Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Elaboração de texto técnico

No description
by

Patrícia Sosa Mello

on 27 March 2017

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Elaboração de texto técnico

Elaboração de texto técnico
Profa. me. patrícia sosa Mello
A utilização da língua pressupõe o conhecimento de regras.
Gramática normativa.
Como fazer bom uso da Língua?
O bom comportamento linguístico: adequação à situação concreta de comunicação.
Regras importantes:
O trema é eliminado em palavras da língua portuguesa.
Ex.: Lingüiça agora linguiça.
Acento tônico – correspondente à maior intensidade sonora com que se pronuncia certa sílaba das palavras – a sílaba tônica.
Acento gráfico - sinal utilizado para indicar a sílaba tônica de certas palavras.
Classificação: oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas.
Não se acentuam os ditongos abertos -ei e –oi nas palavras paroxítonas. Exemplos: ei: ideia, colmeia // oi: boleia, panaceia.
O acento nos ditongos -éi e -ói permanece nas palavras oxítonas e monossílabos tônicos de som aberto: herói, constrói, dói, anéis, papéis, anzóis.
O acento no ditongo aberto –éu permanece: chapéu, véu, céu, ilhéu.
Não se acentua o hiato -oo.
enjoo (subst. e forma verbal),
voo (subst. e forma verbal),
coroo, perdoo, coo,
moo, abençoo, povoo
Não se acentua o hiato -ee dos verbos crer, dar, ler, ver e seus derivados (terceira pessoa do plural): creem, deem, leem, veem.
Não se acentuam as palavras paroxítonas que são homógrafas. Exemplo: pelo (substantivo e verbo) // para (verbo)
O acento diferencial permanece nos homógrafos: pode (3a pessoa do sing. do presente do indicativo do verbo poder) e pôde (3a pessoa do pretérito perfeito do indicativo).
O acento diferencial permanece em pôr (verbo) em oposição a por (preposição).
Não se acentua o -u tônico nas formas verbais rizotônicas (acento na raiz), quando precedido de -g ou -q e seguido de –e ou -i (grupos que/qui e gue/gui). Exemplos:
argui, apazigue, averigue, enxague, oblique
Não se acentuam o -i e -u tônicos das palavras paroxítonas quando precedidas de ditongo. Exemplos: baiuca, boiuna, cheiinho, saiinha.
Oxítonas: são acentuados os vocábulos terminados em: -a, -e, -o (seguidos ou não de s), -em, -ens: maracujá, ananás, café, você, dominó, paletós, vovô, armazém, armazéns, vintém, vinténs.
Monossílabos tônicos: terminados em –a, -e, -o (seguidos ou não de s) – pá, pé, pó, lê, vê, crê, dê.
paroxítonas: são acentuados os vocábulos terminados em: –i (s), -us, -l, -n, -r, -x, -ã (s), -um, -uns, ps, -on (s): júri, vírus, repórter, tórax, ímã, álbum, álbuns, Itália, cárie, bíceps, fórceps, rádon, prótons, elétrons, nêutrons.
Não se acentuam os paroxítonos terminados em –ens: polens, jovens, nuvens, homens.
Proparoxítonas: todos os vocábulos são acentuados. Exemplos: árvore, lâmpada, África, Ângela, pêssego, quiséssemos.
Uso do Hífen:
Não se emprega o hífen nos compostos em que o prefixo ou falso prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por r ou s, devendo essas consoantes se duplicarem. Exemplos:
antessala, antessacristia, autorretrato, antissocial, antirrugas, arquirromântico, arquirrivalidade, autorregulamentação, autossugestão, contrassenso, contrarregra, extrarregimento, infrarrenal, ultrarromântico,ultrassonografia, semirreal.
O uso do hífen permanece nos compostos em que os prefixos super, hiper, inter, terminados em -r, aparecem combinados com elementos também iniciados por -r. Exemplos:
hiper-rancoroso, hiper-realista, hiper-requintado, hiper-requisitado, inter-racial, inter-regional, inter-relação, super-racional, super-realista, super-resistente,super-revista
Não se emprega o hífen nos compostos em que o prefixo ou falso prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por vogal diferente.
autoaprendizagem, autoescola, autoestrada, autoinstrução, contraexemplo, contraindicação, contraordem, extraescolar, extraoficial, infraestrutura, intraocular, intrauterino, neoexpressionista, neoimperialista, semiaberto, semiautomático, semiárido.
O uso do hífen permanece nos compostos com prefixo em que o segundo elemento começa por -h:
ante-hipófise, anti-herói, anti-higiênico, anti-hemorrágico, extra-humano, neo-helênico, semi-herbáceo, super-homem, supra-hepático
Emprega-se o hífen nos compostos em que o prefixo ou falso prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por vogal igual:
anti-ibérico, anti-inflamatório, anti-imperalista, arqui-inimigo, arqui-irmandade, micro-ondas, micro-ônibus, micro-orgânico
nos compostos com os advérbios mal e bem quando estes formam uma unidade sintagmática e semântica e o segundo elemento começa por vogal ou -h:
bem-aventurado, bem-estar, bem-humorado, mal-estar, mal-humorado.
nos compostos com os elementos além, aquém, recém e sem:
além-mar, além-fronteiras, aquém-oceano, recém-casados, sem-número, sem-teto.
Não se emprega o hífen nas locuções de qualquer tipo (substantivas, adjetivas, pronominais, verbais, adverbiais, prepositivas ou conjuncionais): cão de guarda, fim de semana, café com leite, pão de mel , sala de jantar, cor de vinho, ele próprio, à vontade, abaixo de , acerca de, a fim de que, dia a dia.
São exceções algumas locuções já consagradas pelo uso: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia, ao-deus-dará, à queima-roupa.
Seja exigente quanto ao excesso de palavras, restringindo a redação ao essencial.
Evite as expressões-clichês
Full transcript