Prezi

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in the manual

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

INSUFICIENCIA RENAL CRÓNICA-HEMOSIALISIS

No description
by Nekane Sojo Gonzalez on 13 December 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of INSUFICIENCIA RENAL CRÓNICA-HEMOSIALISIS

Nekane Sojo
Filipa Carneiro HEMODIÁLISE: QUALIDADE DE E ESTADO NUTRICIONAL o que é IRC? CAUSAS MAIS FREQUENTES ETAPAS PACIENTE IRC Tratamento de substituição renal Produz-se quando os rins não são capazes de filtrar as toxinas e outras substâncias de sangue adequadamente. Elevada presença de creatinina no soro IR AGUDA
IR CRÔNICA
IR CRÔNICA TERMINAL DIABETES HIPERTENSÃO
OBSTRUÇÃO DAS VIAS URINARIAS Etapa 1: Os pacientes não apresentam sintomas. Tratamento só em causa que criou a nefropatía (Diabetes, hipertensão)
Etapa 2: Apresentam alguns sintomas, concentram-se na prevenção da progressão da doença.
Etapa 3: Os pacientes nesta etapa já apresentam sintomas e signos como anemias e complicações com o metabolismo.
Etapa 4 e 5: Os pacientes já apresentam sintomas relacionadas com a disfunção renal. Preparação do paciente para a tratamento de substituição da função renal Hemodiálise: mais habitual


