Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Teoria da Polidez Linguística (Brown&Levinson)

No description
by

andreia turolo

on 11 July 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Teoria da Polidez Linguística (Brown&Levinson)

(BROWN; LEVINSON, 1974)
Teoria da Polidez Linguística
Estimativa de risco de perda de face
Exercitando
(i)FACE, uma autoimagem pública que todo indivíduo quer construir sobre si mesmo e que consiste de dois aspectos relacionados:
a)FACE NEGATIVA: o desejo básico de território, de preservação pessoal, de direitos para não ser impedido, ou seja, desejo de ter liberdade de ação e liberdade para não sofrer imposição.

b)FACE POSITIVA: consiste na autoimagem ou personalidade, inclui o desejo crucial de que esta autoimagem seja apreciada e aprovada pelos outros indivíduos.
(ii) Certas capacidades de RACIONALIDADE, em modos particulares consistentes de racionalização sobre as finalidades até os meios que permitam alcançá-las.
FACE
RACIONALIDADE
PM
PM
FACE
RACIONALIDADE
Wx = D (S,H) + P (H,S) + Rx
bald on
record

1
(1) Me ajude!
(3) Cuidado! Seu cabelo está pegando fogo!
(19) Me dá uma mãozinha aqui.
(20) Passe os pregos.
(29) Sua peruca está caindo. Deixe-me arrumá-la pra você.
(37) Vá com Deus!
(58) Não repare a bagunça.
(60) Pode ir primeiro.
Esta estratégia segue todas as máximas de Grice:
-Qualidade: não seja falso (seja verdadeiro, sincero).
-Quantidade: (a) não diga menos do que é requerido; (b) não diga mais do que é requerido.
- Relevância: seja relevante.
- Modo: seja claro, evite ambiguidades e obscuridades.
na lata
equalizados
indiretos
2
polidez positiva
3
polidez
negativa

4
off
record

(1) Goodness, you cut your hair! (...) By the way, I came to borrow some flour.
Nossa, você cortou o seu cabelo! (...) Aproveitando, você tem um pouco de farinha pra me emprestar?
(10) What a fantástic gárden you have!
Que jardím líndo você tem!
(19) I come down the stairs, and what do you think I see? - a huge mess all over the place, the phone´s off the hook and clothes are scattered all over....
Eu desço as escadas, e o que você acha que eu vejo? Uma bagunça enorme, o telefone fora do gancho, as roupas espalhadas...
(26) Here mate, I was keeping that seat for a friend of mine...
Aqui irmão, Eu tava guardando esse lugar pra um amigo...
(36) Got any Winstons?
Tem um Malboro?
(35) Come here, Johnny. / John Henry Smith, you come here right away;
Tópicos seguros: Isn't you new car a beautiful colour!
A cor do seu carro é linda!
(44) A: John went to London this weekend! B: To Lóndon!
A: John foi a Londres neste final de semana! B: A Lóndres!
(50) A: So is this permanent? B: Yes, permanent - permanent until I get married again.
A: Então isso é permanente/definitivo? B: Sim, definitivo - definitivo até que eu me case de novo
(57) I'll meet you there then.
Encontro você lá, então.
White lies:
(64) Oh I can't. The batteries are dead.
Oh, desculpe. Estou sem bateria (créditos).
Dêixis: John came to London
John veio a Londres.
(78) I had a really hard time learning to drive, didn't I?
Foi difícil pra eu aprender a dirigir, não foi?
(83) Ok, now, let's stop the chatter and get on our little essays.
Ok, agora vamos parar a conversa e escrever nossos textozinhos.
(82) Yes dear, It hurts terribly, I know.
Sim, meu amor, dói muito, eu sei.
(95) Here is the man I could trust. (not there or that)
Aqui está o homem que eu posso confiar.
(102) Wouldn't you like a drink?
Você não quer um drink?
(109) I was watching High Life last night and...
(115) How about lending me this olk heap of junk?
Que tal me emprestar a sua lata velha? (o carro novo de H)
(116) Look, I know you want the car back by 5 pm, so shouldn't I go to town now?
Dentro da esfera da cooperação, a promessa mostra que o que quer que H queira, S quer também, por isso promete, e equaliza a face positiva (mesmo que seja falsa).
(119) Wait a minute! You haven't brushed your hair!
Espere ai! Você não penteou/escovou os cabelos!
(126) I'm borrowing your scissors for a sec, ok?
Vou emprestar a sua tesoura um minutinho, tá bom?
(129) Let's have a cookie then.
Vamos comer um biscoitinho, então.
(130) Let's get on with dinner, eh?
Vamos comer o nosso jantar?
(139) Why not lend me your cottage for the weekend?
Por quê não me empresta o chalé no final de semana?
(140) Why don't we go to the seashore?
Por quê não vamos a praia?
I'll do X for you and you'll do Y for me.
Eu faço X pra você e você faz Y pra mim.
um presente mesmo, ou satisfazer o desejo de ser gostado, admirado, ouvido, cuidado etc...
(1) Can you pass the salt?
Você pode passar o sal?
(5) Can you play the piano?
Você pode/sabe tocar piano?
(34) Lend me your car.
(33) What a nice car! May I borrow it for a sec.
(32) I'd like to borrow you car, if you don't mind.
(31) Would you have any objections to my borrowing your car for a while?
(30) Could you possibly by any chance lend me your car for just a few minutes?
(29) There wouldn't I suppose be any chance of your being able to lend me your car for just a few minutes, would there?
(30) True friends share things.
Me dá o café aqui.

