Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

CNC

Aulas de CNC para o IFRN
by

Isac Barbosa

on 7 December 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of CNC

Comando
Numérico Computadorizado

Aula 1
Visualizar Ementa do curso




Introdução ao CNC
Aula 2
Sistema de Coordenadas





Coordenadas Absolutas e Incrementais
Aula 3
Introdução a Programação

Características das funções

Tipos de funções

Avanço rápido (G0)
Aula 4
Aula 5
Prof. Isac Barbosa de Almeida
O que é um CNC?





Qual a importância de se estudar o CNC?
Introdução
Um diferencial;
A indústria necessita;
O uso do CNC tem aumentado;
Concursos;
Quais as vantagens do CNC?





Quais as desvantagens do CNC?
Introdução
Comando numérico computadorizado é um sistema que permite o controle de máquinas, sendo utilizado principalmente em tornos e centros de usinagem. Permite o controle simultâneo de vários eixos, através de uma lista de movimentos escrita num código específico (código G).




De onde surgiu?
Introdução
Durante a segunda guerra mundial houve a necessidade da produção de peças de alta precisão, e larga escala de produção. Por esse motivo foi desenvolvido na década de 1940 o NC (controle numérico) criado pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), que evoluiu posteriormente para o CNC.
Sistema de Coordenadas
Um sistema de coordenadas é formado por duas retas que se cruzam em um ponto qualquer no espaço, cujo ponto de cruzamento é o início de todo o processo.



Sistema de coordenadas do CNC
Sistema de Coordenadas
O plano é formado pelo cruzamento de uma linha paralela ao movimento transversal (eixo X) com uma linha paralela ao movimento longitudinal (eixo Z). *
Sistema de Coordenadas
X - eixo transversal é relacionado com as coordenadas de diâmetros

Z - eixo longitudinal é relacioando com as coordenadas de comprimento
Ponto Zero da Máquina

Ponto Zero da Peça
Ponto Zero:*
O ponto zero da máquina, é definido pelo fabricante da mesma.

É o ponto zero para o sistema de coordenadas da máquina e o ponto inicial para todos os demais sistemas de coordenadas e pontos de referência.

Este ponto é definido pelo programador e usado por ele para definir as coordenadas durante a elaboração do programa.

Recomenda-se colocar o ponto zero da peça de tal forma que se possam transformar facilmente as medidas do desenho da peça em valores de coordenadas.

Sistema de coordenadas absolutas
Função G90

São as que se relacionam sempre com um ponto de referência (zero peça) fixo no desenho.
Sistema de coordenadas incrementais
Função G91

Cada medida introduzida refere-se sempre a um posicionamento anterior, resultando em medidas de distância entre dois pontos próximos.
Introdução a Programação

Interpoção linear (G1)

Função C

Função R+ e R-
Comandos
Os comandos mais utilizados são:

FANUC <---
MITSUBISHI
MACH
SIEMENS
MCS

Usuários: Romi, Ergomat, Index, Traub e vários outros
fabricantes de máquinas CNC.
Características das funções
Modais

Modais são funções que uma vez programadas permanecem na memória do comando servindo para todos os blocos posteriores, até ser cancelada por outra função modal.

Não Modais

Não modais são as funções que todas as vezes que requeridas, devem ser programadas, ou seja, valem apenas para o bloco que as contém.

Estrutura do Programa
Bloco de dados ou sentença

Caracteres

Letras de endereçamentos (funções)

Palavras
O programa é composto por: *
Ex: N10 G0 X10 Z5;
N20 G1 Z0 F.15;
Tipos de funções
Funções Especiais*

Funções Preparatórias*

Funções Auxiliares*
Funções Especiais
Interpolação circular



Trigonometria
Aula 6

Ciclo de Furação


Ciclo de Desbaste e Acabamento


Ciclo de Rosca
Código O - Indentifica o programa


Código ( ) Comentários

Código ; End of Block EOB
Todo programa ou sub-programa na memória do comando é identificado através de um único
código "O" composto por até 4 digitos, podendo variar na faixa de 0000 até 9999.











Necessário para finalizar o bloco do programa.
Funções Especiais
Código S


Código F - Velocidade de Avanço



Velocidade de corte dado em m/min ou em rpm.

OBS: Velocidade de corte x Avanço



A velocidade de avanço é um dado importante para a usinagem e é obtido levando-se em conta o material, a ferramenta e a operação a ser executada.

Geralmente nos tornos CNC utiliza-se o avanço em mm/rotação, mas este também pode ser utilizado em mm/min.

G94 - Avanço em mm/polegadas por minuto
G95 - Avanço em mm/polegadas por rotação
Funções Especiais
Código T - Selecionar feramenta



Código N - Identificar blocos
Obs: G21 programação em mm
G20 programação em pol
A Função T é usada para selecionar as ferramentas.
Deve-se programar o código "T" acompanhado de no máximo quatro dígitos. Neste caso os dois
primeiros dígitos definem à máquina a localização da ferramenta na torre e seu zeramento (PRE-SET), e os dois últimos dígitos definem o número do corretor de desgastes do inserto.