Dialise peritoneal ¿COMO FUNCIONA? HEMODIÁLISE A hemodiálise significa “limpeza do sangue”; este tratamento consiste em retirar o sangue do corpo e passa-lo através de um rim artificial chamado de “dialisador”. É realizada uma cirurgia onde o cirurgião coloca um acesso nos vasos sanguíneos para conseguir retirar o sangue e de seguida envia-lo para a maquina de diálise acabando por filtrar o sangue no rim artificial/dialisador. ASPECTOS PSICOLÓGICOS ESTADOS DEL PACIENTE-5 FASES NEGAÇÃO FASE 1 FASE 2 Consciencialização FASE 3 RAIVA FASE 4 Depressão FASE 5 Aceitação Características do estado emocional em pacientes com doença renal crónica (diciembre 1, 2011) Yanet González Nieves
Luis Felipe Herrera Jiménez
Jorge López Romero
Zaida Nieves Achón -Analise das etapas emocionais que acompanham a evolução dos pacientes com IRC. (Pacientes nas etapas 3, 4 y 5) -32 pacientes (16 com tratamento renal de substituição e 16 com outras alternativas terapêuticas) -Foram realizadas entrevistas para analisar o estado psicológico e como enfrenta a doença CONCLUSÕES -Inseguridade na hora de tomar decisões -O apoio familiar afeta favoravelmente a nível psicológico -Os mais jovens são os que mostram mais negação e rejeição em relação a doença, no entanto os adultos assumem-no melhor -A capacidade de trabalho é diminuída -Nas etapas 3, 4 e 5, nas três observa-se que os pacientes sofreram ansiedade, stress, ira e frustração. Quanto mais alta a etapa, mais se agravam estas situações psicológicas QUALIDADE DE VIDA E ADESÃO AO TRATAMENTO NOS PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA RENAL CRÓNICA NO TRATAMENTO DE HEMODIÁLISE (Junio 12 de 2006) FRANCOISE CONTRERAS,
GUSTAVO ESGUERRA,
JUAN CARLOS ESPINOSA,
CAROLINA GUTIÉRREZ,
LAURA FAJARDO -Descrever a qualidade de vida em 33 pacientes em tratamento de hemodiálise. SF-36 avaliava a qualidade de vida através de distintas medidas: CONCLUSÕES -Observar se apresentam características distintas em função da adesão do tratamento. -Utilizou-se o questionário de saúde SF-36. -Dependendo dos dados bioquímicos e clínicos dos pacientes, os especialistas decidiram se aplicavam determinado tipo de tratamento ou não. •Função física (limitações físicas).
•Papel físico (interferência no trabalho e atividades diárias).
•Dor corporal (intensidade da dor e o seu efeito nas atividades).
•Saúde Geral (avaliação pessoal da saúde).•Vitalidade (sentimento de energia).
•Função social (Interferência na vida social habitual).
•Papel Emocional (interferência no trabalho e outras atividades diárias).
•Saúde Mental (depressão, ansiedade, controlo emocional e de conduta)
•Evolução declarada da saúde •A IRC não interfere na vida social habitual dos pacientes •A função física obtém uma boa pontuação •A pontuação mais baixa foi para o papel físico •Os homens mostram melhor qualidade de vida que as mulheres •Entre os paciente com e sem adesão ao tratamento, observou-se que os pacientes que aderiram ao tratamento têm melhor qualidade de vida relacionada com a sua saúde mental, no entanto os pacientes que não aderiram ao tratamento têm melhor qualidade de vida no aspeto físico. Importância da avaliação bioquímica mensal na triagem de pacientes com desnutrição em hemodiálise
Data de aprovação: 17/08/2010 Manuel Carlos Martins de Castro, Flávia Chiaradia Andrade de Oliveira, Ana Castello Branco da Silveira, Kátia de Barros Correia Gonzaga, Magdaleni Xagoraris, Jerônimo Ruiz Centeno, José Adilson Camargo de Souza O referido estudo foi realizado no Instituto de Nefrologia de Taubaté, Taubaté, SP. OBJETIVOS OBJETIVOS A desnutrição é uma complicação frequente nos pacientes em hemodiálise, sendo o diagnóstico precoce importante para a redução das taxas de mortalidade OBJETIVOS Investigar a utilidade dos exames mensais realizados pacientes que se encontram no programa de hemodiálise no sentido de identificar aqueles que sofrem desnutrição Foi realizada uma avaliação objetiva e subjetiva a 252 pacientes, classificando-os em: •Desnutridos
•Não desnutridos Avaliação Subjetiva
Avaliação Objetiva - Recordatório alimentar de um dia
- Exame físico geral
- Avaliação subjetiva global. O paciente podia ser classificado como: •Nutrição normal
•Leve a moderadamente desnutrido
•Severamente desnutrido
- Exames bioquímicos
- Medidas antropométricas O paciente podia ser classificado como: •Desnutrição Grau 1,2 e 3
•Risco Nutricional
•Eutrofia
•Sobrepeso
•Obesidade Grau 1,2 e 3 CONCLUSÕES Os resultados mostram que a avaliação bioquímica mensal da concentração de ureia creatinina e fósforo podem ser utilizados para triagem de desnutrição nos pacientes em programa de hemodiálise ESTADO NUTRICIONAL DE PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA EM HEMODIÁLISE NO AMAZONAS ROLANDO GUILHERMO VERMEHREN VALENZUELA, ÂNGELA GIZELI GIFFONI, LILIAN CUPPARI, MARIA EUGÊNIA FERNANDES CANZIANI Trabalho realizado na Clínica Renal de Manaus, Manaus, AM OBJETIVOS O estado nutricional dos 165 pacientes foi estudado por meio de parâmetros CONCLUSÕES Estudar a ingestão alimentar e o estado nutricional de 165 pacientes com IRC em hemodiálise •Antropométricos•Bioquímicos•Proteína•Registo do consumo alimentar - Existe uma elevada prevalência de desnutrição energético-protéica- 45% apresentam desnutrição identificada por prega cutânea - A desnutrição é frequente nestes casos e que o reduzido consumo alimentar pode contribuir para essa condição INTRODUÇÃO Este trabalho tem como objetivo a realização do trabalho final no âmbito da unidade curricular Psicologia da Saúde lecionado pela professora Dr. Ana Galvão. Foram tratados neste trabalho 5 artigos sendo os seus títulos: Estado Nutricional de pacientes com Insuficiência Renal Crónica em Hemodiálise no Amazonas
Importância da avaliação bioquímica mensal na triagem de pacientes com desnutrição em hemodiálise
Características do estado emocional em pacientes com Insuficiência Renal Crónica
Qualidade de Vida e Adesão ao Tratamento em pacientes com Insuficiência Real Crónica no Tratamento de Hemodiálise
Avaliação Nutricional de Pacientes em Hemodiálise. OBJETIVOS DO TRABALHO - Constituir o método de avaliação da unidade curricular – Psicologia da Saúde - Analisar 5 artigos científicos - Aprofundar conhecimentos acerca da temática - Discutir reflexivamente o tema em apreço INTERVENÇÃO DO PSICÓLOGO Visto que a IRC não tem como característica uma perspetiva de recuperação o paciente precisará de se adaptar a nova realidade da sua vida, ou seja, de se reestruturar para poder viver, na medida do possível, com qualidade apesar das limitações e perdas impostas pela doença. O trabalho do psicólogo torna-sede grande importância, atuando na: •Minimização do impacto da doença no paciente e na sua família;•Manutenção do tratamento e fortalecimento da dieta, controlo médico- medicamentoso e diálise;• Diminuição da ansiedade;• Adaptação do paciente à doença e as limitações
impostas pela mesma;• Adaptação do paciente ao tratamento;•Melhora da autoestima. "A doença e a dor, por exemplo, preocupam consideravelmente a pessoa que delas sofre, mas as suas descrições aborrecem-nos em poucos parágrafos" John Updike Psicologia da doença para cuidados de saúde
L. Joyce-Moniz - Luísa Barros MATERIAIS E MÉTODOS Foi realizada uma revisão bibliográfica tendo como base 5 artigos científicos (base scielo), obras de Psicologia da Saúde e também um vídeo retirado da internet. Artigo 1 Artigo 2 Artigo 3 Artigo 4 MÉTODOS MÉTODOS INTERVENÇÃO DO DIETISTA A intervenção do dietista é importante, já que pode melhorar a sua qualidade de vida mediante uma alimentação adequada e única nos pacientes com IRC CONCLUSÃO DO TRABALHO -Com este trabalho concluímos que a doença renal é uma doença silenciosa e que devemos estar atentos aos seus sintomas, indo regularmente ao médico;

