Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Rei do Norte 1

No description
by

Daniel Silveira

on 25 September 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Rei do Norte 1

O Rei do Norte 1

Jeremias 6:16:
Assim diz o Senhor: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas; mas eles dizem: Não andaremos nele.
Satanás é diligente estudante da Bíblia. Sabe que seu tempo é curto e procura em todos os pontos opor-se à obra do Senhor na Terra. É impossível dar uma idéia da experiência do povo de Deus que há de viver na Terra quando se misturarem a glória celestial e a repetição das perseguições do passado. Eles andarão à luz que procede do trono de Deus. Por meio dos anjos haverá constante comunicação entre o Céu e a Terra. E Satanás, rodeado de anjos maus, e declarando-se Deus, operará milagres de todas as espécies, para enganar, se possível, os próprios eleitos. ...
Daniel 11:1
Eu, pois, no primeiro ano de Dario, o medo, levantei-me para animá-lo e fortalecê-lo.
Daniel 11:2
E agora te declararei a verdade: Eis que ainda três reis estarão na Pérsia, e o quarto acumulará grandes riquezas, mais do que todos; e, tornando-se forte, por suas riquezas, suscitará a todos contra o reino da Grécia.
Ciro (Pérsia) e Dario eram co-regentes. Deixando de lado o pseudo-smerdis (depois de Cambises), que não foi um sucessor legítimo, então os três reis depois de Ciro são: seu filho Cambises (530 – 522), Dario I (522 – 486) e Xerxes (486 – 465; o Assuero de Ester). Depois de Artaxerxes (465 – 423) segue o poderoso rei do verso 3, Alexandre o Grande.
Cambises,
filho de Ciro

Dario I
Xerxes I
(chamado de
Assuero no
livro de Ester)
Os quatro reinos gregos que restaram foram regidos por Cassandro, Lisímaco, Seleuco e Ptolomeu.

Tradicionalmente os versos 5 - 39 são interpretados como conflito entre dois poderes, que dominam sobre Norte e Sul. A união nos versos 5 e 6 que é selada com um casamento, se interpreta como tendo acontecido entre Ptolomeu Filadelfio do Egito e Antíoco Theos da Síria, que se casou com a filha de Ptolomeu, Berenice. O arranjo foi um tiro pela culatra, ao Berenice ser assassinada. Versos 7 a 15 descrevem a briga entre o norte e sul gregos, até que no verso 15 e 16 Roma sobe ao palco (alguns vêem os 'violentos do teu povo' como os romanos, outros reconhecem Roma somente no verso 16).

Daniel 11:16
O que, pois, há de vir contra ele fará segundo a sua vontade, e ninguém poderá resistir diante dele; e estará na terra gloriosa, e por sua mão haverá destruição.
Ele 'tradicionalmente é interpretado como Roma pagã, que adverte Antíoco Epifânio de atacar Roma. Roma invadiu e conquistou a terra gloriosa' (Palestina) no ano 63 a.C.

Os versos 17 a 30 tratam das intrigas romanas. O verso 17 possívelmete é uma alusão à história de Júlio César, Marco Antônio e Cleópatra.

Antíoco IV Epifânio
Daniel 11:17
E dirigirá o seu rosto, para vir com a potência de todo o seu reino, e com ele os retos, assim ele fará; e lhe dará uma filha das mulheres, para corrompê-la; ela, porém, não subsistirá, nem será para ele.

