Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

02 Coração, Circulação e Osteoporose

Walter Veith | TV Terceiro Anjo
by

Daniel Silveira

on 25 January 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of 02 Coração, Circulação e Osteoporose

Coração, Circulação e Osteoporose
Imagem 1
Osteoporose custa $1 milhão anuais
Mesmo comendo 1400 mg de cálcio por dia, pode-se perder até 4% da massa óssea por ano consumindo uma dieta rica em proteínas.

American Journal of Clinical Nutrition 1979; 32 (4): 741-749

Sob circunstâncias controladas o nível de proteína alimentar tem um efeito profundo e sustentável sobre o (nível de) cálcio na urina.
Federation Proceedings 1981; 40(9): 2429-2433
Cerca de 50'000 americanos morrem cada ano de problemas de alguma forma relacionados à osteoporose.
Osteoporosis International 1993; 3(3): 148-153
A proteína alimentar aumenta a produção de ácido (no sangue) que pode ser neutralizado por cálcio proveniente do esqueleto.
American Journal of Clinical Nutrition 1995; 61(4): 909
A osteoporose é causada por uma série de fatores, sendo um dos mais importantes o excesso de proteína na alientação!
American Journal of Clinical Nutrition 1974; 27(9): 916-925. Journal of Nutrition 1981; 111(3): 545-552; 553-562. Science 1986; 233 (4763): 519-520.
Proteína:
que Quantidade?

Quanidades segura de consumo de proteínas propostas pela ONUAA. Os valores não estão ajustados segundo o valor nutricional da proteína.
Idade

3-6 meses
6-9 meses
9-12 meses
1-2 anos
2-3 anos
3-5 anos
5-7 anos
7-10 anos
10-12 anos
12-14 anos
14-16 anos
16-18 anos
Adultos
Homens

1.85
1.65
1.50
1.20
1.15
1.10
1.00
1.00
1.00
1.00
0.94
0.88
0.75
Mulheres

1.85
1.65
1.50
1.20
1.15
1.10
1.00
1.00
1.00
0.95
0.90
0.80
0.75
Gravidez:
acrescente 6g
Lactação:
0-6 meses: acrescente 17.5g
p/ maior que 6 meses: acrescente 13g
Unidade de medida:
g/KG/dia
Proteínas e
Cálcio
Relação entre o Consumo de Cálcio Taxa de Fratura do Quadril
Proteína e Cálcio
1. 2x mais consumo de proteína causou um aumento de 50% na excreção de cálcio
2. 142g de proteína por dia colocou todos os indivíduos em défcit de cálcio
3. Proteína de soja mantém o equilíbio de Cálcio em 90g/dia por causa do baixo índice S e baixo índice P

4. Cálcio é essencial para homeostática
Acidez na Alimentação
Gorduras e óleos
Peixe
Grãos
- Pão
- Farinha
- Macarrão
0
7.9

3.5
7.0
6.7
mEq/100g de
porção comestível
Acidez média para o rim de acordo com vários alimentos
Acidez na Alimentação
Cárneos
Lácteos
- Leite e não-queijos
- Queijo de baixa proteína (<15%)
- Queijo de alta proteína (>15%)
Vegetais
Frutas e sucos de fruta
9.5

1.0
8.0
23.6
-2.8
-3.1
mEq/100g de
porção comestível
Acidez média para o rim de acordo com vários alimentos
Dez Proteínas Animais que Causaram um Alto Índice de Colesterol em Ratos
Dez Proteínas Animais que Causaram um Baixo Índice de Colesterol em Ratos
Leite e o Câncer de Mama
Glaskill, S.P., McChaire, W.I., et al. 197. Breast Cancer Mortality and Diet in the United States. Cancer Research Sep. 39 3628-3637
Produção de Queijo
Nata


Leite + Cultura
Ricota
fermentação
Lácteos e Osteoporose
Frutas, vegetais, nozes e legumes são boas fontes de boro, que ajudam a parar a perda de cálcio do corpo. Por ser pobre em boro e rico em fósforo e proteína, o leite não é um alimento bom para combater a osteoporose.
Nutrition Today Jan/Fev 1988; 4-7 FSAEB Journal 1987; 1: 394-397
Como os Fitoestrogênios Ajudam os Ossos
Da mesma forma que os estrogênios, eles tornam os osteoclastos que dissolvem os ossos menos ativos. ...Parecem estimular as células formadoras de ossos a formar osso novo.
Vários estudos confirmaram que o fitoestrogênio chamado genisteina é quase tão efetivo em prevenir a perda de osso em animais como Premarin, a prescrição mais comum na terapia de substituição de hormônios
Aumentam o teor mineral e a
densidade nos ossos

