUS APRENDE A ORAR:
Com Maria -
a Mulher que conservava todas as coisas no coração e sabia dizer sim a Deus noe momentos mais difíceis
Com José -
o homem do silêncio obediente. O homem que era reflexo do Pai do Céu
Com o Povo -
nos seus rítmos e festas; nos seus locais, o Templo e as Sinagogas; na sua fonte, as Escrituras
2599
"Mas sua oração brota de uma fonte bastante secreta, como deixa prever com a idade de doze anos: "Eu devo estar na casa de meu Pai" (Lc 2,49). Aqui começa a se revelar a novidade da oração na plenitude dos tempos: a oração filial, que o Pai esperava de seus filhos, será enfim vivida pelo próprio Filho único em sua humanidade, com os homens e para os homens."
ORAÇÕES DE JESUS:

Oração de entrega à vontade do Pai antes dos momentos decisivos (Lc 3,21; 6,12; 9,28; 9,18-20; 22,41-44)

Oração silenciosa (Mc 1,35; 6,46; Lc 5,16)

Duas orações públicas - louvor ao Pai e "sim" à sua vontade (Mt 11, 25-27; Jo 11, 41-42)

A Oração Sacerdotal (Jo 17)

Na Cruz, orar e entregar-se ao Pai e ao Próximo num mesmo ato (Lc 23,34; 24,43; Jo 19,26-27; Jo 19,28; Jo 19,30; Lc 23,46)

JESUS ENSINA
A ORAR
Jesus parte do que já é conhecido sobre a oração e abre para a novidade do Reino que vem. Depois revela em parábolas essa novidade:
2613
A primeira, "o amigo importuno”,
convida a uma oração persistente: "Batei e se vos abrirá". Àquele que assim ora, o Pai do céu "dará tudo o que precisa", sobretudo o Espírito Santo, que contém todos os dons. (Lc 11,5-13)

A segunda, "a viúva importuna”,
focaliza uma das qualidades da oração: é preciso rezar sempre sem esmorecimento, com a paciência fé. "Mas, quando vier o Filho do homem, acaso encontrará fé na terra? (Lc 18,1-8)

A terceira parábola, "o fariseu e o publicano”,
refere-se à humildade do coração que reza. "Meu Deus, tem piedade de mim, pecador.” Essa oração a Igreja constantemente toma sua: "Kyrie eleison!" (Lc 18,9-14)
ENSINAMENTOS IMPORTANTES:
Conversão do Coração - reconciliar-se com o irmão para oferecer louvor ao Pai, orar em segredo (Mt 5,44-46; 6,6)

Orar na fé - rezar sempre (Mt 7,7-11.13-14)

Audácia filial - o Pai atende (Mc 11,24)

Fazer a vontade do Pai (Mt 7,21)

