Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

PSICO-ONCOLOGIA

No description
by

Júlia Scalon Manzan

on 17 June 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of PSICO-ONCOLOGIA

Thank You!
PSICO-ONCOLOGIA
Augusto
Dennis
Eduardo
Isabel Prata
Júlia
Maria Carolina

A ENFERMIDADE
PSICO-ONCOLOGIA
HISTÓRICO
REALIDADE NO BRASIL
DESAFIOS
A PRÁTICA
OBRIGADA PELA ATENÇÃO

PSICO-ONCOLOGIA: ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO NO HOSPITAL DE CÂNCER DE BARRETOS

Scannavino et. al. (2013)

O Hospital de Câncer de Barretos – Fundação Pio XII e o Serviço de Psicologia




• Unidade de Barretos (SP): Atuação de seis psicólogos assistenciais e um psicólogo coordenador de Projetos de Pesquisa em Psicologia e Humanização do Núcleo de Apoio ao Pesquisador (NAP).

• Unidade Hospital São Judas Tadeu (Barretos - SP): A equipe multiprofissional nessa unidade é composta por dois psicólogos.

• Unidade de Jales (SP): Uma psicóloga é responsável pelos atendimentos psicológicos.
A Fundação Pio XII, instituída em 1967, consiste em um núcleo de ensino, pesquisa e serviços especializados para tratamento do câncer.
- Coordenador;
- Psicólogo assistencial;
- Coordenador de projetos de pesquisa.
Atividades desenvolvidas
Unidade de Barretos (SP)


- Atendimentos ambulatorias encaminhados;
- Atendimento requisitado pelo paciente e/ou acompanhante;
- Atendimento aos cuidadores por solicitação médica ou da equipe profissional;
- Principalmente individual, em consultórios, ou no leito no caso de internação

Ambulatório e Internação de Especialidades Oncológicas
Grupos
- O trabalho grupal realizado na instituição segue a
abordagem psicoeducativa.

- Cada grupo possui seu público-alvo e objetivos
definidos

Núcleo Anti-Tabaco (NATA): Pacientes e colaboradores que desejam parar de fumar
Grupo de Apoio e Orientação do TMO (GAOTMO): Pacientes que realizam Transplante de Medula Óssea
Grupo de Acolhimento e Sala de Espera da UTI (ACOLHER): Cuidadores de pacientes da Unidade de Terapia Intensiva
Grupo de Apoio da Neurocirurgia (GAN): Acompanhantes e pacientes da equipe de Neurocirurgia
Grupo de Apoio à Família da Criança com Câncer (GRAFA): Familiares das crianças atendidas pela Pediatria
Grupo de Apoio à Equipe da Pediatria (GAEP): Colaboradores do setor da Pediatria
Grupo de Apoio às Mulheres Mastectomizadas (GAMMA): Mulheres em pré ou pós-operatório de mastectomia
Grupo de Apoio aos Cuidadores da Unidade de Cuidados Paliativos (PROTEGE): Cuidadores dos pacientes em cuidados paliativos
Grupo de Apoio aos Pacientes Portadores de Câncer de Próstata (NOZ): Pacientes submetidos ao tratamento para câncer de próstata
Grupo de Apoio e Reabilitação à Pessoa Estomizada (GRAPE): Pacientes submetidos à cirurgia geradora de estoma

- A ansiedade é ainda maior, uma vez que, após o impacto do diagnóstico, o paciente deve decidir junto de seus familiares pela escolha do procedimento;

- Como resultados do transplante, podem ocorrer várias mudanças em relação à dinâmica familiar, como o comprometimento da autonomia, controle pessoal do paciente e a iminência de morte.
Transplante de Medula Óssea (TMO)
- O paciente oncológico neurocirúrgico geralmente permanece por um tempo prolongado no hospital e, devido ao quadro fisiológico, as alterações de humor podem ser desenvolvidas, mudanças de comportamento e limitações psicomotoras, entre outros sintomas.
- Pacientes necessitam de compreensão, apoio e suporte para enfrentar as dificuldades do tratamento e a longa permanência no hospital.
Neurocirurgia
Unidade de Terapia Intensiva (UTI)
Sala de acolhimento :
- Atendimento psicológico necessário aos acompanhantes de pacientes internados na Unidade e acompanhantes que estejam vivenciando o óbito de seu familiar;
- Atendimento de crianças e adolescentes que querem estar com pacientes internados na UTI.

