Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

MODA E COMPORTAMENTO_ Aula 2_Origem e difusão: Idade Média, Renascimento, Século 17 e 18.

No description
by

Liliane Abreu

on 3 August 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of MODA E COMPORTAMENTO_ Aula 2_Origem e difusão: Idade Média, Renascimento, Século 17 e 18.

Origem e difusão:
Idade Média, Renascimento, Século 17 e 18

Século 18
Século 17
Aula 2
Renascimento
Moda e Comportamento
Idade Média
FONTE DE ESTUDO DA AULA DE HOJE:

BARBOSA, L.; CAMPBELL, C. (org.). Cultura, consumo e identidade. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.
CALANCA, Daniela. História Social da Moda. Tradução: Renato Ambrósio. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2008.
COELHO, Maria Claudia. O valor das intenções: dádiva, emoção e identidade. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.
DOUGLAS, Mary; ISHERWOOD, Baron. O mundo dos bens. Tradução Plínio Dentzien. 1. ed. 2. reimpr. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2009.
MCCRACKEN, Grant. Cultura e consumo: novas abordagens ao caráter simbólico dos bens e das atividades de consumo. Tradução Fernanda Eugenio. Rio de Janeiro: MAUAD, 2003.
MILLER, Daniel. Teoria das compras. São Paulo: Nobel, 2002.
SVENDSEN, Lars. Moda: Uma Filosofia. Tradução: Maria Luisa X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

OUTRAS SUGESTÃO DE LEITURA:

FRIEDLANDER, Paul. Rock and Roll, uma história social. Tradução: A. Costa. Rio de Janeiro, Record. 2006.
GODART, Frédéric. Sociologia da Moda. Tradução: Lea P. Zylberlicht. São Paulo: Senac São Paulo, 2010.
Plugados na moda. Org: CASTILHO, Kathia; VILLAÇA, Nízia. São Paulo: Editora Anhembi Morumbi, 2006.
Por dentro da Moda. Org: BENSTOCK, Shari; FERRISS, Suzanne. Tradução: Lúcia Olinto. Rio de Janeiro: Rocco, 2002.
VINCENT-RICARD, Françoise. As Espirais da Moda. Tradução: Maria Inês Rolim. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.
Grupo de Danças da Corte - Viagem Medieval 2011 - Pavana
1581
Renaissance Consort No. 7
039 Renaissance Dance Pavane
Louis 14
The best dance scenes from "Le Roi Danse." Music by Lully
Danças barrocas:
G.F.Haendel - Watermusic (PART III: Hornpipe-Menuet-Rigaudon I/II-etc.)
Allemande - Dança de corte barroca
Mr. Beveridge's Maggot (Emma)
Arquitetura na Idade Média - período Gótico
Arte na Idade Média
Na Era Gótica não se sabia equacionar a representação espacial das formas e volumes.
As regras da perspectiva só seriam desenvolvidas na Renascença.
Passagem do Feudalismo para o Renascimento:
Estabelecimento do pensamento racional - A partir das rotas de mercado (comércio), inicialmente por terra e depois marítima.
Felipo Brunelleschi (Florencia, 1377-1446) redescobriu a perspectiva. Transformou a linguagem arquitetônica da época num sistema estável, preciso e baseado em estudos científicos.
Brunelleschi influênciou Masaccio.
Masaccio influênciou Michelangelo e Da Vinci.
Moda não é universal.
Teve origens no final do período medieval - Talvez por causa da expansão mercantil.
Pouca mudança até o século XIV - Antes disso as mudanças da forma eram quase nulas.
A Arquitetura tem uma ligação muito íntima com a Moda. O volume e formas das roupas se modificam conforme a arquitetura da época.
Flashmob Flash Mob - Ode an die Freude ( Ode to Joy ) Beethoven Symphony
Ludwig Van Beethoven- N°9 Sinfonia -Versão Completa/Full Version
Moda = velho e novo
presente e passado
imobilidade e mobilidade
Simbologia do infinito
Vai e vem
Fenômeno de costume - quando o novo se torna uma exigência cultural e um hábito.
É um rótulo social definido por uma temporalidade muito breve e de mudanças rápidas envolvendo vários setores da vida.
"O ato de vestir 'transforma' o corpo, e essa transformação não se refere a um único significado biológico, fisiológico, mas a múltiplos significados, que vão daquele religioso, estético, àquele psicológico." (Calanca, 2008)
"Pés de Lótus" ou "Pés Pequenos": Um imperador nos finais do século IX (algumas versões dizem que foi no séc. V), se apaixonou por uma concubina com os pés muito pequenos que dançava sobre um palco em forma de flor de lótus. A partir daí as mulheres foram obrigadas a quebrar e amarrar os pés para ficarem iguais ao da amada do imperador. A prática começava aos 4 anos de idade.
Documentações figurativas: Importantes para referêncial de época para roupas que não existem mais. Contudo, não podem servir como padrão para todos.
Exemplo: A imagem de Luis XIV está cheia de simbologias referentes apenas à nobreza, até mesmo nas cores, sendo que certas coisas, só ele podia usar...
Desaprovação das roupas das mulheres e jovens no século XV: Rapazes, sobretudo, eram criticados por usarem espelhos na bolsa ou à mão. Da mesma forma, por usarem casacos coloridos, estofados, aderentes e curtos, que mostravam as calças apertadas que delineavam as nádegas e a genitália.
Mulheres e jovens são considerados uma vergonha na Itália, pois cedem às modas 'vergonhosas' que são exibidas nos bailes.
Ciclicidade da Moda: desde o século XV observa-se a repetição de estilos anteriores.
Durante o período gótico – século XII ao século XV - imperou a verticalidade e os arcos de ogiva.
Séculos XIV, XV e XVI
1ª Fase:
Pinturas: primitivas.
Corpo: naturalista.
Espaço: intuitivo.