Os versos 18 a 22 falam dos césares seguintes: Augusto, que coletou impostos na época do nascimento de Jesus; e Tibério („um desprezador“ v. 21) perante o qual „o príncipe da aliança“ é massacrado (v. 22).
Vários comentaristas interligam os próximos versos (até o v. 30) com as intrigas romanas até a destruição de
Jerusalém por Tito. Outros inserem o chifre pequeno (Roma papal) já no verso 21, vêem no 'homem vil' o homem da iniquidade e aplicam os versos às cruzadas.
É seguro dizer que Roma pagã do tempo de Constantino se converteu a um 'cristianismo paganizado' e que se voltou àqueles que abandonam a aliança sagrada (v. 30). A partir do verso 31 aparece com nitidez a temática religiosa.
E braços serão colocados sobre ele, que profanarão o santuário e a fortaleza, e tirarão o sacrifício contínuo, estabelecendo abominação desoladora.
Daniel 11:31
O "santuário" e a "abominação destruidora" são expressões religiosas e se referem ao erguimento de um falso sistema de adoração que destrói o serviço de Cristo e recebe a adesão de todos que "abandonam a sagrada aliança" (v. 30). Os versos 32 e 33 descrevem o tempo do domínio papal ("algum tempo" = 1260 anos).

E aos violadores da aliança ele com lisonjas perverterá, mas o povo que conhece ao seu Deus se tornará forte e fará proezas.
E os entendidos entre o povo ensinarão a muitos; todavia cairão pela espada, e pelo fogo, e pelo cativeiro, e pelo roubo, por muitos dias.
Daniel 11:32

Nos versos 34 e 35 se reconhece a reforma protestante.

E, caindo eles, serão ajudados com pequeno socorro; mas muitos se ajuntarão a eles com lisonjas.
E alguns dos entendidos cairão, para serem provados, purificados, e embranquecidos, até ao fim do tempo, porque será ainda para o tempo determinado.
Daniel 11:34

Os versos 36 a 39 descrevem
a essência do poder papal.
Daniel 11:36
E este rei fará conforme a sua vontade, e levantar-se-á, e engrandecer-se-á sobre todo deus; e contra o Deus dos deuses falará coisas espantosas, e será próspero, até que a ira se complete; porque aquilo que está determinado será feito.
Daniel 11:37
E não terá respeito ao Deus de seus pais, nem terá respeito ao amor das mulheres, nem a deus algum, porque sobre tudo se engrandecerá.
Daniel 11:38
Mas em seu lugar honrará a um deus das forças; e a um deus a quem seus pais não conheceram honrará com ouro, e com prata, e com pedras preciosas, e com coisas agradáveis.
Daniel 11:39
- Com o auxílio de um deus estranho agirá contra as poderosas fortalezas; aos que o reconhecerem multiplicará a honra, e os fará reinar sobre muitos, e repartirá a terra por preço.
O Conflito Norte-Sul como Merismo

Em seu livro
Os Segredos de Daniel
, Jacques B. Doukhan apresenta uma abordagem interessante, que o conflito norte-sul dos versos 5 a 39 sejam entendidos como merismo e que a estrutura do conflito em última instância leva a uma fusão dos dois poderes, com a intenção em comum da destruição do povo de Deus. O padrão que se reconhece nesses versos é:
Sul contra norte, norte contra o sul, sul contra o norte (A-B-C), e então o contrário.

Nos versos 40 – 45 o sul ataca o norte, o norte o sul (A-B), o norte o norte (v. 42 e 43a). Então o sul se une com o norte (síntese), seguido por uma vitória definitiva de Deus sobre os aliados poderes do mal.
Nesta palestra vamos nos concentrar especialmente nestes versos.
Assim, os três temas principais de Daniel 11 são:

1. Conflito entre o norte e o sul
3. Conflito com o povo de Deus
2. Aliança entre o norte e o sul

Desta forma, os versos 5 a 39 descrevem o conflito hegeliano dos dois sistemas filosóficos, que têm um objetivo em comum: o aniquilamento do povo de Deus e da verdadeira adoração. O capítulo portanto foi embrulhado em um mesmerismo.
Salmos 89:12
O norte e o sul tu os criaste; Tabor e Hermom jubilam em teu nome.
Salmos 89:13
Tu tens um braço poderoso; forte é a tua mão, e alta está a tua destra.
Ezequiel 21:8
E veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:
Ezequiel 21:9
Filho do homem, profetiza, e dize: Assim diz o Senhor: dize: A espada, a espada está afiada e polida.
Daniel 11:27
Também estes dois reis terão o coração atento para fazerem o mal, e a uma mesma mesa falarão a mentira; mas isso não prosperará, porque ainda verá o fim no tempo determinado.
Ações do Rei no Norte:

