Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Trabalho Pissarra

No description
by

Carla Loureiro

on 2 April 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Trabalho Pissarra

Plano de aula Hepatite B Fatores de Risco Mãe adolescente
Raça negra
Atividade sexual com múltiplos parceiros
Estado civil solteira
Multiparidade
Baixa condição socioeconómica
Contato com ambientes fechados Escola Superior de Saúde
Instituto politécnico da Guarda
VI Curso de Enfermagem - 1º Ciclo A criança com doenças infeciosas: Hepatite B, Citomegalovirus, HIV, Toxoplasmose Elaborado por:
Carla Loureiro
Elisabete Silva
Filipa Gomes
Vanessa Castillo Hepatite B é uma infeção do fígado potencialmente fatal causada pelo vírus da hepatite B (VHB);
Tipo mais grave de hepatite viral;
Da família dos hepadnavírus Fonte: www.rituais.net Pode causar:
Cancro no fígado;
Cirrose hepática 5 Manifestações Clínicas Hepatite B Aguda Crónica Crianças com idade < 6 anos Nos adolescentes Detetada através Assintomática ou paucissintomáticas com clínica semelhante às gastrenterites agudas Mal-estar, fadiga, anorexia, náuseas e vómitos, maior excreção do vírus nas fezes e problemas extra-hepáticos como artralgias, glomerulopatias e acrodermatite papular Clinicamente silenciosa De rastreios analíticos em crianças, familiares de doentes ou de portadores do VHB Fonte: pt.gdefon.com Epidemiologia Diagnóstico Fonte:revistacrescer.globo.com O diagnóstico da hepatite B é baseado na história clínica, através do exame físico e marcadores sorológicos que indicam a presença de infeção ativa ou a infeção prévia. Nas análises laboratoriais: Teste da urina Imagens da colescintilografia Biópsia hepática Fonte:impactar-se.blogspot.com Fonte: hypescience.com Fonte: www.ebah.com.br Fonte: drisaacwalker.site.med.br Tratamento Hepatite B aguda Repouso Dieta Não termos que impor repouso à criança, no entanto é aconselhável proporcionar um ambiente calmo e as condições de descanso quando a criança sentir necessidade de descansar. Fonte:www.dicascaseiras.com Não se justifica dieta específica nem especial, basta oferecer à criança alimentos que ela goste e tolere. Fonte: ideias-fotografia.com Hepatite B crónica A vacina contra a hepatite B faz parte do Programa Nacional de vacinação na criança. Para além disso, é feito o rastreio sistemático em todas as grávidas. Fonte: elfpandora.blogspot.com Vias de transmissão Vertical Horizontal Fonte: eraumavezumaervilha.blogspot.com Fonte: www.tdhotels.com Esquema nacional de vacinação www.seligamulher.com.br A vacinação é um método profilático e seguro contra as doenças;
Quem está vacinado tem maior capacidade de resistência caso a doença surja;
Nas crianças, a 1 dose da vacina é feita à nascença, a 2 dose é feita aos dois meses, a 3 dose é feita aos seis meses Citomegalovirus DNA VÍRUS

