Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

A Dessacralização do Mundo e a Perda do Sentido

Filosofia
by

Beatriz Frazão

on 29 May 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A Dessacralização do Mundo e a Perda do Sentido

A DESSACRALIZAÇÃO DO MUNDO E A PERDA DO SENTIDO Evolução da Importância do Sagrado na Vida do Homem ao longo
dos Séculos Nos primórdios da Humanidade... o Homem age segundo impulsos e neccessidades não se questiona acerca de coisas que não compreende Ainda em tempos primitivos... os primeiros deuses foram espíritos de pessoas importantes que faleciam (ex: chefe de uma tribo) traziam sorte ou desgraça boas caçadas
saúde
assegurar a vida dos recém-nascidos
... tempestades
mortes
falta de sustento
... Milhares de séculos depois... Homem não entendia certos acontecimentos da sua vida quotidiana dia e a noite catástrofes naturais morte criação do mundo cria entidades superiores a ele próprio às quais atribui responsabilidades pelos tais fenómenos Rá Anúbis Maet (civilizações nas margens do Rio Nilo) Criação dos primeiros deuses Seth Ísis Por volta do século 7 a.C. ... a primeira religião, segundo os especialistas, apenas aparece em 1700 a.C. e terá sido, segundo os mesmo, a base de todas as outras religiões origem do pensamento racional - logos Embora a razão comece a tomar importância, as religiões continuam a evoluir, tornando-se partes essenciais na vida das pessoas a consciência mítica começa a degradar-se e a racionalidade começa e ganhar importância ... aumento da importância das religiões na vida do Homem guerras e perseguições religiosas contra quem maldissesse ou contrariasse a religião, os seus costumes ou ensinamentos Fim da Idade Média... Nova Mentalidade! Renascimento corrupção da Igreja Católica valorização de novos ideais + (séc. XVI) Reforma da Igreja Católica Igreja enfrenta crise e duro criticismo Idade Moderna... Deus da Razão existência racional fundamentar a existência do mundo
dar sentido às teorias científicas que o explicam R. Descartes Defende a existência de Deus através de argumentos racionais 1ª Prova a priori (pela simples consideração da ideia de ser perfeito)

2ª Prova a posteriori (pela causalidade das ideias)

