Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Motivação e Aprendizagem escolar

No description
by

Juliana Giarola

on 22 August 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Motivação e Aprendizagem escolar

Motivação e Aprendizagem escolar
A atividade escolar
"É um garoto inteligente, mas inaplicado."
"Tentei de tudo com este garoto e não consegui nada."
Atribuições e motivação
Motivação e conquistas escolares
Necessidade de examinar o tipo de mudança decorrente da idade;
O que fazer para motivá-los??
O que é motivante para alguns alunos, em determinado momento e desmotivante para outros? Por quê?
Quais metas se pretende conseguir?
Atrativo ou aversivo?
Atinge ou evita?

Motivação
aceitação ou rejeição
Tipos de metas
Metas relacionadas com a tarefa
Motivação intrínseca
aquela que se origina da própria pessoa
Motivação extrínseca
aquela proveniente de fatores externos
1 - Experimentar que se aprendeu algo:
o desejo de incrementar a própria
competência;

2 - Experimentar que está fazendo a tarefa que deseja: a "minha tarefa".

3 - Experimentar a sensação de estar concentrado na tarefa
Criatividade
Criatividade e
Motivação

Calink Indiara
Elizabeth Miguel
Juliana Giarola
Mariana Barroso
Sara Anacleto
Psicologia da Educação
Agosto de 2013
Metas relacionadas com o "eu"
1 - Experimentar que se é melhor que os outros, ou que não é pior;

2 - Não experimentar que se é pior que os outros (evitar a vergonha).


Metas relacionadas com a valorização social
Metas relacionadas
com a aprendizagem
ou conquista
acadêmica
Têm a ver com a
experiência
emocional
1 - Experimentar a aprovação dos pais, professores ou outros adultos;

2 - Experimentar a aprovação dos companheiros ou colegas.

Metas relacionadas com a obtenção de recompensas externas
Ganhar dinheiro, prêmio, presente etc.

Aprendizagem ou conquista
Em uma mesma atividade escolar o aluno persegue mais de uma meta ou escolhe uma delas.
Quais metas ou equilíbrio entre elas são mais adequadas para promover o interesse e o esforço
Metas de aprendizagem e metas de execução
Como varia a forma dos alunos enfrentarem suas tarefas ecolares?
Metas de
aprendizagem:
desenvolver a
própria
competência.
Metas de
execução:
permanecer
adiante,
ser sucedido ou
não fracassar.
Inteligência:
1 - Lista de conhecimentos e habilidades que podem ser incrementados;

2 - Algo estável.
Metas externas e internas
Procedimento que supõe motivar o sujeito a partir de fora (prêmios ou castigos) :
Metas externas
Prêmios e castigos: reforçadores externos da conduta
Limitações: efetivos se presentes e podem ter efeitos contrários
E na ausência de recompensa??
Motivação Intrínseca
Refere-se a meta que o sujeito persegue, sendo o sentimento que experimenta na realização da própria tarefa.
O que é preciso para motivar os alunos?
1 - Qualquer evento que aumente a competência estimula a motivação intrínseca;

2 - Para que ocorra a motivação intrínseca é IMPRESCINDÍVEL que se dê
autonomia.
A experiência de autonomia como meta básica
Se um aluno não quer mudar, por mais que se pressione de fora, uma mudança só ocorre se este assumir os próprios objetivos.
Há muito que fazer para facilitar a autonomia na escola.
Projeto Carnegie
Conjunto de tarefas para facilitar a consciência de realidades.
Aprender
Autonomia
Responsabilidade
Resultado:
Conseguiram melhorar a motivação e o rendimento dos alunos
A capacidade de criar
Fenômeno social
Fenômeno individual
Abordagem interdisciplinar
Histórica
Importância da criatividade
Progresso da humanidade

Avanço tecnológico;
Mudanças sociais e culturais;
Turbulências econômicas;
Resolver problemas.
Criativo - Educação
Começou a ser utilizado frequentemente no fim da década de 1920 e início da de 1930.

Rótulo para versões de ensino melhor
Contexto escolar - criatividade
Características personológicas

e

Fatores ambientais

Escola
A escola desempenha o papel na tarefa
de cultivar o potencial criativo :
Capacidade de pensar

Resolver novos problemas

Estudos da criatividade
Escassez de trabalhos
Medidas de QI
Descrição de habilidades
Testes de criatividade
Trabalhos escolares
Imitação;

Preceito de exemplos

Repertório existente

Criança que imita: “Vejamos se eu também sou capaz de fazer.”

Criança que cria: “ Vejamos o que sou capaz de fazer com isto.”
Problema...
Um problema resultante da implementação
de programas de treinamento de criatividade:
Indivíduos repetem estratégias ao invés de refletir, elaborar e construir.

Aspectos importantes
Criatividade:

Aberta a experimentação
Focalizar
Disciplina
Encerrar.
Atenção!
Para a
importância
de um
ambiente
social
que favoreça o
desenvolvimento de motivações,
atitudes e habilidades e que criem oportunidades de
aprendizagem
e envolvimento com
tarefas desafiadores
.

Influência de fatores ambientais na criatividade
Csikszentmihalyi

Winner

Strom e Strom

Amabile

Fasko

Resultado experimental (Alencar)
Os sistemas de ensino no Brasil e em diversos países são inibidores do potencial criativo.
Os professores encontram-se “iludidos” com a própria forma de ensino.

