Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Imperio Romano na Palestina

No description
by

Eva Montas

on 8 November 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Imperio Romano na Palestina

O Império Romano
na Palestina

63 a.E.C - 135 E.C.
Esquema de Trabalho
1. História
2. Geografia
3. Cultura - Movimentos Sociais
4. Literatura
5. Historiografia
6. Conclusão
*Atualizações patorais.
Referências


DONNER, Herbert. História de Israel e dos povos vizinhos: v.2-Da época da divisão do reino até Alexandre Magno. Petrópolis: Vozes/Sinodal, 1997. 2. 535 p.

ECHEGARAY, J.G. O Crescente Fértil e a Bíblia. Petrópolis: ed. Vozes, 1993.

FARIA, Jacir de Freitas. Introdução ao Primeiro Testamento: Historia, historiografia, arqueologia e literatura. Belo Horizonte:..., 2014. 146p
___ Introdução ao Segundo Testamento: Contexto e literaturas canônicas e apócrifas.

GONZÁLEZ ECHEGARAY, Joaquín. O crescente fértil e a Bíblia. Petropolis: Vozes, 1993. 278 p.

HORSLEY, Richard A. Arqueologia, História e Sociedade na Galiléia: o contexto social de Jesus e dos Rabis. São Paulo: Paulus, 2000.

JOSEFO, Flávio. Uma testemunha do tempo dos apóstolos. São Paulo: Paulinas, 1986. 95 p. (Documentos do mundo da Bíblia,3).
KONINGS, Johan. A Biblia sua origem e sua leitura - Introdução ao estudo da Biblia. 7e.d. Petropolis: Vozes, 2011.

SICRE, José Luis. O quadrante: a aposta, o mundo de Jesus. São Paulo: Paulinas, 1999. 2. 336 p.

PIXLEY, Jorge. A história de Israel a partir dos pobres. 3. Petropolis: Vozes, 1991. 136 p.
40
E.C
77
49
História
Da dinastia dos hasmoneus para o Império Romano
Herodes “o idumeu”
(40 – 4 a.E.C.)
Arquelau (4 a.E.C.-6 E.C.)
Herodes Antipas (4 a.E.C. – 39 E.C.)
Felipe (4 a.E.C. - 34 E.C.)
Os procuradores romanos
49-94 E.C.
Agripa II
Sob os procuradores
48-66 E.C.
As duas revoltas judaicas
66-70 E.C.
Segunda Revolta Judaica
(132-135 E.C.).
O fim é o começo
Pompeu - Transformou a Síria-Palestina em província romana;

A competência de Hircano foi limitada às regiões da Galileia, Judeia e Pereia;

Hircano II
(63-40 aec)
;

Antípater - Fasael e Herodes ocupavam o governo

de Jerusalém e Galileia, respectivamente.
Os Partos

Pacoru

Matias Antígono

Prendeu o rei Hircano e Fasael; Herodes foge.
Rei Aristóbulo (104-103 a.E.C.)

Alexandre Janeu (103 - 76 a.E.C.)

Viúva Alexandra (77-67 a.E.C.) - dissensão interna de caráter ideológico,

Intervenção de Roma.
Herodes "o idumeu"
Cínico sem idealismo;
cruel sem paliativos;
paranóico.
"sensibilidade judia";

Nas mãos dos romanos;
adaptar às mudanças políticas de Roma.

Foi amigo de Pompeu, César, Marco Antônio e de Otávio (Cesar Augusto).
Febre de construção
Sebastia (antiga Samaria)
Matou sua esposa Mariamne;

seu cunhado Aristóbulo III;

seus próprios filhos Alexandre, Aristóbulo e Antípater;

organizou um massacre para lamentar a notícia da sua morte.
O reino dividido entre os filhos
de Herodes
Herodes Antipas (4aec–39 ec)
Galileia e Pereia;

Cidade de Tiberíades, em homenagem ao imperador Tibério;

Prisão e a suposta responsabilidade atribuída pela morte de João Batista, em 27 E.C.
Felipe (4aec-34 E.C)
Arquelau (4a.E.C-6 E.C)
Judéia, Iduméia e Samaria.

Intensas revoltas;

No ano 6 ec, foi deposto e exilado;

Havia grande insatisfação do povo;

Necessidade de intervenção romana, evidenciava a incompetência de seu governo.
Gaulanítide, Traconítide, Batanéia e Aurã;

Embelezou a cidade de Júlias (Bersaida), Construiu a cidade de Paneias;

Morreu sem deixar herdeiros.
Os procuradores romanos
1. Copônio 6-9 ec

2. Ambívio 9-12 ec

3. Rufo 12-15 ec

4.
Valério Grato 15 – 26 ec

5.
Pôncio Pilatos 26 -36 ec

6. Marcelo 36 ec

7. Márulo 37 – 41 ec

Procuradores
Agripa I - Rei da Judéia
(37-44 E.C.)
Governo de Cálcis; a antiga tetrarquia de Felipe e partes da Galileia e da Pereia;

Vive incestuosamente, com sua irmã Berenice;

Sumos sacerdotes;

Quando Jerusalém é destruída, em 70 E.C., ele se muda para Roma, onde morre após o ano 93 E.C.

