Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Copy of Untitled Prezi

No description
by

Rosani Lidia Finger

on 10 May 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Copy of Untitled Prezi

Capitalismo oligopolista
(Chesnais, , 1996) mundialização do capital oligopólio mundial se refere ao atual
modo principal de organização das
relações entre as maiores firmas mundiais espaço de rivalidade industrial, sob a base da expansão mundial dos grandes grupos, de seus investimentos cruzados e da concentração internacional = aquisições e fusões. Esse espaço (do oligopólio mundial) é um
lugar de concorrência escarniçada,
mas também de colaboração entre os grupos. Cartéis: empresas independentes que produzem, comercializam produtos semelhantes , do mesmo setor, e tem acordos para dominar os mercadosb destes produtos, como, por exemplo, montadoras de veículos, empresas de tabaco, de exploração de petróleo, transformação de petróleo, combustíveis, exploração mineral. Mundialização do capital envolve o comércio exterior:
intercâmbio intrasetorial, intragrupo, integração das
bases industriais nacionais As multinacionais e atuais transnacionais benefician-se: da liberalização do comércio, da adoção de novas tecnologias e do recurso (introdução/adaptação) a novas formas de gerenciamento de produção. (toyotismo)
trustes
catéis
holdings
conglomerados
(Almeida, 2010) e Lewinsohn
(1945 e 1940 apud Correia (2004) Mundialização x polarização Países centrais, mais dinâmicos, denominado por alguns autores por G8
ou didáticamente como países do Norte:
Países Desenvolvidos Industrializados;

Grupo intermediário, com regiões internas polarizadas e dinâmicas, (ZEEs), contrastando com áreas tradicionais, conhecidos como:
NICs, NPIS, Emergentes, em Desenvolvimento.....

e... os excluidos denominados pesos mortos, são áreas de pobreza, cujos emigrantes ameaçam os "países democráticos". IED: Investimento Externo Direto: suplantou o comércio exterior como vetor principal no processo de internacionalização, alto grau de concentração nos países centrais.

NFI= Novas Formas de Investimentos, lógica do investimento: participação minoritária, empresa comum, joint-venture, a multinacinal possui uma fração do capital; direitos: know-how de gestão, licenças de tecnologias, franchising, leasing empregadas nos serviços.
Problema: caráter rentista ou
grau de importância do componente -rentista no lucro apropriado.
diferença: "espírito empreendedor X investimentos rentistas". Semelhanças entre trustes e seus similares: resultam da tendência a expansão, enquanto extensão do grupo econômico; ligação financeira ou administrativa entre suas diferentes partes.
Objetivos: alcançar maiores lucros e uma posição mais poderosa na vida economica. Trustes: termo originário no direito inglês e prevê a transferência de capitais para um agente fiduciário (trustee) para que lhes assuma a gestão. Acordo entre empresas que abrem mão de sua independência legal e se unem para constituir uma única organização. Horizontais (mesmo ramo de produtos) e verticais (diferentes etapas e processos de produção) Ex: Votorantim e Brazil Food. Empresas que diversificam sua produção para dominar a
oferta de certos produtos ou serviços. Geralmente é administrada por uma Holding. Também pode ser
definido como a empresa que atua em vários ramos ou setores da produção. Ex Mitsubischi e Votarantim Conglomerados Multinacional contemporânea: companhia cujo capital está envolvido num processo de acumulação internacional, incluindo atividades industriais, serviços e bancos. Andreff 1976, apud Chesnais, 1996).

Para captar a diversidade das formas e dos modos de desdobramentos das multi, é necessário abstrair por um instante, as formas concretas em que o capital se ancarna e voltar ao capital como categoria econômica fundamental.

O capital define-se como um valor, cujos objetivos (a auto-valorização, obtenção de lucro, mesmo em condições adversas), coincidem com os dos grupos: mobilidade, a recusa a se prender a modalidades de comprometimento setorial ou geográfico, capacidade de se soltar, de desinvestir e/ou investir. Multinacionais ou Transnacionais? Conjunto formado por uma matriz, (holding), centro de decisão financeiro, arbitragem das participações financeiras que detem, e, filiais controladas por ela, que exploram alguma atividade, (Morin, 1974,apud Chesnais, 1996).

Grandes companhias com filiais em pelo menos seis países;
Mas, por pressaõ dos EUA para diluir estas empresas e dificultar seu estudo, seu limite foi reduzido para duas filiais.
Eram então (em 1996) 36 mil empresas, que foram reduzidas para cem para um estudo da UNCTAD (atual Centro das Nações Unidas sobre Companhias Transnacionais, sede em Genebra).
O autor, lista 30 destas empresas com seus países de origem, atividade principal e dados importantes.

Michalet (1985), apud Chesnais: empresas/grupos de grande porte, que, a partir de uma base nacional, implantou no exterior várias filiais em vários países seguindo estratégias e formas de organizaão concebidas para a escala mundial amplitude das transnacionais F. Morin, 1974, apud Chesnais (1996), conjunto formado por uma matriz (holding) um centro de decisão financeira, permanente arbitragem sobre decisões financeiras em função da rentabilidade dos capitais envolvidos e, as filiais controladas por ela, exploram alguma atividade.

Estes conglomerados transnacionais, através de suas matrizes intervem:
no mercado de câmbio, (valorização especulativa) do capital monetário: 4ªestratégia: técnico-financeira.
As estratégias anteriores: aprovisionamento, mercado, produção racionalizada.

objetivo: lucro... lucro se multiplicando... lucro se exponencializando, num processo dinâmico de reestruturação. As alianças são "redes organizando as atividades como um todo, através da trama de organizações contratuais entre seus menbros"(Delapierre e Mytelka, 1988, apud Chesnais, 1996:165). ... são diferentes das grandes cooperações tecnológicas que os grandes grupos industriais organizam, cada um por si, com companhias ou órgãos financeiramente menos poderosos, por iniciativa do laboratório central da matriz, ou de uma de sua maioresa filiais ou empresas associaidas "Alianças estratégicas": acordos de cooperação relativos a tecnologia A tendência dos cartéis continua sendo a supressão da livre concorrência, pois aumentar os preços ou impedir a sua baixa é a sua finalidade, assim os membros do cartel preservam sua independência, princ. financeira, não sendo dirigidos por qualquer administração central como o truste. Lewensohn,1945, apud Correia, 2004. Entretanto os membros devem obedecer o estatuto do cartel: punições/infrações. pressão moral sobre membros e não-membros. Grupos: preços iguais/identicos , o da divisão do mercado em cotas (participação na produção ou nas vendas totais), o mais moderado que prescreve normas gerais para com a clientela, o de preços, de zoneamento, etc . Exemplos de Polalização centralização: transformação de muitos capitais pequenos
em poucos capitais grandes, que por sua é decorrente da repulsão dos diversos capitais e sua dispersão acompanhada pelo processo de atração como determinante, (ondas longas, médias e curtas).
o capital se acumula nas mãos de um só ou de poucos, por que escapou das mãos de muitos noutra parte. As fusões e aquisições fazem parte da centralização Concentração gera acumulação (reprodução ampliada) que gera centralizção
Concentração é diferente de centralização:
O aumento da concentração dos meios de produção e dos comandos sobre o trabalho e também da repulsão recíproca de muitos capitais individuais
Full transcript