Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Veith 05 - Olhe e Viva

Série Transformação Total - Walter Veith - Amazing Discoveries
by

Daniel Silveira

on 17 March 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Veith 05 - Olhe e Viva

Olhe e Viva
Romanos 12:2
E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.

Deuteronômio 2:1
Então demos meia-volta e partimos para o deserto pelo caminho do mar Vermelho, como o Senhor me havia ordenado. E por muitos anos caminhamos em redor dos montes de Seir.

Deuteronômio 2:2
Então o Senhor me disse:

Deuteronômio 2:3
“Vocês já caminharam bastante tempo ao redor destas montanhas;
agora vão para o norte.

O Senhor testou os filhos de Israel neste regresso a Cades onde eles falharam anteriormente e permitiu que as águas secassem para provar sua fé. Afinal a ordem era ‘vão para o norte’. Em 1920, a mesma mensagem de Mineápolis froi pregada e de novo o movimento do advento falhou.



Taylor Bunch em The Exodus in Type and Antitype
“Quando os hebreus ficaram sedentos e não puderam achar água, tornaram-se impacientes e não se lembraram do poder de Deus que, quase quarenta anos antes, lhes tirara água da rocha. Em vez de confiarem em Deus, queixaram-se de Moisés e Arão, e disseram-lhes: ‘Oxalá tivéssemos perecido quando expiraram nossos irmãos perante o Senhor!’ Isto é, desejaram ter estado no
número que tinha sido destruído pela praga na
rebelião de Coré, Datã e Abirão.”
Ellen G. White em A História da Redenção, 164.
A segunda falha em Cades e o recuo de Canaã produziram depressão espiritual. Até Moisés ficou espiritualmente deprimido e isso levou à sua impaciência. Moisés pecou contra Deus ao atribuir o poder de fazer jorrar água da rocha a si mesmo. Por causa deste pecado não lhe foi permitido entrar na terra prometida. Arão morreu e foi enterrado no Mt. Hor, e Moisés no Mt. Nebo. Marchando rumo ao norte a partir do Mt. Hor, o povo passou pelo deserto de Sim ao redor de Edom.

“Se o povo houvesse confiado em Deus, ao ser trazido à prova, o Capitão da hoste do Senhor tê-los-ia levado através de Edom, e o temor deles teria repousado sobre os habitantes da terra, de modo que, em vez de manifestarem hostilidade, ter-lhes-iam mostrado favor. Mas os israelitas não agiram de pronto conforme a Palavra de Deus, e, enquanto estavam a queixar-se e murmurar, passou-se a áurea oportunidade. Quando finalmente estavam prontos para apresentar ao rei seu pedido, este não foi atendido. Sempre, desde que saíram do Egito, estivera Satanás constantemente em atividade para lançar estorvos e tentações em seu caminho, a fim de não herdarem Canaã. E pela sua incredulidade lhe haviam repetidas vezes aberto a porta, para resistir ao propósito de Deus. “

Ellen G. White em Patriarcas e Profetas, 307.
Ao jornadearmos ao redor de Edom em um tempo de sequidão econômica e incerteza financeira, será que também ficaremos deprimidos e murmuraremos? Jesus nunca esteve deprimido porque não conhecia pecado. Desencorajamento leva a criticismo.

Números 21:4
Então partiram do monte Hor, pelo caminho do Mar Vermelho, a rodear a terra de Edom; porém
a alma do povo angustiou-se por causa do caminho
(KJV).

www.clker.com
Continuando sua jornada em direção ao Sul, estendia-se seu itinerário através de um vale quente, arenoso, destituído de sombra ou vegetação. O caminho parecia longo e difícil, e sofriam cansaço e sede. De novo não puderam suportar a prova de sua fé e paciência. Ocupando-se continuamente com o lado tenebroso de suas experiências, separaram-se mais e mais de Deus. Perderam de vista que, caso não houvessem murmurado quando cessou a água em Cades, ter-lhes-ia sido poupada a jornada
em redor de Edom. Deus tivera o propósito de melhores coisas para eles. Devia
ter-se-lhes enchido de gratidão o coração para com Ele, por haver-lhes punido de
modo tão leve o pecado. Mas, em vez disto, lisonjeavam-se de que, se Deus e
Moisés não houvessem intervindo, poderiam agora estar de posse da Terra
Prometida. Depois de trazerem sobre si dificuldades, tornando sua sorte muito
mais rigorosa do que era intuito de Deus, a Ele atribuíram todos os seus
infortúnios. Assim alimentavam amargos pensamentos com relação
ao Seu trato para com eles, e finalmente ficaram descontentes
com tudo. O Egito parecia-lhes brilhante e mais desejável do
que a liberdade, e do que a terra para a qual Deus os estava
guiando.
Ellen G. White em Patriarcas e Profetas, 312.
1 Coríntios 10:9
E não tentemos a Cristo, como alguns deles também tentaram, e pereceram pelas serpentes.

1 Coríntios 10:10
E não murmureis, como também alguns deles murmuraram, e pereceram pelo destruidor.

1 Coríntios 10:11
Ora, tudo isto lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos.

1 Coríntios 10:12
Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia.

Tiago 3:6
A língua também é um fogo; como mundo de iniquidade, a língua está posta entre os nossos membros, e contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, e é inflamada pelo inferno.

Tiago 3:7
Porque toda a natureza, tanto de bestas feras como de aves, tanto de répteis como de animais do mar, se amansa e foi domada pela natureza humana;

Tiago 3:8
Mas nenhum homem pode domar a língua. É um mal que não se pode refrear; está cheia de peçonha mortal.

Tiago 3:9
Com ela bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus.

Tiago 3:10
De uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim.

Números 21:4
Então partiram do monte Hor, pelo caminho do Mar Vermelho, a rodear a terra de Edom; porém a alma do povo angustiou-se naquele caminho.

Números 21:5
E o povo falou contra Deus e contra Moisés: Por que nos fizestes subir do Egito para que morrêssemos neste deserto? Pois aqui nem pão nem água há; e a nossa alma tem fastio deste pão tão vil.

Números 21:6
Então o SENHOR mandou entre o povo serpentes ardentes, que picaram o povo; e morreu muita gente em Israel.

Números 21:7
Por isso o povo veio a Moisés, e disse:
Havemos pecado
porquanto
temos falado contra o SENHOR
e
contra ti; ora ao SENHOR que tire de nós estas serpentes.
Então Moisés orou pelo povo.

Números 21:8
E disse o SENHOR a Moisés:
Faze-te uma serpente ardente
, e
põe-na sobre uma haste
; e será que
viverá todo o que, tendo sido picado, olhar para ela.

Números 21:9
E
Moisés fez uma serpente de metal,
e
pôs ela sobre uma haste
; e sucedia que, picando alguma serpente a alguém, quando esse olhava para a serpente de latão, vivia.

Latão é uma liga de cobre e zinco, simbolizando a natureza divina e humana de Cristo.


1 Timóteo 3:16
E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Deus se manifestou em carne, foi justificado no Espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo, recebido acima na glória.

