Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Endoparasitos

No description

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Endoparasitos

Eduardo Luiz Tavares Gonçalves
Filo Platyhelminthes
Filo Nematoda
Digenea
Cestoda
Endoparasitos de peixes
Digenea
> 5.000 espécies descritas
Ciclo de vida complexos,com vários estágios larvais
Forma do corpo geralmente oval, em forma de folha ou alongada
ventosa posterior
ventosa anterior
Ciclo de vida
Diplostomum pseudospathaceum
adulto
Metacercária
Estratégias comuns aos ciclos de vida
1: Rota complicada pelo ecossistema, com, no mínimo, um hospedeiro intermediário e dois estágios de vida livre

2: Reprodução sexuada + multiplicação assexuada

3: Transmissão entre o segundo hospedeiro intermediário e o hospedeiro definitivo envolve predação
Locais de Fixação
A maioria dos adultos vive no trato digestório, as larvas podem estar encistadas em vários locais dos hospedeiros:
Clinostomum sp.
Doença dos pontos amarelos
Localização: Brânquias, musculatura e olhos
Diplostomum sp.
Mortalidade 90%

Cegueira – susceptíveis à predação

Redução do crescimento

Hemorragias durante a migração para o cristalino
Leucochlrodium sp.
Maioria hermafroditos
Grupo mais especializado dos Platyhelminthes

Mais de 4.000 espécies descritas

Exclusivamente endoparasitos do intestino de vertebrados (adulto)

Não possuem boca, nem trato digestório;

Ciclos de vida complexo, 1 ou 2 hospedeiros intermediários
Cestoda
Esporocisto
Adulto
Ovos
Miracídio
Cercária
Ciclo de vida
Os plerocercóides: coloração branca ou creme; pode ser encontrado em diversos orgãos do peixe (gônadas, estômago, cecos pilóricos), inclusive nos músculos (até 5 centímetros).

Se o peixe com plerocercóides for ingerido por mamíferos (homem, cão, gato e urso) as larvas são liberadas durante o processo digestivo e amadurecem (produção de novo ovos 3 a 4 semanas).

No homem: ingestão acidental do microcrustáceo, ingestão de carne crua ou mal cozida de rãs, cobras ou mamíferos contendo o parasito.
Podem alcançar mais de 15 metros no homem, podendo viver por mais de 25 anos.
Locais de fixação
Patogenia
Distenção da cavidade visceral

Alteração da capacidade de natação (mais suscetível à predação)

Compressão dos órgãos internos
Larvas
Adultos
Peixes jovens são mais afetados
Oclusão intestinal (restrição da passagem de alimento)
Destruição epitelial pelos órgãos de fixação
Perfuração de várias camadas da parede intestinal
Diminuição do peso e das taxas de crescimento
Corte histológico de um cestóide no intestino de seu hospedeiro
Diphyllobothrium sp.
Nematoda
Parasitos muito frequentes em peixes

Medem de 1 mm à 1 metro de comprimento

Mais de 40.000 espécies descritas

Um dos grupos parasitos mais bem sucedidos
Ciclo de vida
Hoplias malabaricus
Traíra
Leporinus macrocephalus
Piauçu
Goezia leporini
Anisaquíase
Parasitose no trato intestinal dos seres humanos

Causada pela ingestão de peixes ou frutos do mar crus ou mal cozidos

Hospedeiros: sardinha, bacalhau, salmão, arenque, pescada, cavala, lulas
Gravidade, sintomas e sequelas
“ O Homem é um hospedeiro ACIDENTAL, no qual o juvenil não consegue alcançar a sua maturidade sexual”
Gástrica: associada a nauseas e vômitos que surgem 24-48 horas após a ingestão com a presença de sintomas cutâneos; ulcerações na parede do estômago, pode ser eliminada pela tosse.

Intestinal: sintomatologia semelhante a uma apendicite, podendo evoluir para uma perfuração intestinal.
Formas gastrointestinais:
Obrigado
Anguillicola crassus
Enguia japonesa x Enguia europeia
Maior susceptibilidade dos hospedeiros sem contato prévio com o parasito
Filo Myxozoa
Myxobolus cerebralis
Conhecida como doença do rodopio

Susceptibilidade diminui com o aumento da idade do hospedeiro (menor quantidade de cartilagem disponível para o desenvolvimento dos trofozoítos)

Ciclo de vida indireto, necessita de hospedeiros intermediário (geralmente um anelídeo)
Ataca zonas de cartilagem e forma cistos na musculatura
Cartilagem próxima da capsula auditiva: os danos levam a alteração da natação

Cartilagem da coluna vertebral: provoca pressão nos nervos que controlam a pigmentação (coloração preta)
Filo Acanthocephala
Presença de uma probóscide reversível e cheia de espinhos

Indivíduos dióicos

Ciclo de vida complexo

Não possuem trato digestório
Acanthocephala
Neoechinorhynchus curemai
Teoria de possam ter se originado de rotíferos extremamente modificados
Contracaecum sp.
Full transcript