Vigilância constante (Lc 21-34-36)
JESUS ESCUTA
2616

A oração a Jesus é ouvida por Ele já durante seu ministério, por meio dos sinais que antecipam o poder de sua Morte e Ressurreição: Jesus ouve a oração de fé, expressa em palavras (o leproso, Jairo, a cananéia, o bom ladrão), ou em silêncio (os carregadores do paralítico, a hemorroíssa que lhe toca as vestes, as lágrimas e o perfume da pecadora). O pedido insistente dos cegos: "Filho de Davi, tem compaixão de nós" (Mt 9,27) ou "Filho de Davi, tem compaixão de mim" (Mc 10,47) foi retomado na tradição da Oração a Jesus: "Jesus Cristo, Filho de Deus, Senhor, tem piedade de mim, pecador!" Quer na cura das enfermidades, quer na remissão dos pecados, Jesus responde sempre à oração que implora com fé: "Vai em paz, tua fé te salvou!"
"Ele ora por nós como nosso sacerdote, ora em nós como nossa cabeça, e a Ele sobe nossa oração como ao nosso Deus. Reconheçamos pois, nele, os nossos clamores e em nós os seus clamores"
(Santo Agostinho)
ARTIGO 3
No tempo da Igreja
2623
No dia de Pentecostes, o Espírito da promessa foi derramado sobre os discípulos, "reunidos no mesmo lugar" (At 2,1), esperando-o, "todos unânimes, perseverando na oração" (At 1,14). O Espírito, que ensina a Igreja e lhe recorda tudo o que Jesus disse
[ESCRITURAS]
, vai também formá-la para a vida de oração
[TRADIÇÃO]
.
BÊNÇÃO
ADORAÇÃO
SÚPLICA
INTERCESSÃO
LOUVOR
AÇÃO DE
GRAÇAS
2626
A bênção exprime o movimento de fundo da oração; é o encontro de Deus e do homem; nela o dom de Deus e a acolhida do homem se chamam e se unem. A oração de bênção é a resposta do homem aos dons de Deus: uma vez que Deus abençoa, o coração do homem pode bendizer Aquele que é a fonte de toda bênção.
2628
A adoração é a primeira atitude do homem que se reconhece criatura diante de seu Criador.
2629
Sua forma mais habitual, por ser a mais espontânea, é o pedido: é pela oração de súplica que exprimimos a consciência de nossa relação com Deus: como criaturas, não somos nem nossa origem, nem senhores das adversidades, nem nosso fim último. Mas, como pecadores, sabemos, na qualidade de cristãos, nos afastamos de nosso Pai. O pedido já é uma volta para Ele.
2635
Interceder, pedir em favor de outro, desde Abraão, é próprio de um coração que está em consonância com a misericórdia de Deus. No tempo da Igreja, a intercessão cristã participa da de Cristo; é a expressão da comunhão dos santos. Na intercessão, aquele que ora "não procura seus próprios interesses, mas pensa sobretudo nos dos outros" (Fl 2,4) e reza por aqueles que lhe fazem mal.
2639
O louvor é a forma de oração que reconhece o mais imediatamente possível que Deus é Deus! Canta-o pelo que Ele mesmo é, dá-lhe glória, mais do que pelo que Ele faz, por aquilo que Ele É.
Ação de Graças brota do coração que reconhece a maravilha da Salvação.
Com efeito, na obra da salvação, Cristo liberta a criação do pecado e da morte para consagrá-la de novo e fazê-la retornar ao Pai, para sua Glória. A ação de graças dos membros do Corpo participa da de sua Cabeça.
2643
A Eucaristia contém e exprime todas as formas de oração. É "a oferenda pura" de todo o Corpo de Cristo "para a glória de seu Nome”; segundo as tradições do Oriente e do Ocidente, ela é "o sacrifício de louvor".
CAPÍTULO II
A Tradição da
Oração

2650:
A oração não se reduz ao surgir espontâneo de um impulso interior; para rezar
é preciso querer.
Não basta saber o que as Escrituras revelam sobre a oração; também é indispensável
aprender a rezar
. E é por uma transmissão viva (a sagrada Tradição) que o Espírito Santo, na "Igreja crente e orante", ensina os filhos de Deus a rezar.

2651:
A tradição da oração cristã é uma das
formas de crescimento da Tradição da fé
, sobretudo pela contemplação e pelo estudo dos fiéis, que guardam em seu coração os acontecimentos e as palavras da Economia da salvação, e pela penetração profunda das realidades espirituais que eles experimentam.
ARTIGO 1
Nas fontes da Oração
A PALAVRA DE DEUS
A LITURGIA DA IGREJA
AS VIRTUDES TEOLOGAIS
"O HOJE"
ARTIGO 2
O Caminho da Oração
Santíssima
Trindade
Em comunhão com
Maria
2680
A oração é dirigida sobretudo ao Pai; também é dirigida a Jesus, sobretudo pela invocação de seu santo nome: "Jesus Cristo, Filho de Deus, Senhor, tende piedade de nós, pecadores!"

2681
"Ninguém pode dizer: 'Jesus é Senhor', a não ser no Espírito Santo" (1 Cor 12,3). A Igreja nos convida a invocar o Espírito Santo como o Mestre interior da oração cristã.
2682
Em virtude da cooperação singular da Virgem Maria com a ação do Espírito Santo, a Igreja gosta de rezar em comunhão com ela, para exaltar com ela as grandes coisas que Deus realizou nela e para confiar -lhe súplicas e louvores.
ARTIGO 3
Guias para a Oração
OS SANTOS
2692 - 2693

Na oração, a Igreja peregrina é associada à dos santos, cuja intercessão solicita.