Deuteronômio 21:22

Quando também em alguém houver pecado, digno do juízo de morte, e for morto, e o pendurares num madeiro,

Deuteronômio 21:23

O seu cadáver não permanecerá no madeiro, mas certamente o enterrarás no mesmo dia; porquanto o pendurado é maldito de Deus; assim não contaminarás a tua terra, que o SENHOR teu Deus te dá em herança.

Deuteronômio 8:14

Se eleve o teu coração e te esqueças do SENHOR teu Deus, que te tirou da terra do Egito, da casa da servidão;

Deuteronômio 8:15

Que te guiou por aquele grande e terrível deserto de serpentes ardentes, e de escorpiões, e de terra seca, em que não havia água; e tirou água para ti da rocha pederneira;

Deuteronômio 8:16

Que no deserto te sustentou com maná, que teus pais não conheceram; para te humilhar, e para te provar, para no fim te fazer bem;


Deuteronômio 8:17

E digas no teu coração: A minha força, e a fortaleza da minha mão, me adquiriu este poder.

“Foi divinamente ordenado a Moisés fazer uma serpente de metal, assemelhando-se às serpentes vivas, e erguê-la entre o povo. Para esta todos os que haviam sido feridos deviam olhar, e encontrariam alívio. Ele assim fez, e repercutiu por todo o acampamento a alegre notícia de que todos os que houvessem sido mordidos poderiam olhar para a serpente de metal e viver. Muitos já haviam morrido e, quando Moisés ergueu a serpente sobre a haste, alguns não queriam crer que meramente o olhar para a figura de metal os curaria; estes pereceram em sua incredulidade. Muitos havia, contudo, que tinham fé no meio que Deus provera. Pais, mães, irmãos e irmãs estavam ansiosamente empenhados em ajudar amigos sofredores e moribundos a fixar na serpente seus desfalecidos olhares. Se estes, embora abatidos e moribundos, tão-somente pudessem olhar uma vez, eram perfeitamente restabelecidos.”

Ellen G. White em Patriarcas e Profetas, 313
“O levantamento da serpente de bronze deveria ensinar a Israel uma importante lição. Não poderiam salvar a si mesmos dos efeitos fatais do veneno em seus ferimentos. Apenas Deus os poderia curar. Contudo exigia-se-lhes mostrar fé no meio que Ele provera. Deviam olhar, a fim de viverem. A sua fé é que era aceitável diante de Deus; e, olhando a serpente, mostravam a sua fé. Sabiam que não havia virtude na serpente mesma, mas era ela um símbolo de Cristo; e a necessidade de fé em Seus méritos era-lhes assim apresentada ao espírito. Até ali muitos haviam trazido suas ofertas a Deus, e entendiam que assim fazendo efetuavam uma ampla expiação por seus pecados. Não depositavam sua confiança no Redentor vindouro, de quem essas ofertas eram apenas um tipo. O Senhor queria agora ensinar-lhes que seus sacrifícios em si mesmos, não tinham mais poder nem virtude do que a serpente de bronze, mas deviam, como aquela, dirigir a mente a Cristo, a grande oferta pelo pecado.”

Ellen G. White em Patriarcas e Profetas, 313.
“O povo bem sabia que na serpente de metal não havia poder para causar tal mudança nos que a contemplavam. A virtude curadora provinha de Deus tão-somente. Em Sua sabedoria, escolheu Ele este meio de demonstrar Seu poder. Por essa maneira simples o povo foi levado a reconhecer que aquele mal lhes fora acarretado por seus pecados. Foi-lhes também afirmado que, enquanto obedecessem a Deus, não tinham motivo para temer; pois Ele os preservaria.”
O levantamento da serpente de bronze deveria ensinar a Israel uma importante lição. Não poderiam salvar a si mesmos dos efeitos fatais do veneno em seus ferimentos. Apenas Deus os poderia curar. Contudo exigia-se-lhes mostrar fé no meio que Ele provera. Deviam olhar, a fim de viverem. A sua fé é que era aceitável diante de Deus; e, olhando a serpente, mostravam a sua fé.

Ellen G. White em Patriarcas e Profetas, 314.
“Sabiam que não havia virtude na serpente mesma, mas era ela um símbolo de Cristo; e a necessidade de fé em Seus méritos era-lhes assim apresentada ao espírito. Até ali muitos haviam trazido suas ofertas a Deus, e entendiam que assim fazendo efetuavam uma ampla expiação por seus pecados. Não depositavam sua confiança no Redentor vindouro, de quem essas ofertas eram apenas um tipo. O Senhor queria agora ensinar-lhes que seus sacrifícios em si mesmos, não tinham mais poder nem virtude do que a serpente de bronze, mas deviam, como aquela, dirigir a mente a Cristo, a grande oferta pelo pecado.”
Ellen G. White em Patriarcas e Profetas, 314.
"As serpentes venenosas que infestavam o deserto foram chamadas serpentes ardentes, por causa dos terríveis efeitos produzidos por sua mordedura, que causava inflamação violenta e morte rápida. Removendo-se de Israel a mão protetora de Deus, grande número de pessoas foram atacadas por esses animais venenosos."

Ellen G. White em Patriarcas e Profetas, 313.
As serpentes eram símbolos de Satanás cuja picada e veneno são o pecado.

“O inimigo hoje compra indivíduos a preço bem baixo. ‘Por nada fostes vendidos’ (Isaías 52:3) é a linguagem das Escrituras. Um vende a alma pelos aplausos do mundo, outro por dinheiro; um para satisfazer a paixões baixas, outro por diversões mundanas. Essas transações são efetuadas diariamente. Satanás faz ofertas por aqueles que são aquisição do sangue de Cristo, e compra-os a baixo preço, apesar do preço infinito pago pelo seu resgate. Possuímos grandes bênçãos e privilégios. Podemos adquirir os mais valiosos tesouros celestiais. Lembrem-se os pastores e o povo de que a verdade do evangelho, quando não salva, leva à ruína. A pessoa que se recusa a escutar dia a dia os convites da misericórdia, cedo poderá ouvir os mais urgentes apelos sem que uma emoção lhe agite o coração.

Ellen G. White em Testemunhos para a Igreja, 134-134.
“Muitos não querem aceitar a Cristo antes que lhes fique claro todo o mistério do plano da salvação. Recusam o olhar da fé, embora vejam que milhares têm olhado para a cruz de Cristo e sentido a eficácia desse olhar. Muitos vagueiam nos labirintos da filosofia, em busca de razões e provas que nunca encontrarão, ao mesmo tempo que rejeitam as provas que Deus foi servido dar-lhes. Recusam-se a andar na luz do Sol da Justiça, antes que lhes seja explicada a razão de seu resplendor. Todos quantos persistirem nesta atitude deixarão de chegar ao conhecimento da verdade. Deus nunca removerá todo o motivo para a dúvida. Ele dá prova suficiente sobre que basear a fé e, se isto não é aceito, a mente é deixada em trevas. Se aqueles que foram picados pelas serpentes se tivessem detido para duvidar e discutir antes de se resolverem a olhar, teriam perecido. Temos o dever, primeiramente, de olhar; e o olhar de fé nos dará vida.”