Daniel 11:32
E aos violadores da aliança ele com lisonjas perverterá, mas o povo que conhece ao seu Deus se tornará forte e fará proezas.
Daniel 11:33
E os entendidos entre o povo ensinarão a muitos; todavia cairão pela espada, e pelo fogo, e pelo cativeiro, e pelo roubo, por muitos dias.
Daniel 11:36
E este rei fará conforme a sua vontade, e levantar-se-á, e engrandecer-se-á sobre todo deus; e contra o Deus dos deuses falará coisas espantosas, e será próspero, até que a ira se complete; porque aquilo que está determinado será feito.
Daniel 11:37
E não terá respeito ao Deus de seus pais, nem terá respeito ao amor das mulheres, nem a deus algum, porque sobre tudo se engrandecerá.
Daniel 11:38
Mas em seu lugar honrará a um deus das forças; e a um deus a quem seus pais não conheceram honrará com ouro, e com prata, e com pedras preciosas, e com coisas agradáveis.
Daniel 11:39
Com o auxílio de um deus estranho agirá contra as poderosas fortalezas; aos que o reconhecerem multiplicará a honra, e os fará reinar sobre muitos, e repartirá a terra por preço.
Tanto o rei do norte como o rei do sul são inimigos de Deus, por isto também são controlados pelo arqui-enganador, que com sua dialética hegeliana quer gerar uma cosmovisão em comum que seja útil às suas astutas intenções.
Tipológicamente o rei do norte tem que representar as alianças político-religiosas, que intentam prescrever uma certa forma de adoração ao povo de Deus, assim como Babilônia queria impor o culto babilônico sobre os hebreus.
O rei do sul (geograficamente o Egito) escravizou o povo de Deus e se recusou reconhecer a JEOVÁ ou a liberdade de consciência dos hebreus; ele no entanto não os obrigou a adorar deuses egípcios.

A motivação do rei do sul portanto era secular, a motivação do rei do norte político-religiosa.
A Destruição vem do Norte

Jeremias 1:14
E disse-me o Senhor: Do norte se descobrirá o mal sobre todos os habitantes da terra.
Jeremias 6:1
Fugi para salvação vossa, filhos de Benjamim, do meio de Jerusalém; e tocai a buzina em Tecoa, e levantai um sinal de fogo sobre Bete-Haquerém; porque do lado norte surge um mal e uma grande destruição.
A Destruição vem do Norte

Jeremias 10:22
Eis que vem uma voz de rumor, grande tremor da terra do norte, para fazer das cidades de Judá uma assolação, uma morada de chacais.
A Destruição vem do Norte

Jeremias 47:2
Assim diz o Senhor: Eis que se levantam as águas do norte, e tornar-se-ão em torrente transbordante, e alagarão a terra e sua plenitude, a cidade, e os que nela habitam; e os homens clamarão, e todos os moradores da terra se lamentarão.
Jeremias 50:13
Porque subiu contra ela uma nação do norte, que fará da sua terra uma solidão, e não haverá quem nela habite; tanto os homens como os animais fugiram, e se foram.
Porque este dia é o dia do Senhor DEUS dos Exércitos, dia de vingança para ele se vingar dos seus adversários; e a espada devorará, e fartar-se-á, e embriagar-se-á com o sangue deles; porque o Senhor DEUS dos Exércitos tem um sacrifício na terra do norte, junto ao rio Eufrates.
Satanás é quem quer ocupar o norte: ele quer ser adorado, o que somente Deus pode ser. Na mitologia de Canaã, o deus Baal habitava o norte, mas o verdadeiro norte (o direito de receber adoração) é reservado a Deus.