As diferentes espiritualidades cristãs participam da tradição viva da oração e são guias preciosos para a vida espiritual.
OS SERVIDORES DA
ORAÇÃO
2694 - 2695

A família cristã é o primeiro lugar da educação à oração

Os ministros ordenados são responsáveis por ensinar a oração

A vida consagrada, em especial a monástica, são testemunhas

A catequese deve conduzir à oração

Os grupos de oração são hoje um sinal eficaz e uma escola

A "direção espiritual" garante na Igreja uma ajuda à oração.
LUGARES FAVORÁVEIS
À ORAÇÃO
Os lugares mais favoráveis à oração são:

o oratório pessoal ou familiar, para oração pessoal ou comum,

os mosteiros, e suas testemunhas de consagração,

os santuários de peregrinações

e, sobretudo, a igreja, que é lugar próprio da oração litúrgica para a comunidade paroquial e o lugar privilegiado da adoração eucarística.
CAPÍTULO III
A
Vida
de
Oração

Expressões da Oração
ARTIGO 1
O Combate da Oração
ARTIGO 2
2697
A oração é a vida do coração novo e deve nos animar a cada momento. Nós, porém, esquecemo-nos daquele que é nossa Vida e nosso Tudo. Por isso os Padres espirituais, na tradição do Deuteronômio e dos profetas, insistem na oração como "recordação de Deus", como um despertar freqüente da "memória do coração": "E preciso se lembrar de Deus com mais freqüência do que se respira". Mas não se pode orar "sempre", se não se reza em certos momentos, por decisão própria: são os tempos fortes da oração cristã, em intensidade e duração.
2698
A Tradição da Igreja propõe aos fiéis ritmos de oração destinados a nutrir a oração continua. Alguns são cotidianos: a oração da manhã e da tarde, antes e depois das refeições, a Liturgia das Horas. O domingo, centrado na Eucaristia, é santificado principalmente pela oração. O ciclo do ano litúrgico e suas grandes festas são os ritmos fundamentais da vida de oração dos cristãos.
2699
O Senhor conduz cada pessoa pelos caminhos e na maneira que lhe agradam. Cada fiel responde ao Senhor segundo a determinação de seu coração e as expressões pessoais de sua oração. Entretanto, a tradição cristã conservou três expressões principais da vida de oração: a oração vocal, a meditação, a oração contemplativa. Uma característica fundamental lhes é comum: o recolhimento do coração. Esta vigilância em guardar a Palavra e em permanecer na presença de Deus faz dessas três expressões tempos fortes da vida de oração.
ORAÇÃO VOCAL
MEDITAÇÃO
ORAÇÃO
MENTAL
2722

A oração vocal, fundada na união do corpo e do espírito na natureza humana, associa o corpo á oração interior do coração, a exemplo de Cristo, que reza a seu Pai e ensina o "Pai-Nosso" a seus discípulos.

ENVOLVE OS SENTIDOS - BASEIA-SE EM FÓRMULAS
2723
A meditação é uma busca orante que põe em ação o pensamento, a imaginação, a emoção, o desejo. Tem por finalidade a apropriação crente do assunto meditado, confrontado com a realidade de nossa vida.
Exemplo: Lectio Divina, Rosário...

BROTA DA PALAVRA DE DEUS OU DA TRADIÇÃO
2724


A oração mental é a expressão simples do mistério da oração. E um olhar de fé fito em Jesus, uma escuta da Palavra de Deus, um silencioso amor. Realiza a união à oração de Cristo na medida em que nos faz participar de seu Mistério.

É um dom de Deus, mas precisa ser preparada (local adequado e silencioso).

