Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Jurema Alcides Cunha - Psico

No description
by

Amanda Mariano Silva

on 23 May 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Jurema Alcides Cunha - Psico

Jurema Alcides Cunha, Psicodiagnóstico V Avaliação prospectiva: o exame precoce da criança
Amanda Mariano Silva
Hanna Luara Costa Martins
João Victor Cabral
Lina Ferrari

Carmen Walentina Amorim Gaudêncio Bezerra
Avaliação Prospectiva
e o Prognóstico Infantil
Prospectiva: Que faz ver adiante ou ao longe. Concernente ao futuro.

75% dos casos de transtornos mentais costumam ter início na infância ou na adolescência

Problemas de saúde mental afetam entre 10 e 20% de crianças e adolescentes no mundo
Objetivos da Avaliação
Prospectiva em Crianças
A avaliação - intervenção precoce pode evitar o seguimento de problemas na idade adulta

Sinais de alerta

Quadros clínicos

Altas habilidades
Articulação cruzada.

Avaliação: Junção, análise, interpretação e integração de dados que justificarão tanto progressos quanto limitações da criança.

Intervenção: Ato de subsidiar a criança de condições apropriadas ao seu desenvolvimento, transformando ou anulando aspectos que desnorteiam seu processo evolutivo.

A intervenção precoce poderia evitar o seguimento de tais problemas na idade adulta
Modelo Avaliativo-Interventivo
Modelo Avaliativo-Interventivo
1ª Etapa: Identificar aspectos que mais chamam a atenção no desenvolvimento da criança;

2ª Etapa: Explorar de forma abrangente e organizado os dados avaliativos obtidos na primeira etapa;

3ª Etapa: Conclusiva - integrar os dados coletados e interpretados.
3 etapas distintas, interligadas e interdependentes.
Procedimentos de avaliação
Entrevista de Anamnese

Observação participante

Escalas de desenvolvimento

Baby Tests

Técnicas projetivas

Avaliação do ambiente de convivência da criança

Visita domiciliar

ICEA

O que é?

Como é utilizada

Indicadores que deem embasamentos preditivos
Entrevista Anamnese
Roteiro de Anamnese
O que é ?

Rappor

Objetivo
Observação participante
O que é?

Composição

Objetivo
Escalas de desenvolvimento
Escalas de desenvolvimento
O que são?

Objetivo

Aplicação

“Tais atividades lúdicas de “faz-de- conta” estimulam o seu expressivo envolvimento nas mesmas, facilitando assim a expressão de seus desejos e ansiedades em função do quotidiano”

(Carpentieri, 1994)
Técnicas projetivas
Visita domiciliar

Inventário Cumulativo sobre a Estimulação Ambiental (ICEA)
Avaliação do ambiente
de convivência da criança
Guia Curricular para Estimulação Precoce

Brinquedos e brincadeiras
Processo de intervenção
Método de prevenção

Comportamento precoce (até 1 ano de idade)

Levantamento ambiental

Sinais de Alerta
Sofrimento psíquico

400 milhões de pessoas

17 milhões crianças latino americanas entre 5 e 7 anos

Clinicas escola de Psicologia

Sinais de Alerta na infância
World Helth Organization
Autismo

Deficiências mentais

Dificuldades motoras

Sinais de Alerta podem previnir ou indicar
Criança de 4 meses

Hipotonia

Quadro convulsivo

Rigidez nas extremidades

Permissividade e superproteção dos pais

Na fase adulta apresenta deficiência mental

Não alfabetizada embora se comunique

Estudo de Caso 1
Criança de 5 meses

Alto desenvolvimento motor

Fácil entretenimento com brinquedos

Facilidade para encontrar objetos escondidos

Reações rápidas a estímulos

Brincadeiras iniciadas pela própria criança

Na fase adulta apresenta alta formação escolar

Cargo de alta confiança

Estudo de Caso 2
Conhecer e estimular a criança

Condições motivadoras

Expressão de sentimentos e emoções

Expressão cognitiva e socio emocional

Diferentes tipos de verbalização

Propor e Orientar

Entendimento de causalidade

Situações Problemas

Estratégias para reconhecer Sinais de Alerta e Indicadores Prospectivos
Comentários Finais
Referências
Jurema Alcides Cunha, Psicodiagnóstico V Avaliação prospectiva: o exame precoce da criança
Amanda Mariano Silva
Hanna Luara Costa Martins
João Victor Cabral
Lina Ferrari

Dr(a) Carmen Walentina Amorim Gaudêncio Bezerra
Avaliação Prospectiva
e o Prognóstico Infantil
Prospectiva: Que faz ver adiante ou ao longe. Concernente ao futuro.

75% dos casos de transtornos mentais costumam ter início na infância ou na adolescência

Problemas de saúde mental afetam entre 10 e 20% de crianças e adolescentes no mundo
Objetivos da Avaliação
Prospectiva em Crianças
A avaliação - intervenção precoce pode evitar o seguimento de problemas na idade adulta

Sinais de alerta

Quadros clínicos

Altas habilidades
Articulação cruzada.

Avaliação: Junção, análise, interpretação e integração de dados que justificarão tanto progressos quanto limitações da criança.