Não tome este café! Está envenenado!!

Pode passar o café?

Poderia passar o café, por favor?

Desculpe te incomodar, mas eu gostaria de tomar uma xícara de café também. Você poderia passar pra mim por favor?

Mmmm, que cheirinho bom! Adoro café...
(55) I wonder if you know whether John went out.
Será que você saberia dizer se John saiu?
(122) Come if you want to eat.
Venha se quiser comer.
(240) Here you wouldn't have brought money, would you?
Ei, você não trouxe dinheiro, trouxe?
(243) I don't imagine there'd be any chance of you...
Será que por acaso haveria alguma chance de você...
(253) I just want to ask you if I can borrow a tiny bit of paper.
Eu só queria perguntar se eu poderia emprestar um pouquinho de papel.
Please, bring your ennobling presence to the hut of this dustlike person sometime.
Por favor, traga sua nobre presença ao barraco desta pobre pessoa as vezes. (p. 179)
(268) We look forward very much to eating/dining with you.
Queremos muito sair pra comer/jantar com você.
(295) I'm sure you must be very busy, but...
Eu sei que você está muito ocupado, mas...
Em vez de: I regret that...
Diria: It is regretted that...
Em vez de: If you can do it...
Diria: If it's possible...
(414) I am sorry, but late-comers cannot be seated the next interval.
Desculpe-me, mas os atrasados não podem se sentar (entrar) até o próximo intervalo.
(419) We urgently request your cooperation. (em vez de: that you cooperate).
Nós pedimos a sua cooperação com urgência.
(425) I'll be eternally grateful if you would....
Serei eternamente grato se você fizesse....
(1) It's cold in here.
Está frio aqui.
(7) Oh God, I've got that headache again.
O céus, estou com aquela dor de cabeça de novo.
(13) I washed the car again today.
Eu lavei o carro de novo hoje.
(18) A: What do you think of Harry? B: Nothing wróng with him. (I don't think he's very good).
A: O que você acha do Harry? B: Legal.
(36) I tried to call a húndred times, but there was never any answer.
Eu tentei ligar um milhão de vezes, mas ninguém atendia.
Sarcasmo
(39) Oh no, Mr Smith, we never meant to cause you any trouble. Nothing could have been further from our minds. I can't imagine how you could come to that conclusion. It's out of the question...