Estudos dinamarquêses chegaram à conclusão que o leite soja naturalmente rico em fitoestrogênios na verdade acaba com a perda de massa esquelética depois da menopausa. Mulheres que bebem leite de soja contendo 50 mg de isoflavonas por dois anos não perderam massa na sua coluna vertebral.
Em uma pesquisa australiana feita no Royal Women's Hospital em Melbourne, mulheres após a menopausa passaram por 5% de crescimento em teor mineral do osso quando comiam 45 gramas de produtos de soja todo dia por três mêses.
Personificadores e Bloqueadores do Estrogênio
Fitoestrogênios são capazes de personificar estrogênios por causa de sua forma geométrica molecular similar. Mas há diferenças importantes na forma em que funcionam. Fitoestrogênios são seletivos em seus efeitos porque são mais 'chatos' que os estrogênios sobre o lugar em que eles se acomplam.
Há dois tipos de receptores de estrogênio no corpo. São chamados de alfa e beta. Enquanto estrogênios normalmente faz a conexão igualmente com os dois receptores, prefere o beta. Isto é desejável, já que os receptores beta são numerosos no osso, cérebro e vasos sangíneos - lugares onde se sabe que o estrogênio tem efeitos positivos
Proteína Animal
vs.
Proteína Vegetal
Proteína vegetal contêm mais aminoácidos ramificados que protenas animais, e são mais digeríveis que proteínas animais
Proteína animal é rica nos aminoácidos
sulfúricos
cisteina e metionina, e também têm grande proporção dos aminoácidos
aromáticos
fenilalanina e tirosina.
O excesso desses dois grupos de aminoácidos foram assocados com várias doenças degenerativas.
Proteínas vegetais produzem maior quantidade de
arginina
e
gliceina
no sangue que proteínas animais.

E níveis mais altos destes aminoácidos estão associados à proteção contra entupimento das artérias e aretiosclerose.
Sanches, A., Horning, M.C. Wingeleth, D.C. 1983. Plasma amino acids in humans fed plant proteins. Nutrition Reports International. 28:3.
Uma elevada proporção de proteína alimentar animal em comparação com proteína vegetal aumenta a taxa de desgaste do osso e risco de fratura em mulheres após a menopausa.
Selmeyer et al. 2001. AJCN 73 (1): 118-122
Mulheres com o quintil mais elevado de relação de proteína animal/vegetal (>3.17) tiveram um risco quase 4x maior de fratura comparadas à mulheres com proporções menores, independentemente de outros fatores de risco, incluindo idade, consumo de cálcio, peso, uso de estrogênio, status de fumante, consumo de álcool e de proteína.
Dogma Atual
Grande consumo de proteína
Perda urinaria de Calcio
Défcit de Cálcio
Redução na massa óssea
Fraturas e deformidades
50 Carneiros Mutton Merino da África do Sul
100 de 12 dias de idade e pesando 28 3kg
5 grupos
12% proteína (Dieta básica - vegetal)
15% proteína (Básica + 3%
animal
)
17% proteína (Básica + 5%
animal
)
20% proteína (Básica + 8%
animal
)
17% proteína (Básica + 8% vegetal)
Grafico 24.24
Dieta Tradiconal Africana

vs.

