Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

O crime do Padre Amaro

Lili e Lohanna
by

Lohanna Jardim

on 4 December 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of O crime do Padre Amaro

De Eça de Queirós Introdução: Objetivos Personagens/Caracterização Amélia Relacionamento
entre as personagens Conclusão: Video Nós escolhemos este livro, pois, achamos interessante aborda-lo.
Antigamente era um desrespeito para com os padres falar sobre isto, mas, após este livro, Eça de Queiros denuncia a corrupção e a quebra do celibato dos padres, e que hoje em dia ainda cometem esta luxúria. Denunciar a corrupção dos padres;
Manipulação da população em favor da elite;
Denunciar a quebra do celibato clerical;
Ridicularizar a sociedade, com o objetivo de destrui-la (principalmente a de nivel social mais alta). AMARO - protagonista do romance. Um jovem padre, bonito, mesmo um pouco curvado, de olhos negros, ambicioso. Tornou-se sacerdote sem ter a vocação para isso. Via maus exemplos de outros padres e deixando de lado seus escrúpulos, começou a agir como muitos dos seus colegas.

AMÉLIA - filha da sra. Augusta Caminha. Jovem bonita, de pela alva e olhos muito negros.

JOÃO EDUARDO - sujeito alto, bigodes que caem nos cantos da boca. É escrevente e nutri por Amélia uma paixão desmedida.

CÔNEGO DIAS - padre idoso, rico, influente, morador de Leiria, conselheiro e confidente do Pe. Amaro, de quem tinha sido professor de Moral no seminário; amante não declarado de D. Augusta Caminha, conhecida como S. Joaneira.
m São João da Foz.
S. JOANEIRA- mãe de Amélia, chamada Augusta Carmina. Era chamada assim por ser nascida e

D. MARIA DA CONCEIÇÃO- viúva rica. Tinha no queixo um sinal cheio de cabelos e quando sorria mostrava grandes dentes esverdeados.

D. JOSEFA - solteirona, irmã do Cônego Dias, com quem morava.

D. MARIA ASSUNÇÃO - beata rica.

CONDE dE RIBAMAR - pessoa influente junto ao governo, casado com uma das filhas da marquesa que criou Amaro.

LIBANINHO - beato fofoqueiro, efeminado.

AA SENHORAS GANSOSOS - duas irmãs, chamadas Joaquina e Ana. Joaquina era a mais velha, muito magra, de olhos muito vivos. A sra. Ana era muito surda, Nunca falava. Tinha muita habilidade em recortar papéis para caixas de doce. PADRE AMARO - Órfão ainda na infância, vai para o seminário por desejo de sua protetora, a marquesa de Alegros. Manifesta religiosidade, mas também tem fortes desejos sexuais. Mesmo assim, ordena-se sacerdote. Incapaz de conter sua libido, acaba seduzindo Amélia. É ciumento e possessivo com a jovem. Quando a amante engravida, manda-a para a fazenda, para evitar um escândalo. Depois que nasce o bebê, envia-o a uma “tecedeira de anjos”, que mata a criança. Dessa forma, o crime que dá título ao livro pode ser tanto a responsabilidade pelo assassinato do próprio filho quanto a quebra do voto de celibato clerical. Filha da senhora Joaneira, é uma moça facilmente influenciável. Após uma decepção amorosa na adolescência, busca consolo na fé católica, tornando-se uma beata excessivamente confiante nos padres. Assim como Amaro, não consegue controlar os instintos sexuais e se deixa seduzir em sua casa, onde o jovem padre alugara um quarto por um tempo. Trai o noivo, João Eduardo, para ficar com Amaro. Aos poucos, passa a ter crises de consciência, que se manifestam em ataques de histeria. É fraca e, por mais que resista, não consegue livrar-se da influência de Amaro. Morre de hemorragia, logo após o parto. O Crime do Padre Amaro - Trailer O cônego Dias Mestre de Amaro gosta de comer bem e de viajar regularmente para a praia, ou seja, valoriza o conforto. Mantém um caso amoroso com a senhora Joaneira e indica Amaro para que seja inquilino da mulher. Acoberta a relação entre o pupilo e Amélia. Cônego Viúva, é mãe de Amélia. Apesar de beata, mantém relações sexuais com o cônego Dias, tanto por necessidade financeira como por desejo carnal. É fofoqueira e fútil, como todas as outras senhoras católicas que freqüentam sua casa. Senhora Joaneira João Eduardo Noivo de Amélia, espera apenas uma promoção para poder se casar. Percebendo a atração que Amaro exerce sobre sua noiva, escreve um artigo anônimo denunciando a corrupção do clero de Leiria, mas é descoberto e sofre severas represálias dos padres, inclusive de Amaro, a quem
agride com um soco. Depois de um tempo ausente, retorna, mas não consegue ficar com a amada e chora muito a sua morte. Abade Ferrão Um dos poucos personagens de bom caráter da obra, ouve a confissão de Amélia e tenta aconselhá-la a livrar-se da influência de Amaro. História (resumo)

Amaro conhece Amélia e rapidamente se apaixonam. Esta fica grávida, situação que, naturalmente, acarretaria graves consequências para a vida sacerdotal de Amaro. Assim, num acto impensado, este mata o próprio filho, já que Amélia morre após o parto. Pontos fulcrais O livro do Padre Amaro escrito por Eça de Queirós, foi o primeiro romance realista da Língua Portuguesa.
No livro relatam casos de padres que possuem amantes, envolvendo a corrupção da igreja envolvida com a politica, onde estivemos relacionados com a realidade da morte e do aborto. Trabalho realizado por:
Liliana Neto Nº 2883
Lohanna Jardim Nº2884
Full transcript