Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Qualificação

No description
by

MAYRA MESQUITA

on 4 July 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Qualificação

PUBMED
INTRODUÇÃO
TRILHA
METODOLÓGICA
SISTEMAS DE RECUPERAÇÃO DE INFORMAÇÃO EM BASES DE DADOS DA SAÚDE
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
MATERIAIS
E MÉTODOS

CRONOGRAMA
AGNER, L. C. Ergodesign e arquitetura de informação: trabalhando com o usuário. 2. ed. Rio de Janeiro: Quartet, 2009.
BAEZA-YATES, R.; RIBEIRO-NETO, B. Modern Information Retrieval. New York: Addison-Wesley, 1999.
BANHOS, V. T. M. Usabilidade na Recuperação de Informação: um enfoque no Catálogo Athena. 2008.120f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2008.
BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.
BENTES PINTO, V. A bioética na pesquisa em Ciência da Informação: o caso do prontuário eletrônico do paciente. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DE INFORMAÇÃO, CONHECIMENTO E AÇÃO, 8., 2011, Marília. Anais... Marilia: Unesp, 2011.
______. Alguns ditos sobre Informação para a Saúde. No prelo 2013.
CAPURRO, R.; HJØRLAND, B. O conceito de informação. Perspectivas em Ciência da Informação, v.12, n.1, 2007
DIAS, C. Usabilidade na Web: criando portais mais acessíveis. Rio de Janeiro: Alta Books, 2003.
FERNEDA, Edberto. Recuperação de Informação: análise sobre a contribuição da Ciência da Computação para a Ciência da Informação. 2003. 147 f. Tese (Doutorado em Ciência da Comunicação) - Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.
______. Introdução aos Modelos Computacionais de Recuperação de Informação. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2012.
NILSEN, J.; TAHIR, M. Homepage - usabilidade: 50 websites desconstruídos. Rio de Janeiro: Campus, 2002.
SOUSA, M. R. F. O acesso a informações e a contribuição da Arquitetura da Informação, Usabilidade e Acessibilidade. Informação & Sociedade, João Pessoa, v.22, n. esp., p. 65-76, 2012.
______., et al. Da Informação à Compreensão: reflexões sobre Arquitetura da Informação, Usabilidade e Acessibilidade no campo da Ciência da Informação. Biblionline, João Pessoa, v. 8, n. esp., p. 231-244, 2012.
SOUZA, R. R. Sistemas de Recuperação de Informações e Mecanismos de Busca na web: panorama atual e tendências. Perspectiva em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.11 n.2, p. 161 -173, mai./ago. 2006.
ZEMAN, J. Significado filosófico da noção de informação. In: DE SANTILLANA, G. et al. O conceito de informação na ciência contemporânea – colóquios de Royaumont. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1970.
PROBLEMATIZAÇÃO
JUSTIFICATIVA
OBJETIVOS
1. No processo de recuperação da informação na PubMed, os usuários conhecem, utilizam e interagem com os recursos disponíveis nessa base de dados?
2. A interface dessa base de dados se adequa as diretrizes de usabilidade na interação humano-computador?
3. O processo de interação com o usuário é efetivo, permite que ele atinja seus objetivos?
4. Qual o nível de satisfação obtido pelo usuário no uso dessa base de dados?
Tem sua origem a partir da evolução tecnológica que desencadeou os problemas de excesso informacional e dificuldade de acesso a informação enfrentados pela sociedade. Destaca-se que esse excesso informacional colocou diversos profissionais, inclusive os da área da saúde, diante de problemas que acarretam dificuldades e morosidade no acesso a informações relevantes, confiáveis e organizadas para a geração e a obtenção de conhecimentos. Desta maneira, as dificuldades com relação à recuperação da informação ocorrem em diferentes âmbitos do cotidiano humano, e vem afligindo e prejudicando o desempenho de atividades pessoais, comerciais e científicas.
1. Necessidade de saber e tentar identificar como o médico residente interage com a base de dados Pubmed e procura informações, que atendam as suas necessidades para aplicação na prática;
2. Verificação de avanços rápidos na área da ciência, o que colabora para demonstrar a importância da atualização constante do médico e da busca de informações que fundamentem a construção do conhecimento e de sua aprendizagem;
3. Atual e relevante, visto que o desenvolvimento das tecnologias eletrônicas e digitais de informação e de comunicação vem aumentando a capacidade de armazenamento em bases de dados, assim como tem facilitado o acesso e a autonomia de usuários.
GERAL

