Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Processos e Práticas Historicas da Educação no Brasil

No description
by

Larissa Lamarquianne

on 24 January 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Processos e Práticas Historicas da Educação no Brasil

A história da educação brasileira se inicia em 1549 com a chegada dos primeiros padres jesuítas. Marcando o início da educaçao no país, deixando marcas profundas na cultura e civilização do país.
Interferencias históricas e culturais e bases da educação brasileira no combate ao analfabetismo.
Desde a colonização do Brasil, vemos que a questão da educação para as classes populares é assunto a ser resolvido. Vejamos que nestes de 500 anos de história, as classes dominantes defendem seus próprios interesses culturais e econômicos.
A desigualdade social está vinculada à educação do cidadão comum, que é a grande parcela da população brasileira.
Para convercer a corte Portuguesa de que deveriam catequisar os nativos, Padre Manoel de Nóbrega escreve:
"os índios são como papel em branco".
No começo do seculo seguinte, em 1808, com a vinda da familia Real para o Brasil-Colônia a educação e a cultura tomaram um novo impulso, com o surgimento de instituições culturais e científicas, de ensino técnico e dos primeiros cursos superiores, como os de medicina nos estados do Rio de Janeiro e da Bahia.
A obra educacional de D. Joao VI, teve aspectos importantes. As aulas e cursos criados em diversos setores tiveram o objetivo de preencher demandas de formação profissional. Apesar de o ensino ser oferecidoa penas para os mais abastados. O primário não era fornecido pelo Estado. O ensino superior era destinado a poucos vindos de escolas da Europa e os que podiam contar professores particulares.
.

Período Imperial: 1822-1889
- Com a independência do país conquistada algumas mudanças no panorama sócio-político e econômico pareciam esboçar-se, inclusive em termos de política educacional.
- Em 1824 criou-se a
Lei Magna
que dizia "
instrução primária e gratuita para todos os cidadãos
".
- Logo depois veio a lei que determinou a criação de escolas de primeiras letras em todas as cidades, vilas e vilarejos, envolvendo as três instâncias do Poder Público. Teria sido a "Lei Áurea" da educação básica, caso tivesse sido implementada.
- 1872, Brasil contava com uma população de 10 milhões de habitantes e apenas 150.000 alunos matriculados em escolas primárias. O índice de analfabetismo era de 66,4%;
Processos e Práticas Historicas da Educação no Brasil
Era Pombalina
1759-1777
Inpirado pelo racionalismo europeu, as reformas de Marquês de Pombal visa o uso da cultura por atitude perante a vida. Com um ensino agora em língua materna.
Marcada pela expulsão dos Jesuítas da função de educar.
Este período marca o início da Educação Superior no Brasil. São oferecidos os primeiros cursos para formação de médicos e magistratos.


- Catequisação dos índios, para ensinar habitos europeus e que srervia de dominação da coloninia.

- Procedimento metodológico elitista para os filhos da burguesia.
Os Jesuítas ofereciam dois tipos de educação:
Período Joanino: 1808 - 1821
Primeira República:
1889-1930
- A Reforma de Benjamin Constant tinha como princípios orientadores a liberdade e laicidade do ensino, como também a gratuidade da escola primária. Estes princípios seguiam a orientação do que estava estipulado na Constituição brasileira.
- O percentual de analfabetos no ano de 1900, segundo o Anuário Estatístico do Brasil, do Instituto Nacional de Estatística, era de 75%.
- A enfase literária e clássica da educação estava chegando ao fim.
- É fundada a Academia Brasileira de Letras por Machado de Assis;
- O intuíto era alfabetizar para que os cidadãos pudessem aprender votar, pois analfabetos não podiam votar.
Uma Escola igualitária transforma a realidade social dos cidadãos!
Era Vargas: 1930 - 1945
O manifesto dos anos 30, realizada pelos precursores da educação, vê o aluno como centro da educação, suas aptidões...
Há um otimismo pedagógico em que a escola deveria ser desvinculada da sociedade, promover o indivíduo em suas iniciativas, criatividade e criticidade. Uma escola laica, alegre e fecunda.
Visto que a economia do país tende para area industrial, não unicamente agrícola. Há demandas de mão de obra especializada para ofícios na indústria. A Confederação Nacional da Indústria CNI, vem abrir estas escolas profissionalizantes destinados a vagas nas indústrias.
Golpe Militar - Estado Novo
Educação - Questão Nacional
Período Desenvolvimentista 1946 - 1964
Fundação SENAI
Importante órgão criado pelo proletariado indústrial, marca o início dos cursos técnicos profissionalizantes no Brasil.
Fundação SESI
Solidadriedade das classes.
Tem o objetivo de formar o indivíduo moral e civicamente.
- Pós guerra efervescência na indústria e no ensino, chegada dos imigrantes, investimentos na indústria de capital estrangeiro.
- Criação da LDB- Lei de Diretrizes e Bases.
- Descentralizar a educação para os estados municípios e União.
- Sob os ideais forditas, na gestão de Juscelino Kubstchek, temos a política "do bem estar social", como conseguencia do capitalismo.
- A partir de 1956 - novo conflito entre escola particular e escola públicaCriação do CAPES - novo conceito
na educação popular.Reforma de base
- CPC - Centro Popular de Cultura, principalmente no Nordeste.
Regime Militar-Período Ditatorial: 1964-1985
- Criam-se agências de apoio à pesquisa e à pós-graduação. O ensino obrigatório é ampliado de quatro a oito anos.
- A partir de 1964 muitos educadores passaram a ser perseguidos em função de posicionamentos ideológicos.
- União Nacional dos Estudantes proibida de funcionar;
- Para erradicar o analfabetismo foi criado o Movimento Brasileiro de Alfabetização - MOBRAL.
- Lei 4.024, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, em 1971;
- Formação educacional de cunho profissionalizante e fim da disciplina de História, Geografia, Filosofia e Sociologia;

