The Internet belongs to everyone. Let’s keep it that way.

Protect Net Neutrality
Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

PREVENÇÃO DE ACIDENTES NAS ATIVIDADES MILITARES

No description
by

Dante Hetzel

on 26 May 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of PREVENÇÃO DE ACIDENTES NAS ATIVIDADES MILITARES

PREVENÇÃO DE ACIDENTES NAS ATIVIDADES MILITARES

PECULIARIDADES DO 3º B SUP
ACIDENTES 2014/2015
(Interno)
PRESSUPOSTOS BÁSICOS
ALGUNS EXEMPLOS
PREVENÇÃO E CONTROLE DA RABDOMIÓLISE INDUZIDA POR ESFORÇO FÍSICO E PELO CALOR
GERENCIAMENTO DE RISCO
OBJETIVOS
1. PREVENIR A OCORRÊNCIA DE ACIDENTES DE INSTRUÇÃO E EM OUTRAS ATIVIDADES CORRELATAS QUE ENVOLVAM O EMPREGO DOS MEIOS ORGÂNICOS E (OU) SOB CUSTÓDIA DO EXÉRCITO BRASILEIRO.

2. CONTRIBUIR PARA CRIAR E INCREMENTAR A MENTALIDADE DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES NA OM.

3. APRESENTAR UMA ORIENTAÇÃO BÁSICA SOBRE OS PROCEDIMENTOS NECESSÁRIOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA PREVENÇÃO.

4. APRESENTAR O MÉTODO DE GERENCIAMENTO DE RISCO APLICADO ÀS ATIVIDADES MILITARES
ROTEIRO
1. Legislação vigente sobre Segurança
2. Pressupostos Básicos
3. Particularidades de Seg do 3º B Sup
4. Acidentes 2014/15
5. Prevenção e Ct da Rabdomiólise
6. Gerenciamento de Risco
LEGISLAÇÃO
- O CI 32/1 prevê as Normas Gerais de Segurança (emprego de munições e explosivos, emprego de armamento leve e pesado, deslocamento motorizado...).

- O CI 32/2 formula o gerenciamento do risco nas atividades militares (Formulários de Gerenciamento de Risco).
* Cada OM deve designar, em Boletim Interno, um Oficial de Prevenção de Acidentes da Unidade:

- OPAU/OM – Maj Márcio Santos + Sgt Teixeira
- OPAU/OP – Maj Apollo + Sgt Wagno
- OPAU 1ªCia – Cap Doreto + Sgt Dalla
- OPAU 2ªCia – Cap Lúcio + Sgt Pedro Costa
- OPAU 3ªCia – Cap Gurgel + Sgt Talowitz
- OPAU CCSv – Cap Jonas + Sgt Alcântara
-
Todo militar que tenha obrigação funcional de manipular ou
manusear materiais perigosos, executar técnicas de risco
, tudo ligado ao cargo que ocupa, deve comportar-se como um
perito responsável
em seu nível e em seu universo de ação.
- Nas
atividades de instrução
devem ser considerados os seguintes aspectos:

1) as
condições climáticas
; o
esforço
a ser dispendido pela tropa; e o
uniforme
da atividade,
a fim de se evitar possíveis danos à integridade física do pessoal
, provocados por intermação, hipotermia, etc;
2) a
supervisão
, pelo O Prv Acdt U, de qualquer exercício que envolva atividade de risco;
EXPLOSIVO
EPI
- Operadores de empilhadeiras, Ut Eqp Seg (prateleiras e palites);
- motoristas habilitados;
- Gp de Desmancho e Dstr de Mun;
- Gp Revalidação / Dstr de Mun;
- deslocamento Mtz (transporte de explosivo);
- Instr Período Básico.

- operadores de roçadeiras;

- poda de árvores;

- Ut piscina;

- futebol e Mnt rede elétrica na chuva;

- Ut Eqp durante os Sv G (Pel Obras, ST);
FORRO CL I
PARTIDA DE FUTEBOL
18º B I Mtz
6º B E Comb
- Consumo de água a comando
- Repouso mínimo de 04 horas
- Verificação da urina
- CONSUMO EXCESSIVO DE ÁLCOOL

- TRAUMAS

- UTILIZAÇÃO DE MÉTODOS ERGOGÊ-NICOS ILEGAIS (ANFETAMINAS)
CONSIDERAÇÕES GERAIS
RISCO – Um perigo ou possibilidade de perigo e este conceito está ligado à atividade humana.

É uma condição com potencial para causar doenças, ferimentos, mortes, danos ao material ou degradação da missão.
São exemplos de atividades de risco:

- troca de lâmpadas em postes;
- limpeza de telhados;
- conserto e manutenção de redes elétricas;
- pintura de pavilhões.
É uma ferramenta no processo de tomada de decisão.