É diante de Agripa II e Berenice que Paulo comparece, quando prisioneiro em Cesaréia, segundo At 25,23-26,3.
Agripa I - (37-44 E.C.)
Aprisionado por Tibério;

Libertado e nomeado rei, sendo investido na tetrarquia de seu falecido tio Felipe;

Reconstruiu cidades, ordenou levantar uma terceira muralha em Jerusalém;

Quatro anos como tetrarca, três anos como rei de toda a Palestina;

Capital em Jerusalem;

No Segundo Testamento (Atos 12,1).
Sob os procuradores e as duas revoltas judaicas
A guerra judaica contra Roma, 66 – 74 ec
Segunda Revolta Judaica (132-135).
Imperador Adriano (117-138);
transformação da cidade na Colonia Aelia Hadriana Capitolina Romana;

Simão bar Kokhba;

Sexto Júlio Severo.
Procuradores
8. Cúspio Fado 44 – 46 E.C.

9. Tibério Alexandre 48 – 48 E.C.

10. Ventídio Cumano 48 – 52 E.C.

11. Félix 52 – 60 E.C.

12. Festo 60 – 62 E.C.

13. Albino 62 -64 E.C.

14. Floro 64 -66 E.C.

Agripa II – 49-92 E.C.
Sob a liderança de Eleasar;
conquistaram a praça do Templo, o forte de Antônia, forte de
Massada
.

Céstio Galo;
Flávio Vespasiano;
Tito.

Sinédrio - Jâmnia
Templo
Cidadela
Fortaleza Antônia
aqueduto
as fortalezas
de Massada
Antípatris
Séforis
o porto de Cesareia
Cultura
GRUPOS POLÍTICO–RELIGOSOS

Judas Galileu
Atroges
Teudas egípcios Simão Bar Gloria
João de Giscala
Menahem Andrea Lukuas
Simão Bar Kokhba

Contraste Social
• Conselhos
da cidade
Situação Econômica
Projeto messiânico de ESPERANÇA e RESISTÊNCIA
Organização piramidal
Situação dos escravos
Vida Social
FIGURA DO MESSIAS
• Linha real davídica;
• Nascido no cativeiro;
• Rei “ungido”;
• Aarão e Israel;
• Transcendente.
Do Aramaico Perisha

• Separados
• Não observam a lei
• Impurezas
Consagrados da lei
Fariseus
Características
• Piedosos
• Conservadores
Projeto messiânico

• Fortalecer a Torá
• Política profana
• Interpretação popular
• Espera do messias
• Ressurreição

hassidim
Ano 200
Costume estrema

Moram no deserto

dinastia de Herodes
Projeto messiânico
Defender o Império Romano

Membros:
• Funcionários e soldados
• Proprietários de terra
• Grandes comerciantes


Hillel e Sammai

Gamaliel, discípulo de Hillel;

foi mestre de Paulo (cf. Atos 22,3).

Saduceus: sadoc – Saddig – justiça
Características

• Apoio ao Império Romano;
• Influência helênica;
• Não valoriza a tradição;
• Lei de Moisés - não creem na Ressurreição.
Ressurreição individual
Predestinação
Purificação.
Projeto messiânico
Vida monástica
Luta
Purificação
Dois messias
Outros grupos Sociais
Zelotes:
Escribas
Samaritanos
Judeus – assírios
Culto no monte Garizin
Brigas “sangue puro”
Creem na Ressurreição
João Batista
Nasce no deserto de Judá
Escutadores da palavra
Pregação do messianismo
• Anunciar o batismo
• P. Escatológica
• Vinda do Senhor
Jesus o Nazareno
Anúncio do REINO
Grupos rebeldes
• Impostos
• Templo
Sacerdote
Profeta
Rei
Influencia da Torá
Situação da mulher
Israel espera um Messias
Essênios
Ricos
Mendigos
Pobres
Diaristas
Escravos

Escrito em Alexandria, 50 a. E.C

Mostra o papel da sabedoria de Deus no destino do homem

Faz uma crítica à idolatria (Sb 13-15).
Carta de Judas

Ano 90\100 E.C.
Judas, irmão de Tiago (Jd 10).
Preocupado com as heresias.
Amados por Deus e guardados em Jesus Cristo (Jd 1).

Escritores da época
Marco Túlio Cícero
(discursos do orador Cícero)
Flávio Josefo
Outros copistas
Diferentes TEMPOS
Literatura Bíblica
Sabedoria
Carta aos Romanos

Anos 57\58 E.C. na cidade de Corinto (At. 20,3)

Mais rica doutrinalmente e melhor estruturada.

