Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

A GUERRA FRIA _Aula 1

No description
by

Leonardo Augusto

on 21 June 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A GUERRA FRIA _Aula 1

Conflitos e Crises:
3) O PLANO MARSHALL
“O homem está em casa em toda parte e não está em lugar nenhum.”
O Bloqueio de Berlim (1948)

A Guerra da Coréia(1950-1953)

A Intervenção soviética na Hungria(1956)

A Guerra de Suez (1956)

A Crise dos Mísseis (1962)
A recepção do Plano Marshall – na França e Alemanha
A Filosofia da História do cronótopo oitocentista (1780-1830), responsável por instituir a sociedade a cultura burguesas, que criou como seu sujeito a Humanidade, também se entendia como um mundo novo: “reclamavam intelectualmente o mundo inteiro e negavam o mundo antigo.”
Essa pretensão estava presente também nas duas Filosofias da História que se imaginavam garantidoras de um melhor futuro possível.

“Cada lado tão comprometido com o progresso quanto o outro, vive do pretenso retrocesso do outro. Cada lado cria obstáculos ao caminho do outro; paradoxalmente, nisto reside sua certeza.”

“Distinguem-se um do outro para criar a ilusão de uma evidência que não existe, a não ser pelo medo e o terror. A unidade utópica do mundo reproduz sua própria dicotomia.”

A Guerra Fria
OEA (1948)
OTAN (1949)
Comecon (1949)
Pacto de Varsóvia (1955)
Pactos de Aliança Militar
6) A Guerra da Coréia (1950-1953)
Belmonte, Ilustração de 20/08/ 46.
A Guerra Fria
1960: Retirada de empresas e empreendimentos americanos de Cuba
Cuba, 1961: Fidel Castro declara o caráter socialista da Revolução.
Os americanos tentam invadir a Baía dos Porcos (Playa Girón)
Instalação de rampas de lançamento de mísseis em Havana.
Os americanos descobrem!!
7) A Crise dos Mísseis (1962)

O Bloqueio de Berlim foi, juntamente com a guerra da Coréia e os incidentes em Cuba, uma das maiores crises da guerra fria. Stálin (URSS) interrompeu o acesso ferro e rodoviário à cidade de Berlim Ocidental. A tensão só diminuiu quando a URSS afirmou que não interferiria na "ponte aérea" operada pelos EUA, Reino Unido e França.
À meia noite de 12 de maio de 1949 a URSS acabou com o bloqueio. Contudo, a ponte aérea continuou a funcionar até 30 de Setembro, para criar um estoque de alimentos em Berlim Ocidental no caso da URSS fazer outro bloqueio.
 






Crianças de Berlim brincam de ponte aérea durante o período de bloqueio. O esforço para garantir suprimentos à cidade fez com que os alemães vissem com outros olhos a presença de americanos e britânicos, seus inimigos na recém-terminada 2ª Guerra Mundial, em seu país. (Foto: US Air Force)

“A primeira  batalha da Guerra Fria”.

Em 24 de junho de 1948: Stálin bloqueia o acesso terrestre à Berlim. Tinha início a ponte aérea dos americanos e britânicos para abastecer a cidade.
5)O Bloqueio de Berlim (1948)











Senador Joseph McCarthy
1938: Instalada, na Câmara dos Deputados, a Comissão para Investigação de Atividades Antiamericanas, conhecida pela sigla HUAC (House Committee for the Investigation on Un-American Activities).

1946: Eleição de uma maioria republicana no Congresso (Joseph McCarthy é eleito senador).

1947: Criação de duas Subcomissões no Senado: a de Inquérito e a de Segurança Interna.

1950 (fevereiro): Enquanto orador, num jantar oferecido pelo Clube Republicano das Mulheres do Condado de Ohio, McCarthy denuncia a existência de 205 comunistas no Departamento de Estado norte-americano.

1952: É eleito presidente o general Dwight Eisenhower.