A não, Sr Smith, nós nunca quisemos causar a você problema algum. Nunca isso nos passou pela cabeça. Eu não posso imaginar como você pode ter chegado a essa conclusão. Está muito longe disso...
(40) War is war.
Guerra é guerra.
(49) A: Do you have a girfriend? B: Well, yes and no.
A: Você tem uma namorada? B: Bom, sim e não.
(51) John is a real genius! (ele acabou de fazer 10 coisas estúpidas).
(62) He is the son of a Jain household.
Ele é um herdeiro da família Jain.
(64) How was I to know?
Como eu poderia saber?
(79) Just who didn't he scold?
E quem foi que ele não agrediu/feriu?
(80) John's a pretty sharp/smooth cookie.
(81) It looks like someone may have had too much to drink.
Parece que alguém bebeu mais do que deveria.
(86) Mature people sometimes help do the dishes.
Os adultos às vezes ajudam a lavar as louças.
Enderece a FTA para alguém que está ao lado de H, cuja face está protegida.
(91) Well, if one leaves one's tea on the wobbly table...
Bom, já que deixaram isso dando sopa...
Argumento resumido:

(i) Tanto o S (falante) quanto o H (endereçado) são PMs. Todo PM tem face positiva e face negativa, e todo PM é um agente racional, ou seja, é capaz de escolher os meios que podem satisfazer os seus objetivos.

(ii) Entendendo a face como um conjunto de desejos que podem ser satisfeitos somente pelas ações dos outros, será de mútuo interesse dos dois PMs, em geral, querer preservar a face um do outro. Então S desejará preservar a face de H, a menos que S possa conseguir que H preserve a sua própria face, ficando S sem recompensa (pela coerção, trapaça etc.).

(iii) Alguns atos ameaçam a face intrinsecamente. Esses atos de ameaça de face serão chamados de FTAs.

(iv) A menos que a vontade de S de realizar um FTA com o máximo de eficiência (chamado bald on Record) seja maior do que a vontade de S de preservar a face de H (ou de S) em algum grau, então S desejará minimizar a ameaça de face do FTA.

(v) Dado um conjunto de estratégias, quanto mais um ato ameaça a face de S ou de H, mais S desejará escolher uma estratégia de número mais alto; isso porque as estratégias proporcionam recompensas de um risco cada vez menor.

(vi) Uma vez que os itens anteriores são mutuamente sabidos para todos os PMs, não escolherão uma estratégia menos arriscada do que o necessário, como pode ser visto como uma indicação de que a FTA é mais ameaçadora do que de fato é (B&L, 1987, p. 59-60).
A interação com o outro envolve um princípio de cooperação: parte-se do pressuposto de que todos os participantes de uma interação social se conformam com o Princípio de Cooperação, conforme definido por Grice, “dê sua contribuição à comunicação na maneira solicitada, no momento em que ela ocorre, pelo objetivo reconhecido da comunicação em que você está participando” (Armengaud, 2006, p.88).

A natureza da comunicação humana poderia ser descrita como um tipo de interação reconhecida pelos interagentes em que um agente age sistematicamente conforme as suas intenções e, a partir disso, as intenções de outros agentes são reconstruídas, numa relação sistemática que pode ser pressuposta ou presumida por uma dada racionalidade entre meios e finalidades (B&L, 1987, p. 55).
Atos que ameaçam a face negativa de H: ordens, pedidos, sugestões, conselhos, memorandos, ameaças, desafios...
Atos que ameaçam a face positiva de H: desaprovação, crítica, desprezo, ridicularização, discordância, insulto, reclamação...
Atos que ameaçam a face negativa de S: expressar agradecimento, aceitar desculpas, aceitar ofertas...
Atos que ameaçam a face positiva de S: pedido de desculpas, aceitar um elogio, perder o controle corporal, confissões...
Full transcript