Família herpesviridae
subfamília betaherpesvirinae Género cytomegalovirus Fonte: saude.abril.com.br Hospedeiro: Homem Manifestações clínicas Hepatomegalia;
Esplenomegalia;
Microcefalia;
Icterícia;
Petéquias;
Calcificações cerebrais;
Retardo de crescimento intrauterino;
Prematuridade;
Hidrocefalia;
Anemia hemolítica;
Pneumonite. Fonte: pt.wikinoticia.com História Foram descritas as inclusões citomegálicas 1921 Foi proposta a etiologia viral da citomegalia O vírus foi denominado vírus das glândulas salivares. 1970 2013 1904 Denominado citomegalovírus humano ou herpesvírus humano Epidemiologia - Mulheres entre 15 e 44 anos – 58%
- Infeção congénita viral - 0,5 e 2% dos recém-nascidos.
-Recém-nascidos sintomáticos - 30% morrem e, 60% ficam com sequelas graves Fonte: 5dias.net Fonte: diarios-deumadolescente.blogspot.com Diagnóstico Vias de Transmissão Saliva;
Urina;
secreção cervical;
Via respiratória trato digestivo;
Via sexual;
Órgaos transplantados;
Via transplacentária;
Leite materno;
Transfusão sanguínea. Fonte: donapapinha.blogspot.com TRATAMENTO Aciclovir Valaciclovir Globulina hiperimune específica para CMV Vacina experimental Fonte: www.2womenshealth.com Fonte: www.manxhealthcare.com Fonte: saude.sapo.pt Prevenção - Rastreamento pré-natal
- Lavagem das mãos
- Transfusão de sangue desleucocitado no recém-nascido
- Esterilização do leite de mães seropositivas Fonte: www.blogdajoice.com HIV Fonte: redesaudecplp.cidadaosdomundo.org - Retrovírus pertencente à subfamília do lentivírus.
- A doença ainda não tem tratamento. Já se descobriram 2 retrovirus humanos VIH-1 VIH-2 O VIH-1 é a principal causa das infeções por VIH, sendo responsável por mais de 80% dos casos no mundo. O VIH-2 é o mais prevalente na África Ocidental e, até ao momento, está circunscrito em termos de distribuição geográfica. Fonte: www.jornalista292.com.br Manifestações Clínicas Rigidez cervical,
Convulsões,
Cefaleias,
Mal-estar,
Fadiga,
Lesões orais,
Erupções cutâneas,
Desconforto abdominal,
Arrepios e febre,
Suores noturnos, Fonte:www.clmais.com.br Tosse seca, produtiva,Dispneia,Letargia,Confusão,Perda de Peso,Linfadenopatia,Edema progressivo generalizado. Etiologia - Origem desconhecida; - Alguns investigadores põem a hipótese de a fonte mais provável de infeção humana advir de primatas não-humanos; - As evidências sugerem uma origem africana; Fonte: www.obviorelativo.com Epidemiologia - Os primeiros casos de infeção surgiram no sexo masculino
- Passado dois anos apareceram os primeiros casos de SIDA nos cônjugues
- Em Portugal, 16,9% dos casos de SIDA são indivíduos de sexo feminino
- Um dos maiores desafios para as grávidas com SIDA, é saber a interação entre o vírus e a gestação Fonte: www.corposaun.com Fatores de Risco - Relações sexuais sem preservativo
- Múltiplos parceiros sexuais
- Atividade sexual anal ou oral
- Utilização incorreta do preservativo ou rotura do preservativo
- Feridas abertas, lesões, ou irritação da região genital
- Sangue contaminado
- Agulhas contaminadas- Todos os prestadores de cuidado.
- Implantes hormonais
- Exposição perinatal. Fonte: www.arsalgarve.min-saude.pt Vias de transmissão - O VIH pode ser transmitido de mãe para filho in útero e in parto; - Transmitido pós-natalmente através do leite materno contaminado Fonte: cleofas.com.br -O risco de infeção pelo VIH para um bebé amamentado é mais alto nos primeiros meses de vida, mas mantem-se apreciável durante toda a amamentação Diagnóstico O diagnóstico precoce acerca da infeção por VIH é importante para o planeamento familiar Algumas doentes optam por laqueação tubar como prevenção da transmissão vertical, outras usam métodos de barreira como prevenção da transmissão sexual. O desenvolvimentode fármacos tem diminuído a rapidez da progressão, a terapêutica antirretroviral funciona através da rotura do vírus em diferentes fases durante o seu processo de replicação Fonte: setimodia.wordpress.com O exame diagnóstico consiste no ensaio de anticorpos que medem a resposta do sistema imunitário a partir da exposição ao antigénio específico. Quando o antigénio entra no hospedeiro, o sistema imunitário reconhece-o e produz anticorpos específicos contra ele. Fonte: anapaula104.blogspot.com Medidas de prevenção Os Profissionais dos Centros de Saúde, tem um papel importante para identificar, desenvolver e avaliar:

