Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Aula Planejamento Familiar

Aula Medicina - UNESC
by

Luciano Rodrigues

on 30 May 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Aula Planejamento Familiar

Planejamento
Centro Universitário do Espírito Santo - UNESC
Familiar
Prof. MSc. Luciano Rodrigues
As 30 imagens mais impactantes já feitas
Jonas Sakamoto (nov., 2013)
Quais as concepções de vocês sobre Planejamento Familiar?

Vivemos hoje num mundo globalizado em que as mulheres estão cada vez mais inseridas e assoberbadas.
A globalização modifica o papel das mulheres nas esferas da vida política e social e com isso altera a desigualdade entre homens e mulheres (HIRATA, 2004).
Entre as décadas de 1970 e 1990, o Brasil passa por um processo de transição demográfica, passando por momentos em que prevalecia uma tendência pró-natalista na sociedade, onde a ideia de controle da natalidade ficava adormecida e outros em que aparecia como essencial.

Virada do século teve grandes mudanças na saúde reprodutiva da população.

Reestruturação produtiva e inserção da mulher no mercado de trabalho.
Conquistas dos movimentos feministas
Conferência Internacional de População e Desenvolvimento no Cairo (1994).
Conferência Mundial da Mulher Pequim (1995).
Conferências Nacionais da Mulher, realizadas em 2004 e 2007.

A política de planejamento familiar desenvolvida pelo governo federal prevê a oferta na rede pública:
Anticoncepcionais.
Redução de seu preço nas farmácias populares
Serviços para esterilização voluntária e os voltados à reprodução assistida para casais com dificuldades de ter filhos, por isso o nome de programa de planejamento familiar, o direito de ter filho quando, como, onde e com quem quiser.
“O planejamento familiar é direito de todo cidadão.”
Art. 1º da Lei nº 9.263/1996 - Regula o § 7º do art. 226 da Constituição Federal, que trata do planejamento familiar, estabelece penalidades e dá outras providências.
Planejamento Familiar
Planejamento Familiar
Planejamento Familiar
Planejamento Familiar
Planejamento Familiar
Planejamento Familiar
Lei nº 9.263/1996.
Todas as instâncias gestoras do SUS, em todos os níveis, estão obrigados a garantir à mulher, ao homem ou ao casal, em toda a sua rede de serviço, assistência à concepção e contracepção como parte das demais ações que compõem a assistência integral à saúde.
Planejamento Familiar
Importante a ampliação do acesso de mulheres e homens às informações e aos métodos contraceptivos.
Garantia dos direitos reprodutivos no país.
Existem outras vantagens como a conscientização para prevenção de DST´s.
Planejamento Familiar
Quais são os tipos de atividades que Profissional de saúde atuam no Planejamento Familiar?
Planejamento Familiar
Atividades educativas.
Aconselhamento.
Atividades Clínicas.
Atividades Educativas
Oferecer à clientela os conhecimentos necessários para escolha e posterior utilização do método anticoncepcional mais adequado.

Atividades de preferência em grupo, precedendo a primeira consulta.
Adaptação à melhor metodologia.
Práticas educativas de caráter participativo com liguagem adequada (acessível, simples e precisa).
Aconselhamento
O aconselhamento é entendido como um processo de escuta ativa individualizado e centrado no indivíduo.
Pressupõe a capacidade de estabelecer uma relação de confiança entre os interlocutores visando o resgate dos recursos internos do indivíduo para que ele tenha possibilidade de reconhecer-se como sujeito de sua própria saúde e transformação" (CN DST/AIDS – MS, 1997).
Atividades Clínicas
Contato com a(o) cliente que busca o serviço de saúde.
Primeira consulta deve ser feita após as atividades educativas
Fazer: a anamnese; exame físico geral e ginecológico, com especial atenção para a orientação do autoexame de mamas e levantamento de data da última colpocitologia oncótica.
Avaliar a necessidade de realização da coleta ou referenciar para tal;
Análise da escolha e prescrição do método contraceptivo.