Root-Bernstein e Root-Bernstein

Os currículos escolares não apresentam conexão entre
áreas do conhecimento, tampouco atividades que requeiram o uso de imaginação e inovação.
Um currículo adequado
Relacionar os objetivos do conteúdo às experiências dos alunos;
Oferecer informações que sejam importantes, interessantes, contextualizadas;

Abordar problemas do mundo real;
Introduzir métodos
de pesquisa;
Identificar e discutir problemas ainda não solucionados;
Estimular o aluno a gerar múltiplas hipóteses para um problema;
Considerar as características e necessidades cognitivas, emocionais e sociais do aluno;
Implementar atividades que estimulem o aluno a produzir muitas ideias.
Desenvolver atividades que estimulem o aluno a explorar conseqüências;
Um ambiente educacional estimulador da Criatividade
Alocar tempo para o pensamento criativo;
Encorajar o aluno a correr riscos;

Possibilitar ao aluno imaginar outros pontos de vista;
Propiciar oportunidades para o questionamento de pressupostos;
Aceitar o erro como parte do
processo de aprendizagem;
Focalizar em idéias gerais ao invés de fatos específicos;
Recompensar idéias e
produtos criativos;
Apresentar material de aprendizagem
desafiador e estimulante;
Levar o aluno a reconhecer seus pontos fortes;
Dar ao aluno opções de escolha;
Proteger o trabalho criativo do aluno na crítica destrutiva.
Encorajar o aluno a se tornar um aprendiz autônomo e independente;
Enfatizar cooperação ao invés de competição;
Envolver os alunos na avaliação do próprio trabalho e na aprendizagem;
Apreciar senso de humor;
Cultivar a sensibilidade, flexibilidade e pensamento divergente;
Atuar como um modelo de...
Weiner formulou uma teoria geral da motivação:
"Quando as pessoas obtêm resultados inesperados, negativos ou de grande importância, tendem a se perguntar as causas e buscar resposta para isso."
Algumas respostas vai depender do tipo de informação que se espera ou idéia sobre a causa provável para a determinação dos fatos a explicar.
As causas podem ser:

Situadas pelo sujeito, como a habilidade, esforço ou fatiga.
Internas:
Ou também externas:

Situadas fora do sujeito, como a sorte ou o professor.
E podem ser percebidas como:
estáveis ou variáveis e controláveis ou não-controláveis.
O padrão mais prejudicial é definido como “indefensão”.

Os êxitos são atribuídos a causas externas, variáveis e não controláveis

E o fracasso a causas internas, percebidas como estáveis e não-controláveis.

O que se constatou sobre a diferença entre um sujeito mais motivado daquele que não está, é que o primeiro, antes faz atribuições perante o fracasso, concentrando em como resolver o problema que têm pela frente.
Dweck e Bempechat, evidenciaram que segundo a meta que se persegue, há diferenças entre forma de pensar e atuar enquanto se está tentando resolver uma tarefa, especialmente diante do fracasso.
Diante do fracasso, ocorre uma diminuição do esforço ou da atividade, e somente a experiência repetida de fracasso leva ao abandono da atividade.
Motivação e capacidade de auto-regulação
Entre a decisão de tentar uma meta e execução da atividade, medeia uma série de processos cognitivos e metacognitivos como:
Importância da atenção do sujeito;

O conhecimento que o sujeito tem sobre diferentes formas de atuação para conseguir o objetivo.
Os sujeitos com conhecimento necessário para empreender a busca da solução, se motiva mais quando sabem que vão ser analisados ou quando entra em jogo, algo importante.
Motivação e aprendizado
Com crianças a realização de tarefas depende, em boa média, do grau e tipo de
interdependência das metas.
O valor atribuído a uma meta dá lugar a diferentes
sistemas motivacionais:
Sistema motivacional individualista:
Busca dois tipos de incentivos ou metas, o principal é a própria aprendizagem e o segundo, agradar ao professor ou pais ou evitar castigo.
sistema motivacional competitivo:
é o incentivo que move o aluno a estar sempre acima dos demais e não abaixo, sendo a motivação fundamentalmente extrínseca.
Sistema motivacional cooperativo:
a meta parece sempre ser a dupla, sendo que saber que alguém contribuiu para a conquista dos demais, constitui um incentivo adicional, sendo a motivação intrínseca.
Dos três sistemas parece que os que melhores efeitos produz é o terceiro, entretanto, não é certo que ocorra sempre assim.

Mas isto não garante a efetividade imediata, dadas as múltiplas variáveis dos efeitos das situações de interação
O que se observa é que independente de todas as variáveis, ao estimular a motivação, ao facilitar a experiência do incremento da própria competência é favorável a aprendizagem.
Assim pode-se deduzir a importância de promover situações de cooperação para facilitar a motivação, assim como de conseguir a interdependência das metas dos alunos.
Perspectiva evolutiva
Existência de mudanças evolutivas nas características de motivação, quanto as tarefas escolares;
Não preocupação com avaliação externa (desejo de contato).

Evitar-se do fracasso.
Mudanças comportamentais acompanhadas de mudanças cognitivas;
Mudanças de valores;

Valorização da sala de aula como meio social;

Adolescência, aumento da importância da aprovação dos colegas;
Mudanças acompanhadas de mudanças na atuação dos professores e outros adultos;
Respostas que implicam na valorização social ou uma desqualificação:
“Lês muito bem, és um menino muito esperto”, “Pareces tonto, não sei o que fazes”.
Estudos demonstram, que essas mudanças são relativas a frequência com que recebem cada tipo de resposta;
Crianças menores prestam mais atenção à valorização ou crítica que recebem;
Começa-se a prestar atenção em informações de caráter simbólico (notas);
Dessa forma, é possível verificar que as questões cognitivas influenciam diretamente nos interesses e rendimento dos educandos;
Conclusões: implicações educativas
Importância de tomar consciência do papel que a atividade escolar desempenha na transmissão e desenvolvimento;
Sugere-se que sejam incorporados ao projeto educativo objetivos de tipo motivacional;
Criatividade e
Motivação

Psicologia da Educação
Agosto de 2013
FIM...
Full transcript