Como caíste desde o céu, ó Lúcifer, filho da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações!
E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte.
Isaías 14:12
O 'rei' de
Daniel 11:36
explica Martinho Lutero - claramente representa o Papa, que sem qualquer vergonha lança seus decretos no mundo ... Assim como o sol está acima da lua, assim também o papa está sobre o imperador ... Não o imperador, mas o papa é o real imperador; pois o imperador beija os pés do papa como um vassalo ... Este último se coloca acima das escrituras sagradas ... Como diz Daniel: "acima do deus dos deuses" (Daniel 11:36) ...
Outros tiranos em sua ignorância perseguiram a palavra de Deus. Este o faz conscientemente! Enquanto ele cita as escrituras sagradas como palavra de Deus, ele na verdade quer dominar sobre ela ... Por isto ele pode ser considerado como um deus terrenal ... como diz em
2 Tessalonicenses. Ali fica claro que ele é o ‘homem do pecado’ e o ‘filho da perdição’, que se levanta sobre tudo que tem o nome de Deus ou de culto, chegando ao ponto de se assentar no templo de Deus, dizendo ser Deus. (2. Te 2, 3 e 4). (...)
Rev. Prof. Dr. F. N. Lee, Luther on Islam and the Papacy www.dr-fnlee.org/docs/loiatp/loiatp.pdf
(...) Ele não é simplesmente chamado de homem do pecado e filho da perdição em seu estado de pecador perdido no nível pessoal e privado. Não, é como uma entidade pública que arrasta outros consigo ao pecado e perdição.

Rev. Prof. Dr. F. N. Lee, Luther on Islam and the Papacy
www.dr-fnlee.org/docs/loiatp/loiatp.pdf
History of the Reformation of the 16th Century, Bd. 15, S. 208
'Se você não lutar de todo coração contra o ímpio governo do papado, você não pode ser salvo. Quem encontra prazer na religião e culto do papado vai se perder eternamente para o mundo futuro. Se você rejeita (o papado), você tem que estar preparado para aceitar todos os perigos e mesmo perder a sua vida. Mas é muito melhor aqui nesta terra estar exposto a tais perigos do que permanecer calado. Enquanto eu viver, eu quero expor a meus irmãos a ferida e a praga babilônica; temendo que se eu não o fizer, muitos de nós, como os demais, caiam em apostasia.'
Martinho Lutero disse:
O irmão Smith apresentou uma bonita palestra sobre Daniel 11. E a sua interpretação parece plausível. Mas se o ferro das pernas e o ferro dos pés representam a Roma, e se o animal terrível e espantoso de Daniel 7 e se o chifre pequeno representam a Roma, e se o pequeno chifre em Daniel 8 que se torna muito grande representa a Roma, então também o rei do norte é Roma. Irmãos, essas são quatro profecias paralelas cujo alcance é até a Vinda do Senhor.
Citado em in M. C. Wilcox, King of the North, p. 44

Se nós consideramos que esta profecia de Daniel é uma conclusão certeira das profecias anteriores a ela, então reconhecemos quão significativa ela é. Todas as profecias anteriores a Daniel encontram neste capítulo o seu clímax. Ele recebeu esta profecia depois de ele ter jejuado por três semanas para compreender melhor o que ele tinha visto anteriormente.
Após cuidadoso estudo bíblico, os pioneiros do movimento do advento chegaram à conclusão que o poder descrito em Daniel 11 é o papado. Uriah Smith tentou dar uma outra interpretação, propondo que fosse a Turquia. Porém Tiago White replicou:
Portanto fica claro que só vamos compreender este clímax do rei do Norte em Jerusalém quando estudarmos esta profecia à luz dos capítulos precedentes.
Louis F. Were, The King
of the North at Jerusalem, S. 7

Tanto João como Daniel descrevem os perigos, as lutas, e a libertação final do povo de Deus. João o faz em conexão com as forças satânicas de Babilônia espiritual (Ap 13-19), Daniel o faz em conexão com o 'rei do norte' ... E se o rei do norte faz a mesma obra que o papado, somente pode haver uma conclusão 'o rei do norte é o papado.'

