Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

ANALISE LITERÁRIA DA OBRA IRACEMA – JOSÉ DE ALENCAR

No description
by

warley santos

on 29 April 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of ANALISE LITERÁRIA DA OBRA IRACEMA – JOSÉ DE ALENCAR

ANALISE LITERÁRIA DA OBRA IRACEMA – JOSÉ DE ALENCAR
Trabalho ministrado no curso LN5 sob orientação da Profª Ms.: Michelle Giacomet, como complementação de nota da disciplina de literatura brasileira.

JOSÉ DE ALENCAR
Sobre o autor:
José de Alencar foi o maior autor da prosa romântica no Brasil, principalmente dos romances indianistas e urbanos. Tentando estabelecer uma linguagem brasileira, Alencar consolidou a modalidade no país e lançou clássicos como “O Guarani” e “Ubirajara”, “Iracema” completa o que se chama a trilogia indianista de Alencar. Em Iracema, constrói-se uma alegoria perfeita do processo de colonização do Brasil e de toda a América pelos invasores portugueses e europeus em geral.

Sobre a obra:
O livro foi publicado em 1865 e o autor demonstra, já a partir do título, um evidente trabalho de construção de uma linguagem e de um estilo que possam melhor representar, para o leitor, “a singeleza primitiva da língua bárbara”, com “termos e frases que pareçam naturais na boca do selvagem”. sub-titulado A “Lenda do Ceará”, conta a triste história de amor entre a índia tabajara Iracema, a virgem dos lábios de mel e Martim, primeiro colonizador português do Ceará. Além disso, o assunto do livro é também a história da fundação do Ceará e o ódio de duas nações inimigas (tabajaras e potiguaras). Os potiguaras habitavam o litoral cearense e eram amigos dos portugueses. Os tabajaras viviam no interior e eram aliados dos franceses.
Curiosidade:
Iracema, subtitulado “A Lenda do Ceará“, é um livro, impregnado de lirismo, mistura ficção e realidade além de deixar a ideia de um anagrama “Iracema = América”, suposição feita pela abl no ano de 1929 que ainda gera controvérsia sobre o titulo visto que a linguagem é inquestionável, mas impossível de comprovar tal intenção. Suposições a parte, é sabido que sua escritura incrustam-se dois gêneros: o épico — por ser uma narrativa histórica — e o lírico —, uma vez que abriga subjetividade, o que faz com que sua linguagem toque, frequentemente, o poético.

Estrutura:
O livro é composto por 33 capítulos curtos, com imagens e comparações superpostas. A obra é escrita em terceira pessoa, e leva a crer que temos um narrador-observador, porém o ufanismo faz com que, em alguns momentos, o narrador apareça em primeira pessoa e deixe transparecer sua admiração e seu envolvimento. sugerem o nascimento de um texto densamente poético. Outros elementos presentes são: o ritmo, a musicalidade e a cadência. A musicalidade é a característica mais marcante de seu discurso literário.

Vejamos um trecho que marca a musicalidade dita:
“... O galo da campina ergue a poupa escarlate fora do ninho. Seu límpido trinado anuncia a aproximação do dia. Ainda a sombra cobre a terra. Já o povo selvagem colhe as redes na grande taba e caminha para o banho O velho Pajé que velou toda a noite, falando às estrelas, conjurando os maus espíritos das trevas, entra furtivamente na cabana...” (pág. 11)

DEMAIS CARACTERISTICAS:
Pode-se dizer que a mesma tem foco amoroso, devido a supervalorição do amor acima de tudo, amor X autoridade paterna; amor e morte, além da transgressão de regras, nota-se ainda nas características dos personagens, a contradição entre o plano físico e psicológico do narrador visto que os traços indígenas são idealizados a partir de um modelo das heroínas europeias;

Exemplo da marcante influencia europeia:
Percebe-se na obra , principalmente na caracterização da heroína um modelo europeizado de beleza estética e tradicional:



"Iracema, a virgem dos lábios de mel [...]. O favo da jati não era tão doce como o seu sorriso; nem a baunilha recendia no bosque como seu hálito perfumado." (pág.3)
‘ QUE INDIGENA É ESSA??’

?
MARCANTES DO ROMANCISMO:
De linguagem poética, José de Alencar escreve em prosa um romance cheio de adjetivações e comparações, O encontro da natureza (Iracema) e da civilização (Martim) projeta-se na duplicidade da marcação temporal. Há, em Iracema, um tempo poético marcado pelos ritmos da natureza e pela percepção sensorial de sua passagem (as estações, a lua, o sol, a brisa), que predomina no corpo da narrativa, e um tempo histórico, cronológico;
“A alvorada abriu o dia e os olhos do guerreiro branco. A luz da manhã dissipou os sonhos da noite, e arrancou de sua alma a lembrança do que sonhara” (pág. 17).

Conclusão:
O romance conclui-se com Iracema, por amor a Martim, abandonando família, povo, religião e deus, mostrando assim uma clara referência à submissão do indígena ao colonizador português. Outra marcante é a morte de Iracema, mais uma vez presente no romance, como castigo e solução para o amor proibido.  Em seu prenúncio, o próprio José de Alencar descreve a importância do livro: “Poema lhe chamamos a este, sem curar de saber se é antes uma lenda, se um romance: o futuro chamar-lhe-á obra-prima”. Resumindo, Iracema é um item indispensável da literatura nacional.
Full transcript