Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Untitled Prezi

No description
by

António Sousa

on 19 March 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Untitled Prezi

"Os Maias"
Realismo
O realismo é um movimento artístico e literário dos finais do século XIX nascido em França e que se espalhou um pouco por todo o mundo, em oposição ao romantismo. O objetivo dos “realistas”, era o de retratar a vida, os problemas e costumes das classes média e baixa.


Jean-François Millet, As Catadoras, 1857
Realismo e Naturalismo
De entre os vários escritores realistas destacam-se:
Charles Dickens, Gustave Flaubert e Eça de Queirós
O romantismo, corrente precussora do realismo, baseava-se nos sentimentos e dava importância às individualidades, debateu os grandes momentos da história. Já o realismo trouxe a reflexão sobre a realidade social e política para o centro das narrativas.
O Beijo (1859), de Francesco Hayez. Pintura romântica
Casa (1889), de Jožef Petkovšek. Pintura realista
Realismo literário
Eça de Queirós
Antero de Quental
O Enterro em Ornans, de Gustave Courbet, 1849-50
Dentro do realismo nasceu uma corrente literária denominada por Naturalismo, que é conhecida por ser uma radicalização do Realismo. Para os naturalistas a ação individual já está à partida pré-determinada (determinismo).

Naturalismo
Vários foram os autores franceses que seguiram este estilo literário, tais como: Émile Zola e Honoré de Balzac, tido como fundador do realismo.
A Origem das Espécies, de 1859
Em Portugal o Naturalismo é introduzido por Marques de Oliveira e Silva Porto, nos anos 70 do século XIX. O contacto com artistas naturalistas, realistas e impressionistas, trouxe uma nova abordagem àrtes visuais portuguesas.
Eça de Queirós
A primeira manifestação do realismo literário em Portugal deu-se em 1865 com a Questão Coimbrã e as Conferências do Casino, como resposta ao romantismo. Eça de Queirós é apontado, junto a Antero de Quental, como o autor que introduz este movimento no país junto com o naturalismo. A primeira obra realista foi "O Crime Do Padre Amaro" ao qual se seguiu "O Primo Basílio".
Através da conferência realizada por Eça de Queirós intitulada "O realismo como nova expressão da arte", Eça defendia uma arte que mostrasse efetivamente como era a realidade, poderia fazer um diagnóstico do meio social, com vista à sua cura, contribuindo assim para aperfeiçoar a Humanidade.
Os Maias
Os Maias, obra lançada em 1888, são o expoente máximo do realismo de Eça de Queirós. As temáticas do adultério e incesto ilustram isso mesmo. As personagens são moldadas tendo em conta uma perspetiva determinista.
É marcada a crítica social: os políticos são ignorantes e corruptos; os escritores são boémios e distantes da realidade; os homens do desporto não conseguem organizar uma corrida de cavalos, pois não há hipódromo à altura, nem participantes, as pessoas não se vestiam como o evento exigia. Esta crítica social dá ao livro uma ideia de contemporaneidade.
Carlos Eduardo Maia e Maria Eduarda Maia,
Filme "Os Maias" de João Botelho, 2014
Começou como movimento relativamente organizado na segunda metade do século XIX, na França, com oposição declarada, ou não, ao sentimento romântico. O realismo literário é um estilo de escrita que toma a realidade como princípio da narrativa.
As sociedades e os seus defeitos são tidos como um todo. Assim aparecem temáticas como o adultério, o incesto e o egoísmo humano, patentes no livro “Os Maias”.
Émile Zola
Charles Dickens
Full transcript