3ª Prova a posteriori (baseada na contingência do espírito) G. Leibniz Defende que Deus criou o mundo e que este é o melhor possível, visto haver harmonia em tudo. séc. XVIII Ciência suficiente para o homem compreender o que se passa à sua volta, de forma objetiva e racional, não sendo precisa ajuda divina Razão analisada criticamente por Kant o que posso saber? o que posso esperar? o que devo fazer? Independentemente de todo os desenvolvimentos científicos verificados e de novas perspetivas relativas à razão, Deus continua a ser o sentido que é preciso procurar Idade Contemporânea... pensadores criticam a religião Impede a liberdade do homem e o progresso dos povos "A religião é ilusória" Freud Marx "A religião é o ópio do povo" Nietzche considera Deus uma invenção desrazoável do homem desperta uma nova perspetiva crítica Assim Sendo... verifica-se a dessacralização contínua perda das tradições desenvolvimento dos países (especialmente Ocidentais) Dessacralização Perda do Sentido O que é? Porque acontece? Quais as consequências? Dessacralização Secularização = processo em que a religião deixa de ser o centro das atenções da vida do homem sociedade moderna a libertar-se daquilo que se diz ser o sagrado tonar-se autónoma da religião secularização da consciência “A secularização invade todos os aspectos da vida cotidiana e cria o desenvolvimento de uma mentalidade onde Deus está ausente, em parte ou totalmente, da existência da consciência humana” desvalorização
das estruturas
que sustentam
a religião emancipação da sociedade evolução da ciência dá respostas ao homem descrédito que o divino tem vindo a sofrer vivências pessoais o divino torna-se inútil para algumas pessoas perda do sentido da vida o homem deixa de ter algo que o ajude a orientar-se desprendimento dos ideais e hábitos divinos destruição da obra divina do sagrado acreditar no profano da Vida buscar a verdade descobrir a identidade o que faço aqui? quem sou? para onde vou? O que é? Porque acontece? Quais as consequências? o homem deixa de ter rumo para a sua vida impossibilidade de o homem se guiar pelo espírito dessacralização desenvolvimento da sociedade perda dos instintos perda das tradições homem perde o seu principal guia Viktor Frankl “Hoje a frustração existencial desempenha um papel mais importante do que nunca. Pensemos simplesmente o quanto o homem de hoje sofre não só com a perda progressiva do instinto mas também com a perda da tradição" homem tenha mais consciência e responsabilidade sobre os seus atos perda do instinto perda da tradição vivências pessoais acreditar no profano guia do
homem RAZÃO comportamentos de risco álcool/drogas depressão suicídio violência relação Dessacralização do Mundo Perda do Sentido homem perde o sentido da vida ligação com o sagrado mais ténue homem deixa de acreditar no sagrado ciência não consegue explicar tudo perda da fé no sagrado - qual o sentido da vida?
- há vida após a morte?
- o homem tem alma?
- porque há sofrimento? não há respostas! Contraste de Gerações Luísa, 50 Maria, 15 Ao compararmos gerações mais novas e mais velhas, apercebemo-nos que os seus costumes e valores são diferentes, condicionados pelo contexto socio-histórico-cultural em que se encontravam aquando da sua educação e da sua formação enquanto pessoas. perda de valores tradicionais evolução
progresso perda de valores divinos dessacralização perda do sentido distinguir profano do sagrado afastar-se da religião motivos pessoais evolução da ciência homem crê
=
ciência diz autonomia em relação a fé/religião/sagrado não cumprir objetivos de vida suicídios
vícios perde o sentido da vida
- deixa de acreditar homem não acredita
- autonomia
- fica a pertencer ao
mundo dessacralizado dessacralização perda do sentido desacreditar no sagrado ser humano procura respostas
- coerência Ciência
&
Religião pessoas continuam
a acreditar todos podemos perder o caminho
- com o sagrado voltamos à normalidade sem consequências a longo prazo não é infinita vivências
questões Ciência vs. Religião "Face à constante evolução dos conhecimentos científicos nos dias de hoje, a meu ver, a ciência ocupará cada vez mais o lugar da religião. Isto porque porque cada vez mais o Homem adquire novos conhecimentos e a ciência novas respostas, ao contrário daquilo que acontece com a religião." (Carla Domingo) “Sim há coisas que estão para além da explicação da ciência”.

