Prezi

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in the manual

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

RECONCILIAÇÃO MEDICAMENTOSA

No description
by Raissa Andrade on 17 December 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of RECONCILIAÇÃO MEDICAMENTOSA

Fig.7: Ficha de medicamentos Fig. 1: Formulário de Identificação de Discrepâncias Pesquisa bibliográfica a fim de identificar publicações a respeito da reconciliação medicamentosa e a atuação do farmacêutico clínico nessa prática;

Bases de dados acessadas: Scielo e Google Acadêmico.

Artigos pesquisados em línguas estrangeiras, em especial Inglesa e Espanhola:
Pela escassez de publicações nacionais;
Por ser uma atividade difundida em outros países.


A busca foi limitada ao período de 2000 a 2012. Foram coletados 54 artigos, destes 38 foram utilizados na pesquisa. Também foram pesquisados livros e guias relacionados ao tema. Metodologia Objetivo A incorporação do processo de reconciliação medicamentosa tem mostrado ser uma estratégia importante com o intuito de reduzir os erros de medicação, custos de tratamentos e o risco potencial para os pacientes, durante as primeiras 24-48 horas após a internação, por meio de intervenções que visam garantir a segurança ao paciente.
A Reconciliação Medicamentosa é uma prática inovadora que visa à segurança dos pacientes tendo como meta dar qualidade terapêutica com menor risco possível sendo o melhor caminho para prevenir e evitar eventos adversos.

O farmacêutico clínico é o profissional ideal para realizar essa atividade, dada a sua capacidade de compreender e reconhecer potenciais problemas relacionados a medicamentos. Contudo, ainda é pouco explorada, sendo necessário que o mesmo se especialize e agregue conhecimentos na área da Farmácia Clínica e Farmacologia Clínica. Considerações Finais FERNANDES; MACKINNON, 2008 A Reconciliação medicamentosa permite aos farmacêuticos atuarem de maneira eficaz na prestação da atenção farmacêutica propiciando:

minimização dos danos causados aos pacientes em consequência de sua terapia medicamentosa;
diminuição dos custos de tratamento;
redução do tempo de internação. Revisão Bibliográfica
Importância do farmacêutico clínico na reconciliação medicamentosa Fig.6: Cartilha de Orientações sobre Medicamentos
Fonte: Hospital Felício Rocho Fig.5: Cartilha de Orientações sobre Medicamentos
Fonte: Hospital Felício Rocho CUA; KRIPALANI, 2008 Comunicação da nova lista ao paciente e ao cuidador/familiares

Elaboração plano de alta;
Orientação farmacêutica;
Esclarecimento de dúvidas;
Educação continuada Revisão Bibliográfica
Etapas da Reconciliação Medicamentosa Tomada de decisão

Análise das discrepâncias visando o uso racional de medicamentos, eficácia, custo-benefício e bem estar do paciente.
Decisão buscando a conduta mais adequada, baseadas em evidências científicas. Revisão Bibliográfica
Etapas da Reconciliação Medicamentosa Fig. 4: Formulário da História Medicamentosa Fig. 3: Diagrama das causas de erros de Reconciliação SANCHÉZ et. al., 2007 . Fonte: Adaptado PRATS et. al., 2008. Quadro 2: Classificação das gravidades das discrepâncias Pollyanna Cristina Queiroz de Oliveira
Raissa Suellen de Carvalho Andrade

Orientadora: Isabela Diniz Gusmão de Oliveira
Co-orientadora: Elaine Cristina de Oliveira A importância dessa prática clínica no âmbito hospitalar Reconciliação Medicamentosa: ALTUNA et.al 2009
Para a realização da reconciliação de forma adequada deve-se seguir algumas etapas que compreende em: Revisão Bibliográfica
Etapas da Reconciliação Medicamentosa Fonte: Adaptado ALTUNA et.al. ,2009. Quadro 1: Tipos de discrepâncias da reconciliação medicamentosa SÁNCHEZ SERRANO et al., 2012 A utilização de medicamentos é um processo complexo que pode ocasionar erros de medicação que são considerados como uma das principais causas de morbi-mortalidade dos pacientes.

Um dos fatores que evidencia um elevado índice de erros é a ausência da conciliação do tratamento farmacológico dos pacientes entre os distintos âmbitos da assistência médica. Revisão Bibliográfica CORNISH et.al., 2005; KOHN; CORRIGAN;DONALDSON, 2000 Introdução MYRKA et. al., 2011; ROGERS et. al., 2006. Fig.2: Fluxo da reconciliação medicamentosa . Revisão Bibliográfica
Reconciliação Medicamentosa ALTUNA et.al 2009; MYRKA et.al, 2011. Comparação entre a lista de medicamentos e prescrição médica

Revisão terapêutica;
Identificação de discrepâncias;
Comunicação a equipe multidisciplinar para modificação da prescrição, se necessário. Revisão Bibliográfica
Etapas da Reconciliação Medicamentosa MARQUES; FURTADO; DI MONACO,2010; CORRER; OTUKI, 2011; CORNISH et.al.,2005. Obtenção da história medicamentosa

Entrevista focada no paciente e na sua história clínica;
Estreitamento no relacionamento paciente- equipe multidisciplinar;
Registro das informações em um formulário adequado. Revisão Bibliográfica
Etapas da Reconciliação Medicamentosa Evento adverso a medicamentos é uma das principais causas de danos evitáveis sofrido por pacientes e ocorre mais comumente nas interfaces do cuidado. O relatório do publicou que a cada paciente admitido num hospital sofrerá 1,4 erros de medicação durante sua hospitalização e a cada 1000 prescrições feitas se identificará 4,7 erros. To err is human Mostrar a importância da reconciliação medicamentosa no âmbito hospitalar e as ferramentas necessárias para implantação desta atividade clínica.

É a diferença existente entre a medicação prescrita pelo médico e aquela que o paciente efetivamente toma.
Existem dois tipos de discrepâncias:
intencional e não intencional Afinal, o que é a reconciliação medicamentosa? Discrepância Fluxograma para Implantação da Reconciliação Medicamentosa Fonte: Adaptado Gil et.al., 2012 Admissão Transferências entre alas Alta hospitalar Introdução
See the full transcript