Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Tintas

No description
by

carol elizei

on 27 November 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Tintas

Polímeros
Bruno Oliveira
Camila Perillo
Caroline Elizei
Juliana Teixeira
Mariana Batagini
Meriene Gandara
Robrigo Linares
Suzanne Leite

Histórico
Camila Perillo
Classificação das Tintas
Suzanne Leite
Componentes de uma tinta industrial
Rodrigo Linares
Componentes de uma tinta base água
Bruno Oliveira
Formulação da Tinta
Resinas
Tancagem emulsões e pesagem
Armazenagem
Linha base água ou solvente e Envase
Estocagem
Juliana Teixeira
Caracterização das Tintas
Poder de Cobertura Úmida
ABNT NBR 14942
Poder de cobertura seca ABNT NBR 14943
Abrasão NBR 15312-05
Dureza Sward-Rocker NBR 5845
Capacidade de ocultar o substrato enquanto úmida
R/C (%) = Refletância sobre a área preta x 100
Refletância sobre a área branca
Razão de contraste de no mínimo 55%
Capacidade de ocultar o substrato depois de seco
Razão de contraste é critério de aprovação, atingido o valor de 98,5% o ensaio prossegue.


Cada litro de tinta deverá cobrir satisfatoriamente 4,0 metros quadrados.
Máquina para lavabilidade modelo BYK-Gardner PAG-8100
Deve resistir a 100 ciclos de escovação
Dureza
Resultado em número de oscilações (multiplicado por 2) ou índice de dureza

Dureza Koenig- DIN 53157
6B, 5B, 4B, 3B, 2B, B, HB, F, H, 2H, 3H, 4H, 5H, 6H Menor Maior
dureza dureza
Impacto ASTM D 2794
Brilho - ASTM D 523
Uma tinta muito brilhante, tem apenas 9,8% do brilho de um espelho perfeito
Névoa salina
(SALT SPRAY)
NBR 8094
Meriene Gandara
PRÉ-HISTÓRIA
Função decorativa
Moagem de materiais coloridos e adição de água
8000 a.C. a 5000 a.C.

Egito: Adição de cores
Surgem os primeiros pigmentos sintéticos, anileira e garança da Índia

2000 a.C.
China: Inventando a Tinta de Escrever
Utilização de Nanquin

Séc V a.C
Roma: ascensão e queda
Alvaiade é utilizado como pigmento pela primeira vez

Séc XV e XVI
Idade Média: Redescoberta
Destaque para o “aspecto” proteção

Revolução Industrial: Expansão e Produção em Larga Escala

Séc. XVIII e XIX
A Tecnologia a Serviço das Tintas

Séc XX
Novidades
Tinta Anti-sujeira
Produto nanotecnológico super hidrofóbico e oleofóbico

Tinta Magnética
Pigmentos à base de óxidos de metais de transição
Propriedades magnéticas
Tinta Fluorescente
Emite luz ao ser exposta à radiação UV
Maquiagem
Esmalte
Tatuagem
Parede
Tecido
Tinta em pó
Tinta antirruído e antichama
Tinta bactericida
Tinta com nanopartículas de TiO2
Material fotocatalítico, propriedade oxidativa atacam as bactérias
Hidrofilidade
Autolimpante
Tinta com Cu e Zn
Propridades bactericidas para eletrodoméstico
Caroline Elizei
Aplicações
Setor Industrial
Setor Industrial
Setor Industrial
Tinta látex que utiliza bagaço e palha da cana-de-açúcar como aditivo

Melhora a absorção do som, diminui a propagação da chama e mantém a aderência como as tintas comuns

INOVAÇÃO: menor impacto
ambiental e baixo custo

Pesquisa
Biomassa como aditivo para tinta látex: sustentabilidade ambiental e melhoria nas propriedades acústicas e da propagação de chamas do produto
Professores:
Ângelo Capri Neto
Adilson Roberto Gonçalves
Maria da Rosa Capri
Alunos:
Fernanda de Carvalho Oliveira Alessandro Costa Pinto
Aplicação: princípio elétrico de atração e repulsão
Componentes da resina tinta base de água
São principalmente monômeros derivados de:

Emulsificantes ou Surfactantes
Exemplo:
Lauril Éter Sulfato de Sódio (Genapol)
Iniciadores
Formação do filme
TMFF
Coalescência
Irreversível
Emulsões
Estabilização
Concentração Micelar Crítica (CMC)
Controle de pH
Coalescência
O meio aquoso se evapora, até que as partículas dispersas se juntem formando o filme homogêneo
Efeitos dos monômeros nas propriedades dos revestimentos
Elevada dureza, baixo custo, tóxico, baixa resistência a intempéries, resistente a detergente e névoa salina

Alta resistência a intempéries, Resistência ao amarelamento,
boa retenção de cor, dureza

Flexibilidade

O que é tinta ?
Componentes básicos de uma tinta
Pigmentos
Orgânico
Inorganico :
Pigmentos Verdadeiros ou ativos Pigmentos Inertes ou Cargas

Solventes
Base Solvente Base Água
X
Aditivos
Secantes
Catalisadores
Antipeles
Espessantes
Antiescorrimento
Surfactantes
Dispersantes
Antiespumantes
Nivelantes
Biocidas
Estabilizadores de ultravioleta
Dispersantes
Resina
Mariana Batagini
Bibliografia
Tintas & Vernizes - Volume 1 - Ciência & Tecnologia - 2ª Edição - Abrafati (Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas)
http://www5.usp.br/38884/tinta-com-biomassa-desenvolvida-em-lorena-absorve-som-e-reduz-dispersao-de-chamas/
http://ctbe.cnpem.br/tinta-latex-com-bagaco-de-cana-de-acucar/
http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=tintas-com-nanotecnologia-eliminam-superbacterias-de-hospitais#.VHIt5YvF9UV
http://procobre.org/pt/destaque/tintas-de-cobre-bactericida-invadem-o-mundo-dos-eletrodomesticos/
Agradecimentos
Tintas
Obrigado!
Setor Industrial
Tintas industriais são utilizadas na indústria de eletrodomésticos, móveis, autopeças, naval, aeronáutica, tintas de manutenção etc.
Finalidades:
Proteção anticorrosão e antidegradação
Proteção anticorrosiva
Estética
Impermeabilização
Impedir aderência
Facilitar identificação

