Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Independência dos EUA

No description

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Independência dos EUA

Segundo Congresso Continental da Filadélfia 1775

Caráter separatista, que confirmou a necessidade de organização militar como meio de garantir os direitos dos colonos, confirmou G. Washington no comando das tropas e deu a Thomas Jefferson a liderança de uma comissão encarregada de redigir a Declaração de Independência.

 
Principais realizações do Segundo Congresso Continental:

- 14 de junho, 1775, eles estabeleceram o Exército Continental. Eles fizeram George Washington General do Exército.

- 08 de julho de 1775, tentaram novamente para a paz, enviando o Poder Petição Olive ao rei da Grã-Bretanha.

- 04 de julho de 1776 eles lançaram a Declaração de Independência declarando os Estados Unidos como um país independente da Grã-Bretanha.

- 14 junho de 1777 eles passaram a Resolução bandeira para uma bandeira dos Estados.

- 01 março de 1781 os artigos da Confederação foram assinados a criação de um governo. 




Constituição 1787

Tem grande significado político não só porque formalizou a independência da primeiras colônias na América, dando origem a primeira nação livre do continente, mas porque trás em seu bojo o
ideal de liberdade e de direito individual, e a idéia de soberania popular
, representando uma síntese da mentalidade democrática e liberal da época.

No entanto, a pressão dos grandes proprietário rurais, importantes aliados na Guerra de Independência, determinou a
manutenção da escravidão no país. 

A França entrou na Guerra em 1778 e a Espanha no ano seguinte, em apoio as tropas coloniais, com o objetivo de enfraquecer a Inglaterra no cenário europeu. 

Em 1781 as tropas coloniais e francesas derrotaram os ingleses na Batalha de Yorktown e em 1783 foi assinado o Tratado de Paris, segundo o qual a Inglaterra reconhecia a independência das treze colônias.

Declaração de Independência 1776

Ocupação Territorial Européia 1700

Guerra dos 7 Anos (French Indian War)

Ocupação territorial dos povos nativos

Independência :

1 - estado, condição, caráter daquele que goza de
autonomia, de liberdade com relação a alguém ou alguma coisa
.

2 - autonomia política; soberania nacional; libertação.

Conceito:

1 - Conceitos

2 - Ocupação e Dominação Colonial

3 - Alteração da Política Colonial

4 - Guerra de Independência

5 - Organização da Nova República

6 - Rumo ao Oeste séc XIX


Roteiro:

Prof. Luis Armando Tavares de Lacerda

Declaração de Independência dos EUA

“ Se você quer uma imagem do futuro, imagine uma bota prensando um rosto humano para sempre ”

G.Orwell - 1984, 1949

Guerra de Independência 1975 -1781

Atos Townshend 1767

Leis que taxavam a importação de diversos produtos de consumo. Criavam os Tribunais Alfandegários. (chá, papel, vidro e tintas)

Lei do Chá 1773

Garantia o monopólio do comércio de chá para a Cia das Índias Orientais 

Lei do Selo 1765

Obrigava a utilização de selo em qualquer documento, jornais ou contratos.

Lei do Açucar 1764

Taxa sobre o açúcar que não fosse comprado das Antilhas Inglesas

Primeiras Proibições
1750 - Ferro
1754 - Tecidos

1754

Conflito ocorrido entre 1756-63

Rivalidade econômica e colonial entre França e Inglaterra.

Assinatura do Tratado de Westminster 1756 (Ing e Pru)

Derrota francesa e perda territorial (Canadá e Índia)

Aumento da influência Inglesa na América

Assinatura do Tratado de Paris 1763


Bill Port Proibição de Comércio no Porto de Boston

Primeiro Congresso Continental da Filadélfia 1774

Manutenção do
boicote aos produtos ingleses
e foi elaborada uma Declaração de Direitos e Agravos.

Os colonos reivindicavam a
revogação das "Leis Intoleráveis"
e o direito de
representação no Parlamento
inglês, no entanto a Inglaterra manteve-se intransigente, não estando disposta a fazer concessões. 

Na maioria das cidades formavam-se comitês pró independência que realizavam a propaganda do ideal emancipacionista e ao mesmo tempo foram responsáveis pelo armazenamento de armas e munições, julgando que o
conflito seria inevitável
 


Lei de Quebec
Impedia que as colônias de Massachussets, Virgínia, Connecticut e Pensilvânia ocupassem terras à oeste. 

