Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

POLIMEROS

No description
by

Sâmis Agostini

on 20 September 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of POLIMEROS

POLIMEROS
O QUE SÃO POLÍMEROS?
ORIGEM
REAÇÃO DE POLIMERIZAÇÃO
POR:
Claudir Agostini
Fernando Silva
Lucas Daniel
Luiz Carlos Machado
Sandro Retzlaff
Borrachas;


Plásticos;


Proteinas e amido presente nos alimentos;
Pneus, elásticos, vedações, sola de sapato, etc.



Sacolas, brinquedos, CDs, canetas, capa de celular, etc



Batata, leite, milho etc.
Jöns Jacob Berzelius



1833



Grego
Poli = varias
Mero = partes
DIVISÕES
Monômeros;
Moléculas pequenas
_____________________________________
Dímero Trímero Polímero
Combinação de 2
moléculas
Combinação de 3
moléculas
Combinação de 'n'
moléculas
__________________________________________________________
Forma abreviada
LIGAÇÕES CRUZADAS - CROSSLINKING
LIGAÇÕES CRUZADAS - CROSSLINKING
Criador;



Ano criação;



Processo;

Charles Goodyear
1800 - 1860



1839
Acidentalmente



Termoquímico

GELECA COM BORAX
O polímero conhecido como PVA é um polímero de adição, pois se dá pela “soma” sucessiva de vários monômeros do acetato de vinila; daí o seu nome: poliacetato de vinila. Usado principalmente na fabricação de colas e goma de mascar.
POLÍMERO DO LEITE
Os polímeros de caseína (galalite) foram exibidos pela primeira vez na exposição de Paris de 1900 e durante anos foram utilizados na confecção de botões, joias e canetas. Apesar de ter-se procurado alternativas à passagem pelo formol (fornece ao produto brilho com tom de marfim), que é tóxico, as tentativas de modernização do processo produtivo fracassaram. A galalite deixou de ser produzida comercialmente em 1980. Obtidos do coalho do leite.
POLÍMEROS NATURAIS E SINTÉTICOS

Polímeros Naturais
São aqueles que existem na natureza;
Exemplos: Celulose, algodão, lã de carneiro
e seda do bicho-da-seda.


Polímeros Sintéticos
São os obtidos artificialmente;
Exemplos: Acrílico, isopor, teflon, PVC e outros.

POLÍMEROS SINTÉTICOS
Podem ser classificados basicamente em polímeros de adição e polímeros de condensação.
No nosso cotidiano, é constante a presença de 
polímeros sintéticos
. Veja alguns exemplos:

POLÍMEROS
DE ADIÇÃO
POLÍMEROS DE CONDENSAÇÃO
POLÍMEROS NATURAIS
Eles fazem parte de três classes: 
carboidratos, lipídios e proteínas
e a borracha natural.

CARBOIDRATOS
ESPUMA DE POLIURETANO
Os monômeros incluem a glicose e a frutose,
 que se unem de formas diferentes para formar os polissacarídeos como o amido, o glicogênio e a celulose.

A espuma de poliuretano é produzida misturando dois tipos de monômeros, o poliol e o diisocianato. Quando misturados liberam um gás e formam um polímero, o poliuretano aprisiona o gás em seu interior formando a espuma.
n C6H12O6 ______ (C6H10O5)n + (n – 1) H2O
glicose ________ amido, glicogênio e celulose

PROTEÍNAS
São macromoléculas resultantes da combinação de N- aminoácidos (compostos com as funções amina e ácido carboxílico) por meio de ligação peptídica.

LIPÍDIOS
São ésteres que sofrem hidrólise e formam um ácido graxo superior
e um monoálcool graxo superior ou um poliálcool (glicerina), além de, em alguns casos, outros compostos.

BORRACHA NATURAL
A borracha natural é o polímero poli-isopreno,
formado pela adição de sucessivas moléculas de isopreno. Ela é obtida por meio do látex, que é extraído principalmente da seringueira (Hevea brasiliensis).