Louis F. Were, The King of the North at Jerusalem, S. 9
A Tipologia do Rei de Tiro

Tiro, seu príncipe e seu rei são um modelo tipológico para o último conflito cósmico.
Filho do homem, dize ao príncipe de Tiro: Assim diz o Senhor DEUS: Porquanto o teu coração se elevou e disseste: Eu sou Deus, sobre a cadeira de Deus me assento no meio dos mares; e não passas de homem, e não és Deus, ainda que estimas o teu coração como se fora o coração de Deus;
Ezequiel 28:2
Porque assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu, desde o norte, trarei contra Tiro a Nabucodonosor, rei de babilônia, o rei dos reis, com cavalos, e com carros, e com cavaleiros, e companhias, e muito povo.
Ezequiel 26:7
O homem da iniquidade tem as mesmas pretensões que o príncipe de Tiro. Ele se assenta como governante (no templo = na igreja), assim como o antítipo na igreja, e pretende ter a posição de Deus em seu papel político-religioso como mártir (Ap 13). Ele recebe o assento, o trono e a autoridade diretamente do dragão.

Tiro também representa um poder econômico, porque os fenícios eram comerciantes e navegadores. Quando o rei do norte (Nabucodonosor) subjuga este poder, ele reclama para si esta força econômica e funde o domínio político e religioso.
2 Tessalonicenses 2:3
Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição,
E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés como os de urso, e a sua boca como a de leão; e o dragão deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande poderio.
Apocalipse 13:2
Esta posição pertence somente a Deus. Ele está assentado sobre o trono, que está no norte, pois Ezequiel descreve como o trono está no norte. Seu reinado (Sião) portanto também se encontra no norte.
Por isso estão diante do trono de Deus, e o servem de dia e de noite no seu templo; e aquele que está assentado sobre o trono os cobrirá com a sua sombra.
Apocalipse 7:15
E eu pus-me sobre
a areia do mar, e vi subir do mar uma besta que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças
um nome de blasfêmia.
Apocalipse 13:1
O Comentário de Wesley: 'Esta besta é o papa, que levantou seu poder há 600 anos e ainda permanecerá por um certo período de tempo. A ele e a ninguém mais se aplica todo este texto, cada ponto e cada detalhe ... Em contraste com o reino de Deus, este reino é terreno-espiritual, um poder não somente espiritual/eclesiástico, também não somente mundano/político, mas uma mistura dos dois...

...Esta besta existe no presente. Não está no passado, porque Roma existe agora, e somente depois da destruição de Roma é que a besta será lançada no lago (de fogo).'
O mencionado príncipe era Et-Baal, o pai de Jezabel, que se casou com o rei israelita Acabe, e que mergulhou toda a nação no culto a Baal:
Príncipe – nagid: Comandante, (na frente), civil, militar ou religioso. Principal homem, cabeça, algo excelente, governador principal, líder, nobre, regente.
E sucedeu que (como se fora pouco andar nos pecados de Jeroboão, filho de Nebate) ainda tomou por mulher a Jezabel, filha de Etbaal, rei dos sidônios; e foi e serviu a Baal, e o adorou.
1 Reis 16:31
Et-Baal: com Baal; Et-Baal, rei fenício

Baal: Mestre; marido, senhor ou dono
Transição de Príncipe a Rei:

Filho do homem, levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro, e dize-lhe: Assim diz o Senhor DEUS: Tu eras o selo da medida, cheio de sabedoria e perfeito em formosura.
Ezequiel 28:12
Rei – melek: rei, real

Estiveste no Éden, jardim
de Deus; de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardônia, topázio, diamante, turquesa, ônix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda e ouro; em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados.
Ezequiel 28:13
Ezequiel 28:14
Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas.
Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti.
Na multiplicação do teu comércio encheram o teu interior de violência, e pecaste; por isso te lancei, profanado, do monte de Deus, e te fiz perecer, ó querubim cobridor, do meio das pedras afogueadas.