Ellen G. White em Patriarcas e Profetas, 315.
2 Coríntios 3:18
Mas todos nós, com rosto descoberto, contemplando como por espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor (KJV ingês).

2 Coríntios 3:18
E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito (ARA).

2 Coríntios 3:18
E nós, que com a face descoberta todos refletimos a glória do Senhor, segundo a sua imagem estamos sendo transformados com glória cada vez maior, a qual vem do Senhor, que é o Espírito (NVI inglês)



João 6:40
De fato, a vontade de meu Pai é que todo homem que vir o Filho e nele crer tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.


João 12:32
E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo.

João 3:14
E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado;

“Paulo procurou dirigir a mente de seus ouvintes para o grande sacrifício pelo pecado. Apontou aos sacrifícios que constituíam sombra dos bens futuros, e apresentou, então, a Cristo como o antítipo de todas essas cerimônias — o objeto para o qual elas apontavam como a única fonte de vida e esperança para o homem caído. Santos homens do passado foram salvos pela fé no sangue de Cristo. Ao contemplarem as agonias de morte das vítimas sacrificais, olhavam através dos séculos para o Cordeiro de Deus que devia tirar o pecado do mundo.”

Ellen G. White em Atos dos Apóstolos, 237.
“A obra da redenção envolve consequências das quais é difícil ao homem ter qualquer concepção. ‘As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem são as que Deus preparou para os que O amam.’ 1 Coríntios 2:9. Aproximando-se o pecador da cruz erguida, e prostrando-se junto à mesma, atraído pelo poder de Cristo, dá-se uma nova criação. É-lhe dado um novo coração. Torna-se uma nova criatura em Cristo Jesus. A santidade acha que nada mais há para requerer. Deus mesmo é “justificador daquele que tem fé em Jesus”. Romanos 3:26. E “aos que justificou, a esses também glorificou”. Romanos 8:30. Grande como seja a vergonha e degeneração pelo pecado ainda maior será a honra e exaltação pelo amor redentor. Aos seres humanos que lutam por conformidade com a imagem divina, será concedido um suprimento do tesouro celeste, uma excelência de poder que os colocarão acima dos próprios anjos que jamais caíram.”

Ellen G. White em Parábolas de Jesus, 82.
“Quando os homens e mulheres puderem compreender mais plenamente a magnitude do grande sacrifício feito pela Majestade do Céu em morrer em lugar do homem, então será magnificado o plano da salvação, e as reflexões sobre o Calvário despertarão ternas, sagradas e vivas emoções no espírito cristão. Terão no coração e nos lábios louvores a Deus e ao Cordeiro. Orgulho e egoísmo não podem florescer no coração que guarda vivas na memória as cenas do Calvário. De pouco valor se assemelhará este mundo aos que apreciam o grande preço da redenção humana, o precioso sangue do querido Filho de Deus. Nem toda a riqueza do mundo é suficiente em valor para redimir uma pessoa a perecer. Quem pode medir o amor experimentado por Cristo para com um mundo perdido, ao pender Ele da cruz, sofrendo pelas culpas dos pecadores? Este amor foi imenso, infinito.”
Ellen G. White em Testemunhos para a Igreja, vol. 2, p. 212
“Se os que hoje estão ensinando a Palavra de Deus, exaltassem a
cruz de Cristo mais e mais,
haveria muito maior sucesso
em seu ministério. Se os
pecadores forem levados
a contemplar com fervor
a cruz, se alcançarem
visão ampla do Salva-
dor crucificado, reco-
nhecerão a profun-
deza da compaixão
de Deus e a mali-
gnidade do pe-
cado.”

“Sem a cruz não teria o homem união com o Pai. Dela depende toda a nossa esperança. Daí brilha a luz do amor do Salvador; e quando ao pé da cruz o pecador contempla Aquele que morreu para salvá-lo, pode rejubilar-se com grande alegria, pois seus pecados estão perdoados. Ao ajoelhar-se em fé junto à cruz, alcança ele o mais alto lugar que o homem pode atingir.”

Ellen G. White em Atos dos Apóstolos, 116.
Ellen G. White em Atos dos Apóstolos, 116.

Gálatas 2:20
Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.

Gálatas 6:14
Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo.

Na nossa caminhada rumo a Sião, a esterelidade espiritual no deserto nos levará a Cristo, nossa única esperança. Quando esta mensagem for compreendida, então chegaremos no fim de nossa jornada. Os que desviaram o olhar da cruz foram picados pelas serpentes. Olhando e recebendo vida, obtiveram poder para a vitória em Canaã.

1 João 5:4
Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé.

1 João 5:5
Quem é que vence o mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus?

A Mensagem de Justificação pela Fé

“Em Sua grande misericórdia, enviou o Senhor preciosa mensagem a Seu povo por intermédio dos Pastores Waggoner e Jones. Esta mensagem devia pôr de maneira mais preeminente diante do mundo o Salvador crucificado, o sacrifício pelos pecados de todo o mundo. Apresentava a justificação pela fé no Fiador; convidava o povo para receber a justiça de Cristo, que se manifesta na obediência a todos os mandamentos de Deus. Muitos perderam Jesus de vista. Deviam ter tido o olhar fixo em Sua divina pessoa, em Seus méritos e em Seu imutável amor pela família humana. Todo o poder foi entregue em Suas mãos, para que Ele pudesse dar ricos dons aos homens, transmitindo o inestimável dom de Sua justiça ao impotente ser humano. Esta é a mensagem que Deus manda proclamar ao mundo. É a terceira mensagem angélica que deve ser proclamada com alto clamor e regada com o derrama-
mento de Seu Espírito Santo em grande medida.”

Ellen G. White em Testemunho para Ministros, 91.
“O Salvador crucificado deve aparecer em Sua eficaz obra como o Cordeiro sacrificado, sentado no trono, para dispensar as inestimáveis bênçãos do concerto, os benefícios que Sua morte concederia a cada alma que nEle cresse. João não podia exprimir em palavras esse amor; era profundo e amplo demais; ele apela à família humana para que o contemple. Cristo intercede pela igreja nas cortes celestiais, lá em cima, rogando por aqueles por quem pagou o preço da redenção — Seu próprio sangue. Os séculos, o tempo, nunca poderão diminuir a eficácia de Seu sacrifício expiatório. A mensagem do evangelho de Sua graça devia ser dada à igreja em linhas claras e distintas, para que não mais o mundo dissesse que os adventistas do sétimo dia falam na lei, na lei, mas não ensinam a Cristo nem nEle crêem.”
Ellen G. White em Testemunho para Ministros, 92.

