Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

3M+1 - Jovens Iluminados

No description
by

Angela Lopes

on 11 October 2017

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of 3M+1 - Jovens Iluminados

D. José Maria de Sousa (1758-1825)
Reminiscências de
D. José Maria de Sousa, Morgado de Mateus
sobre o Mestre e Amigo
José Anastácio da Cunha
Anecdotas de J. A. d. C.
... o seu conhecimento matemático fez (...) admiração
o Tempo, as Ideias,
a Obra...

... a primeira vida que quis abraçar foi a de engenheiro...
Engenheiro
: oficial que serve à guerra para ataques, defesa e fortificação de praças. É um matemático hábil, esperto e astuto, que conhece a arte da arquitetura militar, que faz o reconhecimento das praças que se quer atacar e que mostra ao general o ponto mais frágil, que desenha trincheiras, praças das armas, galerias, os alojamentos sobre a contraescarpa e sobre a semi-lua e conduz as obras junto da muralha, marcando aos trabalhadores que fazem rondas à noite. O engenheiro marca também a linha de circunvalação, com os redutos de distância em distância. Este engenheiro inventou uma nova série de bombas, uma nova maneira de acampar, de fazer pontes, …
Furetière (1727)
José Anastácio da Cunha
Seu pai o mandou aprender o Latim às Escolas da Congregação e depois a Retórica e a Filosofia.











José Anastácio da Cunha
falava pelo hábito de Valença...

Travels through Spain and Portugal in 1774,

...os outros oficiais de Valença que conheci disseram que ninguém mostrara mais valor e honra sempre.
Excerto de "Verbete biográfico de José Anastácio da Cunha", um manuscrito do Arquivo Distrital de Braga, transcrito em Anecdotas de J. A. d. C. (2013)
... o gosto de aprender a Geometria...
(estudara o Tosca e o Tacquet)
"Sobre uma matéria tão importante como esta não temos nada escrito em Português Nas outras Nações sim tem havido pessoas de grande nome, que têm compreendido o tratá-la, mas até agora ninguém o tem feito completamente, e sem cair em notáveis abusos, ou erros de consequência. Os primeiros Mineiros cuidaram que a figura da escavação era um Cone de huma altura igual ao Raio de base; depois imaginaram que era um Cone truncado, (...) que finalmente as experiências feitas por M. Belidor na Escola d''Artelharia de la Fère pelos anos 1730 desterraram de todo. (...) Eis aí Mr Dulacq, que quiz fazer hum Mechanismo de Artelharia, e que para demonstra este ponto, se põe a calcular errado, e a raciocinar em vão, como no resto da sua Obra, ou ainda mais se pode ser. Ajusta o vértice da parábola ordinária no ângulo de um triângulo, toma por razões inversas, o que está muito longe de o ser, &c, &c, &c.
O Sábio Mr. Muller Professor d'Artelharia, e Fortificação na Academia Real de Inglaterra, discípulo de Belidor, e que assistiu às experiências, de que falei, achou felizmente uma nova Teórica segura, e completa, quanto baste para a prática, e confirmada incontestavelmente por ela. (...)
Quem prevenido da grande reputação de M. Dulacq neste Reino se admirar do que aqui se diz dele, ponha os olhos nessas mizeráveis equações, que se acham no seu Mecham d'Art (...) pois não há Rapaz da escola, que não possa ensinar a Mr. Dulacq, que 4 vezes nada é nada (...)"

José Anastácio da Cunha no seu "Ensaio sobre as Minas"
Homero
Horácio
Guarini
Voltaire
NOITE SEM SONO

Imagem!, não por destra mão pintada,

Ou em precioso mármore lavrada,

Porém, pela Virtude e Formosura

Numa alma impressa, aos Deuses graça pura!

Imagem que o meu Bem agora ausente,

Of'reces quasi aos olhos meus presente;

Causa única da minha Distracção,

Minha mais doce e séria ocupação!

No sono, à noite, ou no ocupado dia,

Sempre desta sua Alma companhia,

Desta sua Alma, para a amar nascida,

Contigo ao menos sempre, sempre unida,

A cuja vista a mais severa Pena

Do semblante enrugado o horror serena;

Do teu Resplor cego, se nem vejo

Da fortuna outros dons, nem os desejo.

Quanta me dá suave recompensa

Tua mais que belíssima Presença!
A ida para Coimbra, 1773
"Não devo deixar Valença sem mencionar um dos génios mais extraordinários de quem tenho ouvido falar. Ele é um jovem com cerca de vinte e quatro anos, um Português, e tenente de artilharia aqui; ele é de uma família pobre, e , sem qualquer das ajudas da educação, pela força de seu próprio génio, e grande aplicação, tornou-se quase um prodígio.
Ele é tão grande matemático, que o coronel Ferrier, ele próprio muito apurado nessa ciência, diz-me, que este jovem é muito além dele, Ele é mestre em todas as obras de Sir Isaac Newton, até mesmo das partes muito profundas que são consideradas como difíceis pelos melhores matemáticos. Ele é, portanto, um algebrista completo, e um bom astrónomo, e aplicou o seu conhecimento na matemática ao conhecimento específico exigido em sua profissão, que inclui engenharia, artilharia, e muitas outras coisas desnecessárias nas matemáticas puras. (...)"
William Dalrymple
O meu modo de ensinar era o que a minha consciência e inteligência (...) me ditavam. Expunha o objeto das proposições, a sua conexão e dependência (...). Não me demorava em ler ou repetir literalmente (como os meus companheiros costumavam) as proposições que por fáceis nem carecem de explicação, nem a admitem, só para poder empregar tempo suficiente em indicar aos estudantes as verdadeiras dificuldades da lição (...). Porém queria que também os estudantes trabalhassem, e os obrigava a resolver problemas.

José Anastácio da Cunha
[sobre o seu próprio método de ensino]
De volta a Lisboa, às Necessidades
Daí, pouco a pouco, perdeu o conhecimento e morreu com a simplicidade que tinha vivido. (...) em uma ocasião em que ele mostrava sofrer muito, disse-lhe estas últimas palavras:
...These dregs of Humanity
me dechirent plus
qu'ils ne me consolent!


1 de janeiro de 1787
Full transcript