Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

AUDIOLOGIA OCUPACIONAL 1

No description
by

Warlley Müller

on 14 March 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of AUDIOLOGIA OCUPACIONAL 1

Médico Radiologia
Médico do Trabalho
Perito do Trabalho pelo TRT
Staff da Clínica favaloro
Chefe do Serviço de imagem do Himaba
Perito do IPAMV
Médico do trabalho da empresa embalart comércio
Perito do tribunal de justica do espirito santo.
AUDIOLOGIA
OCUPACIONAL

ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

VIAS ACÚSTICAS
Formam três fileiras mais externas.
São bem mais numerosas que as CCI – 12000 a 15000 células.
Têm alta seletividade frequencial.
Potencial de ação na base de – 70mV.

ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

Estrutura transdutora de energia mecânica para elétrica
Localiza-se ao longo e sobre a membrana basilar.
Compõe- se de células ciliadas externas e internas, células de sustentação ( Deiters, Hensen, Claudius), membrana tectórica.

ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

ANATOMIA DA ORELHA

Superposição da abrangência do BERA em relação à audiometria

SEMIOLOGIA DA AUDIÇÃO

ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

São as principais células receptoras auditivas.
Formam coluna mais interna ao longo do Órgão de Corti – cerca de 3500 células.
São piriformes.
Potencial de ação em repouso na base é de – 40mV.
ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

RE: 70 a 90dB acima do liminar auditivo

RECRUTAMENTO: < 70dB

DECRUTAMENTO: > 90dB

SEMIOLOGIA DA AUDIÇÃO

TESTES OBJETIVOS

REFLEXO ESTAPÉDICO
X
RECRUTAMENTO






SEMIOLOGIA DA AUDIÇÃO

TESTES SUBJETIVOS
Pesquisa do limiar
Discriminação vocal
Mascaramento
Pesquisa supralimiar

TESTES OBJETIVOS
Timpanometria / Imitânciometria
Reflexo Estapédico
BERA

O nível de exposição ao ruído é determinado a partir de medições acústicas envolvendo pressão sonora e tempo.

Monitoramento ambiental:
levantar dados para a classificação acústica das unidades operacionais ( área acusticamente classificada: nível de ruído 85 dB A ); localizar as regiões ou equipamentos mais ruidosos; identificar e classificar a influência dos eventos intermitentes no campo sonoro da área; coletar dados básicos para a seleção do EPI.

AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO AO RUÍDO

AUDIOLOGIA OCUPACIONAL

“A exposição a elevados níveis de ruído pode ser muito nociva, completamente inofensiva ou qualquer coisa entre estes limites. A chave para questão é a duração da exposição.” (Suter, 1993)

Correntes para a avaliação da exposição ocupacional ao ruído:
Europa: “Hipótese da mesma energia”. Nível de exposição (Lex).
Brasil e EUA: Regra dos 5. Ocupacional Safety and Health Administration (OSHA) – LOSHA.

AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO AO RUÍDO

AUDIOLOGIA OCUPACIONAL

AUDIOLOGIA OCUPACIONAL

RUÍDOS RECREACIONAIS OU NÃO OCUPACIONAIS

Armas: pistolas até 170 dB (A).
Brinquedos: instrumentos de sopro (impacto) - 76 a 123 dB(A); carrinhos com sirenes – 103 a 119 dB(A).
Ruídos domésticos: eletrodomésticos - 80 a 85 dB.
Música: discotecas – 105 a 115 dB(A); bandas de Rock – 102 a 116 dB(A); música clássica e jazz – 90dB(A); fones de ouvido - 60 a 114 dB(A).

MEDIÇÃO DO RUÍDO

Dosímetro: Registra a dose de ruído a que um trabalhador está exposto durante um jornada diária máxima de trabalho de referência (8h) considerada para níveis de tolerância.

Medidores de nível de pressão sonora:
registram o nível de PS de um fenômeno acústico.
respostas rápidas.
respostas lentas: medições de ruídos cujo nível varia excessivamente.

MEDIÇÃO DO RUÍDO
AUDIOLOGIA OCUPACIONAL

AUDIOLOGIA OCUPACIONAL

Contínuo: variações de níveis desprezíveis ( ± 3dB) durante o período de observação.
Intermitente: nível varia continuamente de um valor apreciável ( > ± 3dB) durante o período de observação.
Impacto: se apresenta em picos de energia acústica de duração inferior a 1seg; associado às explosões; um dos tipos mais nocivos de ruído.

RUÍDO ( ISO 2204/1973)
SELEÇÃO ATIVA DE FREQUÊNCIAS


ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

SELEÇÃO PASSIVA DE FREQUÊNCIAS

Envelopes de Békésy

ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

Células ciliadas internas

Inervação

ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

Células ciliadas internas

ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

Células ciliadas externas

Cóclea ativa

ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

Células ciliadas externas

Parede lateral

ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

Células ciliadas

ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

Ouvido interno
ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

TESTES OBJETIVOS

TIMPANOMETRIA / IMITÂNCIOMETRIA / IMPEDÂNCIOMETRIA


SEMIOLOGIA DA AUDIÇÃO

SEMIOLOGIA DA AUDIÇÃO

TESTES OBJETIVOS

TIMPANOMETRIA / IMITÂNCIOMETRIA / IMPEDÂNCIOMETRIA

SISTEMA TÍMPANO-OSSICULAR
TIPOS:
A (A-d; A-r)
B
C


Mascaramento

TESTES SUBJETIVOS


SEMIOLOGIA DA AUDIÇÃO

TESTES SUBJETIVOS
MASCARAMENTO


SEMIOLOGIA DA AUDIÇÃO

A orelha humana não é igualmente sensível para todas as frequências.
Campo auditivo: 20 a 20.000 Hz.
Infra-sons: < 20 Hz.
Ultra-sons: > 20.000 Hz

FAIXA DE AUDIÇÃO HUMANA
AUDIOLOGIA OCUPACIONAL

No Brasil, a metodologia oficial para o levantamento acústico em áreas industriais: Anexos I e II da NR-15 da Portaria 3214 (descompasso com os conhecimentos científicos).