“Meus irmãos no ministério, busquem a Jesus com toda a humildade e mansidão. Não procurem atrair a atenção do povo para vocês. Percam eles de vista o instrumento, enquanto exaltam a Jesus. Falem em Jesus; percam nEle o próprio eu. Há por demais ruído e comoção acerca de nossa religião, ao passo que permanecem esquecidos o Calvário e a cruz.
Estamos no maior dos perigos quando recebemos louvor uns dos outros, quando nos unimos para exaltar-nos mutuamente. A grande preocupação dos fariseus era assegurar o louvor dos homens; e disse-lhes Cristo que era essa toda a recompensa que iriam acabar recebendo. Empenhemo-nos no trabalho que nos é designado, e cumpramo-lo como para Cristo; se sofrermos privações, seja por amor dEle. Nosso divino Senhor Se aperfeiçoou através do sofrimento. Oh! quando veremos pessoas trabalhando como Ele trabalhou!”
Ellen G. White em Testemunhos para a Igreja, vol. 5, p.133
Por duas vezes o movimento do Êxodo não pôde entrar por causa de incredulidade. Só se pode vencer a picada da serpente se procurarmos o remédio fora de nós mesmos. Precisamos voltar nossas costas espirituais para o Egito e nossos rostos em direção a Canaã. Esta alegre jornada está descrita nas seguintes palavras.

Números 21:9

E Moisés fez uma serpente de metal, e pó-la sobre uma haste; e sucedia que, picando alguma serpente a alguém, quando esse olhava para a serpente de metal, vivia.

Números 21:10
Então os filhos de Israel partiram, e
alojaram-se em Obote.

Números 21:11
Depois partiram de Obote e
alojaram-se nos outeiros de Ije-Abarim, no deserto
que está defronte de Moabe, ao nascente do sol.

Números 21:12
Dali partiram, e alojaram-se junto ao ribeiro de Zerede.

Números 21:13
E dali partiram e alojaram-se no lado de Arnom,
que está no deserto e sai dos termos dos amorreus; porque Arnom
é o termo de Moabe, entre Moabe e os amorreus.

Números 21:14
Por isso se diz no livro das guerras do SENHOR:
O que fiz no Mar Vermelho e nos ribeiros de Arnom,

Números 21:15
E à corrente dos ribeiros, que descendo para
a situação de Ar, se encosta aos termos de Moabe.

Números 21:16
E dali partiram para Beer; este é o poço do qual
o SENHOR disse a Moisés: Ajunta o povo e lhe darei água.

Números 21:17
Então Israel cantou este cântico: Brota,
ó poço! Cantai dele:

Números 21:18
Tu, poço, que cavaram os príncipes, que escavaram os nobres do povo, e o legislador com os seus bordões; e do deserto partiram para Mataná;

Números 21:19
E de Mataná a Naaliel, e de Naaliel a Bamote.

Números 21:20
E de Bamote ao vale que está no campo de Moabe, no cume de Pisga, e à vista do deserto.
Números 21:21
Então
Israel mandou mensageiros a Siom
, rei dos amorreus, dizendo:

Números 21:22

Deixa-me passar pela tua terra
; não nos desviaremos pelos campos nem pelas vinhas; as águas dos poços não beberemos; iremos pela estrada real até que passemos os teus termos.

Números 21:23
Porém Siom não deixou passar a Israel pelos seus termos; antes Siom congregou todo o seu povo, e saiu ao encontro de Israel no deserto, e veio a Jaza, e
pelejou contra Israel.


Números 21:24

Mas Israel o feriu ao fio da espada
, e
tomou a sua terra em possessão, desde Arnom até
Jaboque, até aos filhos de Amom; porquanto o termo dos
filhos de Amom era forte.

Números 21:25
Assim Israel tomou todas as cidades; e habitou
em todas elas, em Hesbom e em todas as suas aldeias.

Números 21:26
Porque Hesbom era cidade de Siom, rei dos amorreus, que tinha pelejado contra o precedente rei dos moabitas,
e tinha tomado da sua mão toda a sua terra até Arnom.

Números 21:27
Por isso dizem os que falam em provérbios: Vinde
a Hesbom; edifique-se e estabeleça-se a cidade de Siom.

Números 21:28
Porque fogo saiu de Hesbom, e uma chama da cidade de Siom; e consumiu a Ar dos moabitas, e os senhores dos altos de Arnom.

Números 21:29
Ai de ti, Moabe! perdido és, povo de Quemós! entregou seus filhos, que iam fugindo, e suas filhas, como cativas a Siom, rei dos amorreus.

Números 21:30
E nós os derribamos; Hesbom perdida é até Dibom, e os assolamos até Nofá, que se estende até Medeba.

Números 21:31

Assim Israel habitou na terra dos amorreus.

Números 21:32
Depois mandou Moisés espiar a Jazer, e tomaram as suas aldeias, e daquela possessão lançaram os amorreus que estavam ali.

Números 21:33

Então viraram-se, e subiram o caminho de Basã; e Ogue, o rei de Basã, saiu contra eles, ele e todo o seu povo, à peleja em Edrei.

Números 21:34

E disse o SENHOR a Moisés: Não o temas, porque eu o tenho dado na tua mão, a ele, e a todo o seu povo, e a sua terra, e far-lhe-ás como fizeste a Siom, rei dos amorreus, que habitava em Hesbom.

Números 21:35

E de tal maneira
o feriram,
a ele e a seus filhos, e a todo o seu povo, que nenhum deles escapou; e tomaram a sua terra em possessão.

Deuteronômio 2:17
o Senhor me disse:

Deuteronômio 2:18

“Vocês estão prestes a passar pelo território de Moabe, pela região de Ar,

Deuteronômio 2:19

e vão chegar perto da fronteira dos amonitas. Não sejam hostis a eles, pois não darei a vocês parte alguma da terra dos amonitas, pois eu a entreguei aos descendentes de Ló”.

Deuteronômio 2:20
Essa região também era considerada terra dos refains, que ali habitaram no passado. Os amonitas os chamavam zanzumins.

Deuteronômio 2:21
Eram fortes, numerosos e altos como os enaquins. O Senhor os exterminou, e os amonitas os expulsaram e se estabeleceram em seu lugar.

Deuteronômio 2:22
O Senhor fez o mesmo em favor dos descendentes de Esaú que vivem em Seir, quando exterminou os horeus diante deles. Os descendentes de Esaú os expulsaram e se estabeleceram em seu lugar até hoje.

Deuteronômio 2:23
Foi o que também aconteceu aos aveus, que viviam em povoados próximos de Gaza; os caftoritas, vindos de Caftor, os destruíram e se estabeleceram em seu lugar.

Deuteronômio 2:24
Vão agora e atravessem o ribeiro do Arnom. Vejam que eu entreguei em suas mãos o amorreu Seom, rei de Hesbom, e a terra dele. Comecem a ocupação, entrem em guerra contra ele.

Deuteronômio 2:25
Hoje mesmo começarei a infundir pavor e medo de vocês em todos os povos debaixo do céu. Quando ouvirem da fama de vocês, treme­rão e ficarão angustiados.”

