Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

Conjuntura político-econômica da revolução e mudanças sociais que caracterizam a industrialização capitalista.

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

SÉCULOS XVII-XVIII NO BRASIL:
Exploração aurífera em Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás.
Aumento e interiorização da população colonial (minas e gado).
Crescimento urbano e fortalecimento do comércio. Na Inglaterra SÉCULO XVII
Política: Revolução Puritana - Parlamento comandado pelos puritanos e Cromwell. Aprovou em 1651 - ATOS DE NAVEGAÇÃO .
Revolução Gloriosa -
o Parlamento, apoiado por comerciantes, financistas e proprietários rurais, depôs Jaime II e entronou seu gênro holandês Guilherme Orange.
A partir de então o Parlamento e a burguesia controlam o poder político, ao lado da nobreza. 1770
transformação social e econômica na Inglaterra As fiandeiras, Diego Velásquez, 1657. INDÚSTRIA
Todo esforço para transformar matéria-prima em mercadorias, com uso de ferramentas ou máquinas. sistemas de transformação possíveis: doméstico e manufatura SÉCULO XVIII: INDÚSTRIA MAQUINOFATURA Motores a vapor: a mover máquinas
maior velocidade e precisão na produção FÁBRICAS
Grandes galpões onde operários e máquinas transformavam matéria-prima em mercadorias. LUCRO
O negócio devia proporcionar ao capitalista o maior retorno com o menor custo.
Investimento constante em melhoria técnica e novas fontes de energia. trabalho humano: regrado pela máquina Novos grupos sociais:
BURGUESIA: PROPRIETÁRIO
PROLETARIADO: TRABALHADOR Apud ARARIBÁ HISTÓRIA. 3a ed. São Paulo: Moderna, 2010, pp. 68 e 86. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL Absolutismo inglês
séculos XV a XVII Séc. XIII, MAGNA CARTA e Parlamento.

Séc. XV, Henrique VII absolutismo monárquico na Inglaterra. PARLAMENTO

Aprova leis, impostos e taxas.

No séc. XIV:
Câmara alta ou dos Lordes e
Câmara baixa ou dos Comuns.

As duas Câmaras deviam aprovar uma proposta.
Rompeu com a Igreja Católica.
Parlamento votou o
ATO DE SUPREMACIA
(rei da Inglaterra chefe da Igreja Anglicana).

Os bens da Igreja Católica confiscados e vendidos a nobres e burgueses ingleses. Henrique VIII Dinastia Tudor
Final do séc. XV - início do XVII.

Os reis ingleses impõem decisões a todos as camadas.
Parlamento fosse atuante.

Período de prosperidade comercial e fortalecimento das atividades marítimas. Auge do absolutismo inglês.

Controle das disputas entre católicos e protestantes.
Boas relações com o Parlamento.

Igreja Anglicana nacional.

Incentivou o comércio e a indústria naval.
A burguesia favorecida por monopólios.

Não tinha herdeiros. Elizabeth I Cercamento dos campos

Séc. XVI
crescimento da manufatura de lã na Inglaterra.

Terras comunais convertidas para criar ovelhas.

No séc. XVIII
política do Estado através das Leis de Cercamentos.
Tensão social
Grande massa de camponeses sem terras pelos cercamentos, exigiam trabalho e comida. Os Stuart Os burgueses enriquecidos protestantes presbiterianos e puritanos, insatisfeitos com os monopólios concedidos a anglicanos. Tensão política
Jaime I e a teoria francesa de que o poder dos reis era vontade de Deus.

1658: Cromwell morre. Revolução Puritana Carlos I (sucessor de Jaime I)

Cobrança de impostos navais sobre as cidades costeiras
+
Impôs as regras da Igreja Anglicana aos presbiterianos escoceses.

1642: mandou invadir o Parlamento Com o rei

maioria dos nobres
+
católicos e anglicanos Com o Parlamento

pequenos proprietários de terras
+
mercadores
+
donos de manufaturas
(em geral presbiterianos) 1649

o exército do Parlamento,
com o puritano Oliver Cromwell,
prendeu e condenou à morte
o rei Carlos I. 1651

ATOS DE NAVEGAÇÃO

“mercadorias negociadas com a Inglaterra só poderiam ser transportadas em navios ingleses ou dos países produtores”. Revolução Gloriosa

1660
Dinastia Stuart: Carlos II.
Restaurar a influência e o poder católico romano.

1688
Parlamento
comerciantes, financistas e proprietários rurais
depôs Jaime II.

Coroa o protestante Guilherme de Orange.
Monarquia submetida à Magna Carta.

1689
Declaração de Direitos

A burguesia no poder político. Séculos XVII e XVIII

Economia portuguesa dependência crescente do comércio com a Inglaterra.

O ouro extraído da colônia americana a
pagar as dívidas dos portugueses
com a Inglaterra. REVOLUÇÃO GLORIOSA

Consolidou o PODERIO MERCANTIL:

Governantes precocupados com:
lucro
e
desenvolvimento econômico Indústria têxtil

Tecidos de algodão
dominou
o comércio mundial
de produtos manufaturados.

Destino:
mercados coloniais americanos e africanos. Abundância de
carvão e ferro

Fontes de energia e de matéria-prima para o maquinário industrial:

carvão mineral (energia) e ferro (material). Modernização da agricultura

Alternância de cultivos:
cereais
tubérculos
gramíneas
Confinamento do gado.
Aração profunda do campo.

Alimentar ovelhas todo o ano e aumentou a oferta de alimento para a população das cidades. A população expulsa do campo
=
força de trabalho barata para as fábricas. A partir de 1780
Carvão mineral (coque) para fundir o ferro em altíssimas temperaturas
=
construção de máquinas e estradas. Manufatura x Maquinofatura
Full transcript