Dieta Ocidental
Ca
++
E onde que consigo meu Cálcio?
Níveis de Cálcio
Alimento

Iogurte, pouca gordura
Vegetais, couve
Leite desnatado
Nabo
Repolho
Pontas de mostarda
Queijo cottage, pouca gordura
Brócoli
Grãos e macarrão
Pão
Feijão
Quantidade

1 xicara
1 xicara
1 xicara
1 xicara
1 xicara
1 xicara
1 xicara
1 xicara
1 xicara
2 fatias
1 xicara
mg/100g

415
400
300
250
250
200
160
150
100-150
100
100
Verduras como a couve, brócoli e couve-china são tão bons quanto o leite em termos de seu poder de absorção de cálcio.
Environmental Nutrition, janeiro de 1994, p. 3.
The American Journal of Clinical Nutrition 1990; 656-657
Sete Fatores de Longevidade
Não fumar
Dormir 7-8 horas
Tomar desjejum regularmente
Não comer entre as refeições
Manter o peso ideal
Exercício regular
Uso moderado ou abstinência do álcool
Gorduras e
Doenças Cardio-Vasculares

Estatísticas de Doenças Cardio-Vasculares
58'800'000 americanos têm uma ou mais formas de doença cardiovascular (CVD) - 1996

Pressão alta 50'000'000
Doença coronária do coração 12'000'000
Enfarte do miocárdio 7'000'000
Angina no peito (dor no tórax) 6'200'000
Derrame 4'400'000
Febre reumática/doença do coração 1'800'000
Colesterol
Cerca de 98.1 milhões de americanos adultos (51.9%) tem níveis de colesterol sanguíneo de 200 mg/dL ou maiores.
Colesterol
Colesterol
Aprox. 39.4 milhões de americanos adultos (aprox. 20%) tem níveis de 240 ou mais
Em adultos, 240 mg/dL ou mais é considerado um nível alto, e 200 a 239 mg/L são críticos.
American Heart Association
Colesterol
Um típico jovem de 19 anos de idade tem um nível de colesterol de 165 mg/dL, muito mais alto que na maioria dos países exceto a Finlândia e países baixos.
O que há de errado com os lácteos?
Comitê para Medicina Responsável - Washington, DC
1. Gordura e Colesterol - Produtos lácteos acrescentam colesterol e gordura à dieta. Comparando o status cardiovalcular de ovo-lacto vegetarianos com vegetarianos estritos comprovou que, enquanto os dois sejam mais saudáveis que a dieta carnívora, os vegetarianos estritos tem um status cardiovascular melhor que os vegetarianos que consomem lácteos.
JAMA 1985;254(10):1337-41; American Jounal of Clinical Nutrition 1989; 280-87.
A gordura do leite foi identificada como gordura (que eleva o nível do colesterol) e é primáriamente saturada.
Journal of Dairy Science 1991; 74(11): 4002-4012
Mitos do Colesterol
Câncer Mama
Maiores Índices de Câncer
http://www.wcrf.org/cancer_statistics/cancer_frequency.php
Osteoporose custa
$6 bilhões por ano
Fraturas da Bacia
Caseína
Soja
Caseína
Soja
Caseína
Soja
Caseína
Soja
Empurra mais forte, preciso me movimentar!
Não Precisa Muito
Uma caminhada de uma hora por semana reduz o risco cardiovascular notávelmente
Não fumar
Dormir 7-8 horas
Tomar desjejum regularmente
Não comer entre as refeições
Manter o peso ideal
Exercício regular
Uso moderado ou abstinência do álcool
Longevidade:
Proteína Vegetal Promove menores Índices de Colesterol em Coelhos
Consumo de gordura e mortes por câncer de mama
Níveis de colesterol plasma de ratos alimentados com uma ração de 18% de proteína derivada da soja e sólidos do leite.

Níveis médios de LDL de ratos alimentados com uma ração de 18% derivada de soja e sólidos do leite.
Níveis médios de LDL de ratos alimentados com uma ração de 18% derivada de soja e sólidos do leite.
Proporção HDL/LDL de ratos alimentados com uma ração de 18% derivada de soja e sólidos do leite.
Níveis médios de colesterol tendo caseína e soja como fonte de proteína
Proporção de HDL/LDL no plasma de coelhos
A surpreendente verdade sobre o coração das mulheres
Perda de Cálcio (urina e fezes)
Soja
Caseína
pH médio da urina
Perda fecal de Cálcio (mg/dia)
Produção de Ureia (mg +- SD/dia)
P<0.005

P< 0.05

P< 0.002

Perda Total de Cálcio na Urina (mg/dia)
P< 0.005
Massa fecal aquosa média (g/dia)
Soro


Coalhada
Coalhada + Soro
Queijo mole
Queijo duro
Full transcript