- Conhecimentos da população acerca do VIH;
- Métodos corretos de previnir o contágio;
- Recursos existentes para os infetados;
- Barreiras que se opõem à adesão do diagnóstico precoce para o VIH Fonte: economico.sapo.pt TOXOPLASMOSE O Toxoplasma Gondii é um protozoário intracelular, é adquirido através da ingestão oral, por via transplacentária ou via parenteral. Fonte: curiosidades-felinas.blogspot.com (Behrman, kliegman, Nelson e Vaughan, 1994) Manifestações Clínicas A maioria dos casos de infeção é assintomática. No entanto pode manifestar-se por:
- recusa alimentar,
- febre,
- exantema,
- petéquias,
- linfadenopatia,
- hepatomegalia,
- esplenomegalia,
- icterícia,
- hidrocefalia ou microcefalia,
- microftalmia,
- convulsões,
- calcificações cerebrais,
- coriorretinite Fonte: www.mdsaude.com (Behrman, Jenson, e Kliegman, 2004) Etiologia Multiplicam-se apenas em células vivas. Os cistos teciduais podem conter milhares de parasitas e permanecer nos tecidos durante toda a vida do hospedeiro.






Gatos e outros felinos recém-infetados excretam oócitos infecciosos de Toxoplasma nas fezes. Estes oócitos mantem a sua viabilidade por um ano ou mais. Fonte: www.gatosmania.com (Behrman, kliegman, Nelson e Vaughan, 1994) Epidemiologia A prevalência de toxoplasmose no mundo depende principalmente da região geográfica e dos hábitos alimentares e de higiene, oscilando entre 0,1 e 3,5 / 1000 nados-vivos, para uma taxa de infeção materna entre 2-7 / 1000. Fonte: produto.mercadolivre.com.br (Palminha e Carrilho, 2003) Patogenia Dentro dessas células, eles multiplicam-se, causam lise celular e disseminam-se para todo o corpo por via hematogénica ou linfática. A proliferação dos taquizoítos resulta na rutura das células infetadas e, posteriormente, áreas de necrose tecidual localizada circundadas por infiltrados de células inflamatórias. Após a aquisição, os microrganismos invadem as células diretamente ou são fagócitos por leucócitos. Fonte: blogdevelasquez.blogspot.com (Krugman, Katz, Gershon e Wilfert, 1994) Diagnóstico - Hemograma: anemia, trombocitopenia, leucocitose ou leucopenia, eosinofilia >30%.

- Líquido cerebrospinal: hiperproteinorraquia, pleocitose com predomínio de mononucleares.

- Tomografia de crânio: calcificações cerebrais, atrofia cortical, dilatação ventricular.

-Fundoscopia: coriorretinite característica. Fonte: www.rtp.pt (Picon et al., 2010) Prevenção As mães soronegativas devem manter gatos fora de casa, e ter cuidados redobrados na manutenção destes. Evitar a ingestão de carne mal cozida e de vegetais crus, e utilizar luvas para manusear estes. Fonte: www.brasilescola.com (Picon et al., 2010) Tratamento O tratamento inclui a pirimetamina, sulfadizina e espiramicina.







Os corticosteroides são reservados para pacientes com infeção do SNC ou ocular aguda. (Behrman, Jenson e Kliegman, 2004) Fonte: www.lookfordiagnosis.com 1 2 3 6 7 8 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 Obrigada pela vossa atenção Fonte: coizaradas.blogspot.com OMS (2012) Amaral (2008) Amaral (2008) Hockenberry, Wilson e Winkelstein (2006) Hockenberry, Wilson e Winkelstein (2006) Hockenberry, Wilson e Winkelstein (2006) Cordeiro (2010) Cordeiro (2010) Cordeiro (2010) Portal da Saúde (2012) Rezende e Montenegro (2010) Santos e Iazzeti (2013) Portal da Educação (2013) Rezende e Montenegro (2010) Miura et al (2006) Secção de Neonatologia da SPP (2007) Rezende e Montenegro (2010) e Secção de Neonatologia da SPP (2007) Rezende e Montenegro (2010) Rezende e Montenegro (2010) e Secção de Neonatologia da SPP (2007) (Dinis, 2005) (Dinis, 2005) (Monahan et al 2007) (Monahan et al 2007) (Dinis, 2005) (Fonseca et al, 2003) (Monahan, 2007) (Monahan, 2007) (Monahan, 2007) (Monahan, 2007) 4
Full transcript