Monitoramento pessoal: Seleção do EPI; controle e análise das audiometrias alteradas; quantificar o NPS que os indivíduos recebem ao longo do dia de trabalho; identificação dos grupos expostos ao risco auditivo.

AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO AO RUÍDO

AUDIOLOGIA OCUPACIONAL

AUDIOLOGIA OCUPACIONAL

Motor de dentista: 85 dB (A).

Transportes:
automóveis, ônibus e caminhões – 85 a 95 dB(A);
aviões a jato – 130 a 140 dB (A).

Centros urbanos: 50 a 100 dB (A).

MEDIÇÃO DO RUÍDO
Absolutos: amplitude e pressão efetiva ( dina/cm2).

Relativos: razão entre valores de energia ou pressão; a pressão sonora e a sensação auditiva são proporcionais, porém, a variação não é linear; a energia sonora é proporcional ao quadrado da pressão sonora.

Medida da intensidade através de processos:

MEDIÇÃO DO RUÍDO
AUDIOLOGIA OCUPACIONAL
Psicológico: sensação inerente de cada indivíduo.
Físico: energia vibratória que se propaga em meios elásticos.
SOM
Fisiológico: energia mecânica  energia elétrica codificada vias auditivas  decodificação no cérebro.
AUDIOLOGIA OCUPACIONAL
SELEÇÃO PASSIVA DE FREQUÊNCIAS

Envelopes de Békésy

ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

Células ciliadas internas

Sinapse

ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

Células ciliadas externas

Inervação

ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

Órgão de Corti
ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

Diferença de fase
ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

Sistema tímpano-ossicular
ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

Amplitude: deslocamento horizontal das partículas materiais de sua posição de equilíbrio.
Frequência: ciclos/ seg ou Hertz (Hz).
Produzida por uma fonte que gera perturbações ou variações na densidade do meio, aumentando ou diminuindo a pressão sonora.
ONDA SONORA
Células ciliadas externas
ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

SEMIOLOGIA DA AUDIÇÃO

VII PAR

V PAR

VIII PAR

TRONCO CEREBRAL

TESTES OBJETIVOS

REFLEXO ESTAPÉDICO





TESTES OBJETIVOS

TIMPANOMETRIA / IMITÂNCIOMETRIA / IMPEDÂNCIOMETRIA


SEMIOLOGIA DA AUDIÇÃO

CSCFC

SEMIOLOGIA DA AUDIÇÃO

<;>

O; X

VIA AÉREA:

VIA ÓSSEA:
SEMIOLOGIA DA AUDIÇÃO

TESTES SUBJETIVOS

MASCARAMENTO

VIA AÉREA
VIA ÓSSEA

LESÃO UNILATERAL
DIASCUSIA CONDUTIVA

CSCFC

SEMIOLOGIA DA AUDIÇÃO

TESTES SUBJETIVOS

AUDIOMETRIA VOCAL

PALARAS FONETICAMENTE
BALANCEADAS

FAIXA DA AUDIÇÃO SOCIAL

25 PALAVRAS 100% 4 pontos

50 PALAVRAS 100% 2 pontos


CSCFC

Célula ciliada externa
- 70 mV

Célula ciliada interna
- 40 mV
POTENCIAIS ENDOCOCLEARES
Ondas do BERA
X
Vias Auditivas no SCN

Onda IV

Onda V
Coliculo inferior

Onda II

Onda III

Onda I

CSCFC

SEMIOLOGIA DA AUDIÇÃO

AUDIOMETRIA

8000 Hz

250 Hz

6000 Hz

3000 Hz

CLICKS

20000Hz


20Hz

TESTES OBJETIVOS

BERA

POTENCIAIS ELETROFISIOLÓGICOS EVOCADOS DO TRONCO CEREBRAL
CLICKS




SEMIOLOGIA DA AUDIÇÃO

AUDIÇÃO NORMAL:
25 dB (VA e VO)
LAM:
Limiar de Audibilidade Mínima

AUDIOMETRIA TONAL LIMIAR

TESTES SUBJETIVOS


CSCFC

AUDIOLOGIA OCUPACIONAL

SEMIOLOGIA DA AUDIÇÃO

E OMD CÓCLEA VIII NCV COS NMF VII OME Y

RE Contralateral

TESTES OBJETIVOS

REFLEXO ESTAPÉDICO

70 a 90dB acima do liminar auditivo
Contralateral, ipsi-lateral





SEMIOLOGIA DA AUDIÇÃO

AUDIOMETRIA TONAL LIMIAR
FAIXA PESQUISADA:
250 Hz a 8000 Hz
AUDIÇÃO SOCIAL:
500 Hz a 2000Hz (3000Hz)
MÉDIA TRITONAL:
500 Hz, 1000Hz, 2000Hz (VA e VO)


PESQUISA DO LIMIAR

TESTES SUBJETIVOS


CSCFC

1
Dr. Leonardo Barros
ANATOMIA DA ORELHA

Órgão de Corti
Células Ciliadas Externas (CCE)
Células Ciliadas Internas (CCI)
ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

ANÁTOMO-FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

AUDIOLOGIA OCUPACIONAL

RUÍDOS RECREACIONAIS OU NÃO OCUPACIONAIS
TESTES SUBJETIVOS
PESQUISA DO LIMIAR
AUDIOMETRIA TONAL LIMIAR
Full transcript