Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Behaviorismo

Behaviorismo
by

Ana Cristina Lopes

on 9 May 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Behaviorismo

Behaviorismo O termo Behaviorismo foi inaugurado em 1913 através de um artigo publicado que apresentava o título "Psicologia:como os behavioristas a veem".O termo inglês behavior significa "comportamento";por isso para denominar essa têndencia teórica, usamos
o termo Behaviorismo - além de Comportamentalismo, Teoria comportamental, Análise Experimental do comportamento e Análise do Comportamento. O Behaviorismo Clássico (também conhecido como Behaviorismo Watsoniano, menos comumente Psicologia S-R e Psicologia da Contração Muscular apresenta a Psicologia como um ramo puramente objetivo e experimental das ciências naturais. A finalidade da Psicologia seria, então, prever e controlar o comportamento de todo e qualquer indivíduo. O trabalho de Watson foi influênciado pelos achados do fisiologista russo Ivan Petrovich Pavlov (1849-1936)sobre os reflexos condicionados.
Pavlov, que não gostava de psicologia, estudava o reflexo da salivação dos cães, para isso usava pó de carne para testar os animais, percebeu que assim que entrava no ambiente onde o cão estava, este começava a salivar.Intrigou-se com o fato;ainda não tinha colocado o pó , por que o animal salivava? Supôs então que isso ocorria porque a presença dele (estímulo condicionado) havia sido associado ao estímulo gustativo, um "sinal" que permitia ao animal preparar-se para receber o alimento( estímulo incondicionado).


Passou então a associar o alimento ao som de uma sineta e, após algumas associações entre os estímulos, o toque da campainha foi o suficiente para provocar a salivação do cão. Nasce em 09 de Janeiro de 1878 John Watson em Gren Ville, na Califórnia do Sul, EUA, fundador da psicologia behavorista, vindo a falecer em 25 de Setembro de 1958 na cidade de Nova York. Esse experimento foi revolucionário na época, pois demostrou que aprendizagem podia se dar apartir de processos comportamentais, passíveis de ser descrito e estudado pela ciência.
A teoria desenvolvida por Watson foi chamada de estímulo-resposta ( S-R). Os psicólogos dessa abordagem chegaram ao termo "resposta" e "estímulo"para aquilo que organismo faz e as variáveis ambientais que interagem com o sujeito.Para explicar a razão desses termos, duas razões podem ser apontadas:uma metodológica e outra histórica. Metodológica: Deve-se ao fato que os analistas experimentais do comportamento tomaram como modo preferencial de investigação o método experimental e analítico.

Histórica: Refere-se aos termos escolhidos e popularizados, que forem mantidos posteriormente por outros estudiosos do comportamento,devido a seu uso generalizado. Comportamento: Entendido como interação entre indivíduos e ambiente , é a unidade básica de descrição e ponto de partida para uma ciência do comportamento. O ser humano começa a ser estudado apartir de sua interação com o ambiente, sendo tomado como produto e produtor dessa interação. O mais importante dos behavioristas que sucedem o Watson foi B.F. Skinner (1904- 1990).
O Behaviorismo de Skinner tem influenciado muitos psicólogos americanos, e de vários países onde a Psicologia americana tem grande penetração, como o Brasil. Essa linha de estudo ficou conhecida como BEHAVIORISMO RADICAL. A base da corrente skinneriana está na formulação do comportamento operante.
Para desenvolver esse conceito , retrocederemos um pouco na história do Behaviorismo, introduzindo noções de comportamento reflexo ou respondente, para então chegarmos ao comportamento operante. Comportamento Respondente
O comportamento reflexo ou respondente é o que usualmente chamamos de " não voluntário". Esses comportamentos reflexos ou respondentes são interações estímulo-resposta ( ambiente-sujeito) incondicionadas, nas quais certos eventos ambientais confialmente eliciam certas respostas ao organismo que idependem de " aprendizagem". Comportamento Operante
"Inclui todos os movimentos de um organismo dos quais se pode dizer que , em algum momento, tem efeito sobre ou fazem o mundo em redor. O comportamento operante opera sobre o mundo, por assim dizer, quer direta, quer indiretamente." Para exemplificarmos melhor os conceitos apresentado até aqui, vamos lembrar um de vários experimentos feitos com ratos de laboratório. Tais experimentos lhe permitiram fazer afirmações sobre o que chamaram de leis comportamentais. Esse comportamento operante pode ser representado da seguinte maneira R - S em que R é a resposta ( pressionar a barra) e S é o estímulo (comida). Esse estímulo reforçador é chamado reforço.
O comportamento operante refere-se à interação sujeito-ambiente.Nessa interação, chama-se relação funcional a relação entre a ação do indivíduo ( a emissão da resposta) e as consequencias. Trata-se no comportamento aprendido mediante reforçamento. Assim quando algo é agradável, o comportamento para fazer algo é reforçado, pois suas consequencias foram positivas. Reforço positivo: É todo evento que aumenta a probabilidade de resposta que o produz. Reforço Negativo: É todo evento que aumenta a probabilidade futura da resposta que o remove ou atenua. Entretanto, alguns eventos podem ser reforçadores para toda uma espécie por exemplo: àgua,alimento e afeto. Esses são denominados reforços primários. Os reforços secundários ao contrário , são aqueles que adquiriram a função quando pareados temporalmente com os primários.