Deuteronômio 2:26
Do deserto de Quedemote enviei mensageiros a Seom, rei de Hesbom, oferecendo paz e dizendo:

Deuteronômio 2:27
Deixa-nos passar pela tua terra. Iremos somente pela estrada; não nos desviaremos nem para a direita nem para a esquerda.

Deuteronômio 2:28
Por prata nos venderás tanto a comida que comermos como a água que bebermos. Apenas deixa-nos passar a pé,

Deuteronômio 2:29
como fizeram os descendentes de Esaú, que habitam em Seir, e os moabitas, que habitam em Ar. Assim chegaremos ao Jordão, e, atravessando-o, à terra que o Senhor, o nosso Deus, nos dá.

Deuteronômio 2:30
Mas Seom, rei de Hesbom, não quis deixar-nos passar; pois o Senhor, o Deus de vocês, tornou-lhe obstinado o espírito e endureceu-lhe o coração, para entregá-lo nas mãos de vocês, como hoje se vê.

Deuteronômio 2:31
O Senhor me disse: “Estou entregando a você Seom e sua terra. Comece a ocupação, tome posse da terra dele!”

Deuteronômio 2:32
Então Seom saiu à batalha
contra nós em Jaza, com todo o seu exército.

Deuteronômio 2:33
Mas o Senhor, o nosso Deus, entregou-o a nós, e o derrotamos, a ele, aos seus filhos e a todo o seu exército.

Deuteronômio 2:34
Naquela ocasião conquistamos todas as suas cidades e as destruímos totalmente, matando homens, mulheres e crianças, sem deixar nenhum sobrevivente.

Deuteronômio 2:35
Tomamos como presa somente os animais e o despojo das cidades que conquistamos.

Deuteronômio 2:36
Desde Aroer, junto ao ribeiro do Arnom, e a cidade que fica no mesmo vale, até Gileade, não houve cidade de muros altos demais para nós. O Senhor, o nosso Deus, entregou-nos tudo.

Deuteronômio 3:1
Depois nos viramos e subimos o caminho de Basã; e Ogue, rei de Basã, nos saiu ao encontro, ele e todo o seu povo, à peleja em Edrei.

Deuteronômio 3:2
Então o SENHOR me disse: Não o temas, porque a ele e a todo o seu povo, e a sua terra, tenho dado na tua mão; e far-lhe-ás como fizeste a Siom, rei dos amorreus, que habitava em Hesbom.

Deuteronômio 3:3
E também o SENHOR nosso Deus nos deu na nossa mão a Ogue, rei de Basã, e a todo o seu povo; de maneira que o ferimos até que não lhe ficou sobrevivente algum.

Deuteronômio 3:4
E naquele tempo tomamos todas as suas cidades; nenhuma cidade houve que lhes não tomássemos; sessenta cidades, toda a região de Argobe, o reino de Ogue em Basã.

Deuteronômio 3:5
Todas estas cidades eram fortificadas com altos muros, portas e ferrolhos; e muitas outras cidades sem muros.

Deuteronômio 3:6
E destruímo-las como fizemos a Siom, rei de Hesbom, destruindo todas as cidades, homens, mulheres e crianças.

Deuteronômio 3:7
Porém todo o gado, e o despojo das cidades, tomamos para nós por presa.

Deuteronômio 3:8
Assim naquele tempo tomamos a terra das mãos daqueles dois reis dos amorreus, que estavam além do Jordão; desde o rio de Arnom, até ao monte de Hermom.

Deuteronômio 3:9
A Hermom os sidónios chamam Siriom; porém os amorreus o chamam Senir;

Deuteronômio 3:10
Todas as cidades do planalto, e todo o Gileade, e todo o Basã, até Salcá e Edrei, cidades do reino de Ogue em Basã.

Deuteronômio 3:11
Porque só Ogue, o rei de Basã, restou dos gigantes; eis que o seu leito, um leito de ferro, não está porventura em Rabá dos filhos de Amom? De nove cóvados, o seu comprimento, e de quatro cóvados, a sua largura, pelo cóvado comum.

Deuteronômio 3:12
Tomamos, pois, esta terra em possessão naquele tempo: Desde Aroer, que está junto ao ribeiro de Arnom,
e a metade da montanha de Gileade, com as suas cidades,
tenho dado aos rubenitas e gaditas.

Deuteronômio 3:13
E o restante de Gileade, como também
todo o Basã, o reino de Ogue, dei à meia tribo de Manassés;
toda aquela região de Argobe, por todo o Basã, se chamava
a terra dos gigantes.

Deuteronômio 3:14
Jair, filho de Manassés, alcançou toda a região de Argobe, até ao termo dos gesuritas, e maacatitas, e a chamou de seu nome, Havote-Jair até este dia.

Deuteronômio 3:15
E a Maquir dei Gileade.

Deuteronômio 3:16
Mas aos rubenitas e gaditas dei desde Gileade até ao ribeiro de Arnom, cujo meio serve de limite;
e até ao ribeiro de Jaboque, o termo dos filhos de Amom.

Deuteronômio 3:17
Como também a campina, e o Jordão
por termo; desde Quinerete até ao mar da campina, o Mar Salgado, abaixo de Asdote-Pisga para o oriente.

Quando a mensagem de Cristo, nossa esperança, é dada, nossa jornada está quase no seu fim.

Números 13:25

E eles voltaram de espiar a terra, ao fim de quarenta dias.

Números 13:26
E caminharam, e vieram a Moisés e a Arão, e a toda a congregação dos filhos de Israel no deserto de Parã, em Cades; e deram-lhes notícias, a eles, e a toda a congregação, e mostraram-lhes o fruto da terra.

Números 13:27
E contaram-lhe, e disseram: Fomos à terra a que nos enviaste; e verdadeiramente mana leite e mel, e este é o seu fruto.

Números 13:28
O povo, porém, que habita nessa terra é poderoso, e as cidades fortificadas e mui grandes;
e também ali vimos os filhos de Enaque.

Números 13:31
Porém, os homens que com ele subiram disseram: Não poderemos subir contra aquele povo, porque é mais forte do que nós.

Números 13:32
E infamaram a terra que tinham espiado, dizendo aos filhos de Israel: A terra, pela qual passamos a espiá-la, é terra que consome os seus moradores; e todo o povo que vimos nela são homens de grande estatura.

Números 13:33
Também vimos ali gigantes, filhos de Enaque, descendentes dos gigantes; e éramos aos nossos olhos como gafanhotos, e assim também éramos aos seus olhos.

Os dez espias perderam a esperança porque
o gigante Anaque era o pai da raça dos gigantes chamados enaquitas. O medo de gigantes atrasou
os israelitas. O medo dos gigantes hoje nos está atrasando. Os gigantes são as ideologias e poderes de hoje (evolução, a besta, o falso profeta, a imagem da besta). Em 1888 estes gigantes eram pequenos comparados a hoje, e somente uma fé proporcional à tarefa os pode vencer agora. Mas como Israel os venceu na segunda tentativa, assim nós também o podemos fazer.

