Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Roma antiga

No description
by

Nathália Pimenta de Carvalho

on 23 September 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Roma antiga

Lutas sociais
Roma Antiga
Patrícios no poder
Aqueduto
Coliseu
Templo Romano de Évora
Expansão Romana durante e República
As estruturas políticas e sociais de Roma marginalizavam os plebeus.
Eles eram impedidos de participar do Consulado, estavam sujeitos à escravidão por dívida,
eram discriminados no momento da divisão de espólios de guerra,
não podiam se casar com patrícios e
não tinham acesso à legislação.
FIM DA MONARQUIA.
REFORMAS LEGISLATIVAS:
- Plebeus ameaçavam abandonar as cidades, não pagar impostos, não trabalhar e não servir o exército;

Exigiam igualdades política, jurídica e social;
- Tribunato da plebe: formação da assembleia da plebe, que elegia os tribunos, magistrados representantes do povo no senado (Inviolável e possuia poder de veto).
- Lei das Doze Tábuas (leis escritas válidas para plebeus e patrícios - surge a figura do advogado, aquele que interpreta as leis para os iletrados).
Lei Licínia-Sextia (366 a.C.): divisão das terras conquistadas; abolição da escravidão por dívida e criava a figura do cônsul plebeu.
- Lei Canuléia (permissão do casamento de plebeus com patrícios).
Problema: como conseguir mais escravos com a proibição da escravidão por dívidas?

PROJETO: Mare Nostrum (conquista do Mar
Mediterrâneo).
264-146 a.C.: Guerras Púnicas:

Roma X Cartago (norte da África).

“Somos servos da lei para podermos ser livres.”
Cícero

“O que apraz ao príncipe tem força de lei.”
Ulpiano

As frases acima são de dois cidadãos da Roma Clássica que viveram praticamente no mesmo século, quando ocorreu a transição da República (Cícero) para o Império (Ulpiano).

Tendo como base as sentenças acima, considere as afirmações:

I- A diferença nos significados da lei é apenas aparente, uma vez que os romanos não levavam em consideração as normas jurídicas.
II- Tanto na República como no Império, a lei era o resultado de discussões entre os representantes escolhidos pelo povo romano.
III- A lei republicana definia que os direitos de um cidadão acabavam quando começavam os direitos de outro cidadão.
IV- Existia, na época imperial, um poder acima da legislação romana.

Estão corretas, apenas:

a) I e II.
b) I e III.
c) II e III.
d) II e IV.
e) III e IV.
Após a morte dos irmãos Graco, Roma se vê novamente em crise civil. É nesse contexto que alguns generais adquirem simpatia popular e prestígio político....
edito dos preços

• LOCALIZAÇÃO: Península Itálica
– Região do Lácio.

TEORIAS DE FORMAÇÃO:
• Teoria Mitológica: lenda de Rômulo e Remo.
– OBRA: Eneida (Virgílio).
Teoria Histórica: Fusão de povos:
– Lígures e Sículos (autóctones);
– Italiotas (indo-europeus);
• Etruscos (norte/centro): militarismo.
• Latinos (centro): língua.
• Gregos (sul / 2ª Diáspora): mitologia.

509 a.C.: Revolta Patrícia:
• Causa: tentativa etrusca de confisco das terras patrícias.
• Resultado: Vitória patrícia.


REPÚBLICA: 509 a.C. – 27 a.C.
• Definição: res + publicus: “coisa do povo”
– Estado: bem público.
– Função: bem comum.
– Ruptura com a estrutura monárquica (Estado = Rei).
– Estrutura administrativa do aparato estatal.


Principal Característica: Lutas sociais
(Patrícios X Plebeus).

lutas socias
PATRÍCIOS PLEBEUS

Disputas por terras

Questão Agrária

Solução: expansão militar.
Guerras prisioneiros de guerra

escravos
(bárbaros)
3 guerras.


Vitória romana
.

Consequências:
• Expansão territorial: latifúndios
(Patrícios/Generais = donos de terras).
• Aumento do Escravismo: Êxodo rural.
• Colonialismo: abastecimento e controle da inflação.

121-110 a.C.: Revoltas Plebeias.
• Descontentamento com a falta de terras e
direitos políticos por parte dos plebeus.

110-79 a.C.: Ditadura.
• Objetivo: controlar as revoltas plebeias.
• Ditadores: generais que aproveitam o
contexto de instabilidade social para
permanecerem no poder além do tempo
permitido pela Ditadura (seis meses).

Em 31 a.C. Caio Otávio venceu as tropas de Marco Antônio e Cleópatra na Batalha do Ácio e se tornou o primeiro imperador de Roma, recebendo os titulos de
Imperator
,
Augustus
, e Príncipe (Primeiro cidadão)
Em 27 a.C. oficialmente teve fim a República romana e iniciou-se o Período Imperial.
73-71 a.C.: Revolta dos Escravos.
(Spartacus)
• Exército: controla a revolta através do
comando do General Crasso.
• Resultado: fortalecimento do exército e da
posição de comando dos generais sobre a
República.


