Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Principais correntes psicológicas e seus conceitos básicos

aula 2 relações públicas
by

Mirian Oliveira

on 27 March 2011

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Principais correntes psicológicas e seus conceitos básicos

Psicanálise Sigmund Freud (1853 - 1939) O termo psicanálise é usado para se referir a uma teoria, a um método de investigação e a uma prática profissional. Teoria Conjunto de conhecimentos sistematizados sobre o funcionamento da vida psíquica. leis gerais sobre a estrutura e o funcionamento da psique humana. Investigação caracteriza-se pelo método interpretativo, que busca o significado oculto daquilo que é manifesto por meio de ações e palavras ou pelas produções imaginárias, como os sonhos, os delírios, as associações livres, os atos falhos. Prática profissional refere-se à forma de tratamento – a Análise - que busca o autoconhecimeto ou a cura, que ocorre através desse autoconhecimento Um pouco de história... Freud formou-se em medicina na Universidade de Viena em 1881; No final de sua residência ganhou uma bolsa de estudos em Paris, onde trabalhou com Jean Charcot. Era um psiquiatra francês que tratava a histeria com hipnose. Em 1886, de volta a Viena começou a cliniar utilizando-se do método hipnótico. Neste período teve contato com Josef Bleuer. Ana O. paralisia contratura muscular inibições e dificuldade de pensamento cuidava do pai enfermo Em estado de vigília Ana O. não conseguia relatar a origem dos seus sintomas, mas quando sob o efeito da hipnose relatava a origem de cada um deles. E esses estavam todos relacionados a vivências anteriores da paciente e relacionados com a enfermidade do pai. Rememorando estas cenas e vivências os sintomas da paciente desapareciam. Método catártico tratamento que possibilita a liberação de afetos e emoções ligadas a acontecimentos traumáticos que não puderam ser expressos na ocasião da vivência desagradável ou dolorosa. Freud abandona a hipnose e segue clinicando utilizando-se o método de "Fala terapêutica". "Qual poderia ser a causa para os pacientes esquecerem tantos fatos de sua vida interior e exterior?" Aparelho Psíquico Sexualidade Infantil Fase oral Fase Anal Fase Fálica Latência - até a puberdade Complexo de Édipo filho pai mãe abandona a mãe
(mundo social) Regras básicas internalizadas através da identificação com o pai Édipo Feminino - édipo invertido Conceitos em psicoterapia Econômico Quantidade de energia que alimenta os processos psíquicos Tópico O aparelho psíquico é constituído de um número de sistemas que são diferenciados quanto a sua natureza e modo de funcionamento e que permite considerá-lo como "lugar" psíquico. Dinâmico Interior do psiquismo existem forças que entram em conflito e estão, sempre, ativas. Origem das forças é a pulsão. estado de tensão, busca através de um objeto, a supressão deste estado. Eros Tanatos Pulsão de vida Pulsão de morte Sintoma produção de um comportamento ou pensamento - resultante de um conflito psíquico entre desejo e os mecanismos de defesa. Ao mesmo tempo que sinaliza, busca encobrir um conflito, substituir a satisfação do desejo. Ponto de partida para a investigação psicanalítica Estrutura do aparelho psíquico Ego Superego Id Sistema que estabelece equilíbrio entre as exigências do Id, as exigências da realidade e as "ordens" do Superego Tenta dar conta dos interesses da pessoa. Regido pelo princípio da REALIDADE, que com o princípio do PRAZER, rege o funcionamento psíquico. Regulador do prazer evitamento do desprazer. Funções básicas: percepção, memória, sentimentos, pensamentos. Origem no complexo de Édipo. Internalização das proibições, limites e da autoridade. A moral e ideais são função do superego. Exigências sociais e culturais. Inconsciente. Reservatório da energia psíquica, é onde se localizam as pulsões: a de vida e de morte. Regido pelo princípio do prazer. Mecanismos de defesa Recalque não vê, não ouve o que ocorre. Supressão de parte da realidade. Formação reativa afastar o desejo que vai em determinada direção. O indivíduo adota uma atitude oposta a este desejo. Regressão passagem para modos de expressões mais primitivos. Projeção distorções do mundo interno e externo. O indivíduo projeta algo de si no mundo externo e não percebe que aquilo é fruto projetado de seu algo indesejado. Racionalização argumentação intelectual racional, convincente e aceitável que justifica estados "deformados" da consciência. Defesa que justifica as outras.
Full transcript