Zacarias 4:6 E respondeu-me, dizendo: Esta é a palavra do SENHOR a Zorobabel, dizendo: Não por força nem por violência, mas sim pelo meu Espírito, diz o
SENHOR dos Exércitos.

Deuteronômio 3:1
Depois nos viramos e subimos o caminho de Basã; e Ogue, rei de Basã, nos saiu ao encontro, ele e todo o seu povo, à peleja em Edrei.

Deuteronômio 3:2
Então o SENHOR me disse: Não o temas, porque a ele e a todo o seu povo, e a sua terra, tenho dado na tua mão; e far-lhe-ás como fizeste a Seom, rei dos amorreus,
que habitava em Hesbom.

Deuteronômio 3:3
E também o SENHOR nosso Deus nos deu na nossa mão a Ogue, rei de Basã, e a todo o seu povo; de maneira que o ferimos até que não lhe ficou sobrevivente algum.

Ogue, rei de Basã, era um gigante. Sua cama media quase 4 x 1.8 metros.

O Senhor os teria derrotado 38 anos antes, se tivessem confiado nEle.

“Depois de passarem para o sul de Edom, os israelitas voltaram-se para o norte, e novamente volveram o rosto em direção à Terra Prometida. Seu caminho agora se estendia por uma planície vasta, elevada, batida pelas aragens frescas e agradáveis das colinas. Foi isto uma mudança oportuna do vale ressequido através do qual tinham estado a viajar; e avançaram eufóricos e esperançosos. Tendo atravessado o ribeiro Zerede, passaram para o oriente da terra de Moabe; pois tinha sido dada esta ordem: ‘Não molestes a Moabe, e não contendas com eles em peleja, porque te não darei herança da sua terra; porquanto tenho dado Ar aos filhos de Ló’. Deuteronômio 2:9. E a mesma determinação foi repetida com relação aos amonitas, que também eram descendentes de Ló.”
Ellen G. White em Patriarcas e Profetas, 316 (ênfase acrescentada).
A Destruição dos Amoritas

“Ainda avançando para o norte, as hostes de Israel logo chegaram ao país dos amorreus. Este povo forte e belicoso ocupava originariamente a parte sul da terra de Canaã; mas, aumentando em número, atravessaram o Jordão, fizeram guerra aos moabitas, e obtiveram posse de parte de seu território. Ali se fixaram, mantendo domínio indiscutível por toda a terra, desde o Arnom para o norte até o Jaboque. O caminho para o Jordão, pelo qual os israelitas desejavam prosseguir, estendia-se diretamente através deste território, e Moisés enviou uma mensagem amigável a Seom, o rei amorreu, em sua capital: “Deixa-me passar pela tua terra; somente pela estrada irei; não me desviarei para a direita nem para a esquerda. A comida que eu coma, vender-ma-ás por dinheiro, e dar-me-ás por dinheiro a água que beba; tão-somente deixa-me passar a pé”. Deuteronômio 2:27, 28. A resposta foi uma decidida recusa; e todos os exércitos dos amorreus foram convocados para se oporem à marcha dos invasores.

Ellen G. White em Patriarcas e Profetas, 316.


“Esse formidável exército aterrorizou os israelitas, que estavam mal preparados para um encontro com forças bem armadas e disciplinadas. Tanto quanto dizia respeito à arte da guerra, os seus inimigos tinham a vantagem. Segundo toda a aparência humana, Israel teria um fim imediato.
Mas Moisés conservava seu olhar fixo na coluna de nuvem, e incentivava o povo com o pensamento de que o sinal da presença de Deus ainda estava com eles. Ao mesmo tempo determinou-lhes fazerem tudo que a força humana podia fazer no preparo para a guerra. Seus inimigos estavam ávidos de batalhar, e confiantes em que exterminariam da terra os israelitas, que não estavam preparados. Mas, do Possuidor de toda a Terra, havia saído a ordem para o líder de Israel: ‘Levantai-vos, parti e passai o ribeiro de Arnom; eis aqui na tua mão tenho dado Seom, amorreu, rei de Hesbom, e a sua terra; começa a possuí-la, e contende com eles em peleja. Este dia começarei a pôr um terror e um temor de ti diante dos povos que estão debaixo de todo o céu; os que ouvirem a tua fama tremerão diante de ti e se angustiarão’”.


“Essas nações nas fronteiras de Canaã teriam sido poupadas, caso não se houvessem levantado em desafio à palavra de Deus para se oporem à marcha de Israel. O Senhor Se mostrara longânimo, de grande bondade e terna piedade, mesmo para com esses povos gentílicos. Quando a Abraão foi mostrado em visão que sua semente, os filhos de Israel, seriam estrangeiros em terra estranha, durante quatrocentos anos, o Senhor lhe fez uma promessa: “A quarta geração tornará para cá; porque a medida da injustiça dos amorreus não está ainda cheia”. Gênesis 15:16. Embora os amorreus fossem idólatras e houvessem com justiça perdido o direito à vida por causa de sua grande impiedade, Deus os poupou durante quatrocentos anos para dar-lhes prova inequívoca de que Ele era o único verdadeiro Deus, o Criador do céu e da Terra. Todos os Seus prodígios ao tirar Israel do Egito eram deles conhecidos. Prova suficiente fora dada; eles poderiam ter conhecido a verdade, caso tivessem estado dispostos a volver de sua idolatria e licenciosidade. Mas rejeitaram a luz e apegaram-se a seus ídolos.”

Ellen G. White em Patriarcas e Profetas, 317.

A jornada ao redor de Edom custou a confiança de vários.

Focalize a serpente de metal, desconfie de si mesmo.
Não estamos preparados até que nos humilhemos e exaltemos a Sua glória.

“Se quiserdes ficar firmes através do tempo de angústia, tereis de conhecer a Cristo e apropriar-vos do dom de Sua justiça, que Ele atribui ao pecador arrependido. Sabedoria humana não será de utilidade para divisar um plano de salvação. A filosofia humana é vã, os frutos dos poderes mais elevados do homem não têm valor, afastados do grande plano do divino Mestre. Nenhuma glória deve ser atribuída ao homem; toda ajuda e glória humana está no pó; porque a verdade como ela é em Jesus é o único agente disponível pelo qual o homem seja salvo. O homem tem o privilégio de se unir a Cristo, e então o divino e o humano se combinam; é somente nesta união que a esperança do homem tem que repousar; porque é à medida que o Espírito de Deus toca a alma que os poderes da mesma são vivificadas, e o homem torna-se uma nova criatura em Cristo Jesus. Ele se manifestou para trazer à luz vida e imortalidade. Ele diz: ‘as palavras que eu vos disse são espírito e vida.’ O salmista declara, ‘A entrada das tuas palavras dá luz, dá entendimento aos símplices.’”

Ellen G. White em RH, November 22, 1892 par. 8 (inglês).


O homem é privilegiado em se conectar com Cristo e nesta união repousa nossa única esperança.

