Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

De um amor morto...

Sophia de Mello Breyner Andresen
by

Daniela Ferreira

on 1 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of De um amor morto...

De um amor morto... - Sophia de Mello Breyner Andresen Porto Editora - Sophia de Mello Breyner :
http://www.portoeditora.pt/campanhas/sophia-de-mello-breyner-andresen/ Trabalho Elaborado por: Curiosidades: Para mais informações visita:
http://www.portoeditora.pt/campanhas/sophia-de-mello-breyner-andresen/
http://www.portoeditora.pt/conteudos/imagens/campanhas/sophia/Ler_01122012.pdf
http://www.portoeditora.pt/conteudos/imagens/campanhas/sophia/NM_071012.pdf Estrutura do Poema O poema " De um amor morto... " é composto por
3 estrofes, a 1º é uma quadra ( ou seja, tem 4 versos), a 2º é uma septilha ( 7 versos), e a ultima é uma quintilha ( tem 5 versos).
Em relação ao esquema rimático - que vimos anteriormente - estamos presentes uma ordem solta, com bastantes versos soltos. "As coisas que passam ficam para sempre numa historia exata..." Esquema Rimático (...) fica
(...) quotidiano
(...) esbarram
(...) ano

(...) fica
(...) memória
(...) rende
(...) devora
(...) tempo
(...) lentos
(...) embora Tema / Assunto O tema deste poema é o amor. A poetisa fala de um amor que morreu, um amor que deixa uma monotonía pesada no seu quotidiano. Fala de tudo o que esse amor não deixou, diz tambem que o tempo ("Os navios do tempo") levou o passado embora. Sophia de Mello Breyner acaba o poema a dizer que um amor morto "é apenas um facto que a eternidade ignora". De um amor morto... FIM! Biografia De um amor morto fica
Um pesado tempo quotidiano
Onde os gestos se esbarram
Ao longo do ano. Sophia de Mello Breyner Andresen Nasceu a 6 de Novembro de 1919 no Porto, onde passou a sua infancia. Pois um amor morto não deixa
Em nós o seu retrato
De infinita demora
É apenas um facto
Que a eternidade ignora De um amor morto não fica
Nenhuma memória
O passado se rende
O presente o devora
E os navios do tempo
Agudos e lentos
O levam embora Casou-se com Francisco Sousa Tavares vai para Lisboa. Com quem tem 5 filhos. Recebeu alguns premios tais como: Prémio Camões em 1999 Prémio Poesia Max Jacob em 2001 Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana Entre outros.... Acabou por morrer a 2 de Julho de 2004. (...) deixa
(...) retrato
(...) demora
(...) facto
(...) ignora a
b
c
b

a
d
e
f
g
h
f i
j
f
l
f Sentimentos Os sentimentos descritos neste poema são um pouco confusos, nota-se dor por parte da poetísa [ "De um amor morto fica um pesado tempo quotidiano"], mas ao mesmo tempo a saudade não se faz "ouvir" [" De um amor morto não fica nenhuma memória"]... O que faz com que pareça que apesar de Sophia de Mello Breyner já não ter lembranças desse amor, ele continua a causar dor.... Recursos Estilísticos " De um amor morto " - 1º verso da 1º e da 2º estrofe - Repetição Anafórica
" O passado se rende / O presente o devora" - 2º e 3º versos da 2ºestrofe - Personificação Divisão Lógica O poema pode ser dividido em 3 parte :
* A primeira corresponde à 1º estrofe que é onde a poetisa descreve o que resta de um amor morto.
* A segunda parte é a 2º estrofe pois aí a poetisa já passa a "dizer" o que não fica de um amor morto.
* A terceira parte é a 3º estrofe onde Sophia de Mello Breyner passa a dar os motivos para as afirmações feitas anteriormente.
Podemos tambem unir a 1º e a 2º parte numa só. NET-GRAFIA http://www.citador.pt/poemas/de-um-amor-morto-sophia-de-mello-breyner-andresen Citador: Daniela Ferreira Nº 4 9ºB
Full transcript