Cada bloco de informação pode ser identificado pela função “N”, seguida de até 4 dígitos, que
o comando lança automaticamente no programa mantendo um incremento de 10 em 10.
Exemplo: N10 ...;
N20 ...;
N30 ...;
Funções Preparatórias
G20, G21, G90, G91, G94, G95
Funções Preparatórias
G92 - Determinar rotação máxima (rpm)
G96 - Ativa velocidade de corte (m/min)

Exemplo: N50 G96 S220;
N60 G92 S3500 M4;


G97 - Cancela velocidade de corte, programa em rpm.
Obs: G53 e G54 modais
Funções Auxiliares
M08 - liga o refrigerante de corte.

M09 - desliga o refrigerante de corte.

M30 - fim de programa

M03 - sentido horário de rotação do eixo árvore.

M04 - sentido anti-horário de rotação do eixo árvore.
Avanço Rápido
Comando G0
Usado normalmente para aproximações ou recuos das ferramentas, esta função tem avanço próprio, controloado por um potenciômetro de avanço do comando. Pode-se dizer que esta função gera movimentos improdutivos dentro do processo de usinagem.

Exemplo de utilização:

G0 X35 Z2;
Interpolação linear
Comando G1
Esta função é usada para execução de avanços lentos, isto é, avanços de usinagem programados de acordo com as necessidades do programador.

Esta função executa movimentos retilíneos, ou seja, linhas retas, ângulos e até com a inserção de raios e chanfros.
Arredondamento
R- Anti-horário
R+ Horário
Função C e R+ R-
Interpolação Circular
Essa função é usada para gerar arcos, ou seja, perfis circulares que vão até 180º graus no torneamento.

Sempre que essa função for executada, estaremos posicionados no início do arco. Então, basta informar para o comando as coordenadas finais e o raio.

G02 - atua no sentido dos ponteiros do relógio, isto é, sentido horário.

G03 - atua no sentido contrário aos ponteiros, isto é, sentido anti-horário.

Pode ser utilizada com R ou (I e K).
Interpolação Circular
Trigonometria
Trigonometria
Trigonometria
|
|
Raio 10mm; 6mm de profundidade
Ciclo de Furação
Furação com descarga de cavacos - G74
O ciclo será executado com a programação de dois blocos contendo G74. No primeiro
bloco um pré-posicionamento que será executado em cada penetração e no segundo os
dados da furação.

G74 R;
G74 Z Q F;






O valor do incremento é dado em milésimo de milímetro. Basta multiplicar por 1000.
Ciclo de Furação
Ciclo de Desbaste
Ciclo automático de desbaste longitudinal - G71









Ciclo de acabamento - G70

Esta função também deve ser programada em dois blocos subseqüentes. O endereço U
terá definições diferentes em cada bloco.

Neste comando podemos executar o acabamento no mesmo programa acionando a
função G70 que ativa o ciclo de acabamento por meio dos números de sentenças (N)
sem a necessidade do subprograma.

G71 U R
G71 P Q U W F

U - valor da profundidade em raio
R - recuo transversal da ferramenta, ou seja, no eixo X.



G70 P Q
Ciclo de Desbaste
Obs:
O endereço Z não pode ser programado no primeiro bloco que define o perfil.
Após a execução do ciclo a ferramenta retornará ao ponto inicial.
Ciclo de Desbaste
Ciclo de Desbaste
Ciclo de Rosca
G33 - Ciclo de roscamento sentença por sentença
G33 Z F

Z - Coordenada de comprimento final da rosca
F - Passo da rosca
H = 0,65 * P
X = D - H

H altura do filete
X diâmetro final
D diâmetro inicial
*2
Diâmetro da rosca 20mm
Passo da rosca 1,5mm
Comprimento 32,5mm
Ciclo de Rosca
G76 - Ciclo de roscamento automático
G76P (m, r, a)





G76 X Z R P Q F
Ciclo de Rosca
Aula 7
Compensação do Raio de Corte (CRC)


Cabeçalho


Revisão
CRC
G40 - Cancela CRC
G41 - Ativa CRC (interno)
G42 - Ativa CRC (externo)
CRC desativado
CRC ativado
Cabeçalho
O0001;
N010 G21 G40 G54 G90 G95 (funções modais, utilizadas somente no início);




N020 T0101;
N030 G96 S150;
N040 G92 S4000 M3;

N220 T0202
N230 G96 S100;
N240 G92 S5000;
Cabeçalho de programa




Cabeçalho de ferramenta
Obs: N80*
Faceamento
Full transcript