1º Ditador: General Mário (110-86 a.C.):
•Retira o poder do Senado.
•Abertura do exército aos plebeus (profissionalização do exército).
•Criação do soldo: pagamento de salarium para os soldados por parte dos generais.
•Aposentadoria militar: terras aos soldados que cumprissem 25 anos de serviço.
•Vínculo: generais + soldados (plebeus).
2º Ditador: General Sila (82-79 a.C.)
•Apoiado pelos patrícios.
•Persegue os seguidores de Mário.
•Conservador, restaurou o poder do Senado.
•79 a.C.: aposentadoria de Sila = fim da ditadura
.
Política do Pão e Circo:
– Populismo/paternalismo.
– Controle social.
– Espetáculo de sangue no Coliseu: forma ideológica
de comprovar a “superioridade” do povo romano
sobre os bárbaros.
Expansão do cristianismo:
– 313: Imperador Constantino.
• Édito de Milão: liberdade de culto ao cristianismo.
– 379: Imperador Teodósio:
• Édito Tessalônico: criação da Igreja Católica Apostólica
Romana.
• Religião oficial de Roma.
• Imperador: chefe político e religioso: Cesaropapismo.
Influências bárbaras:
– Ausência da noção de Estado = fragmentação
política.
– Economia: agricultura de subsistência.
– Relação de Comitatus: base da relação de
Suserania e Vassalagem.

Senatus Populusque Romanus
Sociedade escravista:
Critério de divisão - homens livres e não livres.


Não é democrático
(participação censitária).

Grécia Antiga = Isonomia
SOCIEDADE PATRIARCAL
FIGURA DO PAI
– 131-130 a.C.: Tibério Graco: autor da Lei Agrária.
• Divisão do Ager Publicus (terras conquistadas/fronteiras).
• Limite de terras: 310 hectares.
• OBJETIVO: reduzir a pobreza e ocupar as fronteiras
(proteção).
• Descontentamento de patrícios e generais.
• Assassinato de Tibério.

• Irmãos Graco: tribunos da plebe.
• 123-121 a.C.: Caio Graco:
– Recoloca em votação a Lei agrária.
– Cria a Lei Frumentária:
• Subsídio estatal ao preço do trigo.
• OBJETIVO: reduzir o preço do pão.
• Oposição: patrícios e generais.
• Caio se suicida após um golpe de estado fracassado.
PORÉM
70 a.C.: Eleição de dois generais para os cargos de Cônsules:
– Crasso
– Pompeu
GOLPE
LEGITIMIDADE
CÉSAR NUNCA FOI IMPERADOR, MAS TODOS OS IMPERADORES FORAM CÉSAR!!!!!!
Alto Império: Séc. I a.C. – III d.C.
• Apogeu do Império.
• Características:
a. Política: “ditadura” militar.
b. Sociedade: hierarquia militar.
• Ordem Militar.
• Estrutura “totalitária”.

Formação do cristianismo.
– Oposição ao poder divino do imperador.
– Ameaça de subversão da ordem imperial.
– Perseguição aos cristãos: morte no
coliseu/crucificação.
EMPOBRECIMENTO DOS PLEBEUS!!!
IMPÉRIO: 27 a.C. – 476 d.C.

- Apogeu e declínio da Civilização Romana.

- Período dividido em duas etapas.

Alto Império: Séc. I a.C. – III d.C.

Baixo Império: Séc. III – V d.C.
c. Expansão territorial.
d. Expansão do escravismo.
e. PAX ROMANNA: hegemonia militar romana.
Baixo Império: Séc. III – V
• Declínio do Império.
• Características:
a. Anarquia Militar:
– Imperadores X Generais.
– Quebra da hierarquia militar.

b. Fragmentação do Exército.
– Enfraquecimento militar do Império.
c. Fim do expansionismo territorial.
– Crise do colonialismo
(desabastecimento/inflação).
– Crise do escravismo (escassez de mão-de-obra).

287: Imperador Diocleciano:
– Édito Máximo: tabelamento de preços.
– Tentativa de controle da inflação.
– Não obteve êxito.
e. Colonato: substituição do trabalho escravo
pelo trabalho servil.
– Pagamento de impostos pelo uso da terra e pela
proteção militar.
– Êxodo urbano = formação das VILAS.
– Fixação do trabalhador à terra.
– Base da servidão feudal!!!!!!!!
g. Enfraquecimento das fronteiras:
• Invasões bárbaras.
– Início: migrações para o interior do Império.
– ROMA: tenta, sem sucesso, integrar os bárbaros
ao exército.
– Séc. IV: início das invasões armadas dos bárbaros.
h. 395: Imperador Teodósio:
– Divisão do Império.
– Império Romano do Ocidente.
• Capital: Roma (em crise/sofre invasões).
– Império Romano do Oriente
• Capital: Constantinopla (sem crise/consegue repelir as
invasões).
FIM DO IMPÉRIO ROMANO!!!!!!!
ACABOU!!!!!

BEIJAAAA!!!!!!!!

TCHAU!!!!!!!
Full transcript