É SIMPLES: UM OLHAR, OUVIR, SILENCIAR E CONTEMPLAR

2725
A oração é um dom da graça e uma resposta decidida de nossa parte. Supõe sempre um esforço. Os grandes orantes da Antiga Aliança antes de Cristo, como também a Mãe de Deus e os santos com Ele, nos ensinam: a oração é um combate. Contra quem? Contra nós mesmos e contra os embustes do Tentador, que tudo faz para desviar o homem da oração, da união com seu Deus. Reza-se como se vive, porque se vive como se reza. Se não quisermos habitualmente agir segundo o Espírito de Cristo, também não poderemos habitualmente rezar em seu Nome. O "combate espiritual" da vida nova do cristão é inseparável do combate da oração.
AS OBJEÇÕES À ORAÇÃO
MENTALIDADES ERRÔNEAS:
psicologismo,
"nirvana" - ou vazio mental,
ritualismo,
falta de tempo
ceticismo e ateísmo
considerar a oração improdutiva
achar que a oração é fuga do mundo e da realidade

FRACASSOS DA ORAÇÃO
desânimo diante da aridez
decepção por não sermos atendidos
escrúpulo

REMÉDIOS: humildade - confiança - perseverança
HUMILDE VIGILÂNCIA DO CORAÇÃO
DISTRAÇÕES: Não adianta tentar persegui-las. É preciso voltar-se para Deus, e apresentar a distração a Ele, como motivo de oração

ARIDEZ: faz parte da vida de oração. É o momento da fé pura. Do caminhar no "escuro"

FALTA DE FÉ: não encontrar tempo para orar é afirmar que Deus não é importante. Às vezes tomamos o Senhor como aliado, mas o coração ainda é presunçoso. Será preciso confiar

ACÍDIA: negligência que encaminha ao desânimo, uma espécie de depressão. Inverso da presunção. O Escrúpulo pelo pecado pode realmente nos afastar de Deus. Confiar na misericórdia.
CONFIANÇA FILIAL
PORQUE LAMENTAR POR NÃO SERMOS ATENDIDOS?
Qual nossa imagem de Deus? Um super-herói? Um super-mercado?
Estamos convencidos de que realmente não sabemos pedir o que convém
Quem é o centro? Nós ou Deus? Tg 4,2-5

DE QUE MANEIRA NOSSA ORAÇÃO É EFICAZ?
Oração não é convencer a Deus... Mas cooperação na sua providência
Quem ora, transforma o coração para realizar a vontade do Pai
Devemos amar o Deus das graças, e não as graças de Deus
Se estamos unidos a Jesus, obteremos tudo o que pedirmos!
PERSEVERAR NO AMOR
2743
Orar é sempre possível: o tempo do cristão é o de Cristo ressuscitado que "esta conosco todos os dias" (Mt 28,20), apesar de todas as tempestades. Nosso tempo está nas mãos de Deus: É possível até no mercado ou num passeio solitário fazer uma oração freqüente e fervorosa. Sentados em vossa loja, comprando ou vendendo, ou mesmo cozinhando.

2744
Orar é uma necessidade vital. A prova contrária não é menos convincente: se não nos deixarmos levar pelo Espírito, cairemos de novo na escravidão do pecado. Como o Espírito Santo pode ser "nossa Vida", se nosso coração está longe dele? Nada se compara em valor à oração; ela toma possível o que é impossível, fácil o que é difícil. E impossível que caia em pecado o homem que reza.
Pai nosso que estais nos céus,
santificado seja o vosso nome;
venha a nós o vosso reino;
seja feita a vossa vontade,
assim na terra como no céu;
pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas,
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido; e não nos deixeis cair em tentação.
mas livrai-nos do mal.
PAI NOSSO
O
resumo
de
toda
oração

ARTIGO 1
NO CENTRO
DAS
ESCRITURAS
2762
Depois de mostrar como os Salmos são o alimento principal da oração cristã e convergem nos pedidos do Pai-Nosso, Sto. Agostinho conclui: Percorrei todas as orações que se encontram nas Escrituras, e eu não creio que possais encontrar nelas algo que não esteja incluído na oração do Senhor.

2763
Todas as Escrituras (a Lei, os Profetas e os Salmos) se realizam em Cristo. O Evangelho é esta "Boa nova". Seu primeiro anúncio é resumido por S. Mateus no Sermão da Montanha. Ora,, a oração ao Nosso Pai encontra-se no centro deste anúncio. E este contexto que ilumina cada pedido da oração que o Senhor nos deixou:

A Oração dominical é a mais perfeita das orações... Nela, não só pedimos tudo quanto podemos desejar corretamente, mas ainda segundo a ordem em que convém desejá-lo. De modo que esta oração não só nos ensina a pedir, mas ordena também todos os nossos afetos.
(S. TOMÁS DE AQUINO)
A ORAÇÃO
DO
SENHOR
2765
Mediante as palavras desta oração, o Filho único nos dá as palavras que o Pai lhe deu; Ele é o Mestre de nossa oração. Por outro lado, como Verbo encarnado, Ele conhece em seu coração de homem as necessidades de seus irmãos e irmãs humanos e no-las revela; é o Modelo de nossa oração.

