Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Como iniciar a mediação em uma escola: pressupostos e ação.

No description
by

Ana Claudia Cifali

on 5 October 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Como iniciar a mediação em uma escola: pressupostos e ação.

Como iniciar a mediação em uma escola: pressupostos e ação.
Ana Claudia Cifali - anaclaudiacifali@gmail.com

metodologias ativas:
Freire: superação de desafios.

Por que mediar conflitos na escola?
como implementar o projeto?
Ensino Fundamental: alunos abertos à assimilação de atitudes e comportamentos; momento conflitivo; valores de uma cultura solidária; mediadores terão mais tempo de atuação na escola.
Quais os canais de gestão da convivência na sua escola?
- Quais os recursos habituais da escola?

- A prática da mediação não pode confrontar os canais de gestão dos conflitos, mas respeitá-los.

- Depois de experimentar a mediação, decide-se de maneira mais precisa qual é o lugar que lhe corresponde.

- Quais as necessidades da escola? Quais os conflitos mais habituais? Entrevistas com membros da comunidade escolar.

- Em que a mediação pode ajudar para melhorar a convivência?
Como renovar a rede de mediadores?
Berbel: valorizar a vivência dos estudantes, aumentando seu engajamento, persistência e percepção de competência e sentimento de pertencimento no processo de aprendizagem.
Sônego e Zamberlan: concepções e práticas socioeducativas promotoras de autonomia no ensino fundamental.
MODELO PUNITIVO X MODELO COOPERATIVO
Sanções disciplinares

Regulação de comportamentos

Utilidade limitada

Imposição
Dissuasão de comportamentos agressivos

Motivação para o diálogo

Educar e transformar os conflitos

Responsabilidade/consciência
escola
diferentes
intervenientes
estrutura em
constante mudança
CONFLITO
comportamento não colaborativo/
falta de motivação

conflitos entre
professores e alunos
conflitos entre iguais
bullying
violência física e verbal
danos materiais
Ensino Médio: introdução gradual dos conceitos e técnicas de mediação; círculo de paz...
- Processo educativo;
- Promover o diálogo e a comunicação aberta;
- Saída positiva e não-violenta diante dos conflitos;
- Amadurecimento pessoal;
- Desenvolvimento social e emocional;
- Orientação para a aprendizagem;
- Participação ativa e responsável;
- Melhora das relações intra e intergrupais;
- Convivência escolar pacífica e saudável;
- Desenvolvimento da autonomia;
- Trabalho em equipe;
- Prevenir a violência;
- Ambiente mais produtivo para o ensino;
- Cultivo da paz e cidadania.
- Desenvolver uma nova abordagem aos conflitos;

- Encorajar os alunos a resolverem seus próprios conflitos;
- Promover o interesse dos alunos pelas questões de respeito à diversidade e por uma cultura de paz;

- Incentivo ao desenvolvimento das habilidades sociais;

- Projeto de valorização da comunidade escolar.

Que tipo de conflitos mediar?
- O tipo de conflito mediável varia de escola para escola;

- Contexto em que se insere a escola, tradição e importância da formação humana e cívica no currículo;

- Delimitar claramente as situações que, de início, acredita-se que devem ser conduzidas pela via disciplinar;

- Caso detectamos um conflito muito grave (delito, problemas psicológicos), os mediadores podem suspender a mediação;

- Os mediadores não devem mediar conflitos de
pessoas próximas, como colegas de classe.
Quem pode solicitar a mediação?
- A maioria dos mediadores preferem trabalhar apenas
com conflitos entre os alunos;

- Quando o processo já estiver bem consolidado, verifica-se um interesse dos professores em dialogar com aqueles alunos que apresentam mais dificuldades de comunicação, de atenção ou de rendimento escolar;

- Cada escola decide de acordo com sua realidade: grupos de alunos aos quais vai oferecer a possibilidade de mediar, número de alunos, possibilidades de horário, equipe de mediadores, espaços... até que a mediação possa ser colocada à disposição de todos;

- A que grupos de alunos será oferecida a possibilidade de mediar?
Que passos dar antes de entrar em ação?
- Formação;

- Comunicar aos demais que estamos prontos para mediar;

- Aproveitar os canais de divulgação da escola (reuniões, murais, internet...);

- Criar estratégias originais e criativas que chamem atenção (pequenas dramatizações, cartazes, slogans, informar nas salas de aula...);


- Geralmente, são os próprios alunos que informam os outros sobre a possibilidade de solicitar a mediação.
quais as tAREFAS DA COORDENAÇÃO?
- O coordenador/a é escolhido/a entre as pessoas mediadoras que se oferecem para assumir tal função;

- Se existe apenas um coordenador, é melhor que seja um professor ou professora.

- Sua função principal é ser um referencial da rede de mediadores da escola;

- Centraliza as solicitações de mediação que chegam por escrito ou verbalmente, marca a reunião inicial e seleciona os mediadores do encontro;

- Da apoio aos mediadores e organiza o informe sobre mediação do centro, livro de memórias...
como se formam as duplas de mediadores?
- Escala de horários;

- Disponibilidade de cada pessoa segundo os dias da semana;

- As duplas podem ser fixas ou não;

- Importante que todos tenham espaço para praticar.

avaliar os resultados


- Dados: quantidade de conflitos mediados, tipo de conflito, acordos alcançados;

- Questionário: distribuído aleatoriamente para pessoas da escola (Conhece a tarefa dos mediadores? Necessita mais informações sobre a mediação? Quais? Alguma vez participou de uma mediação? Gostaria de formar-se como mediador? Por que?);

- Memórias do período de experimentação: resumo do trabalho e perspectivas para o futuro, fotografias, gravações, documentos...;

- Reunião de organização e funcionamento.
- Canais de renovação e formação de novos mediadores;

- Oficina de seleção;

- Reunião da rede: troca de experiências, revisão das mediações realizadas, dramatizações, grupo de estudos, palestras, etc.;

- Reconhecimento oferecido às pessoas mediadoras (formatura);

- Duplas entre mediadores novos e tutores, mediadores e observadores.



planejamento
- Cronograma do projeto;

- Etapas: planejar, informar, formar, divulgar...;

- Temas abordados: conflitos, mediação, empatia, escuta ativa, comunicação não-violenta, valores, cultura da paz...;

- Material para as oficinas, atividades, recursos...;


Sonhar?
- Formação dos educadores e alunos.