Abertura Política e Democracia: 1986-2006
- Em 1992, o Senador Darcy Ribeiro apresenta um novo projeto de educação que acaba por ser aprovado em dezembro de 1996 – LDB 9394/96.
- Collor de Mello, em 1990, lança o projeto de construção de Centros Integrados de Apoio à Criança - CIACs, em todo o Brasil.
- PAIUB – Programa de avaliação institucional.
- FUNDEF – Fundo de manutenção e desenvolvimento do ensino fundamental e valorização do magistério.
- ENEM – Exame nacional do ensino médio.
- PCNs – Parâmetros curriculares nacionais.
- ENC – Exame nacional de cursos.
O atual sistema educacional brasileiro.
- Houve uma diminuição na taxa de analfabetismo, e um grande aumento de matriculas em todos os níveis de ensino. A taxa de analfabetismo declinou de 39,5%, em 1960, para 20,1%, em 1991.
- O sistema educacional brasileiro possui uma das menores cargas horárias na escola fundamental – exemplo: Holanda 1000 horas/aula por ano, Brasil 667 horas/aula por ano.
A educação infantil, primeira etapa da educação básica, é oferecida em creches, para crianças de até 3 anos de idade e em pré-escolas, para crianças de 4 a 6 anos, o ensino fundamental, com duração mínima de nove anos, é obrigatório e gratuito na escola pública, cabendo ao Poder Público garantir sua oferta para todos, inclusive aos que a ele não tiveram acesso na idade própria. O ensino médio, etapa final da educação básica, tem duração mínima de três anos e atende a formação geral do educando, podendo incluir programas de preparação geral para o trabalho e, facultativamente, a habilitação profissional;
Além do ensino regular, integram a educação formal:
- A educação especial, para os portadores de necessidades especiais;
- A educação de jovens e adultos, destinada àqueles que não tiveram acesso ou continuidade de estudos no ensino fundamental e médio na idade apropriada;
- A educação profissional, integrada às diferentes formas de educação, ao trabalho, à ciências e à tecnologia, com o objetivo de conduzir ao permanente desenvolvimento de aptidões para a vida produtiva. O ensino de nível técnico é ministrado de forma independente do ensino médio regular. Este, entretanto, é requisito para a obtenção do diploma de técnico;
A educação superior abrange os cursos de graduação nas diferentes áreas profissionais, abertos a candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente e tenham sido classificados em processos seletivos. Também faz parte desse nível de ensino a pós- graduação, que compreende programas de mestrado e doutorado e cursos de especialização. A partir da LDB de 1996 foram criados os cursos seqüenciais por campo do saber, de diferentes níveis de abrangência, que são abertos a candidatos que atendam aos requisitos estabelecidos pelas instituições de ensino superior.
Referências Bibliográficas
educarparacrescer.abril.com.br/historia-educacao/‎ ,
acesso em: 08/12/2013.

https://www.google.com.br/imghp



Material disponibilizado na plataforma.



Equipe: Angélica Cristina de Lima
Joelma Gama Carvalho Ferreira
Larissa Lamarquianne Souza
SENAI - Cursos técnicos profissionalizantes


Full transcript