Principais características:
Coesão entre os diversos constituintes do revestimento
Adesão ao substrato
Resinas mais comuns:
Epóxi
Poliéster
Poliuretana
Alquídica

EPÓXI:

Grupo característico:
Epóxi
Epóxi
Setor Industrial
Poliuretano
Poliuretano
Grupo característico:
Poliuretano
Poliuretano
Setor Industrial
Poliéster
Poliéster
Grupo característico:
Éster
Poliéster
Poliéster
Setor Industrial
Alquídicas
Alquídicas
Alquídicas
Setor Imobiliário
Tintas Acrílicas
PROPRIEDADES:
Mais resistentes às intempéries
Melhor retenção de cor
Maior aderência
Impermeáveis
Laváveis

INDICAÇÃO:
Tráfego intenso de pessoas
Pinturas sobre reboco
Massa corrida
Gesso
Madeiras
Pinturas externas

Tintas Vinílicas
PROPRIEDADES:
Baixa resistência às intempéries
Tendência ao amarelamento e à calcinação
Grande rendimento e durabilidade

INDICAÇÃO:
Pintura interna
Pinturas sobre cimento
Argamassa
Cal
Blocos de concreto

Tintas Epóxi
PROPRIEDADES:
Boa aderência ao concreto
Alta flexibilidade e dureza
Excelente resistência a abrasão, álcalis, ácidos, solventes e a altas temperaturas

INDICAÇÃO:
Revestimentos sanitários
Cozinhas
Laboratórios
Hospitais
Garagens

Tintas de poliésteres
PROPRIEDADES:
Ótima resistência ao intemperismo
e amarelamento
Boa aderência e flexibilidade
Boa resistência física e química

INDICAÇÃO:
Telhas
Toldos metálicos
Forros
Esquadrias
Fachadas de edifícios

Tintas de Poliuretanos
PROPRIEDADES:
Ótima resistência ao intemperismo
Excelente resistência a ácidos, álcalis, à abrasão, à solventes e a impacto
Alta dureza

INDICAÇÃO:
Segmentos marítimos
Tabuleiros de pontes e viadutos
Laboratórios
Hospitais
Garagens

http://www.interbrasilsa.com/produtos/resinas-alquidicas/
www.abrafati.com
http://www.bactintas.com.br/tintas.htm
http://www.weg.net/br/Produtos-e-Servicos/Tintas-e-Vernizes/Tintas-em-Po
http://www.cecc.eng.ufmg.br/trabalhos/pg2/90.pdf
BARBOUR, M., et al, Waterbourne & Solvent Based Acrylics and their end user
applications, v.1, Wiley/SITA series in Surface Coatings Technology,
Chichester, John Willey & Sons, 1996.
FAZENDA, J.M.R; et al., Tintas e Vernizes: Ciência e Tecnologia, São Paulo,
Abrafati, Textonovo Editora e Serviços Editoriais Ltda, 1993.
FAZENDA, J.M.R; et al., Tintas e Vernizes: Ciência e Tecnologia, São Paulo,
Abrafati, Textonovo Editora e Serviços Editoriais Ltda, 1993.
PVC (Pigment Volume Content/ Índice do Volume de Pigmento)
PVC = Volume de pigmento x 100
Volume de pigmento + Volume de veículo sólido
Poliésteres modificados
Fontes renováveis
Esmaltes Industriais
Dispersões aquosas poliméricas
Látex
FUNÇÕES
Responsáveis por gerar radicais livres nos monômeros
Tamanho de partícula e PM
Manter a polimerização
Iniciar a polimerização
Exemplo:

Mecanismo:
Monômero
Propriedades dos polímeros
Adesão
Influencia das concentrações para Tg na composição final do polímero

Estireno
Tg: 100 C

o
Acrilato de butila
Tg: -54 C

o

Composição

50% Estireno
+
50% Acrilato de butilaTg: 10 C
TMMF: 21 C

o
o
Fixador
Adesão da película
Elasticidade
Hexametoxi-metil-melamina

VOC
HC + NOx "Smog" fotoquímico (O )

3
UV + calor
Estabilidade de uma Emulsão
Solventes
Hidrocarbonetos alifáticos
Hidrocarbonetos aromáticos
Glicóis
Acetatos
Cetonas
Álcoois
Resinas
Resinas Acrílicas
Resinas Alquídicas
Resinas Epoxídicas
Resinas Poliuretânicas
Pigmentos
Cores primárias dos pigmentos coloridos mais importantes
Branca
Preta
Amarela
Vermelha
Laranja
Púrpura
Verde
Azul
Alumínio
Dourado
Pigmentos Antcorrosivos mais utilizados
Cromato de zinco
Zarcão (Pb3O4)
Fosfato de Zinco
Silicato de Cálcio
Zinco metálico
Óxido de Ferro (Fe2O3)
Pigmentos lamelares
Óxido de ferro micáceo

Pigmentos Inertes ou cargas
Mica
Talco
Caulim
Sílicas
Quartzo
Óxido de alumínio

Caulim
Aditivos
Dispersantes ou tensoativos
Espessantes
Secantes
Antibolhas
Antinata
Full transcript