Leis Intoleráveis 1774

Negligência Salutar

- Postura de
omissão e descaso para com os assuntos coloniais
.

Diferente dos moldes mercantilistas de Portugal e Espanha, pois, estava envolta em
problemas internos (Revolução Inglesa)
, sem a possibilidade de se lançar na empreitada colonial.

Self Government 
- Autogoverno

- Constante na legislação liberal inglesa, que
reconhecia os direitos fundamentais dos homens livres
.

- Os governadores de cada colônia eram nomeados pela coroa inglesa, na maioria das vezes, eram homens das próprias elites locais, com poderes limitados pelas Assembléias ou Conselhos Locais e seus salários pagos pelos colonos.



Escravos
1620–1700 - 21,000
1701–1760 -189,000
1761–1770 - 63,000
1771–1780 - 15,000

População
1625 - 1,980
1641 - 50,000
1688 - 200,000
1702 - 270,000
1715 - 435,000
1749 - 1,000,000
1754 - 1,500,000
1765 - 2,200,000
1775 - 2,400,000


Ocupação Inglesa - 13 colônias

Filhos da Liberdade

Boston Tea Party 1773

Massacre de Boston 1770

Fiadora Mula 1779 - Samuel Crompton

Bobina Voadora 1733 - John Kay

Margens do Tamisa 1780

Fiadora Jenny 1764 - James Hargreaves

Revolução industrial

O surgimento da liberdade e da igualdade no país foi acompanhado pelo surgimento da escravidão. O fato de que duas evoluções tão contraditórias ocorressem simultaneamente durante um largo tempo, do século XVII ao XIX, constitui o paradoxo central da história americana.

O paradoxo é evidente em muitos níveis se quisermos vê-lo. Pensemos, por exemplo, na tradicional insistência na liberdade dos mares. O axioma "Navios livres fazem mercadoria livre" era o ponto cardeal da doutrina americana em política externa à época da Revolução. Mas a mercadoria para a qual os Estados Unidos exigiam liberdade era produzida em grande parte pelo trabalho escravo. A ironia é mais que semântica. A dependência americana do trabalho escravo deve ser vista no contexto da luta do país por uma posição independente e igual no âmbito das nações da Terra.

Pode-se dizer que em grande parte os americanos compraram sua independência com trabalho escravo.
Liberdade e Escravidão

"Quando, no curso dos acontecimentos humanos, se torna necessário a um povo dissolver os laços políticos que o ligavam a outro, e assumir, entre os poderes da Terra, posição igual e separada, a que lhe dão direito as leis da natureza e as do Deus da natureza, o respeito digno para com as opiniões dos homens exige que se declarem as causas que os levam a essa separação.

Consideramos estas verdades como evidentes por si mesmas, que todos os homens são criados iguais, dotados pelo Criador de certos direitos inalienáveis, que entre estes estão a vida, a liberdade e a procura da felicidade. Que a fim de assegurar esses direitos, governos são nstituídos entre os homens, derivando seus justos poderes do consentimento dos governados; que, sempre que qualquer forma de governo se torne estrutiva de tais fins, cabe ao povo o direito de alterá-la ou aboli-la e instituir novo governo, baseando-o em tais princípios e organizando-lhe os poderes pela forma que lhe pareça mais conveniente para realizar-lhe a segurança e a felicidade
Fragmento

EMENDA IV

O direito do povo à inviolabilidade de suas pessoas, casas, papéis e haveres contra busca e apreensão arbitrárias não poderá ser infringido; e nenhum mandado será expedido a não ser mediante indícios de culpabilidade confirmados por juramento ou declaração, e particularmente com a descrição do local da busca e a indicação das pessoas ou coisas a serem apreendidas.

EMENDA I

O Congresso não legislará no sentido de estabelecer uma religião, ou proibindo o livre exercício dos cultos; ou cerceando a liberdade de palavra, ou de imprensa, ou o direito do povo de se reunir pacificamente, e de dirigir ao Governo petições para a reparação de seus agravos.
EMENDA II

Sendo necessária à segurança de um Estado livre a existência de uma milícia bem organizada, o direito do povo de possuir e usar armas não poderá ser impedido.
Full transcript