O Grupo Acolher
- Tem como objetivo acolher familiares e acompanhantes dos pacientes internados nesse local, proporcionar troca de experiências e informações, além de ser um espaço para a expressão de sentimentos e estímulo à participação ativa da família no processo saúde/doença.

Pediatria
O acompanhamento psicológico na pediatria tem como objetivo compreender as necessidades das crianças, de seus familiares e também da equipe, que podem contar com grupos específicos para as dificuldades apresentadas.
GRAFA, GRAEP e ACOLHER
Orientação aos colaboradores
- Atuação destinada à orientação para dificuldades de relacionamento profissional, além de demanda pessoal, como transtornos de humor e de ansiedade, dificuldades no relacionamento interpessoal e familiar.
- Treinamento de equipe multiprofissional
Núcleo de Apoio ao Pesquisador (NAP)
- Auxílio na elaboração de projetos de pesquisa;
- Estruturação e gerenciamento de banco de dados;
- Auxílio e elaboração dos instrumentos para coleta de dados;
- Gestão de projetos que recebem auxílio dos órgãos de fomento à pesquisa;
- Promoção e palestras, aulas e cursos.
Site
http://www.hcancerbarretos.com.br/
Hospital Dr. Hélio Angotti - Uberaba, MG
Grupo de médicos liderado pelo Dr. Hélio Angotti -
objetivos:
difundir conhecimentos gerais sobre o câncer, debater problemas da cancerologia, combater o câncer através da proxilaxia, programas preventivos e campanhas educativas, diagnóstico precoce e tratamento.
Alicerçado à fundação da Associação de Combate ao Câncer do Brasil Central (ACCBC)
Inaugurado em 1961
Entidade sem fins lucrativos

Localização: à Rua Governador Valadares, 640, Centro
História
Missão
: Proporcionar aos clientes internos e externos, atendimento seguro e de qualidade por meio de tecnologia moderna e de profissionais altamente qualificados. Dedicar-se à prevenção, tratamento e acompanhamento pós-terapia do câncer, imbuído de humanismo e comprometimento, sempre, com presteza, transparência e ética.

Visão
: Garantir acesso universal, resolutividade, qualidade total, de forma sustentável, alcançando acreditação em nível máximo.

Princípios:

Pioneirismo
Humanização
Qualidade
Segurança
Transparência
Ética
Equidade

Atividade fim:
Oncologia

O QUE FAZER PARA SER ATENDIDO
SUS:

PACIENTES DE UBERABA: Com encaminhamento médico emitido na rede municipal de saúde (UBS, UPA, PSF, etc.), o paciente deve comparecer ao Ambulatório de Oncologia ou ao Ambulatório de Especialidades e realizar a programação da 1ª consulta.

PACIENTES FORA DE UBERABA: Procurar Secretaria Municipal de Saúde do município de origem e solicitar marcação de consulta especializada através do Sistema de Regulação Susfácil. Em caso de dificuldade, favor contactar via email o Ambulatório de Oncologia (onco03@helioangotti.com.br) ou o Ambulatório de Especidades (especialidades@helioangotti.com.br).

Convênios:

AMMP - Associação Mineira do Ministério Público

CAPESAaúdeUDE

CASSI

CVRD - Companhia Vale do Rio Doce PASA

EMBRATEL - Empresa Brasileira de Telecomunicações

Global Saúde

IPSMMG - Instituto de Previdência dos Servidores Militares do Estado de Minas Gerais

Odonto-Med

RN Metropolitan




ASSEFAZ - Fundação Assistencial Servidores do Ministério da Fazenda

Cartão Vida

COPASA - AECO Associação dos Empregados da COPASA

EBCT - Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos

FSFX - Fundação São Francisco Xavier Usiminas

IPSEMG - Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais

Medial Saúde

Real Saúde

Saúde Bradesco

UNIMED


Particular
DIRECI NAMENTO
Ambulatório de especialidades (geral)

O Ambulatório de Especialidades disponibiliza atendimento especializado para pacientes encaminhados com suspeita de doença oncológica, para aqueles que necessitam de suporte clínico específico e ainda para pacientes em seguimento. Rua Amaro Ferreira, 145

Ambulatório de oncologia

Os oncologistas atendem principalmente casos de câncer diagnosticados, com exame anátomo-patológico confirmando a doença. Qualquer caso de suspeita de neoplasia deve ser encaminhado à especialidade médica mais indicada. Em caso de dúvidas, os pacientes devem entrar em contato com o Ambulatório de Especialidades ou com o Ambulatório de Oncologia. Quimioterapia/Radioterapia. 2º andar da Torre II (Rua Governador Valadares, 640).