2766
Jesus, no entanto, não nos deixa uma fórmula a ser repetida maquinalmente. Como vale em relação a toda oração vocal, é pela Palavra de Deus que o Espírito Santo ensina aos filhos de Deus como rezar a seu Pai.
2776
A Oração dominical é a oração da Igreja por excelência. Na Igreja antiga era rezada três vezes ao dia (em substituição às 18 bênçãos do judaísmo).
É parte integrante das grandes Horas do Oficio Divino e dos sacramentos da iniciação cristã: Batismo, Confirmação e Eucaristia. Integrada na Eucaristia, ela manifesta o caráter "escatológico" de seus pedidos, na esperança do Senhor, "até que Ele venha" (1 Cor 11,26):
ORAÇÃO DA IGREJA
ARTIGO 2
PAI NOSSO
QUE
ESTAIS
NOS
CÉUS

ARTIGO 3
OS
SETE
PEDIDOS

OUSAR CHAMAR A DEUS DE PAI

2777

Na liturgia romana, a assembléia eucarística é convidada a rezar o Pai-Nosso com ousadia filial; as liturgias orientais utilizam e desenvolvem expressões análogas: "Ousar com toda a segurança", "torna-nos dignos de". Diante da sarça ardente, foi dito a Moisés: "Não te aproximes daqui; tira as sandálias" (Ex 3,5). Este limiar da Santidade divina só Jesus podia transpor, Ele que, "depois de ter realizado a purificação dos pecados" (Hb 1,3), nos introduz diante da Face do Pai: "Eis-me aqui com os filhos que Deus me deu" (Hb 2,13).
A consciência que temos de nossa situação de escravos nos faria desaparecer debaixo da terra, nossa condição terrestre se reduziria a pó, se a autoridade de nosso Pai e o Espírito de seu Filho não nos levassem a clamar: "Abba, Pai!" (Rm 8,15)... Quando ousaria a fraqueza de um mortal chamar a Deus seu Pai, senão apenas quando o íntimo do homem é animado pela Força do a1to?
"PAI"

2779
A purificação do coração diz respeito às imagens paternas ou maternas oriundas de nossa história pessoal e cultural e que influenciam nossa relação com Deus. Deus nosso Pai transcende as categorias do mundo criado. Transpor para Ele, ou contra Ele, nossas idéias neste campo seria fabricar ídolos, para adorar ou para demolir. Orar ao Pai é entrar em seu mistério, tal qual Ele é, e tal como o Filho no-lo revelou:
A expressão "Deus Pai" nunca fora revelada a ninguém. Quando o próprio Moisés perguntou a Deus quem Ele era, ouviu outro nome. A nós este nome foi revelado no Filho, pois este nome novo implica o nome novo de Pai.
2798

Podemos invocar a Deus como "Pai" porque o Filho de Deus feito homem no-lo revelou, Ele, em quem, pelo Batismo, somos incorporados e adotados como filhos de Deus.

2799

A oração do Senhor nos põe em comunhão com o Pai e com seu Filho, Jesus Cristo. Ao mesmo tempo, ela nos revela a nós mesmos.
2800
Rezar ao Pai "nosso" deve desenvolver em nós a vontade de nos assemelhar a Ele como filhos e fazer crescer em nós um coração humilde e confiante, como crianças.
PAI "NOSSO"

Uma nova relação com Deus: somos "seu Povo" e Ele é "nosso" Deus - Remete à aliança

Quando rezamos ao "Pai", como fonte da divindade, oramos à Trindade

"Nosso" remete também à comunhão dos irmãos. Não rezamos ao "meu pai", mas ao Nosso Pai
"QUE ESTAIS NO CÉU"

