Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Carl Jung e a Psicologia Analítica

TMP
by

Fernando Miranda

on 27 March 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Carl Jung e a Psicologia Analítica

C A R L J U N G Carl Gustav Jung nasceu em 26 de Julho de 1875 Desde muito cedo, Jung interessou-se por Ciências Naturais, Filosofia, Pintura e Arqueologia Em 1900 iniciou a sua vida profissional no hospital psiquiátrico Burgholzli, em Zurique, Suíça. Casou-se com Emma Rauschenbach, com quem viria a ter cinco filhos Em 1905 publicou a sua primeira obra: Psicologia e Patologia dos Fenômenos ditos Ocultos Em 1907, após trocarem várias cartas, Jung entra em contato com Freud, o criador da Psicanálise, visitando-o em Viena. Deste contato nasceu uma estreita colaboração, que durou de 1907 a 1912 Em 1910 foi fundada a Associação Psicanalítica Internacional, da qual Jung foi eleito presidente Em 2012, um dos livros mais importantes para a história da psicologia analítica completou 100 anos
Símbolos da Transformação  
O titulo original Metamorfoses e Símbolos da Libido Em 1917, Jung publicou seus estudos sobre o inconsciente coletivo no livro A psicologia do inconsciente 1920, apresentou os conceitos de introversão e extroversão na obra Tipos Psicológicos A partir daí, Jung construiu as bases da psicologia analítica, desenvolvendo a teoria dos arquétipos e incorporando conhecimentos das religiões orientais, da alquimia e da mitologia, a este respeito escreveu o livro Psicologia e Religião. Aion (1951), em que fala de Cristo e sua simbologia Resposta a Jó (1952), em que fala da imagem de Deus

























































http://inlivros.net/livro/878/o-homem-e-seus-simbolos-carl-gustav-jung.html http://espiritismocomentado.blogspot.pt/2009/06/jung-leu-allan-kardec.html http://ebooksgratis.com.br/livros-ebooks-gratis/tecnicos-e-cientificos/psicologia/psicologia-carl-gustav-jung-o-desenvolvimento-da-personalidade/ Em 1961, Jung morreu com 86 anos “Minha vida, impregnada, tecida, unificada por uma obra, foi centrada num objetivo: o de penetrar no segredo da personalidade. Tudo se explica a partir desse ponto central, e toda a minha obra se relaciona com esse tema.” (Jung, 1960). O inconsciente Engloba as percepções, sentimentos e acontecimentos perdidos ou rejeitados pela memória consciente. É um material mental e afetivo, que por ser incompatível com ideais ou sentimentos, é impedido de se se tornar consciente, por meio de mecanismos como a repressão. O insconciente pessoal O inconsciente coletivo É comum a todos os seres humanos, independentemente da raça, cultura e sexo.
Do mesmo modo que temos padrões herdados em termos do desenvolvimento físico, também herdamos padrões de estruturação da personalidade. Estes padrões são os Arquétipos, que são possibilidades herdadas, são virtualidades que tomam forma traduzindo-se em imagens a partir das interações com o ambiente. Os principais arquétipos são: O Grande Sábio, A Persona, a Sombra, a Anima, o Animus e o Self A Persona é como que uma máscara que o sujeito assume para satisfazer todas as expectativas, pois todas as sociedades estão organizadas para atribuir papéis para todos os indivíduos Imagemhttp://grupodeteatrodacasa.blogspot.pt/2012/04/para-saber-mais.html O que compõe a Sombra é o que é considerado fraqueza, defeito, aspectos imaturos – Segundo Jung Complexos Reprimidos Anima e Animus, arquétipos do feminino e do masculino são componentes contra-sexuais inconscientes: a consciência de um homem é masculina, mas há uma contraparte feminina no inconsciente, e o mesmo acontece com as mulheres. O Self é o arquétipo central que rege o desenvolvimento psíquico, e é a meta do processo de individuação. http://selfterapias.com.br/sombra/ http://wswnow.com/?paged=3 http://aumagic.blogspot.pt/2011/06/anima-e-animus-nossa-natureza-interior.html http://tataapessoa.blogspot.pt/2011/02/multidao.html Atraído pelo mundo Determinados Fica fascinado por situações novas e pelo desconhecido Negligencia a satisfação das necessidades básicas Sua consciência está voltada para o mundo exterior Extrovertido Age primeiro e depois pensa “ Tem medo das paixões intensas e dificilmente consegue se libertar do medo de ser submetido a influências hostis.” Reflexivo Pensa muito e considera cuidadosamente as situações antes de agir Tímido Desconfiado Dificuldades em adaptar-se Introvertido Egocêntrico O introvertido não é acessível; ele se comporta como se tivesse em contínuo recuo diante do objeto. Ele se mantém distante dos acontecimentos externos, (…). No meio da multidão, ele se sente solitário e perdido. Quando maior a aglomeração, mais acirrada será a resistência. (…) O introvertido não é uma pessoa muito sociável. Tudo o que faz, o faz à sua maneira, protegendo-se contra influências do mundo exterior(…). Ele é desconfiado, obstinado, frequentemente sujeito a sentimentos de inferioridade e, por isso, também é invejoso. (…) Geralmente, é pessimista e inquieto. Ibid, pars 976s. “ O extrovertido vê o introvertido como pessoa insóciável, incapaz ou não interessada em adaptar-se ao mundo “real”. O introvertido julga o extrovertido como um ser superficial, carente de profundidade interior.” Sharp, 1987 Natureza da psicologia analítica Os indivíduos nascem com uma atitude psicológica introvertida ou extrovertida. Podem orientar-se no mundo através de quatro funções básicas: o sentimento, o pensamento, a intuição e a reflexão. Uma delas é a função dominante. yogapelapaz.blogspot.com Jung tinha desenvolvido, como função dominante, a intuição, enquanto em Freud primava a sensação. yogapelapaz.blogspot.com (Thompson, 1979; Samuels, 1999).
Uma psicologia do patológico e do saudável Enquanto Freud propunha um enfoque clínico centrado no patológico, Jung afirmava que não era lógico derivar o normal do patológico, senão que o correto era criar uma psicologia geral ser humano normal e tratar depois de compreender o doente a partir do são. Na mesma linha de pensamento, rejeitava a tendência dos psicoterapeutas a qualificar e rotular os doentes mentais, pois estava convencido que cada caso era diferente e único. (Jung, 1935).
Princípios gerais da psicologia analítica Jung estava convencido, que a psique é um sistema autorregulado que se esforça constantemente por manter o equilíbrio entre tendências opostas. Desta maneira, quando se produz uma polaridade ou unilateralidade no reino consciente de um indivíduo, seu inconsciente reage de imediato em sonhos, ou fantasias, tentando corrigir o desequilíbrio que se está produzindo (Jung, 1992). Um inconsciente criativo Jung tinha uma perspectiva otimista, enquanto o inconsciente que Freud concebia tinha um caráter negativo.

