Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

CLASSE E ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL (pg. 152)

No description
by

Paulo Stumpf

on 20 May 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of CLASSE E ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL (pg. 152)

CLASSE E ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL
(pg. 152)

Professor
Paulo
Stumpf

GOAL!
Quando vemos na TV que o governo criou uma política de assistência social, quando ouvimos dizer que a renda de determinados indivíduos subiu ou lemos no jornal que a classe média aumentou em escala nacional nos últimos anos, estamos, mesmo sem perceber, nos informando sobre questões relacionada à teoria das classes e à teoria da estratificação social.
A sociologia pode ser definida como uma ciência da sociedade que por sua vez é constituída por relações sociais.

Assim, para a Sociologia um indivíduo não é apenas um organismo vivo, mas uma síntese de relações sociais historicamente determinadas:

a síntese de um tipo de educação formal e familiar, de um tipo de cultura, de economia e de um conjunto de ideologias específicas presentes em certa sociedade.
Uma das formas utilizadas pelos meios de comunicação para diferenciar as classes sociais é uma análise estatística de divisão baseada na renda.

Define-se a classe social levando em conta apenas a renda familiar, isto é, a soma dos salários mensais das pessoas que vivem na mesma moradia.

Como resultado, temos a definição de classe A, B, C, D e E.
A sociologia parte do pressuposto de que a sociedade é composta de conjuntos de relações sociais, e não de indivíduos.

Um indivíduo, um grupo, uma classe, um estrato só tem sentindo sociológico se pensado dentro da estrutura geral da qual fazem parte.
A DIVISÃO DA SOCIEDADE EM DURKHEIM: GRUPOS PROFISSIONAIS OU FUNCIONAIS.
Durkeim foi um dos primeiros pensadores a delimitar o campo das análises sociológicas. Para especificar esse campo, desenvolveu os conceitos de:

-FATO SOCIAL: são gerais (generalização), ou seja, estão presente em quase toda a sociedade. São coercitivas (coercitividade), pois fazem parte de um conjunto de normas sociais e que somos pressionados para realizá-los. Os fatos sociais possuem externalidade (externalidade) por existir antes do indivíduo e ser independente dele. Em outras palavras, é a maneira pensar, agir e sentir dos indivíduos, que são exteriores e coercitivos a eles.

-DIVISÃO DO TRABALHO: é o elemento social que impulsiona o desenvolvimento das sociedades, criando laços e solidariedades entre os indivíduos.

Para Durkheim, a sociedade não é apenas o somatório dos indivíduos nem a soma de instituições, como o governo, o Estado, a igreja, a escola, os partidos políticos e os sindicatos: ela é um fato social único , ou seja, age sobre os indivíduos de forma coercitiva, é exterior ao indivíduo e anterior a ele.

A sociedade é única na medida em que não depende do indivíduo: vai além da soma dos indivíduos que a compões.
Durkheim acredita que as normas e padrões sociais determinam as condutas individuais.

Ou seja, esse conjunto de relações sociais é o que confere a cada sociedade o seu caráter único, específico.
Para Durkheim, as primeiras sociedades foram marcadas pela solidariedade mecânica que era marcada pela semelhança e possui baixo nível de divisão do trabalho.

Quando esta forma de solidariedade domina uma sociedade, os indivíduos diferem pouco uns dos outros.

Membros de uma mesma coletividade, eles se assemelham porque tem os mesmos sentimentos, os mesmos valores, reconhecem os mesmos objetos como sagrados. A sociedade tem coerência porque os indivíduos ainda não se diferenciam.
SOLIDARIEDADE MECÂNICA
Com o desenvolvimento da divisão do trabalho, surgiu a forma oposta de solidariedade, a orgânica.

É aquela em que o consenso (a unidade coerente da coletividade) resulta de uma diferenciação, ou se exprime por seu intermédio.
Os indivíduos não se assemelham, são diferentes.

A consciência coletiva como elemento moral de agregação e integração dos indivíduos se torna mais fraca diante da desigualdade e da diferenciação de funções profissionais especializadas.

A interdependência funcional entre os indivíduos marca a solidariedade orgânica.

SOLIDARIEDADE ORGÂNICA
Os grupos funcionais ou profissionais são para Durkheim parte central da divisão social.

As classes sociais são pensadas com base nessa fundamentação funcional.

Capitalistas e trabalhadores se diferenciam na medida em que cumprem funções sociais diferentes e contribuem para o desenvolvimento da divisão do trabalho.

A divisão social tem relação com a forma predominante de sociabilidade ou solidariedade e tem seu centro nos grupos profissionais e nas organizações a eles relacionadas.
Nesses termos, Durkheim considera a formação profissional e a especialização como meios positivos de sociabilidade.

As corporações profissionais (à semelhança dos sindicatos) têm a função de aproximar o ser individual ao ser social a partir do estabelecimento de uma moral coletiva.
Às corporações profissionais cabe regular a relação entre capitalistas e trabalhadores e também entre os trabalhadores entre si, com o objetivo de afastar desse processo elementos que possam impedir o desenvolvimento adequado da divisão do trabalho.
CONCLUSÃO
Uma das referencias mais utilizadas pelos meios de comunicação para determinar a classe social é a divisão em estratos sociais baseados em renda.

Segundo Durkheim, nas sociedades com pouca divisão do trabalho os indivíduos são muito semelhantes e as regras, crenças e costumes são rígidos (expressão da consciência coletiva).
Nessas sociedades, marcadas pela solidariedade mecânica, a diferenciação entre indivíduos e grupos sociais é muito baixa.

Ainda segundo Durkheim, nas sociedades com muita divisão do trabalho há grande interdependência entre os indivíduos e a consciência coletiva é fraca. Nessas sociedades, marcadas pela solidariedade orgânica, a diferenciação entre indivíduos e grupos é muito alta.

1) COMO O LIVRO APRESENTA A DEFINIÇÃO DE CLASSES SOCIAIS?

2) COMO A SOCIOLOGIA DEFINE A POSIÇÃO DOS INDIVÍDUOS NOS DIFERENTES ESTRATOS SOCIAIS?

3) COMO DURKHEIM DEFINE A SOCIEDADE?

4) DEFINA FATO SOCIAL E DIVISÃO DO TRABALHO SEGUNDO DURKHEIM.

5) DEFINA A SOLIDARIEDADE MECÂNICA E ORGÂNICA. EM QUAIS SOCIEDADES SE ENCAIXAM CADA UMA DESSAS SOLIDARIEDADES?

6) O QUE GEROU A DIVISÃO DOS INDIVÍDUOS NA SOCIEDADE?

7) POR QUE O AUMENTO DA DIVISÃO DO TRABALHO E ESPECIALIZAÇÃO AUMENTARIA A INTEGRAÇÃO SOCIAL?

8) DEFINA CORPORAÇÕES PROFISSIONAIS.


QUESTÕES (pg. 153)
O valor dos salários, o tipo de trabalho, os posicionamentos políticos e ideológicos, o fato de sermos ou não proprietários dos meios para produzir nossa subsistência, ou mesmo se vamos ao cinema ou lemos livros com frequência, se gostamos de ópera ou quantos televisores temos em casa, se nossa casa é própria ou alugada, todas essas questões, assim como muitas outras, podem ser utilizadas como referência para definir a que classe, estrato ou grupo social pertencemos.
Full transcript