2794
Esta expressão bíblica não significa um lugar [o espaço], mas uma maneira de ser; não o afastamento de Deus, mas sua majestade. Nosso Pai não está "em outro lugar", Ele está "para além de tudo" quanto possamos conceber a respeito de sua Santidade. Porque Ele é três vezes Santo, está bem próximo do coração humilde e contrito.
"NÃO NOS DEIXEIS CAIR EM TENTAÇÃO"
"SANTIFICADO SEJA
O VOSSO NOME"
"SEJA FEITA A VOSSA VONTADE ASSIM NA TERRA
COMO NO CÉU"
"O PÃO NOSSO DE CADA
DIA NOS DAI HOJE"
"LIVRAI-NOS
DO MAL"
"VENHA A NÓS O
VOSSO REINO"
"PERDOAI-NOS AS NOSSAS OFENSAS ASSIM COMO NÓS PERDOAMOS A QUEM NOS TEM OFENDIDO"
2858
Ao pedir: "Santificado seja o vosso Nome" entramos no plano de Deus, a santificação de seu Nome - revelado a Moisés, depois em Jesus - por nós e em nós, bem como em todas as nações e em cada ser humano.
Nome: a pessoa toda - todo o ser

Só Deus santifica. Nós reconhecemos e louvamos.

O Nome é santificado quando testemunhamos nossa fé

Pedimos para que perseveremos no caminho e testemunhemos a santidade de Deus perante o mundo
2859
Com o segundo pedido, a Igreja tem em vista principalmente a volta de Cristo e a vinda final do Reino de Deus, rezando também pelo crescimento do Reino de Deus no "hoje" de nossas vidas.

Que é o Reino?
A vontade do Pai é que todos se salvem (1 Tm 2, 3-4) pelo amor (Jo 13,34)

Pedimos para que participemos da realização da vontade de Deus que já se dá plenamente no céu.

Que unamos nossa vontade à vontade de Jesus.(Hb 10, 7ss; Lc 22, 42)
2861
No quarto pedido, ao dizer "Dai-nos", exprimimos, em comunhão com nossos irmãos, nossa confiança filial em nosso Pai do céu. "Pão Nosso" designa o alimento terrestre necessário à subsistência de todos nós e significa também o Pão de Vida: Palavra de Deus e Corpo de Cristo.
É recebido no "Hoje" de Deus como o alimento indispensável, (super) essencial do Banquete do Reino que a Eucaristia antecipa.
PERDOAI-NOS AS NOSSAS OFENSAS:
Somos chamados a voltar à casa do Pai (Lc 15,11-32)

ASSIM COMO NÓS PERDOAMOS:
Nosso perdão deve participar do perdão de Deus, que é infinito
Nunca esquecemos a ofensa, mas rezamos por quem ofendeu (Mt 5, 43-44)
Pedimos para que Deus não nos deixe pecar

Pedimos para que Deus nos ajude a desmascarar a mentira da tentação (Gn 3,6)

Nossa decisão é por Deus - a tentação nunca é mais forte do que essa decisão. (1Cor 10,13)

Precisamos de força para vigiar
2864

No último pedido, "mas livrai-nos do mal", o cristão pede a Deus, com a Igreja, que manifeste a vitória, já alcançada por Cristo, sobre o "Príncipe deste mundo", sobre Satanás, o anjo que se opõe pessoalmente a Deus e a seu plano salvação.

Pedimos para vencer a solidariedade do pecado pela solidariedade na graça.
É a esperança do dia em que não mais haverá mal (Ap 21, 22 - 22, 1-5)
A DOXOLOGIA FINAL

2855

A doxologia final: "Pois vosso é o reino, o poder e a glória" retoma, mediante inclusão, os três primeiros pedidos a nosso Pai: a glorificação de seu Nome, a vinda de seu Reino e o poder de sua Vontade salvífica. Mas esta retomada ocorre então em forma de adoração e de ação de graças, como na Liturgia celeste. O príncipe deste mundo atribuíra a si mentirosamente estes três títulos de realeza, de poder e de glória; Cristo, o Senhor, os restitui a seu Pai e nosso Pai, até entregar-lhe o Reino, quando será definitivamente consumado o Mistério da salvação e Deus será tudo em todos.

2856

"Em seguida, terminada a oração, tu dizes 'Amém', corroborando por este Amém, que significa 'Que isto se faça' tudo quanto está contido na oração que Deus nos ensinou."
Full transcript