Ezequiel 28:16
Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti.
Ezequiel 28:17
Pela multidão das tuas iniqüidades, pela injustiça do teu comércio profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu e te tornei em cinza sobre a terra, aos olhos de todos os que te vêem.
Ezequiel 28:18
O regente terrenal de Tiro serve de tipo, de modelo para o governante terrenal do fim dos tempos. Satanás é o verdadeiro antítipo por trás dos bastidores que lhe dá todo o poder. Esses ataques e contra-ataques entre rei do norte e rei do sul devem suscitar uma certa forma de pensamento coletivo nas pessoas, que une os dois partidos em sua oposição ao povo de Deus.
Satanás quer total submissão e adoração. O rei do norte é um caminho à adoração de si mesmo. O rei do sul um caminho à incredulidade e à rebelião contra Deus. O rei no norte em primeiro plano é Babilônia literal, um modelo para a Babilônia antitípica do fim dos tempos, na qual todas as religiões estão fundidas baixo a direção do papado. Os reis do mundo irão prostrar-se perante este sistema, irão render-lhe o seu poder. Assim surge uma besta político-religiosa que é guiada por uma mulher, a igreja.
- E levou-me em espírito a um deserto, e vi uma mulher assentada sobre uma besta de cor de escarlata, que estava cheia de nomes de blasfêmia, e tinha sete cabeças e dez chifres.
Apocalipse 17:3
- E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata, e adornada com ouro, e pedras preciosas e pérolas; e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua fornicação;
- E na sua testa estava escrito o nome: Mistério, a grande babilônia, a mãe das prostituições e abominações da terra.
- E vi que a mulher estava embriagada do sangue dos santos, e do sangue das testemunhas de Jesus. E, vendo-a eu, maravilhei-me com grande admiração.
- E o anjo me disse: Por que te admiras? Eu te direi o mistério da mulher, e da besta que a traz, a qual tem sete cabeças e dez chifres.
Apocalipse 17:6
Assim, rei do sul incorpora: humanismo, evolucionismo, ateísmo, secularismo e existencialismo. Todos esses têm o alvo de eliminar a Deus, e ordenar a terra baseado em força e sabedoria humana. Estes conceitos são, de uma forma ou de outra procedentes de filosofias jesuítas como Voltaire, Descartes, Pierre Teilhard de Chardin e inúmeros outros até o dia de hoje que endossaram ou até mesmo inventaram as mesmos.
Existencialismo: Atitude filosófica, em conexão especialmente com Heidegger, Jaspers, Marcel and Sartre, e em contraste com o racionalismo e empiricismo. O existencialismo dá ênfase à posição autônoma do indivíduo, aonde ele somente é responsável pela veracidade de suas decisões.

Nossa guerra não é uma guerra civil ... mas uma cruzada … sim, a nossa guerra é uma guerra religiosa. Nós, que lutamos, somos os soldados de Deus. Quer cristãos, quer muçulmanos, e nós não lutamos contra pessoas, mas contra o ateísmo e materialismo.
O general espanhol Franco disse:

Zitiert in Robert Hutchison, Their Kingdom Come: Inside the secret world of Opus Dei, S. 105

Tipologia do Rei do Norte contra o Rei do Sul

Faraó Neco
Nabucodonosor
Nos seus dias subiu Faraó Neco, rei do Egito, contra o rei da Assíria, ao rio Eufrates; e o rei Josias lhe foi ao encontro; e, vendo-o ele, o matou em Megido.
2 Reis 23:29
E seus servos, num carro, o levaram morto, de Megido, e o trouxeram a
Jerusalém, e o sepultaram na sua sepultura;
e o povo da terra tomou a Jeoacaz, filho de Josias, e ungiram-no, e fizeram-no rei em lugar de seu pai.
2 Reis 23:30
Porém Faraó Neco o mandou prender em Ribla, em terra de Hamate, para que não reinasse em Jerusalém; e à terra impôs pena de cem talentos de prata e um talento de ouro.
2 Reis 23:33
Também Faraó Neco constituiu rei a Eliaquim, filho de Josias, em lugar de seu pai Josias, e lhe mudou o nome para Jeoiaquim; porém a Jeoacaz tomou consigo, e foi ao Egito, e morreu ali.
2 Reis 23:34
Neco II., Faraó da dinastia Saíta – governou sobre o Egito de 610 – 595 a.C.

