Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Copy of Letramentos múltiplos e Multiletramento

Aula (UNIFESP)
by

Marcelo Fabiano Rodrigues

on 4 April 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Copy of Letramentos múltiplos e Multiletramento


É o estado ou a condição que adquire um grupo social, ou um indivíduo, como consequência de ter se apropriado da escrita e de suas práticas sociais.
estado ou condição de quem não que usam a escrita Alfabetização Alfabetização:
Ação de alfabetizar
> Ensinar a ler e escrever
> Levar o indivíduo a dominar
o código (codificar e decodificar)
> Na década de 80 esse processo foi
bastante influenciado pelos estudos de
Emília Ferreiro e Ana Teberosky Múltiplos letramentos Variação no tempo
Variação no espaço
Relações de poder O que ensinar? Como ensinar? Práticas de letramento Brian Street (1984) Modelo autônomo Modelo ideológico Letramento x LetramentoS Letramentos dominantes x Letramentos vernaculares academia cidade urbana Por que Multiletramentos Globalização Letramentos intensificação e diversificação da circulação das informações diminuição das distâncias espaciais e temporais A proposta do PNAIC é um trabalho com a alfabetização na perspectiva do letramento E a escola? Bakhtin (1952-1953) Esfera de atividade Gêneros discursivos Alfabetização Alfabetismo Alfabético Multiletramentos Letramento O que é estar alfabético?
Psicogênese da Língua escrita
> Escrita pré-silábica
> Escrita silábica
> Escrita alfabética:
Estar alfabético é compreender
o sistema notacional (relação
fonema-grafema) Alfabetismo Alfabetismo envolve além das
habilidades de leitura e escrita
é o estado ou condição de quem sabe
ler e escrever (Magda Soares) O Indicador Nacional de Alfabetismo
INAF - define níveis de alfabetismo Analfabeto: não conseque realizar tarefas simple que envolvem decodificação de palavras e frases. Alfabtismo rudimentar:
Capacidade de localizar informações explícitas em textos curtos e familiares Alfabetismo nível básico: Capacidade de ler e compreender textos de média extensão, localizam informações mesmo que seja necessário realizar pequenas inferências Alfabetismo nível pleno:
Capacidade de ler textos longos, localizando informações, relacionando partes de um texto e comparando-o com outros textos realizando inferências e sínteses O que é letramento? Professora Dora, entra na sala
faz a chamada e em seguida pede a um
aluno que abra o livro na página 26.
- Prática de letramento Josias, 22 anos, vestido com calça esfarrapda
e camiseta cheia de buracos, se aproxima
de meu carro parado no sinal e pendura
no espelho um saquinho de balas de hortelã
em que há grampeado um bilhete com
os dizeres "sou pai de família e estou
desempregado, vendo balas por R$ 2,00 par
a sustentar minha família" - Prática de letramento Felipe, 5 anos, folheia
o jornal procurando
anúncios de brinquedos.
Ele não sabe ler porém identifica
as figuras e valores correspondentes.
- Prática de letramento Antes da década de 80
> Ensino-aprendizagem da "tecnologia da escrita" ou seja, codificar e decodificar sinais gráficos. A partir da década de 80, com as contribuições de Emília Ferreiro esse conceito foi ampliado.
Alfabetização passou a ser entendida como processo ativo por meio do qual a criança constrói e reconstrói hipóteses. Posteriormente, surge o termo alfabetismo para designar o domínio de conhecimentos que permitem o uso dessas habilidades nas práticas sociais de leitura e escrita. Há foco nas capacidades individuais para funcionar socialmente. Letramento (década de 80 e 90_
Premissa: O domínio e o uso da língua escrita trazem consequências sociais, culturais, políticas, econômicas e cognitivas tanto para o grupo social quanto para o indivíduo.
"É o estado ou condição que adquire um grupo social ou um indivíduo como consequência de ter se apropriado da língua escrita e ter-se inserido na cultura letrada" GÊNEROS TEXTUAIS Entrevistas
Jornais
Revistas
Propagandas
Noticiários
Anúncios Bilhetes
Bulas de remédio
Contratos de aluguel
Contas de luz, água... Blogs
Redes sociais
E-mails
Anúncios Aula
Livros didáticos
Enciclopédias
Dicionários Multiletramentos