- Intervenções pontuais em sala de aula: CÍRCULOS DE PAZ/CÍRCULOS RESTAURATIVOS.

- Expressão/Reflexão/Escuta.

- Bastão da fala.

- Foco na responsabilização coletiva: igualdade e respeito.

- Orientação: valores e atitudes para o bom funcionamento do círculo.

- Cerimônia de abertura/fechamento: relaxamento e palavra simbolizando o sentimento.


Seleção de participantes:
Desenvolvimento do projeto
- Pesquisa;

- Reunião: pessoas convidadas, momento para informar, apoio previsto;

- Objetivos: apresentar um recurso para enfrentar os conflitos escolares que reúne duas condições interessantes para a escola:

a) a mediação é um processo educativo,

b) todas as pessoas da comunidade escolar trabalham juntas para criar e manter um clima de convivência positiva;

- Apresentação:

a) agradecimentos e boas vindas,

b) objetivo geral - informar sobre a mediação escolar e convidar a escola e as pessoas que a integram e conhecem os conflitos cotidianos a formar-se como mediadores/as,

c) O que são os conflitos? O que é a mediação? Quem pode ser mediador? Como funciona a mediação? Vantagens e limites da mediação escolar.

d) Motivar os alunos: interessa ao âmbito pessoal, atividade dinâmica, conhecimento, etc.

e) Espaço para perguntas e despedida: convite e folha de candidaturas
- Todos estão convidados para participar;

- Compromisso: assitir à oficina e completar a formação;

- Critérios de seleção determinados pela escola (séries, n. de alunos, etc.);

- Difusão da oficina por escrito ou pessoalmente;

- Período de inscrição e centralização da lista de candidatos;

- Contrato de formação direcionado aos pais.
contrato de formaçãO
Aluno:
Turma:

Estimado/a pai/mãe,

Seu filho inscreveu-se na oficina de mediação impartida na escola. Na oficina, desenvolvem-se atividades referentes às habilidades sociais e estratégias de gestão positiva dos conflitos. Nesta formação participa um grupo de pessoas constituído por alunos, professores, pais e mães, e funcionários da escola previamente selecionados.

Pedimos seu consentimento para que seu/sua filho/a forme-se como mediador, segundo o calendário previsto.

Hora: Dia da semana: Calendário da oficina:

Eu, ................ dou meu consentimento para que meu filho/a participe da oficina de mediação.

* Para qualquer informação não deixem de entrar em contato.
Preparação da sala:
- Valorização da sala com decorações
alusivas ao curso;

- Sala de mediação e de convívio;

- Abertura da sala;

- Jogos e atividades versando sobre
temáticas referentes ao curso;

- Sensibilização da comunidade escolar.
METODOLOGIA DA OFICINA
"ESPAÇOS DE MEDIAÇÃO"
- A mediação é uma prática: oficina desenvolve-se de maneira vivencial e crítica;

- Promover o bom relacionamento entre os integrantes;

- Considerar a diversidade de idades e estilos de aprendizagem;

- Duplas e grupos de trabalho heterogêneos e rotativos;

- Dramatizações: indispensáveis para interiorização do processo de mediação.
sequência formativa:
1 - Dinâmica inicial: coesão grupal, introduzir a temática, debate;
2- Apresentação do plano da sessão;

3 - Desenvolvimento de atividades e conteúdos relacionados ao processo de mediação (criar acordos, vislumbrar interesses, o conflito, compartilhar pontos de vista....)
4 - Recompilação dos principais conteúdos tratados e sugere-se uma prática simples para aplicar individualmente em um contexto real.
papel da pessoa formadora:
- Fortalecer as pessoas do grupo, animando-as a descobrir seu potencial para a mediação;
- Fomentar a participação;
- Criar oportunidades para a aprendizagem;
- Estimular estratégias de trabalho cooperativo;
- Estabelecer normas claras e funcionais;
- Gerar expectativas de êxito;

- Promover o respeito por toda e qualquer pessoa;
- Proporcionar ocasiões para a liderança positiva;
- Valorizar o esforço;
- Favorecer a coesão do grupo;
- Estimular a partir de erros;
- Manter um clima acolhedor.
- Costuma-se abrir a mediação para qualquer pessoa da comunidade educativa.
3 ações - Diretora
efeitos negativos e
potencial educativo
Deterioração do clima social
Perda de motivação
Tendência a buscar culpados pelas experiências desagradáveis
Rompimento do fluxo comunicativo
Dificuldade de empatizar
Aprender a tomar decisões e a agir
Estimular o pensamento criativo
Aprender a enfrentar a realidade e as adversidades
Descobrir que todos podem ganhar
Valorização de si e dos outros
Respeito às diferenças
DEPENDE DE COMO ENCARAMOS O CONFLITO
A escola é uma instituição educativa, não coercitiva.
- A escola é um lugar ideal para a aprendizagem da convivência;
ESTRATÉGIAS BÁSICAS PARA A MELHORA DA CONVIVÊNCIA
- Desenvolvimento da autoestima;

- Participação/trabalho cooperativo;

- Habilidades sociais.
Full transcript