1953 (dezembro): McCarthy exige o direito de acesso aos arquivos confidenciais do Exército relativos à lealdade.
4)Histórico (Continuação):


Marco inicial: Discurso de Churchill


"Desde Stettin, no Báltico, até Trieste, no Adriático, desceu sobre o Continente uma Cortina de Ferro. Para além dessa linha ficam todas as capitais da Europa do Centro e do Leste: Varsóvia, Berlim, Praga, Viena, Budapeste, Belgrado, Bucareste e Sofia. Todas estas cidades famosas e as populações em seu redor estão no que designo por esfera soviética."


Westmisnter College, 5/03/1946 - Fulton, 16/03/1946
.


















1)Guerra Fria Clássica:
Século XIX até o fim da Segunda Guerra – domínio japonês
1949: A Revolução Chinesa - divisão NORTE COMUNISTA e SUL CAPITALISTA. [Paralelo 33]
Plebiscito.
Os Parlamentares do Sul não aceitaram o resultado da votação e a guerra teve início.
Os americanos intervieram no Sul para evitar a infiltração dos comunistas do norte.
Condições do Conflito:
Aviões C-47 descarregam suprimentos no aeroporto de Tempelhof, em intervalo de minutos, durante o período de ponte aérea. (Foto: U.S. Air Force)
O Macartismo ficou conhecido, na própria época, pelo termo “Caça às Bruxas”. A inspiração para este termo veio da peça “As Bruxas de Salém”, que estreou em 1953. Ao tratar da perseguição e da queima de feiticeiras nas fogueiras da Inquisição, esta peça de Artur Miller (também investigado pela Comissão de Atividades Antiamericanas), era uma alusão óbvia à situação de intolerância ideológica que reinava nos EUA.

4) EUA, Anos 50: O Macartismo
"Plano Marshall" (1947)

CIA (1947),
OEA (1948) e
OTAN (1949);

Intervenção na Guerra da Coréia (1950-53)

O “Cordão Sanitário”
2) A DOUTRINA TRUMAN
Depois de decretar o regime da fome e do medo na
ilha, Fidel Castro, o jovem ditador comunista de Cuba, brinca
de roleta russa com a segurança do mundo
Presidente Harry S. Truman, secretário de Estado George C. Marshall, Paul G. Hoffman, ex-presidente da empresa automobilística Studebaker, que dirigiu a Administração de Cooperação Econômica do Plano Marshall,
e o embaixador Averell Harriman, também ex-executivo de empresas e representante sênior dos Estados Unidos na Europa para os países participantes do Plano Marshall
1947. Dólares da época.

Os EUA anunciam o Plano Marshall, uma ajuda financeira de US$ 2488 milhões de para a reconstrução da França . Os franceses agradecem.

Todos? Não. Um grupo de irredutíveis gauleses luta contra a entrada do capital inimigo. O Partido Comunista Francês cria o grito "Yankees Go Home".


[Cartaz do Partido Comunista Francês, feito pelos empregados das fábricas Renault.]

Novembro de 1948. Os arquitetos do Plano Marshall discutem o avanço da recuperação européia na Casa Branca, em (da direita para a esquerda):
Telefone vermelho
MAD
“Os treze dias que abalaram o mundo”
Causas Condicionantes:
O contexto final da Segunda Guerra Mundial – de 1947 às décadas seguintes foi marcado pelo medo e a dissuasão. Nas palavras de G. Kennan: “É a luz estimulante da confiança e da segurança que mantém este gênio do mal submerso(...) Se desaparecerem a confiança e a segurança, não pensem que ele não estará esperando para substituí-las.”
[Citado em GADDIS, p. 44]

Além disso, pode-se dizer que duas Filosofias da História análogas a do século XVIII estavam travando um embate;
Em 1959, o historiador alemão Reinhardt KOSELLECK defendeu sua Tese sobre a patogênese do mundo burguês, enunciando logo na Introdução uma “crise da história européia":
Full transcript