Intervenção: Ato de subsidiar a criança de condições apropriadas ao seu desenvolvimento, transformando ou anulando aspectos que desnorteiam seu processo evolutivo.

A intervenção precoce poderia evitar o seguimento de tais problemas na idade adulta
Modelo Avaliativo-Interventivo
Modelo Avaliativo-Interventivo
1ª Etapa: Identificar aspectos que mais chamam a atenção no desenvolvimento da criança;

2ª Etapa: Explorar de forma abrangente e organizado os dados avaliativos obtidos na primeira etapa;

3ª Etapa: Conclusiva - integrar os dados coletados e interpretados.
3 etapas distintas, interligadas e interdependentes.
Procedimentos de avaliação

O que é?

Como é utilizada

Indicadores que deem embasamentos preditivos
Entrevista Anamnese
Roteiro de Anamnese
O que é ?

Rappor

Objetivo
Observação participante
O que é?

Composição

Objetivo
Escalas de desenvolvimento
Escalas de desenvolvimento
O que são?

Objetivo

Aplicação

“Tais atividades lúdicas de “faz-de- conta” estimulam o seu expressivo envolvimento nas mesmas, facilitando assim a expressão de seus desejos e ansiedades em função do quotidiano”

(Carpentieri, 1994)
Técnicas projetivas
Visita domiciliar

Inventário Cumulativo sobre a Estimulação Ambiental (ICEA)
Avaliação do ambiente
de convivência da criança
Guia Curricular para Estimulação Precoce

Brinquedos e brincadeiras
Processo de intervenção
Método de prevenção

Comportamento precoce (até 1 ano de idade)

Levantamento ambiental

Sinais de Alerta
Sofrimento psíquico

400 milhões de pessoas

17 milhões crianças latino americanas entre 5 e 7 anos

Clinicas escola de Psicologia

Sinais de Alerta na infância
World Helth Organization
Autismo

Deficiências mentais

Dificuldades motoras

Sinais de Alerta podem previnir ou indicar
Criança de 4 meses

Hipotonia

Quadro convulsivo

Rigidez nas extremidades

Permissividade e superproteção dos pais

Na fase adulta apresenta deficiência mental

Não alfabetizada embora se comunique

Estudo de Caso 1
Criança de 5 meses

Alto desenvolvimento motor

Fácil entretenimento com brinquedos

Facilidade para encontrar objetos escondidos

Reações rápidas a estímulos

Brincadeiras iniciadas pela própria criança

Na fase adulta apresenta alta formação escolar

Cargo de alta confiança

Estudo de Caso 2
Estratégias para reconhecer Sinais de Alerta e Indicadores Prospectivos
Comentários Finais
Referências
Alt, Melissa dos Santos (2008). Avaliação psicológica de crianças. PUCRS.

Barros, Ivan. A história clínica. Disponível em: <http://www.saudedireta.com.br/docsupload/1332097453Anamnese.pdf>
Acesso em: 12 maio.2016.

Bunge, E., Gomar, M., Mandil, J., & Álvarez, H. F. (2009). Terapia Cognitiva con niños y adolescentes: Aportes técnicos. Librería Akadia Editorial.

Bungee, E., Scandar, M., Musich, F., & Carrea, G. (2015). Sessões de psicoterapia com crianças e adolescentes: erros e acertos. Sinopsys.

Correia, Maria. A observação participante enquanto técnica de investigação. Disponível em: <http://www.unisc.br/portal/images/stories/a_unisc/estrutura_administrativa/nup es/observacao_participante.pdf> Acesso em: 12 maio.20016.


Referências 2
Cunha, Jurema Alcides (2007).  Psicodiagnóstico. V. 5. ed. rev. e ampl. Porto Alegre: Artmed.

Linhares, M. B. M., Enumo, S. R. F., ALCHIERI, J., & CRUZ, J. (2007). Avaliação assistida de crianças no Brasil. Avaliação psicológica: Perspectivas e contextos, 24.

Paniagua, Rafaele Medeiros (2009). Avaliação psicológica de crianças: Aspectos cognitivos, comportamentais e afetivos: Ênfase no CAT. PUCRS.

de Paulo, M. S. L. L., & de Queiroz Pérez-Ramos, A. M. (1996). Distúrbios emocionais em crianças com dificuldades de aprendizagem escolar. Volume 1-nº 2-julho- dezembro de 1996, 1(2-jul).

Silvares, E.F.M.; Meyer, S. B.; Santos, E.O.L.; & Gerencer, T. T. (2006). Um estudo em cinco clínicas-escolas brasileiras com a lista de verificação comportamental para crianças (CBCL). Em E.F.M. Silvares (Org). Atendimento psicológico em clínicas-escola (pp. 59-72). Campinas, São Paulo: Alínea.

Entrevista clínica e anamnese. Disponível em: <https://intervencaopsi.wordpress.com/2014/04/17/entrevista-clinica- e- anamnese/> Acesso em: 12 maio.2016.

O que é rapport. Disponível em: <http://www.significados.com.br/rapport/> Acesso em: 12 maio. 2016.
Full transcript