Alguns desses reforçadores secundários, quando emparelhados com muitos outros , tornam-se reforçadores generalizados. Esquiva
Um processo no qual os estímulos aversivos condicionados e incondicionados estão separados por um intervalo de tempo apreciável, permitindo que o indivíduo execute um comportamento que previna a ocorrência ou reduza a magnitude do segundo estímulo.

Fuga
È um processo semalhante a esquiva mas o comportamento reforçado é aquele que termina com um aversivo já em andamento.A diferença é sutil. Se posso colocar a mão nos ouvidos para não escutar o estrondo é esquiva, pois estou evitando o segundo estímulo antes que aconteça. Mas se os rojões começam a pipocar e só depois apresento um comportamento para evitar barulho que incomoda, pode se falar em fuga. Extinção
É um procedimento no qual uma resposta deixa abruptamente de ser reforçada .Como consequência, a resposta diminuirá de frequência e até mesmo deixar de ser emitida.

Punição
É um procedimento importante que envolve a consequência de uma resposta quando há a apresentação de um estímulo aversivo ou a remoção de um reforçador positivo presente GENERALIZAÇÃO
Este conceito completa a nossa compreensão de teoria do reforço como uma teoria de aprendizagem. Quando estamos treinados para emitir uma determinada resposta, em uma dada situação, poderemos emitir esta mesma resposta em situações onde percebemos uma semelhança entre os estímulos. Quando percebemos a semelhança entre estímulos e os aglutinamos em classes estamos usando a nossa capacidade de generalizar. Ou seja, uma capacidade de responder de forma semelhante a situações que percebemos como semelhantes.
Esse princípio de generalização é fundamental quando pensamos na aprendizagem escolar. Nós aprendemos na escola alguns conceitos básicos, a fazer contas e a escrever certas palavras. Graças à generalização, podemos transferir esses aprendizados para diferentes situações, como dar troco e recebê-lo numa compra, escrever uma carta para a namorada distante e aplicar conceitos de Física para consertar aparelhos eletrodomésticos.
Na vida cotidiana, também aprendemos a nos comportar em diferentes situações sociais dada a nossa capacidade de generalização no aprendizado das regras e normas sociais.
E aqui vale a pena falar de uma outra capacidade que temos, importante tanto no aprendizado escolar quanto no aprendizado social: a discriminação. DISCRIMINAÇÃO
Se a generalização é a capacidade de percebermos semelhanças entre estímulos e responder de maneira semelhante ou igual a todos eles, a discriminação é o processo inverso, é a capacidade que temos de perceber diferenças entre estímulos e responder diretamente a cada um deles.
Poderíamos aqui pensar no aprendizado social. Há, por exemplo, normas e regras de conduta para festas: cumprimentar os presentes, ser gentil, procurar manter diálogo com as pessoas, agradecer e elogiar a dona da casa. No entanto, as festas podem ser diferentes: mais informais; familiares, pomposas, em casa do patrão de seu pai. Somos então capazes de discriminar esses diferentes estímulos e nos comportar de maneira diferente em cada uma das situações. Behaviorismo sua aplicação Bibliografia Alunas: Ana Cristina, Marli e Jocelaine Bock, Ana Maria B, Psicologias:
Uma introdução ao estudo de psicologia
Full transcript