“Justamente quão cedo começará esse processo purificador, não posso dizer, mas não será protelado por muito tempo. Aquele que tem em Sua mão o crivo de joeirar purificará Seu templo de toda a impureza moral. Limpará completamente Sua eira. Deus tem uma controvérsia com todos os que praticam a mínima injustiça; pois assim procedendo rejeitam a autoridade de Deus e põem em perigo seu interesse na expiação, a redenção que Cristo efetuou para todo o filho e filha de Adão. Valerá a pena seguir um rumo que a Deus seja aborrecível? Valerá a pena pôr fogo estranho em nossos incensários para oferecer diante de Deus, e dizer que isso não faz diferença?”

Ellen G. White em Testemunho para Ministros, 373.

“A limpeza e a purificação certamente passarão por todas as igrejas de nossa terra que têm tido grandes oportunidades e privilégios e por eles têm passado sem lhes dar atenção. Não é de mais evidências que carecem. Necessitam de corações puros e santificados para ajuntar e reter toda luz que Deus tem dado, e então andarão nessa luz.
Não precisamos dizer: ‘Os perigos dos últimos dias estão prestes a nos sobrevir.’
Eles já vieram. Necessitamos agora que a espada do Senhor corte a própria alma e a medula das concupiscências, apetites e paixões carnais. Oxalá ela penetre e divida em muito maior escala do que já o fez até aqui. Seja abatido todo o orgulho. Seja o que está seguro na carne arrancado do refúgio de mentira com que tem procurado enganar o povo de Deus. Corte ela o seu egoísmo, e abra os olhos aos cegos para que possam ver que não estão perfeitos à vista de Deus.”

Ellen G. White em Testemunho para Ministros, 414.


Atos 3:19
Arrependam-se, pois, e voltem-se para Deus, para que os seus pecados sejam cancelados,

Atos 3:20
para que venham tempos de descanso da parte do Senhor, e ele mande o Cristo, o qual lhes foi designado, Jesus.

Atos 3:21
É necessário que ele permaneça no céu até que chegue o tempo em que Deus restaurará todas as coisas, como falou há muito tempo, por meio dos seus santos profetas.

“Apesar do generalizado declínio da fé e da piedade, há verdadeiros seguidores de Cristo nestas igrejas. Antes de os juízos finais de Deus caírem sobre a Terra, haverá, entre o povo do Senhor, tal avivamento da primitiva piedade como não fora testemunhado desde os tempos apostólicos. O Espírito e o poder de Deus serão derramados sobre Seus filhos. Naquele tempo muitos se separarão das igrejas em que o amor deste mundo suplantou o amor a Deus e à Sua Palavra. Muitos, tanto pastores como leigos, aceitarão alegremente as grandes verdades que Deus providenciou fossem proclamadas no tempo presente, a fim de preparar um povo para a segunda vinda do Senhor. O inimigo das almas deseja estorvar esta obra; e antes que chegue o tempo para tal movimento, esforçar-se-á para impedi-la, introduzindo uma contrafação. Nas igrejas que puder colocar sob seu poder sedutor, fará parecer que a bênção especial de Deus foi derramada; manifestar-se-á o que será considerado como grande interesse religioso. ...

“Multidões exultarão de que Deus esteja operando maravilhosamente por elas, quando a obra é de outro espírito. Sob o disfarce religioso, Satanás procurará estender sua influência sobre o mundo cristão.”

Ellen G. White em O Grande Conflito, 464

“Embora em muitos sentidos nossas instituições de ensino tenham adotado o conformismo com o mundo; embora tenham em direção a ele avançado passo a passo, são ainda “prisioneiros de esperança”. Zacarias 9:12.

A fatalidade não teceu suas malhas em torno
de suas atividades a tal ponto que tenham de permanecer impotentes e na incerteza. Se derem ouvidos a Sua voz, e seguirem em Seus caminhos, Deus os corrigirá e ensinará, e os trará de volta a sua exata posição de distinção do mundo. Quando se discernir a vantagem de trabalhar fundamentado nos princípios cristãos, quando o eu estiver escondido em Cristo, se fará progresso muito maior, pois cada obreiro sentirá sua própria fraqueza humana; ele suplicará de Deus sabedoria e graça, e receberá o divino auxílio prometido para cada emergência.”


Ellen G. White em Testemunhos para a Igreja, vol. 6, p. 145.

“Quando os que atingiram a idade da juventude e da varonilidade não vêem diferença alguma entre nossas escolas e os colégios do mundo, e não têm preferência no tocante a qual deles irão frequentar, embora o erro seja ensinado por preceito e exemplo nas escolas do mundo, é então necessário examinar acuradamente as razões que conduzem a semelhante conclusão. Nossas instituições de ensino podem pender para a conformidade mundana. Podem avançar passo a passo em direção ao mundo; são, porém, prisioneiros de esperança, e Deus as corrigirá e iluminará, trazendo-as de volta à sua honrada posição de separação do mundo. Estou observando com intenso interesse, esperando ver nossas escolas completamente imbuídas do espírito de religião pura e sem mácula. ...

“Quando estiverem assim imbuídos, os estudantes verão que há uma grande obra a ser feita segundo as normas de acordo com as quais Cristo trabalhava, e o tempo que eles têm dedicado às diversões será empregado para a realização de diligente trabalho missionário. Procurarão fazer o bem a todos quantos se acham ao seu redor, erguer almas curvadas em desalento e iluminar os que estão nas trevas do erro. Revestir-se-ão do Senhor Jesus Cristo e nada disporão para a carne, no tocante às suas concupiscências.”
Ellen G. White em Fundamentos da Educação Cristã, 290.
O cativeiro terminará

Isaías 52:1
Desperta, desperta, veste-te da tua fortaleza, ó Sião; veste-te das tuas roupas formosas, ó Jerusalém, cidade santa, porque nunca mais entrará em ti nem incircunciso nem imundo.

Isaías 52:2
Sacode-te do pó, levanta-te, e assenta-te, ó Jerusalém: solta-te das cadeias de teu pescoço, ó cativa filha de Sião.

Isaías 52:3
Porque assim diz o SENHOR: Por nada fostes vendidos; também sem dinheiro sereis resgatados.

Isaías 52:4
Porque assim diz o Senhor DEUS: O meu povo em tempos passados desceu ao Egito, para peregrinar lá, e a Assíria sem razão o oprimiu.

Isaías 52:5
E agora, que tenho eu que fazer aqui, diz o SENHOR, pois o meu povo foi tomado sem nenhuma razão? Os que dominam sobre ele dão uivos, diz o SENHOR; e o meu nome é blasfemado incessantemente o dia todo.

Isaías 52:6
Portanto o meu povo saberá o meu nome; pois, naquele dia, saberá que sou eu mesmo o que falo: Eis-me aqui.

Isaías 52:7
Quão formosos são, sobre os montes, os pés do que anuncia as boas novas, que faz ouvir a paz, do que anuncia o bem, que faz ouvir a salvação, do que diz a Sião: O teu Deus reina!