É verdade que há muitas coisas que a ciência desconhece:
A vacina do AIDS, a cura da constipação, o que se passou antes do big bang, porque é que alguns doentes não reagem a um tratamento, etc.
Nestes casos a fé pode ser aplicada:
Não sei porque tal fenómeno ocorre. Assim qualquer hipótese é tão boa como outra.
Pensar que foram os deuses, o acaso ou qualquer outra explicação é igualmente válido. Não se sabe.
Se o mal é ausência de bem e Deus é o bem Deus não está onde está o mal. Logo a omnipresença fica comprometida.
Isto é uma variante do argumento do mal:
Se o mal existe Deus não pode ou não quer acabar com ele. Logo não é ou omnipotente ou infinitamente bom.
William Lane Craig tem a melhor resolução desta questão:
Não podemos saber se não há uma razão válida para Deus agir assim logo Deus pode permitir o mal por uma razão superior.
O mesmo se poderia dizer de Hitler ou Stalin. Não podemos provar que não há uma razão moral para terem agido assim.
No entanto é a melhor argumentação que há. "Com todo respeito, enxergar a religião e a ciência como forças repelentes denota muita estreiteza...
É o mesmo que perguntar: A mente ou o coração... o que seguir???
Ora, toda pessoa normal ouve, igualmenete, sua mente e seu coração, pois a emoção e a racionalidade são facetas inseparáveis no ser humano.
Lembre-se, por último, que grandes cientistas acreditavam e acreditam em Deus (Einstein, por e exemplo) e que grandes religiosos contribuíram e muito para o desenvolvimento científico (Tomás de Aquino, por exemplo, foi o maior filósofo da idade média e sem ele muito do trabalho de Aristóteles não teria chegado até nós)." (Haroldo Augusto) "Acredito que não estamos a assistir a uma dessacralização do mundo. Cada um na sua intimidade pode acreditar e ser religioso, não é necessário mostrar a nossa fé ou devoção em público para o ser. Tenho a certeza que a tecnologia evoluirá muito, mas isso não invalida que a religião pertença à nossa vida, não pelo menos enquanto não encontrarmos uma explicação plausível para a origem de todos nós e o mundo em que vivemos. Acredito, portanto, que no futuro assistiremos a uma nova forma de ter fé, e numa comunicação com Deus na nossa privacidade, com menos idas à igreja e menos rezas, mas mais ligada aos outros e ao estender a mão ao outro, o que na minha opinião, deveria ser o principal papel das pessoas que pertencem à igreja." "Para mim será a ciência que irá comandar o mundo. Ela é a fonte do verdadeiro conhecimento, uma vez que se baseia no método experimental." "A ciencia ganhará esta luta desigual. E esta desigualdade é sem duvida culpa da igreja que se recusou a adaptar-se à evolução do Homem. Recusou-se a admitir que deus não é o responsavel por tudo e recusou a evoulução dos conhecimentos que se verificou nas ultimas decadas.a igreja teimou em impor as suas explicações da vida , da morte e dos fenómenos. Esta teimosia está bem patente em vários momentos da historia da humanidade nomeadamente a recusa da teoria de Darwin bem como a recusa do heliocentrismo.O potencial cognitivo do Homem aliado à sua intrinseca curiosidade impediram-no de se contentar com explicações impostas e inquestionáveis, verdadeiros dogmas. volto a sublinhar, a Igreja perdeu o seu poder junto das pessoas por culpa própria." (Maria Eduarda dos Santos) "Quanto ao tema, penso que assistimos a uma dessacralização iminente; a cada dia passado a Igreja perde terreno, quer pelos avanços científicos que tornam verdades católicas futéis, quer pelas próprias atitudes da igraja de roma, por vezes deploráveis. Causa também que influencia o processo é o aumento da escolarização." "Deus existe a onde? Rezar para quem? Quem inventou os rosários ou os terços? Quem inventou o deus foi o próprio homem e cada nação criou o seu deus conforme os seus interesses. Os rosários foram criados doze séculos depois da morte de Jesus Cristo e foram os padres que fizeram essa invenção. à custa da família de deus é quem mais se governa, vejam o que se passa em Fátima . As religiões proliferam por aí como os insectos, é o que está a dar. Todos os Pastores nos prometem o céu, é só entrar para o clube dos sagrados." (H.U.) http://fralavor.blogs.sapo.pt/631.html?page=1#comentarios Será que viver apenas com a ciência ou apenas com a religião é suficiente? Não poderão ambas complementarem-se e responderem às necessidades e questões do homem, contribuindo para um equilíbrio entre fé e razão, ajudando o homem a atribuir um sentido à sua vida e a sentir-se realizado?
Para o nosso grupo, tanto a ciência como a religião são importantes para a vida do homem, pois nem a ciência pode satisfazer a necessidade que o homem tem em acreditar em algo transcendente, nem a religião consegue explicar fenómenos naturais dos quais o homem depende e está intrinsecamente ligado numa base quotidiana. + Filosofia 2012/13 Docente: Gisela Margarida da Silva Quartau Discentes: Ana Beatriz Achega
Ana Beatriz Patita
Beatriz Ferreira 10ºE Centro de Estudos de Fátima
Full transcript