Tentam seguir o raciocínio da perspectiva, mas não conseguem simbolizar isso. É como se fosse uma pintura de criança.
"Crevole Madonna". Duccio Di Buoninsegna (1257 - 1318).
Depois: Corpo e espaço usando perspectiva.

Características:
Naturalismo (captação da natureza tal e qual os olhos veêm);
Linearidade;
Equilíbrio (composições organizam-se à partir de um eixo de simetria);
Emprego de perspectiva linear;
Presença de elementos clássicos;
Nacionalismo presente.
Eventos
1503 - Leonardo da Vinci inicia a pintura da Mona Lisa que conclui três ou quatro anos depois.
1506 - Massacre de Lisboa, centenas de Judeus e Cristãos-Novos são mortos.
1509 - Coroação do rei Henrique VIII de Inglaterra
1512 - O teto da Capela Sistina, pintado por Michelangelo Buonarroti é exibido ao público pela primeira vez
1516/1517 - os Otomanos derrotam os mamelucos e controlam o Egipto, o litoral da Arábia Saudita e o Levante.
1517 - Martinho Lutero publica as Noventa e Cinco Teses. Início da Reforma.
1519 - Morre Leonardo da Vinci.
1519/1522 - Primeira viagem de circum-navegação da Terra por Fernão de Magalhães e Juan Sebastián Elcano
1521 - Hernán Cortés conquista Tenochtitlan, capital do Império Azteca
1527 - Saque de Roma, pelo exercito Imperial de Carlos V e seus mercenários alemães.
1531/1532 - A Igreja Anglicana rompe com a Igreja Católica.
1532 - D.João III de Portugal institui quinze capitanias hereditárias no esforço de defender o território no Brasil,
1532 - Martin Afonso de Souza inicia no Brasil a cultura de cana de açúcar.
1534 - Acto de Supremacia na Inglaterra. O rei Henrique VIII rompe com Roma e declara-se chefe da Igreja.
1536 - Establecimento da Inquisição em Portugal
1543 - Primeiros mercadores portugueses, com Fernão Mendes Pinto, chegam a Tanegashima no Japão, sendo também os primeiros ocidentais a entrarem no país.
1549 - Tomé de Sousa funda Salvador, nomeada capital, sem nunca ter sido província.
1599 - William Shakespeare escreve a tragédia Hamlet
Um dos símbolos renascentistas, teve sua construção iniciada final do século XV.
Igreja de Il Gesú - Vignola y Giacomo della Porta.
Roma - século XVI
A Arquitetura: Antigos tratados arquitetônicos romanos são redescobertos pelos novos arquitetos, influenciando profundamente a nova estrutura.
"Alegoria da Primavera". 1482. Sandro Botticelli.
As formas das roupas passaram a mudar rapidamente, assim como os detalhes.
Trajes adaptados ao indivíduo, se parecendo com os modernos.
O corte passou a ser mudado de tempos em tempos.
Leis suntuárias do séc. XIII à XVII:
Consumo conforme sua classe social.
Surge com a Contra Reforma.
Características:
Contrastes de luz (tem muitas sombras, mas a luz representa Deus);
Sensualidade;
Teatralidade;
Fragmentação do tempo (o tempo perde o caráter de eternidade (como uma faca pairando no ar);
Unidade: todos os indivíduos interagem numa ação coletiva.
No fim do século XVIII e início do XIX, a Europa assistiu a um grande avanço tecnológico, resultado direto dos primeiros momentos da Revolução Industrial e da cultura iluminista.
Buscava-se uma síntese espacial e formal mais racional e objetiva, mas ainda não se tinha uma ideia clara de como aplicar as novas tecnologias em uma nova arquitetura. Inseridos no contexto do neoclassicismo nas artes, aqueles arquitetos viram na clássica a arquitetura ideal para os novos tempos.
O Barroco
Rococó e Neoclassicismo
Palácio Real de Queluz, 1747-1807
O Rococó: Surge na França (ao contrário do Barroco que surge na Itália). Retratava a frivolidade da nobreza.