610: O ascendente ao trono Neco herda uma guerra contra a Babilônia, na qual o Egito apóia a Assíria.
609: Intervenção na Palestina; o rei judeu Josias morre em Megido (ver 2. Reis 23:29 e 2. Crônicas 35,20-24). Judá e as cidades fenícias têm que pagar tributos (anos posteriores da crônica de Nabopolassar).
www.livius.org/ne-nn/necho/necho_ii.html
Três anos mais tarde o idoso rei da Babilônia Nabopolassar enviou seu filho Nabucodonosor contra o exército egípcio. No ano de 605 a.C. os dois se confrontam em Carquêmis. Nabucodonosor bate os Egípcios, passa pelo país de Israel e subjuga Jeoaquim; mas antes de sua volta recebe a notícia do falecimento de seu pai. Ele corre de volta, e com ele jovens presos da elite judaica, entre eles Daniel e seus amigos.
www.livius.org/cg-cm/chronicles/abc2/early-nabopolassar.html

605 a.C. Nabucodonosor destrói o Faraó Neco em Carquêmis (primeiros anos da crônica de Nabucodonosor)
601 a.C.: Ataque babilônico ao Egito, revanche.
597 a.C.: Perda de Judá, Jerusalém é levada cativa por Babilônia.
595: Morte de Faraó Necho II, sucessor é seu filho Psamético II. O nome de Neco muitas vezes é apagado de seus monumentos – possívelmente um indício, que sua política externa foi vista como falhada. Seus descendentes evitaram intervenções no exterior.
Bezerra mui formosa é o Egito; mas já vem a destruição, vem do norte.
Jeremias 46:20
O rei do norte típico venceu o rei do sul típico um pouco antes de Babilônia começar seu ataque a Jerusalém literal e destruir o santuário. No primeiro antítipo desta destruição se tratava de Roma (o novo rei do norte), que em 70 d.C. destruiu o segundo templo.

- Sabe e entende:
desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos.
E depois das sessenta e duas semanas será cortado o Messias, mas não para si mesmo; e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas as assolações.
Daniel 9:25
Daniel 9:26
O Rei do Norte 1

"O povo de Deus não encontrará sua segurança na operação de milagres; pois Satanás imitará os milagres que forem operados. O provado e experimentado povo de Deus, encontrará seu poder no sinal de que fala. Êxodo 31:12-18. Hão de postar-se do lado da palavra viva: “Está escrito”. Mateus 4:4. Essa é a única base sobre que poderão estar seguros. Os que quebraram o seu concerto com Deus estarão naquele dia sem Deus e sem esperança."
Ellen G. White em Conselhos para a Igreja, 38.7
Seleuco
Daniel 11:3
Depois se levantará um rei valente, que reinará com grande domínio, e fará o que lhe aprouver.


Daniel 11:4
Mas, estando ele em pé, o seu reino será quebrado, e será repartido para os quatro ventos do céu; mas não para a sua posteridade, nem tampouco segundo o seu domínio com que reinou, porque o seu reino será arrancado, e passará a outros que não eles.
Daniel 11:33
Daniel 11:35
Isaías 14:13
Ezequiel 28:15

Apocalipse 17:4
Apocalipse 17:5
Apocalipse 17:7
Merismo consiste de dois elementos em contraste, que juntos compõe um todo.
2 Tessalonicenses 2:4
O qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus.
AAAAAA
Full transcript