Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

[HISTÓRIA] Povos Indígenas do Brasil - Os Kaxixós

No description
by

Breno Pimenta

on 23 November 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of [HISTÓRIA] Povos Indígenas do Brasil - Os Kaxixós

Mito
Os Kaxixós
População
De acordo com dados da FUNASA de 2010, os Kaxixós somavam-se 308 pessoas
Breno Pimenta
Camila Alves
Larissa Rodrigues
Mateus Gomes
Matheus Cunha
Pietro Tanure
Tronco Linguístico
Não há registro da língua nativa desse povo.

Hoje todos os kaxixós falam o português.
Etnia
De acordo com a FUNAI, os Kaxixós são oriundos da miscigenação de outras tribos indígenas com negros e brancos.
Se localizam principalmente no Capão do Zezinho. Habitam as margens do rio Pará, municípios de Martinho Campos e Pompéu, região centro-oeste de Minas Gerais (área distante aproximadamente 280 km de Belo Horizonte)
Localização
MuitoS são
católicos
, por isso é inegável a influencia cristã em nas atividades espirituais dos Kaxixós.
Existem, na visão deles, duas entidades centrais:
Jacy
(possui as qualidades de Deus)
que se opõe a
Anguera
(possui as qualidades do Diabo)
Há ainda uma terceira classe, os Caboclos d'Água, os quais segundo a crença, deram origem aos Kaxixós
Concepção da Natureza
Reivindicações
Localização dos Kaxixós em Minas Gerais
Costumes e Cultura
Ritual de Maio
Os Kaxixós vão todas as noites durante o mês de maio, para rezarem. Levam consigo a imagem de Nossa Senhora Aparecida, uma vela, e estouram fogos, acendendo uma fogueira no inicio. Cada noite um deles é o responsável pela leitura do evangelho. E pedem proteção e saúde para cada família Kaxixó,
Dia de São Francisco de Assis
A principal festa dos Kaxixós ocorre no dia 4 de outubro (dia de São Francisco de Assis)
Acontecimentos:
1- União entre as pessoas da região
e parentes distantes;
2- Rezas;
3-Barraquinhas;
4-Comes e bebes;
5- Forró.
Língua de Anguera
Algumas famílias praticam invocação de espíritos em rituais conhecidos como “lei do índio” ou “língua de Anguera”. Um kaxixó que vive no povoado de Itibira é considerado o pajé.
Gruta de Nossa Senhora da Lapa (missas e rezas)

Rancho ou Casa de Ritual (contrapartida a intenção da Igreja Católica)

Locais Sagrados
Dança do Jacaré
A principal dança dos Kaxixós, é a Dança do Jacaré, que segundo seu cacique acontece desde antes da chegada dos europeus no Brasil


Povos indígenas do Brasil
Pintura Corporal
São utilizadas em datas e locais especiais, geralmente são riscos de cores diversas no rosto, e os homens pintam o tórax também.

Os enfeites são colares e pulseiras de madeira ou sementes, e os lideres possuem um cocar.
Luta pelo reconhecimento étnico da tribo

Reivindicação de Terras
Reconhecimento Étnico
Grupo de 63 pessoas lutavam por essa causa.

Dificuldade devido à miscigenação dos Kaxixós, com traços de negros e brancos.

Finalmente reconhecido pela Funai em dezembro de 2001 como grupo indígena.
Reivindicação de Terras
Terras perdidas de acordo com Cacique Djalma durante o século XVIII com a invasão do capitão Inácio Oliveira Campos

Área de 27.150 hectares localizadas em fazendas nas cidades de Pompéu e Martinho dos Campos na margem esquerda do rio Pará

Dificuldade devido à oposição da prefeitura dessas cidades e dos fazendeiros, que negam ser áreas indígenas
Antigamente
O alimento e matéria prima para instrumentos e casas eram retirados da natureza, como cipós, machados de pedra, capim e barro. O artesanato era muito comum, como por exemplo jarros cerâmicos e estruturas de forno.
Atualmente
Vivem em casas de alvenaria e tem alguns equipamentos , como televisores e algumas geladeiras. A cultura original infelizmente está se perdendo.
Economia Atual
Alimentos do grupo vêm da agricultura familiar de subsistência, cultivando principalmente feijão, arroz, milho, algodão, mandioca, cará e amendoim. Pescam no Rio Pará

Criam animais de pequeno porte, como porcos e galinhas.

Há famílias que se valem da aposentadoria dos mais idosos.

Outra fonte de sustento tem sido o artesanato. Fabricam peças de barro, como pequenos potes, geralmente enfeitadas com penas.

Imagem da Tribo
Full transcript