Isaías 52:8
Eis a voz dos teus atalaias! Eles alçam a voz, juntamente exultam; porque olho a olho verão, quando o SENHOR fizer Sião voltar.

Isaías 52:9
Clamai cantando, exultai juntamente, desertos de Jerusalém; porque o SENHOR consolou o seu povo, remiu a Jerusalém.

Isaías 52:10
O SENHOR desnudou o seu santo braço perante os olhos de todas as nações; e todos os confins da terra verão a salvação do nosso Deus.


Miquéias 7:15
Eu lhes mostrarei maravilhas, como nos dias da tua saída da terra do Egito.

Miqueias 7:16
As nações o verão, e envergonhar-se-ão, por causa de todo o seu poder; porão a mão sobre a boca, e os seus ouvidos ficarão surdos.

Miqueias 7:17
Lamberão o pó como serpente, como vermes da terra, tremendo, sairão dos seus esconderijos; com pavor virão ao SENHOR nosso Deus, e terão medo de ti.

Miqueias 7:18
Quem é Deus semelhante a ti, que perdoa a iniquidade, e que passa por cima da rebelião do restante da sua herança? Ele não retém a sua ira para sempre, porque tem prazer na sua benignidade.

Miqueias 7:19
Tornará a apiedar-se de nós; sujeitará as nossas iniquidades, e tu lançarás todos os seus pecados nas profundezas do mar.

Miqueias 7:20
Darás a Jacó a fidelidade, e a Abraão a benignidade, que juraste a nossos pais desde os dias antigos.

“O trabalho que a igreja tem deixado de fazer em tempo de paz e prosperidade terá de realizar em terrível crise, sob as circunstâncias mais desanimadoras e difíceis. As advertências que a conformidade com o mundo tem silenciado ou retido, precisam ser dadas sob a mais feroz oposição dos inimigos da fé. E por aquele tempo a classe dos superficiais, conservadores, cuja influência tem retardado decididamente o progresso da obra, renunciará à fé e tomará sua posição com os francos inimigos dela, para os quais havia muito tendiam suas simpatias. Esses apóstatas hão de manifestar então a mais cruel inimizade, fazendo tudo quanto estiver ao seu alcance para oprimir e fazer mal a seus antigos irmãos e incitar indignação contra eles.

Ellen G. White em Testemunhos para a Igreja, vol. 5, p. 463.

“Esse tempo se acha justamente diante de nós. Os membros da igreja serão individualmente provados. Serão colocados em circunstâncias em que se verão forçados a dar testemunho da verdade. Muitos serão chamados a falar diante de concílios e em tribunais de justiça, talvez separadamente e sozinhos. A experiência que os haveria ajudado nessa emergência, negligenciaram obter, e sua alma se acha opressa de remorsos pelas oportunidades desperdiçadas e os privilégios que negligenciaram.”

“Quando as árvores infrutíferas forem cortadas como obstáculos no terreno, quando multidões de falsos irmãos forem distinguidas dos verdadeiros, então os anônimos se revelarão e com hosanas se alinharão sob a bandeira de Cristo. Aqueles que têm sido tímidos e receosos declarar-se-ão abertamente por Cristo e Sua verdade. Os mais fracos e hesitantes na igreja serão como Davi, dispostos a fazer e ousar. Quanto mais profunda a noite para o povo de Deus, mas brilhantes as estrelas. Satanás acossará intensamente os fiéis, mas em nome de Jesus eles se tornarão mais que vencedores. Então a igreja de Cristo surgirá ‘formosa como a lua, brilhante como o sol, formidável como um exército com bandeiras’. Cantares 6:10.”

Ellen G. White em Testemunhos para a Igreja, vol. 5, p. 81.


Gálatas 3:13
Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro;

Romanos 8:3
Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne;

2 Coríntios 5:20
De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamo-vos, pois, da parte de Cristo, que vos reconcilieis com Deus.

2 Coríntios 5:21
Aquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fóssemos feitos justiça de Deus.

Hebreus 2:14
E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo;

Hebreus 2:15
E livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão.

Hebreus 2:16
Porque, na verdade, ele não tomou os anjos, mas tomou a descendência de Abraão.

Hebreus 2:17
Por isso convinha que em tudo fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote naquilo que é de Deus, para expiar os pecados do povo.

Não havia veneno na serpente de metal, assim como não havia pecado em Cristo.

Mas Jesus é o antídoto que nos salva da morte. Antídoto consiste em semelhança de veneno mas está morto, assim como Cristo está morto para o pecado.

João 3:16
Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

2 Coríntios 3:18
Mas todos nós, com rosto descoberto, contemplando como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.

É preciso ter fé para aplicar o remédio.

“Ao caminharem de Hor pelo caminho do mar vermelho, para rodear a terra de Edom, ficaram muito desencorajados, e reclamaram das durezas do caminho. ‘E o povo falou contra Deus e contra Moisés: Por que nos fizestes subir do Egito para que morrêssemos neste deserto? Pois aqui nem pão nem água há; e a nossa alma tem fastio deste pão tão vil.Então o SENHOR mandou entre o povo serpentes ardentes, que picaram o povo; e morreu muita gente em Israel.Por isso o povo veio a Moisés, e disse: Havemos pecado porquanto temos falado contra o SENHOR e contra ti; ora ao SENHOR que tire de nós estas serpentes. Então Moisés orou pelo povo.E disse o SENHOR a Moisés: Faze-te uma serpente ardente, e põe-na sobre uma haste; e será que viverá todo o que, tendo sido picado, olhar para ela.E Moisés fez uma serpente de metal, e pô-la sobre uma haste; e sucedia que, picando alguma serpente a alguém, quando esse olhava para a serpente de metal, vivia.”

Ellen G. White em 1SP 314.2 (inglês).

"‘Assim diz o Senhor, o Redentor de Israel, o seu Santo, à alma desprezada, ao que as nações abominam, ... os reis O verão e se levantarão; os príncipes diante de Ti se inclinarão, por amor do Senhor, que é fiel, e do Santo de Israel, e ele te escolherá. Isaías 49:7. ‘Porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado.’ Lucas 18:14."

Ellen G. White em Parábolas de Jesus, 82.

João 3:14
E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado;

João 3:14
Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

João 3:16
Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

João 3:17
Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.

Compelidos a olhar para a serpente de metal ou morrer da picada, assim somos compelidos a olhar a Cristo nossa Justiça. Assim como o antídoto é fabricado a partir de veneno real, da mesma forma o antídoto para o pecado é Cristo que encobriu Sua glória com a semelhança de pecado. Ele participou de nossa humanidade e se tornou pecado por nós para que pudéssemos ser erguidos por Sua divindade e ser reconciliados com Deus. Por suas feridas somos curados. O único requisito é olhar. O olhar é para longe de si mesmo, para longe da murmuração, desencorajamento, amargura, do deserto com seus espinhos, escorpiões e cobras. É preciso de fé para aplicar o remédio. Enquanto caminhamos ao redor de Edom, temos que aprender a manter os olhos fixos na serpente de bronze; ou então morrer.
Full transcript