-Aprendemos a fazer pesquisa na base de dados B-On;

-Aprendemos como deve ser a intervenção de um Psicólogo da Saúde e de um Dietista;

-Aprendemos como é a qualidade de vida num paciente que sofre de doença renal crónica e como afeta a sua vida RESULTADOS Os resultados mostram que tanto para a ureia, como para o fósforo e para a creatinina os valores obtidos são inferiores a 90mg/dL, 4,2mg/dL e 6,5mg/dL, respetivamente e que sendo assim podem ser usados para triagem. O valor preditivo negativo variou entre 90% e 92% e o valor preditivo positivo entre 23% e 32%. A associação de dois ou mais desses índices não modificou de forma significante esses valores.

RESULTADOS Os resultados mostram que a média das percentagens da adequação do peso, do índice de massa corporal (IMC), da circunferência muscular do braço (CMB) e da prega cutânea do tríceps (PCT) estavam adequados, porém 38% das mulheres e 27% dos homens apresentaram PCT abaixo dos 5%; 39% dos homens e 2% das mulheres apresentaram CMB inferiores a 5%, evidenciando uma perda de gordura corporal em ambos os sexos e de massa muscular nos homens. Artigo 5 Avaliação Nutricional de pacientes em Hemodiálise (Fevereiro de 2005) Poliana Coelho CABRAL1Alcides da Silva DINIZ2
Ilma Kruze Grande de ARRUDA2
O referido estudo foi realizado no Serviço de Nefrologia do Hospital das Clínicas, da Universidade Federal de Pernambuco (HC/UFPE). OBJETIVOS o estado nutricional e a ingestão de energia e de nutrientes de uma população em hemodiálise no Hospital das Clínicas, Universidade Federal de Pernambuco. O objetivo deste estudo foi o de avaliar
Métodos
De um total de 47 pacientesem hemodiálise de manutenção, 37 indivíduos (18 homes e 19 mulheres) foram selecionados.
O índice de massa corporal foi utilizado para a classificação do estado nutricional e a dieta foi investigada por meio do método do diário alimentar de 4 dias. Resultados Os resultados evidenciaram um predomínio de indivíduos eutróficos (62,2%) e igual prevalência de baixo peso e excesso de peso (18,9% de pacientes em cada caso). Com relação à dieta, os achados desta pesquisa revelaram um adequado consumo energético-protéico. De uma forma geral, a ingestão média diária de nutrientes foi considerada adequada, exceto pelo cálcio e pela vitamina A, que apresentaram <50,0% e <70,0% da ingestão diária recomendada, respetivamente.

Conclusão Esses resultados indicam que se deve dar atenção cuidadosa às diferenças regionais e nacionais que influenciam o estado nutricional que influenciam o estado nutricional e a ingestão dietética de pacientes em hemodiálise.

O dietista deve criar empatia e confiança com o paciente, para que a consulta se torne mais facil para o paciente Na parte da intervenção do dietista tambem temos que por: asseguram o acompanhamento nutricional;
atuam na prevenção e recuperação nutricional
elaboram o plano das refeições diárias Doença Renal Crônica é silênciosa O referido estudo foi realizado no Hospital Docente Provincial Arnaldo Milián Castro de Villa Clara, Cuba

O referido estudo foi realizado no UNIVERSIDAD SANTO TOMÁS, BOGOTÁ
See the full transcript