Investigar qual o entendimento que os médicos residentes têm sobre o processo de recuperação da informação na base de dados PubMed, levando em consideração os aspectos relativos a usabilidade na interação humano-computador.
ESPECÍFICOS

a) Avaliar, com embasamento nas diretrizes propostas por Nielsen e Tahir (2002), a interface da base de dados PubMed;

b) Averiguar o grau de satisfação dos médicos residentes quanto ao êxito obtido pela busca na referida base;

c) Investigar o domínio que esses profissionais possuem sobre as técnicas de recuperação da informação disponíveis na base;

d) Analisar a interação do médico residente versus sistema a partir da aplicação do teste de usabilidade.
- Exploratório-descritivo;
- Abordagem quanti-qualitativa;
- Triangulação metodológica:
- Fenomenológico
- Hermenêutico
- Funcionalista
- Amostragem por conveniência;
PESQUISA
OBJETO
- Hospital Universitário Walter Cantídio da Universidade Federal do Ceará

- Médicos Residentes
PUBLIC MEDICAL
CONTEXTO
E
ATORES
COLETA
DE
DADOS
Análise de Conteúdo
ANÁLISE
[...] encontram-se num momento crítico de sua formação e exercem sua prática profissional com uma dedicação diferente, objetivada principalmente pelo desejo e a necessidade de aprender. Não obstante o atendimento ao paciente ser crucial para esses médicos, deve-se levar em consideração ainda o contexto específico em que se encontram e perceber que suas necessidades informacionais podem ser muito variadas. Por outro lado, em sua maioria os médicos residentes são jovens e recém-egressos de cursos de graduação em Medicina [...] (MARTÍNEZ-SILVEIRA, 2005, p.25)
Conhecida por PubMed é uma base de dados bibliográfica especializada na área da biomedicina, com informação sobre biomedicina e saúde, ciências naturais, ciências do comportamento, química e bioengenharia. Compreende mais de 22 milhões de citações da literatura biomédica do MEDLINE, além de periódicos de ciências naturais e livros on-line.
1. A pré-análise: que consiste de modo geral na organização do material a ser analisado;
2. A exploração do material: começa na etapa anterior, de modo a aprofundar mais análise, utilizando-se de procedimentos, como a classificação, codificação e a categorização;
3. O tratamento dos resultados, a inferência e a interpretação: onde os dados brutos são trabalhados e interpretados.
"Consiste em uma leitura aprofundada de cada uma das respostas, onde, codificando-se cada uma obtém-se uma ideia sobre o todo” (FREITAS; JANISSEK, 2000, p.29)
RECUPERAÇÃO DA INFORMAÇÃO:
ESTUDO DA USABILIDADE NA BASE DE DADOS
PUBLIC MEDICAL
(PUBMED).
Orientadora: Profa. Dra. Virgínia Bentes Pinto
Coorientador: Prof. Dr. Marckson Roberto F. de Sousa
O caminhar de uma pesquisa científica se pauta no problema proposto e nos objetivos do estudo definidos à priori, pois são esses elementos que conduzem a escolha do método científico a ser aplicado com a finalidade de obter resultados que sejam suscetíveis de análise e desenvolvimento. Além disso, a trilha metodológica também explicita o tipo de pesquisa a ser implementado, onde, com quem e como será realizado o estudo empírico.
AVALIAÇÃO
HEURÍSTICA
TESTES
DE
USABILIDADE
113 diretrizes de Nilsen e Tahir (2002)
QUESTIONÁRIOS
ENTREVISTAS
SEMIESTRUTURADAS
“Consiste no uso de vários métodos e técnicas na coleta e análise dos dados, visando abranger, com o máximo de amplitude, a descrição e a contextualização do problema em estudo” (TRIVIÑOS, 1987, p. 138).
Mais adequado para este estudo, pois se preocupa com a descrição direta da experiência vivida e por ser utilizado no âmbito da pesquisa qualitativa na área da saúde.
A análise foi realizada sobre os resultados obtidos na aplicação das diretrizes selecionadas, possibilitando a detecção de problemas. No entanto, para fazer esta análise, a primeira atividade foi à elaboração do checklist, a qual foi criada a partir dos 113 critérios apresentados por Nielsen e Tahir (2002).