Era muito adornado, mas leve, gracioso, usava ouro em fundos brancos, luminoso e feminino.
Johannes Vermeer, Moça com Brinco de Pérola, 1665
Na música: Mantém as flutuações de claro e escuro do Barroco, porém de uma forma mais leve, mais sutil.
Bach, Mozart, Beethoven.
Neoclassicismo (+-1770)
Nas artes: condenava-se a frivolidade do Rococó. Mantém o caráter do claro e escuro, mas não tão sombrio como no Barroco.
Ideais:
Liberdade - A deusa Atena transforma-se no símbolo da democracia e da tolerância política para os progressistas.
O Neoclassicismo representa os anseios da população.
Serve ao Estado e não à Igreja.
Celebra o culto à virtude política.
Resgata a Grécia Antiga e seus ideais democráticos.
O Juramento dos Horácios, do francês Jacques-Louis David (1748-1825).
A arquitetura reflete a busca pela democracia. Suas soluções utilizarão os sistemas clássicos
Jean-Auguste Dominique Ingres.
“A Banhista“, de 1808.
Os nobres eram retratados como figuras clássicas.
Retratavam as pessoas de bem com a vida, sem contrastes de claro e escuro.
Jean-Honoré Fragonard. La Liseuse; 1772.
Rococó
Regência: 1715-1730
Rocaille: 1730-1745
Pompadour: 1745-1756
Na Arte:
Velasques
Caravaggio
Rubens
Van Dyck
Jan de Heer
Vermeer
Rembrant
Na música:
Vivaldi
Bach
Barroco é o nome do estilo que dominou as artes decorativas e belas artes ao longo do século XVII e início do século XVIII.
Caracterizado por ornamentação extravagante e rigidez, é associado ao reinado de Luís XIV na França. Depois de sua morte (1715), a pompa e formalidade deram lugar ao período mais leve e caprichoso do Rococó.
Rembrant
Caravaggio. "Narciso".
Revolucionismo:
A Revolução Francesa desencadeou uma imensa mudança nos modismos populares. As linhas suntuosas e artificiais do período Rococó foram abandonadas em favor da simplicidade e do naturalismo, valores afinados com o ideal igualitário da revolução.
Naturalismo:
Dominou a moda francesa a partir de 1780. Foi marcado pela rejeição aos artifícios e extravagâncias infundadas, e, favor da simplicidade, do conforto de um crescente ressentimento em relação à monarquia francesa.
Também conhecido como estilo Diretório ou Linha Império, o Neoclassicismo (1795-1820) foi um modismo recatado, relativamente simples e linear, que buscou inspiração no Classicismo da Antiguidade grega e romana. O abandono radical dos modelos elaborados do Rococó reflete os princípios democráticos da recém fundada República Francesa, no período pós revolucionário.
Quinta da Boa Vista - RJ
Memorial Jefferson - USA
Celtic Woman - Jesu Joy of Man's Desiring (live)
O nome é originário do francês rocaille, um tipo de ornamentação de superfícies com pedras e conchas, e traduz bem o que foi o reinado de Luís XV (1715-1774). Esse estilo, jocoso e decorativo, teve expressão na arquitetura, na decoração de interiores e em modismos do período, em especial na França. Era alegre, leve e belo.
Maria Antonieta
Palácio de Versalles
.R.E.M. - Losing My Religion (Official Music Video) .
Observe que o vestido longilíneo lembra as próprias colunas da arquitetura de época.
Como o movimento de mãos do maestro.
E hoje? Como relemos a arte e os conceitos estéticos destes tempos? Como relemos, por exemplo, a estética de um artista como Caravaggio?
Perfume - The Story of a Murder [France - Being Born Scene] .
Profª Liliane Abreu
liaabreu01@yahoo.com.br
Não esqueçam:
Infinito, como as mãos do maestro.
A música e o jeito de se dançar sempre foram de fundamental importância na estrutura das roupas.
Full transcript