É um processo de quantificação do risco.

É mais um instrumento da segurança na instrução.

Based on Jim Harvey's speech structures
BRIEFING DE CONTRA-INTELIGÊNCIA
Toda e qualquer pessoa que tome conhecimento de assunto sigiloso fica, automaticamente, responsável pela preservação do seu sigilo e estará sujeita às sanções administrativas, civis e penais decorrentes da eventual divulgação destes assuntos.

Dec 4.553 de 27 Dez 2002
-
O Caderno de Instrução (CI 32/1)
, de
conhecimento obrigatório
, serve de
orientação
para as
medidas preventivas
a serem adotadas, por todos os escalões de comando, no desenvolvimento normal da IM.
-
Todos
os
acidentes
podem e devem ser
evitados
.

- Assunto de responsabilidade dos Cmt em todos os níveis;
-
Oficiais e ST/Sgt
, são os principais
responsáveis
pela criação de uma
mentalidade de prevenção de acidentes
nas instruções.
- Normalmente, o
acidente é resultado
de uma sequência de eventos chamados
"fatores contribuintes"
, que se somam até atingirem o ponto de irreversibilidade do mesmo.
- “
Condição
(ato, fato, ou combinação deles)
que, aliada a outra(s)
, em sequência ou como consequência,
conduz à ocorrência de um acidente
, ou que contribui para seu agravamento.”
3) a presença de
ambulância
devidamente
guarnecida e equipada
, em condições de efetuar pronto-atendimento e evacuação para hospital;

4) o estabelecimento de
ligação rádio ou telefônica
entre a área do exercício e o aquartelamento; e
- “... médicos devem estar presentes e autorizados à intervenção sempre que verificarem perigo à saúde de algum instruendo, não podendo ser impedidos de atuarem. Deve estar disponível equipamento médico e de transporte adequados ao local, à situação e ao grau e natureza do perigo a que os instruendos estiverem submetidos.”
- “
A IM é caracterizada pela existência de normas coerentes e adequadas ao seu desenvolvimento
; pelo fiel cumprimento dessas normas; e pela disciplina e profissionalismo característicos do Soldado do Exército Brasileiro. Nesse sentido, são
inaceitáveis quaisquer tipos de trotes ou brincadeiras
.”
F
A
T
O
R
E
S

C
O
N
T
R
I
B
U
I
N
T
E
S
DEF DE GERENCIAMENTO
INDISCIPLINA
INEXPERIÊNCIA
DEF. INFRA-ESTRUTURA
DEF. MANUTENÇÃO
DEF. INSTRUÇÃO
ACIDENTE OM VTR
Acidente envolvendo Vtr Bld e veículo civil em frente ao Pq C Cav.
Cb da Cia PE que faleceu por estar brincando com uma Pst 9 mm dentro de seu alojamento.
Acidente envolvendo viatura e veículo civil
ACIDENTE COM VIATURA
ARMAMENTO
MINA ANTI-PESSOAL
EPI
ACIDENTES 2014/2015
(Externos)
12º GAC
LEGISLAÇÃO DE CONHECIMENTO OBRIGATÓRIO


1) Port Nr 092 – DGP de 02 Jul 12
- Aprova as Normas para Procedimento Assistencial em Rabdomiólise no Âmbtio do EB (Protocolo de Atendimento); e


2) DIEx nº 29 – IPCFEx de 14 Set 12.
Esse método tem como principal objetivo
transformar o risco inerente de uma determinada atividade em um índice numérico
(grau de risco), facilitando a visualização de sua incidência e
permitindo
, mais claramente, que o
Comandante lance mãos dos recursos disponíveis
para minorá-lo, trabalhando no sentido da
prevenção de acidentes.
SEQUÊNCIA DE EVENTOS
FATORES CONTRIBUINTES
Acdt
DEF DE SUPERVISÃO
INDISCIPLINA
INEXPERIÊNCIA
DEF. INFRA-ESTRUTURA
DEF. MANUTENÇÃO
DEF. INSTRUÇÃO
Prevenção
ACIDENTES: COMO EVITÁ-LOS
CONCLUSÃO
- Foco no risco e não no dano;

- Permite antecipar e gerenciar o risco na fase do planejamento;

- Permite checar todos os aspectos atinentes à atividade que será executada;

- Quantifica o grau de risco, evitando avaliações subjetivas;
EXPLOSIVO
OUTROS INDUTORES
RECOMENDAÇÕES DO MINISTÉRIO PÚBLICO AOS COMANDANTES
Acidente com viatura Marruá na PPM/Pista de cordas
Full transcript