Múltiplas culturas: Diversidade, pluralidade cultural trazida pelos membros de diferentes culturas (multiculturalidade) Exemplo: letramento local, vernacular, global e dominante) Multiplicidade de linguagens, semioses e mídias na criação de textos multimodais Práticas de letramento
são os caminhos culturais de
utilização linguagem escrita
que as pessoas realizam em suas vidas:
o que as pessoas ou grupos sociais
fazem com a escrita em suas vidas.
(Brian Street 1995) No século XX, o conceito de alfabetização foi instrumentado em a sala de aula como o ensino das habilidades de “codificação” e “decodificação” Buscando ampliar esse conceito de alfabetização na Conferência Mundial sobre Educação para Todos realizada em 1990 na Tailândia, a alfabetização passou a ser percebida como instrumento dinâmico para a inserção e a participação do sujeito na construção da própria cultura. Paulo Freire (1991) afirma: Não basta saber ler “O boi baba”, “Ivo viu a uva” ou “Minha mãe me mima”, é necessário compreender em que contexto social é validado e representado essas terminologias. Mary Kato (1986) e Verdiani Tfouni (1988) foram uma das pioneiras em fazer uso do termo letramento nos livros “No mundo da escrita: uma perspectiva psicolinguística”, e “Adultos não alfabetizados: o avesso do avessso” Do ponto de vista de Soares (2003), letrar é mais que alfabetizar, é ensinar a ler e escrever dentro de um contexto onde a escrita e a leitura tenham sentido e façam parte da vida do aluno. Para Kleiman (1995) a escola preocupa – se, não com o letramento, prática social, mas com apenas um tipo de prática de letramento. Isso cria uma situação de conflito entre práticas letradas valorizadas e não valorizadas na escola. Cabe, portanto, a instituição escolar promover o diálogo multicultural, trazendo para seu contexto interno não somente a cultura valorizada, dominante, canônica, mas, também as culturas locais e populares e a cultura de massa. Alfabetizar letrando é, portanto, oportunizar situações de aprendizagem da língua escrita nas quais o aprendiz tenha acesso aos textos e a situações sociais de uso deles, mas que seja levado a construir a compreensão acerca do funcionamento do sistema de escrita alfabético (Santos e Albuquerque, 2007 p. 98). Perspectiva multicultural (multiletramentos), ou seja, diferentes culturas, nas diversas esferas, terão práticas e textos em gêneros dessa esfera também diferenciados (Rojo, 2009 p.111). Letramentos multissemióticos são exigidos pelos textos contemporâneos, ampliando a noção de letramento para o campo da imagem, da música, das outras semioses que não somente a escrita. Contribuições aos estudos do letramento Paulo Freire Magda Soares Kato e Tfouni Kleiman Ângela Kleiman já destaca o termo letramento no título do livro organizado por ela: Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Segundo a autora, o conceito de letramento começou a ser usado nos meios acadêmicos numa tentativa de separar os estudos sobre o impacto social da escrita, dos estudos sobre a alfabetização, cujas conotações escolares destacam as competências individuais no uso e na prática da escrita. Roxane Rojo Entende que o estudo dos letramento(S) no plural deve considerar os multiletramentos
e as práticas sociais. A proposta de organização dos gêneros discursivos originou-se da perspectiva lingüístico-enunciativa, que se fundamenta na teoria dos gêneros do discurso de Mikhail Bakhtin Todos os enunciados orais ou escritos, que atendam a um propósito comunicativo, inserem-se na noção de gênero do discurso.
Full transcript