Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Frutos Nativos da Região sul do Brasil e seus principais mét

No description
by

Jéssica Cruz

on 13 March 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Frutos Nativos da Região sul do Brasil e seus principais mét


Butia catarinensis
Frutos Nativos da Região sul do Brasil
Universidade Federal de Pelotas
Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel
Programa de pós Graduação em Agronomia
Departamento de Fitotecnia

Eng. Agr. Jéssica G. Cruz
Pelotas, março de 2016
Caráter extrativista;
propagação sexuada (sementes);
Introdução
Grande variabilidade.
Isso implica necessariamente na seleção de indivíduos superiores, caracterizados e avaliados para serem introduzidos em projetos de cultivos de comercialização.
Mudas sadías;
Pomar comercial de qualidade:
Execução correta de práticas recomendadas;
Maior conhecimento do produtor e viveiristas com relação as espécies nativas.
O plantio de espécies frutíferas é uma boa opção de diversificação para a agricultura familiar em pequenas propriedades, assumindo um importante papel socioeconômico por absorver intensa mão-de-obra familiar e resultar em alto rendimento econômico por área.
Acca Sellowiana
(Goaiba serrana),

Butia catarinensis
(Butiá),

Eugenia pyriformis
(Uvaia),

Eugenia uniflora
(Pitanga),

Plinia peruviana
(Jaboticaba) e


Psidium cattleianum
(araçá).
Acca Sellowiana
Nome comum: Goiaba serrana
Família botânica: Myrtaceae
Na propagação sexuada as sementes são numerosas em cada fruto (em torno de 100) (Finardi, 2003) e apresentam bom poder germinativo, não necessitando de estratificação para germinar.
Propagação assexuada existem várias técnicas de propagar a espécie para garantir a reprodução da planta mãe: mergulhia de cepa, alporquia, enxertia, estaquia e micropropagação (Ducroquet et al., 2000)
Nome comum: Butiá
Família botânica: Arecaceae
A propagação da espécie se dá exclusivamente por semente. As sementes apresentam melhor taxa de germinação se semeadas logo após a coleta e posterior despolpamento.
Substrato bastante arenoso;
3 a 6 meses para germinar;
Temperaturas em torno de 50°C reduzem o tempo de germinação.
Eugenia pyriformis
Nome comum: Uvaia
Família botânica: Myrtaceae
A propagação é feita por sementes ou por enxertia;
Ainda, as sementes de uvaia possuem uma característica possivelmente de poliembrionismo em estudo, a qual confere à espécie a capacidade de, partindo-se de uma semente fracionada em até ¼, originar plântulas normais das partes (Silva et al., 2003).
Eugenia uniflora
Nome comum: Pitanga
Família botânica: Myrtaceae
Estaquia
Alporquia
Sementes
Propagação:

Passiflora actinia

Nome comum: Maracujá-do-mato
Família botânica: Passifloraceae
Propaga-se por sementes e vegetativamente, via estaquia. A viabilidade das sementes, germinabilidade e eficiência de enraizamento precisam ser pesquisadas e testadas.
Physalis pubescens
Nome comum: Fisális
Família botânica: Solanaceae
Em cultivos, a fisális tem sido propagada quase que exclusivamente por sementes, dada a significativa produção de sementes viáveis por fruto.
Plinia peruviana
Nome comum: Jaboticaba
Família botânica: Myrtaceae
Psidium cattleianum
Nome comum: Araçá
Família botânica: Myrtaceae
Sementes;
Poliembriônica.

Porta- exerto;
Garfagem;
Borbulhia.
Estaquia;
Mergulhia.
Para propagação do araçazeiro é comum o uso de sementes. Estas possuem germinabilidade aproximada de 80%, entre 15 e 30°C, e são fotoelásticas positivas, ou seja, necessitam de luz para germinar (Santos et al., 2004).
Estacas
Grata Pela atenção!
jessica.gonsalez@hotmail.com
Pelotas, março de 2016
Universidade Federal de Pelotas
Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel
Programa de pós Graduação em Agronomia
Departamento de Fitotecnia
Por desinformação, carência de pesquisas aprofundadas e divulgação deficiente, tais plantas são subutilizadas e, em sua maioria, são tidas como “inços”, plantas “daninhas” ou “plantas do mato”.
A utilização adequada destas espécies propiciaria aumento da diversidade alimentar e de renda para o produtor rural, além de contribuir para a conservação ambiental, especialmente pela valoração real destas espécies
Estudos de propagação;
Uniformidade dos frutos;
Caracterização de suas propriedades nutracêuticas.
Frutos nativos:
Métodos de propagação vegetativa:
Sexuada: Através de sementes, este método gera alta variabilidade genética, resultando em um pomar desuniforme com relação ao porte, vigor, produtividade e morte precoce de plantas.
Assexuada: mantém as características da planta matriz, reproduzindo qualidade, produtividade, vigor, sanidade e resistência a doenças.
Enxertia, Alporquia, mergulhia de cepa, estaquia e micropropagação.
Enxertia
Estaquia
Alporquia
Mergulhia
Micropropagação
Full transcript