EQUIPE
Cirurgia Cabeça e Pescoço / Oncologia
Clínica Médica/Clínica Geral/Unidade de Terapia Intensiva
Ginecologia/Obstetrícia
Cirurgia Geral/Colo Proctologia/Cirurgia do Aparelho Digestivo
Odontologia
Urologia
Cirurgia Plástica
Anestesiologia
Cirurgia Buco Maxilo-Facial/Traumatologia
Hematologia/Hemoterapia Adulto e Infantil


Gastroenterologia
Oftalmologia
Ortopedia/Traumatologia
Oncologia Clínica/Cirúrgica/Mastologia
Neurologia/Neurocirurgia
Infectologia/Unidade de Terapia Intensiva
Medicina Nuclear
Dermatologia
Colo Proctologia
Gastroenterologia/Cirurgia do Aparelho Digestivo/Endoscopia Digestiva
Físico Médico/Especialista em Radioterapia
Cardiologia/Clínica Médica/Unidade de Terapia Intensiva
Patologia
Otorrinolaringologia
Angiologia/Cirurgia Vascular
Cirurgia Torácica
Acupuntura
Ortopedia/Traumatologia
Nefrologia

INFRAESTRUTURA
Laboratório de Análises Clínicas Anatomia Patológica e Citologia
Sistema de Planejamento Computadorizado para Radioterapia Tridimensional Conformacionada
Departamento de Oncologia Clínica
Tomografia Computadorizada com Extereotaxia
Quimioterapia ambulatorial de curta e média duração
Ultra-Sonografia
Departamento de Radiologia
Cintilografia
Radioterapia com Acelerador Linear
Densitometria Óssea
Medicina Nuclear

Mamografia
Braquiterapia de Alta Taxa de Dose (HDR)
Teste Ergométrico
Simulador de Radioterapia de Última Geração
Gama Câmara
UTI com 8 leitos
Gama Câmara
UTI com 8 leitos
Gama Câmara
Moderno Centro Cirúrgico
Ambulatório
150 leitos instalados e 40 em fase de construção

106 leitos para atendimento ao Sistema Único de Saúde (93% de sua capacidade instalada para pacientes do SUS)

12.000m² de área construída

Área específica no 3º andar, destinada à quimioterapia ambulatorial de curta e média duração com 23 poltronas e 13 leitos
23 poltronas reclináveis, com uma cortina isolante, para pacientes que tomam quimioterapia ambulatorial, ou seja, permanecem apenas de 5 a 6 horas por dia)

10 camas, também com a mesma finalidade, esta destinada aos pacientes que fazem a quimioterapia em repouso.
DOAÇÕES
FAVORECIDO: ACCBC - ASSOCIAÇÃO DE COMBATE AO CÂNCER DO BRASIL CENTRAL, instituição filantrópica mantenedora do Hospital Dr. Hélio Angotti


CAIXA: Agência: 160 – Conta Corrente: 948-8. Operação: 003

BANCO DO BRASIL: Agência: 3278-6 - Conta Corrente: 3.709-5

PRONON

LIGAÇÕES TELEFONICAS

CEMIG

CAMPANHAS
PARCEIROS
AVCCU - Associação dos Voluntários de Combate ao Câncer
BLACK & DECKER DO BRASIL LTDA
CODAU CENTRO - OPERACIONAL DE DESENVOLVIMENTO E SANEAMENTO DE UBERABA
COPERVALE
Instituto Agronelli de Desenvolvimento Social
Laticínio SCALA
Walmart
Relato de uma paciente
René Descartes