As consultas subsequentes ou consultas de retorno visam um atendimento periódico e contínuo para reavaliar a adequação do método em uso, bem como prevenir, identificar e tratar possíveis intercorrências.
Escolha do Método Anticoncepcional
A escolha da mulher, do homem ou do casal
Característica do Método.
Fatores individuais e situacionais relacionados aos usuários do método.
Estado de Saúde.
Condições econômicas.
Fase da vida.
Eficácia.
Efeitos secundários.
Aceitabilidade.
Disponibilidade.
Facilidade de uso.
Reversibilidade.
Proteção à Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e infecção pelo HIV
Fatores Individuais relacionados aos
usuários do método
Características da personalidade da mulher e/ou homem.
Padrão de comportamento sexual.
Aspirações reprodutivas.
Fatores outros, como medo, dúvida e vergonha
Critérios Clínicos
de Elegibilidade
Categoria 1
O método pode ser usado
sem
restrição.
Categoria 2
O método pode ser usado
com
restrições.

Pode ser utilizado com alguma precaução. São situações nas quais as vantagens de usar o método geralmente superam os riscos.
As condições da categoria 2 fazem com que o método não seja a primeira escolha e, se usado, deve ser acompanhado mais de perto.
Categoria 3
Os riscos decorrentes do seu uso, em geral superam os benefícios do uso do método.
Quando há uma condição da categoria 3 para um método, este deve ser o método de última escolha e, caso seja escolhido, é necessário um acompanhamento rigoroso da/o usuária/o.
Categoria 4
O método
não deve
ser usado, pois apresenta um risco inaceitável.

Quais os Métodos Anticoncepcionais?
Métodos Comportamentais
Métodos de Barreira
Métodos Comportamentais
Método Ogino-Knaus.
Método da temperatural basal corporal
Método do muco cervical ou Billings
Método Sinto-Térmico
Método Ogino-Knaus
Este método baseia-se no fato de que a duração da segunda fase do ciclo menstrual (pós-ovulatório) é relativamente constante, com a ovulação ocorrendo entre 11 a 16 dias antes do início da próxima menstruação.