Representado por todas as coisas reprimidas do indivíduo, o inconsciente era para Jung também uma fonte positiva que podia trazer grandes benefícios. (Jung, 1992). Interpretação dos sonhos Para a psicologia analítica, os sonhos não escondem nem disfarçam nada. A dificuldade de entendê-los deve-se a nossa incapacidade para entender a linguagem simbólica que utilizam. (Jung, 1993). Deste este ponto de vista, a interpretação de um sonho pode ser entendida como uma tentativa espontânea da psique na solução de um problema. (Jung, 1991, 1992, 1993). Os tipos psicológicos, funções e atitudes Os diferentes tipos de personalidade não são expressos apenas pelas atitudes introvertidas e extrovertidas;

São também expressos por meio de quatro funções: http://cafenameianoite.wordpress.com/category/numa-igreja-perto-de-vc/ O pensamento; O sentimento; A sensação; A intuição. Jung colocou estas quatro funções em dois grupos;

Num dos grupos estava o pensamento e o sentimento; No outro grupo estava a sensação e a intuição;

Num dado momento apenas uma função, em cada grupo, é dominante;

A junção das funções dominantes com a atitude dominante da introversão e da extroversão produzem os oito tipos psicológicos;

(EX.: o tipo sentimentalista extrovertido ou o tipo sensação introvertido). http://eadtedi.blogspot.pt/2011/07/tipos-psicologicos-segundo-jung.html Apesar das numerosas contribuições, Jung não conseguiu popularidade rápida dentro da psicologia;

Só a partir da década de 1960, é que suas idéias despertaram interesse para o público, sendo a principal causa o conteúdo místico;

Alguns cursos formais da análise junguiana existem em vários locais;

Mais tarde foi criada a revista junguiana Journal of Analitical Psycology, pela Sociedade de Psicologia Analítica. http://pensadorpraticante.blogspot.pt/2011/06/e-se-jung-usasse-seus-tipos.html Extroversão
e
Introversão Sensitivo Intuitivo Sentimental Reflexivo Gonçalves, Magalhães, Reis (1984) Gonçalves et al, (1984) Gonçalves et al, (1984)
Full transcript