Criador do termo;


Data de criação;


Origem;

Reações Orgânicas Para Obter Polímeros
Polímeros de Adição:
Plástico de Batatas
Já existe plástico biodegradável produzido industrialmente, como é o caso dos plásticos de amido de milho e de batata .
O amido da batata é composto basicamente por dois polímeros: amilose e a amilopectina
As estruturas químicas e a massa molar do polímero determinam suas propriedades físico-químicas como:









Determinam a utilidade do polímero.
• Resistência à chama,
• Cristalinidade,
• Estabilidade térmica,
• Resistência à ação química
• Propriedades mecânicas.

RECICLAGEM DOS POLÍMEROS
Como realizar a separação dos resíduos:


• Papéis, Plásticos, Metais, Vidros, etc.

• PEV (Postos de Entrega Voluntária)

A Separação do plástico pode ser feita visualmente ou realizada por diferença de densidade entre os polímeros.

Para realizar a separação dos polímeros na reciclagem foi impresso no rótulo do produto uma identificação que foi alocado pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas, na norma NBR 13230.
TABELA DE DENSIDADE DOS POLÍMEROS
Separação realizada
por diferença de
densidade entre os
polímeros.
Depois de separados, os polímeros podem
ser submetidos a 4 tipos de reciclagem:
• Reaproveitamento dos materiais para
outras finalidades.

RECICLAGEM MECÂNICA
A reciclagem mecânica é realizada através dos descartes plásticos pós-industriais ou pós-consumo em grânulos que são reutilizados na produção de outros produtos.
• Moagem: Após separados os diferentes tipos de plásticos, estes são moídos e fragmentados em pequenas partes.

• Lavagem: Após triturado, o plástico passa por uma etapa de lavagem com água para a retirada dos contaminantes.

• Aglutinação: O atrito dos fragmentos contra a parede do equipamento rotativo provoca elevação da temperatura, levando à formação de uma massa plástica.

• Extrusão: A extrusora funde e torna a massa plástica homogênea. Na saída da extrusora, encontra-se o cabeçote, do qual sai um "espaguete" contínuo, que é resfriado com água. Em seguida, o "espaguete" é picotado em um granulador e transformando em pellet (grãos plásticos).

RECICLAGEM QUÍMICA
A reciclagem química re-processa com o objetivo da recuperação dos componentes químicos individuais para reutilizá-los como produtos químicos ou para a produção de novos plásticos.

• Hidrogenação: As cadeias são quebradas mediante o tratamento com hidrogênio e calor, gerando produtos capazes de serem processados em refinarias.

• Gaseificação: Os plásticos são aquecidos com ar ou oxigênio, gerando-se gás de síntese contendo monóxido de carbono e hidrogênio.

• Quimólise: Consiste na quebra parcial ou total dos plásticos em monômeros na presença de Glicol/Metanol e água.

• Pirólise: É a quebra das moléculas pela ação do calor na ausência de oxigênio. Este processo gera frações de hidrocarbonetos capazes de serem processados em refinaria.

É a recuperação da energia contida nos plásticos através de processos térmicos. A reciclagem energética distingue-se da incineração por utilizar os resíduos plásticos como combustível na geração de energia elétrica sendo muito eficiente.

• A presença dos plásticos é de vital importância, pois aumenta o rendimento da incineração de resíduos municipais.

• O calor pode ser recuperado em caldeira, utilizando o vapor para geração de energia elétrica e/ou aquecimento.

• Testes em escala real na Europa comprovaram os bons resultados da co-combustão dos resíduos de plásticos com carvão, turfa e madeira, tanto técnica, econômica, como ambientalmente.

• A queima de plásticos em processos de reciclagem energética reduz o uso de combustíveis (economia de recursos naturais).

RECICLAGEM ENERGÉTICA
Polímeros de Condesação
Condensação
Adição
Obrigado.
Full transcript