Benefício Não-Conceptivo
Ausência de efeitos sistêmicos.
Favorece o conhecimento da fisiologia reprodutiva
Método Temperatural Basal Corporal
Alterações da temperatura basal que ocorrem na mulher ao longo do ciclo menstrual.
A temperatura basal corporal é a temperatura do corpo em repouso.
Antes da ovulação, a temperatura basal corporal - nível baixo;
Após a ovulação, ela se eleva ligeiramente (alguns décimos de grau
centígrado), permanecendo nesse novo nível até a próxima menstruação.
Aumento de temperatura é resultado da elevação dos níveis de progesterona, que tem um efeito termogênico.
Benefício Não-Conceptivo
Ausência de efeitos sistêmicos.
Favorece o conhecimento da fisiologia reprodutiva
Método do Muco Cervival ou Billings
Identificação do período fértil por meio da auto-observação das características do muco cervical e da sensação por ele provocada na vulva.
O muco cervical - epitélio glandular das criptas cervicais.
Benefício Não-Conceptivo
Ausência de efeitos sistêmicos.
Favorece o conhecimento da fisiologia reprodutiva
Início do ciclo: Espesso e grumoso
Ação estrogênica: produz, na vulva, uma sensação de umidade e lubrificação, indicando o tempo da fertilidade, momento em que os espermatozóides têm maior facilidade de penetração no colo uterino.
O muco: transparente, elástico, escorregadio e fluido, semelhante à clara de ovo .
Método Colar
Outros Métodos
Método Sinto-Térmico
Combinação de múltiplos indicadores da ovulação, com a finalidade de determinar o período fértil com maior precisão e confiabilidade.
Fundamentalmente, ele combina a observação dos sinais e sintomas relacionados à temperatura basal corporal e ao muco-cervical, associada ainda a parâmetros subjetivos (físicos
e ou psicológicos) indicadores de possível ovulação.
Benefício Não-Conceptivo
Ausência de efeitos sistêmicos.
Favorece o conhecimento da fisiologia reprodutiva
Os parâmetros subjetivos relacionados com a ovulação podem ser, entre outros:
Dor abdominal.
Sensação de peso nas mamas, edema de mamas ou doloridas.
Variações de humor e/ou da libido.
Outros sintomas e sinais (enxaqueca, náuseas, acne, aumento de apetite, ganho de peso, sensação de distensão abdominal, sangramento inter-menstrual entre outros).
A mulher que desejar fazer uso deste método deve estar completamente familiarizada com as técnicas de cada um dos métodos comportamentais já descritas anteriormente. .
Método do Colar
Simplificação do método de Ogino-Knaus que facilita e encurta o tempo requerido para ensinar/aprender a utilizar a abstinência periódica e proporciona um mecanismo para que o casal identifique com facilidade o período fértil do ciclo menstrual.
Benefício Não-Conceptivo
Ausência de efeitos sistêmicos.
Favorece o conhecimento da fisiologia reprodutiva
Também requer a análise do padrão menstrual da mulher nos últimos seis meses, mas apenas para verificar se os ciclos não foram mais curtos que 27 dias nem mais longos que 31 dias. As mulheres com ciclos mais curtos ou mais longos que 27 e 31 dias, respectivamente, não podem utilizar este método.
Outros Métodos Comportamentais
Relação sexual sem penetração.
Coito interrompido.
Métodos Hormonais
Anticoncepcionais hormonais orais
Anticoncepcionais hormonais orais combinado
Anticoncepcionais hormonais orais apenas de progestogênio
Anticoncepcionais hormonais injetáveis
Métodos Hormonais
Esterilização
Laqueadura Tubária
Anticoncepção Hormonal Oral
São esteróides utilizados isoladamente ou em associação.
Combinadas - 01 estrogênio associado a um progestogênio.
Minipílula é constituída somente por progestênio isolado.
Anticoncepcionais Hormonais Orais
Monofásico, as doses dos esteróides é constantes nos 21 ou 22 compr.cartela
Bifásicas contém dois tipos de comprimidos com os mesmos hormônios em proporções diferentes.
Trifásicas contém três comprimidos como os memos hormônios em proporções diferentes
Anticoncepcionais Hormonais Orais apenas de progestogênio
Dosagem baixa de progestogênio.
Promove o espessamento do muco cevical.
Dificulta a penetração do SPTZ.
Inibe a ovulação em aproximadamente dois ciclos.
Anticoncepcionais Hormonais Injetáveis
Contém progestogênio ou associação de estrogênios, para administração IM com doses hormonais de longa duração.
Obtenção de efeito anticonceptivo por período de 3 meses.
ACI - Combinados
ACHI com um éster de estrogênio natural.
Estradiol.
Progestogênio sintético
Adesivo de Anticoncepcional
Esterilização
Vasectomia
Vias:
- Minilaparotomia
- Laparoscopia
- Colpotomia.
- Sem Bisturi
- Procedimento ambulatorial.
Métodos de Barreira
São métodos que colocam obstáculos mecânicos ou químicos à penetração dos espermatozóides no canal cervical.

Os métodos de barreira disponíveis em nosso meio
são: preservativos (condons ou camisinhas), masculinos e femininos; diafragma; e os espermaticidas químicos
Preservativo Feminino
Preservativo Masculino
Diafragma
Dispositivo Intra-Uterino
Espermicida
DIU
Artefatos de polietileno.
Adicionados com cobre ou hormônios
MLCu 375
TCu380
Diafragma
Geleia Espermicida
Produto químico que recobrem a vagina e o colo do útero, impedindo a penetração dos espermatozóides no canal cervical e, bioquimicamente, imobilizando ou destruindo os espermatozóides.
O produto espermaticida a base de nonoxinol-9 (N-9) a 2% é o mais amplamente utilizado no Brasil e no mundo. Entretanto, o uso de alguns métodos contraceptivos contendo N-9 podem aumentar o


Preservativo Masculino
Preservativo Feminino
Para conquistar coisas importantes, devemos não apenas agir mas também sonhar, não apenas planejar mas também acreditar.
Anatole France
Full transcript