Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

ARQUITETURA

Teatro Nacional, Igrejinha e Machu Picchu
by

Wagner Bôa Morte

on 23 September 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of ARQUITETURA

"A cidade perdida dos Incas"
TEATRO NACIONAL - Brasília
IGREJINHA DA 308 SUL - Brasília
MACHU PICCHU - Peru

Inauguração da Igrejinha
Brasília 50 ANOS
Uma entrevista com Athos Bulcão
Preservação do patrimônio artístico
O painel moderno da Igrejinha da 308 sul vira polêmica.
MACHU PICCHU
Igreja Nossa Senhora de Fátima
"Igrejinha"
Painel do artista Francisco Galeno
Azulejos de Athos Bulcão
Machu Picchu
é um monumento inca descoberto no ano de 1911 pelo antropólogo norte-americano Hiram Bingham, que estava à procura da legendária capital inca de Vilcabamba.

Não se tem um registro preciso de sua construção, mas alguns especialistas indicam que Machu Picchu foi finalizada no século XV, antes da aparição dos primeiros europeus na América.

O monumento localiza-se no Peru, na Cordilheira dos Andes, entre duas falhas geológicas, e é considerado uma histórica cidade perdida, construída a mais de 2400 metros de altitude, entre duas montanhas, dando a ideia de proximidade com o divino.
Por ser uma sociedade antiga de forte inclinação religiosa, os incas construíram Machu Picchu em adoração ao deus sol, construindo praças, cemitério e casas em lugares estratégicos para dar passagem à divindade adorada.
Além das casas, praças e cemitérios, havia santuários para celebração religiosa, aquedutos e grandes terraços onde os incas desenvolviam a agricultura.
A cidade tem cerca de 530 metros de comprimento e 200 metros de largura, onde se contabiliza mais de 170 recintos.
O local é dividido pela zona agrícola, que ficava ao leste e contava com uma complexa estrutura que permitia o desenvolvimento da agricultura; e a zona urbana, onde fica localizada a maioria dos templos e casas. As áreas são divididas por um muro de cerca de 400 metros de comprimento.
Atualmente, Machu Picchu preserva apenas 30% de sua estrutura original – o restante foi restaurado com encaixes de pedras menores e mais espaçadas.
É considerada patrimônio mundial pela UNESCO e um dos principais destinos dos turistas que visitam a América Latina.
Existem fortes evidências de que os construtores levaram em conta critérios astronômicos e rituais para as construções. No vídeo (9:32), uma atenção especial para o
Templo do Sol
.
AS ESTRUTURAS DAS CONSTRUÇÕES
Quase todos os edifícios são de planta retangular. Existem poucas construções de planta curva e circular.
Há edifícios de uma, duas e até oito portas, normalmente em apenas um dos lados maiores do retângulo.
São frequentes as construções chamadas
huayranas
. Estas só possuem três muros. Neste caso, no espaço do "muro faltante" aparece uma coluna de pedra para sustentar uma viga de madeira que serve de suporte ao teto.
Também existem os chamados
masmas
, que são duas
huayranas
unidas por um muro no meio.
As construções normalmente seguem o esquema das
Kanchas
, ou seja, quatro construções retangulares dispostas em torno de um pátio. Para este pátio dão todas as portas.
ARQUITETURA
Acesso para o "Santuário da Mãe Terra"
ESCULTURA
Templlo do Sol
Vídeo (8:30)

Não se conservou nenhum teto original, porém há consenso em afirmar que a maioria das construções o tinham, de duas ou quatro águas. Houve um teto cônico sobre o torreón e era formado por uma armação de troncos amarrado e coberto por camadas de palha.

Portas janelas e nichos
Como é clássico na arquitetura inca, a maioria das portas, janelas e nichos (chamados falsas janelas) têm forma trapezoidal, mais larga na base que no topo.
As portas dos recintos mais importantes eram duplas e em alguns casos incluíam um mecanismo de fechamento interior.
As paredes interiores de boa parte das construções têm nichos em forma trapezoidal, junto às janelas.
Cobertura, portas, janelas e nichos
"Templo do Condor"
Uma viagem por Machu Picchu
Os Incas não conheciam o movimento da Terra em relação ao Sol, nem a inclinação do eixo do nosso Paneta, logo ignoravam igualmente as estações do ano como nós as identificamos.
Contudo, este tipo de informação era vital para as comunidades agrícolas, para saberem as melhores épocas para o plantio e para a colheita, pelo que tiveram esta ideia de amarrar o Sol, para que quando o mesmo resolvesse afastar-se da Terra, pudessem trazê-lo de volta. Então, segundo a mitologia, o Sol estaria amarrado ao nosso Planeta através de forças ocultas, o que permitia aos Incas puxá-lo de volta logo que começasse a fazer frio...
A Intihuatana é um bloco de granito, único, repete-se, trabalhado, multi-facetado, com vários níveis, terá na sua altura máxima 2 metros e um pouco mais na maior dimensão da base, destacando-se no centro uma pequena coluna paralelepipédica, em que os respectivos ângulos estão posicionados de acordo com os pontos cardeais, permitindo assim aos Incas prever os soltíscios.
ARQUITETURA
ANTIGA E
MODERNA
Full transcript