Modelo Biomédico

na forma de conceber o câncer
&
a inserção da Psicologia

CONTRIBUIÇÕES

dualismo mente-corpo e o corpo fragmentado
Psicologia e Medicina Comportamental
no cuidado integral do sujeito da saúde
MUDANÇAS
CÂNCER
O QUE É?
CONJUNTO DE PATOLOGIAS COM MAIS DE 100 DOENÇAS
carcinoma, sarcoma, leucemia, etc.
ÓRGÃO PRIMÁRIO, TAMANHO, NATUREZA E GRAU DE INVASÃO
HISTÓRICO DO TRATAMENTO
ETIOLOGIA
MULTIFATORIAL
ESTATÍSTICA
CONSEQUÊNCIAS
No Brasil, o movimento da Psico-Oncologia ganhou força a partir da reunião dos profissionais da saúde em eventos voltados para o desenvolvimento da área.
O primeiro "Encontro Brasileiro de Psico-Oncologia" ocorreu em 1989 em Curitiba.
A Psico-Oncologia é uma área de atuação multidisciplinar. No Brasil, entretanto, não tem sido assim.
Em 1994 sentiu-se a necessidade de criar uma definição brasileira para Psico-Oncologia, compatível com a nossa cultura e nosso sistema de saúde da época.
De acordo com Gimenes (1994)
A Psico-Oncologia representa a área de interface entre a Psicologia e a Oncologia e utiliza conhecimento educacional, profissional e metodológico proveniente da Psicologia da Saúde para aplicá-lo:
1º) Na assistência ao paciente oncológico, sua família e profissionais de Saúde envolvidos com a prevenção, o tratamento, a reabilitação e a fase terminal da doença;


2º) Na pesquisa e no estudo de variáveis psicológicas e sociais relevantes para a compreensão da incidência, da recuperação e do tempo de sobrevida após o diagnóstico do câncer;

3º) Na organização de serviços oncológicos que visem ao atendimento integral do paciente, enfatizando de modo especial a formação e o aprimoramento dos profissionais da Saúde envolvidos nas diferentes etapas do tratamento.(p. 46)
DOR
DESCONFORTO
BAIXA AUTO-ESTIMA

INCERTEZAS

IDEIAS SUICIDAS
PÂNICO
ANSIEDADE

DEPRESSÃO
DIFICULDADES NO RELACIONAMENTO
(Evans, 2006; Kersting et al., 2004; King et al., 2006; Miyazaki, Domingos, & Valerio, 2006; Valerio, 2003).
QUALIDADE DE VIDA AFETADA
CÂNCER = MORTE
"Cura é uma alternativa que, quando se fala de oncologia, depende sempre do tipo de tumor e do estágio em que se encontra a doença. Grande parte dos casos de câncer, quando diagnosticada precocemente, tem cura e, sem dúvida, tem asseguradas
melhores condições de sobrevida
, quer em termos
qualitativos
, querem termos
quantitativos
, nas situações em que isso não acontece. Ou seja, pode-se viver mais e melhor, a despeito do câncer, quando ele é detectado em tempo."
2ª CAUSA GERAL DE MORTE POR DOENÇA NO MUNDO E NO BRASIL
Um estudo realizado nos congressos de Psico-Oncologia no Brasil apontou os seguintes aspectos gerais: (a) a existência de um perfil profissional ainda um pouco assistencialista; e (b) uma maior quantidade de relatos de experiência profissional, em detrimento de estudos de investigação científica com rigor metodológico.
80% a 90% ASSOCIADOS A FATORES AMBIENTAIS
CAUSAS DESCONHECIDAS
CONTRIBUIÇÕES PSICOLÓGICAS
advento da anestesia, radioterapia, medicamentos
o valor de uma política social de saúde
MEDOS
Modelo biomédico - câncer visto como apenas mutações genéticas e moleculares
Medicalizações
Esta visão não responde a questões como:

-
Porque uma determinada célula, em determinado momento, sofre uma mutação que a leva a uma proliferação inadequada e descontrolada?

-
Porque em situações de exposição a elementos químicos altamente cancerígenos algumas pessoas desenvolvem um câncer e outras não?

-
Porque nem todos os fumantes desenvolvem um câncer, sendo o cigarro comprovadamente cancerígeno?
O diagnóstico
Ideia de morte
Mutilações
Existem padrões (personalidades) que nos possibilite prever o desenvolvimento do câncer?
Prevenção!
Dados controversos
Não há indícios de conexão entre padrões encontrados e o câncer.
Dificuldades de previsão do processo oncológico
Equipe Multidisciplinar
colaboradores:
médicos
psicólogos
fisioterapeutas
terapeuta ocupacional
assistentes sociais
nutricionistas
enfermeiros

técnicos de enfermagem
PSICOLOGIA

Irani - coordenadora e responsável ténica da área de psicologia
Psicólogos divididos por setores

Corrida de leitos (identificação dos pacientes internados no dia) - emergências - análise de demanda/ interconsultas (solicitações)
3 anos de regulamentação
Principal desafio
Full transcript