Caracterizada como “testamento teológico de Paulo”. (MILANI, 2007. p.139).

Problema judaísmo-cristianismo; convertidos judeus e pagãos

Primeira Carta aos Coríntios

Na páscoa de 57 (1Cor. 5,7s; 16, 5-9).

Problemas
Segunda Carta aos Coríntios

Relacionamento com a comunidade (2cor. 1,8-7,16).

Coleta em favor de Jerusalém.

Missão como apóstolo (2cor. 10, 1-13).
Literatura do Segundo Testamento
Carta aos Gálatas

Entre 56\57 E.C.

Liberdade cristã e da universalidade

Evangelho “da Liberdade” (Gl. 5,1).

Carta aos Colossenses

Anos 55\57 E.C.

Colossos - Ásia Menor

Considerada não escrita por Paulo.

Exalta a soberania de Cristo, “pois Ele é a cabeça de todo o universo” (Cl. 2,10).
Carta aos Efésios

Em Éfeso
Igreja é corpo de Cristo que plenifica tudo em todos (Ef. 1,23).

Posterior à destruição de Jerusalém no ano 70 E.C.

Teófilo – Comunidades cristãs que logo surgiram em Jerusalém, Judeia, Samaria. (At. 1,8).

Novos horizontes na vida do povo cristão.
Primeira carta aos Tessalonicenses

Anos 50\51 E.C.
Consciência
Centralidade, na vinda, em breve, do Senhor (1Ts.4,15).
Segunda carta aos Tessalonicenses

Anos 50\51 E.C.O povo,
Perturbado
Busca transmitir esperança

Primeira e Segunda Carta a Timóteo e Tito

Alimentos impuros (1Tm. 4,3), “fábulas judaizantes” (1Tm.1,10-15), a negação da matéria
Deus é o criador de tudo e tudo o que ele criou é bom (1Tm. 4,3-4).
Cartas Apostólicas ou Católicas

Para as comunidades em geral.

Carta de Tiago

É dirigida às “Doze Tribos”

No fim do primeiro século.

Adverte a respeitar os pobres (Tg 2,1-12)

a comunidade cristã deve ser solidária, coerente, corajosa.

Primeira Carta de Pedro

Ano 67, entre 90\100 E.C.
Ao povo pobre, trabalhador, disperso como estrangeiro ;
Firmeza diante da perseguição do imperador.

Segunda Carta de Pedro

Anos 95\105 E.C.
Dificuldades para ser aceita pela Igreja.
Denunciar as heresias.

Primeira, Segunda e Terceira Carta de São João

1ra - exortação ao anúncio (1Jo 1,1-2).

2da e 3ra - endereçada a Gaio, a quem tece elogios. Censura Diótrefes e elogia Demétrio, do qual dão bom testemunho.

A necessidade do amor fraterno para haver filiação divina (1Jo 2,29-4,6).

Carta aos Hebreus.

No ano 80 E.C.

Discípulo anônimo de Paulo.

Ouvir a palavra de Deus (Hb.1,1-4,13);

A perseverar na fidelidade a Jesus Cristo (Hb.10,32-13,17).
Apocalipse

Alegria e esperança,
“um novo céu e uma nova terra” (Ap 21,1).
O autor se identifica como sendo João (Ap 1.4.9; 22,8),
Escrito provavelmente em três etapas:
No tempo de Nero (64 E.C),
No período da destruição de Jerusalém (70 E.C.)
E a maior parte no tempo do Imperador Domiciano, pelos anos 90\100 E.C.

Escritos Intertestamentários

• Midrash
• Hagadah - Halakah
• Mishnah
• Targumim

Lucas

Cartas Paulinas
Unidade
Evangelhos
Mateus
Marcos
Carta a Filemon

Ano 61\63 E.C.

Escrita por Paulo, no cativeiro em Roma (Fm.23s).

Escravidão e liberdade.

O homem como imagem de Deus

Fidelidade à experiência
dos primeiros apóstolos
Os sinais dos tempos
Mt 5
Mt 1, 1-17
Mc 6, 45-52
Lc 9,12-17
At 2, 4
Jo 11, 1-46
Apocalipse
Arqueologia
Moedas
Muro das Lamentações
Palácio Maqueronte
Palácio Massada
Palácio Herodium
Porto Marítimo
Hipódromo
Aqueduto
Cesáreia
Qumran
Palestina na Chegada
do Imperio romano
Reino de Herodes
Galiléia
Nazaré
Belém
Jerusalém
Território pequeno, não exige grande deslocamento.
REFERÊNCIAS
Herodianos:
Catedral Cristo Rei - BH
Templo de Salomão
Ásia Menor
Maquete de Jerusalém
Templo Herodes
Fortaleza Antônia
Cartas Pastorais
Escritas para os pastores das Igrejas.
Claribel Jerez

Eva Montas

Marcone André

Fabio Junior
Full transcript