Por se tratar de um trabalho voltado para a análise da usabilidade da interface de uma base de dados, selecionamos apenas aqueles compatíveis com as características deste sistema.
A avaliação da usabilidade da interface dessa base absorveu as vantagens e desvantagens intrínsecas desse tipo de avaliação. As vantagens podem ser notadas pelo seu baixo custo, rapidez de aprendizado, facilidade de uso e por possibilitar a realização pelos próprios membros da equipe. Contudo, devem ser consideradas algumas desvantagens: não há envolvimento com usuários reais, não substitui os testes formais de usabilidade e pode apresentar resultados contaminados pela visão particular.
OBRIGADA!
Zeman (1970); Capurro; Hjørland (2007); Belkin e Robertson (1976), entre outros.
INFORMAÇÃO
SAÚDE

Scliar (2007); Laurell (1997); Caponi (1997); OMS (1946).
É tão amplo, dinâmico e complexo quanto o conceito de informação, e se traduz na forma como a sociedade amplia sua compreensão sobre o mundo, acompanhando e transformando o viver das pessoas.
SISTEMA DE RECUPERAÇÃO DE INFORMAÇÃO

Ferneda (2012); Saracevic (1999); Souza (2006); Baeza-Yates e Ribeiro-Neto (1999); Banhos (2008); Cardoso (2003); Rijsbergen (1979); Lopes (2002).
SISTEMA DE RECUPERAÇÃO DE INFORMAÇÃO

Mooers (1951); Saracevic (1999); Baeza-Yates e Ribeiro-Neto (1999); Ferneda (2012), entre outros.
INFORMAÇÃO PARA ÁREA DA SAÚDE

Moraes (1998); Branco (1996); Bentes Pinto (2011).
A informação para a saúde engloba componentes científicos, tecnológicos e legais de outros campos do saber.

É de natureza muito particular, e não se prende unicamente às questões referentes ao domínio da terapêutica médica, odontológica ou outra do gênero, porém ao registro de todas as ações efetivadas por outros profissionais que se inserem nessa área, além daquelas que contribuem direta ou indiretamente para a qualidade no atendimento aos pacientes (BENTES PINTO, 2011).
BASES DE DADOS

Cunha (1984); Cianconi (1987); Guinchat e Menou (1994); Rowley (2002); Medeiros (2007), entre outros.
Medeiros (2007, p. 20) considera como “conjunto de dados com certa organização característica, com o objetivo de armazenamento persistente dos dados e dotados de mecanismos de manipulação para obtenção de informações e recuperação posterior, dentro de um sistema de informação”.
USABILIDADE

Nilsen (1993); ABNT (2002); Dias (2003); Cybis, Betiol e Faust (2007); Nielsen e Loranger (2007).
"É um atributo de qualidade relacionado à facilidade de uso de algo. Mais especificamente, refere-se à rapidez com que os usuários podem aprender a usar alguma coisa, a eficiência deles ao usá-la, o quanto lembram daquilo, seu grau de propensão a erros e o quanto gostam de utilizá-la [...]" (NIELSEN; LORANGER, 2007, p. 16).
Goulart e Hetem Júnior (2007, p. 54) mencionam que “essa massa de informações traz consigo uma dificuldade inerente que é a busca por informações específicas. Por maior e mais completo que possa ser esse conjunto de informações, ele será inútil caso não se consiga encontrar o que precisa”.
Um dos recursos tecnológicos mais utilizados por ampliarem significativamente a qualidade das buscas informacionais, e válidos para a disponibilização, atualização e troca de informações especializadas são as bases de dados, que surgiram com o intuito de organizar, disponibilizar e oferecer uma maior quantidade de informações em um tempo reduzido.
Por outro lado, a interface desses sistemas, por visarem facilitar a vida de seus usuários, deve apresentar as informações de forma clara e objetiva. Conforme Banhos (2008, p. 15) “questões relativas ao projeto da interface afetam diretamente a eficiência na tarefa de recuperar informação, além de afetarem a capacidade do usuário em julgar resultados que atendam às suas necessidades”.
UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA
CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO

Linha de pesquisa: Memória, Organização, Acesso e Uso da Informação
- Exploratório-descritivo;
- Abordagem quanti-qualitativa;
- Triangulação metodológica:
- Fenomenológico
- Hermenêutico
- Funcionalista
- Amostragem por conveniência;

Pesquisa
- Hospital Universitário Walter Cantídio da Universidade Federal do Ceará

- Médicos Residentes
Locus
OBJETO
PUBLIC MEDICAL
Refere-se a uma base de dados bibliográfica especializada na área da biomedicina, com informação sobre biomedicina e saúde, ciências naturais, ciências do comportamento, química e bioengenharia. Compreende mais de 22 milhões de citações da literatura biomédica do MEDLINE, além de periódicos de ciências naturais e livros on-line.
ANÁLISE
Full transcript